domingo, janeiro 10, 2010

SENSACIONAL DESCOBERTA COMPROVA VERDADE DA BÍBLIA!


Um sensacional avanço na interpretação da Bíblia trouxe uma nova luz sobre o período em que a Bíblia deverá ter sido escrita, testemunhando das capacidades de escrita dos hebreus já pelo 10º século a.C.
O prof. Gershon Galil, do Departamento de Estudos Bíblicos da Universidade de Haifa decifrou recentemente uma inscrição que data do 10º século a.C., demonstrando que é uma inscrição em hebraico, fazendo desta a mais antiga escrita hebraica até agora encontrada.
Esta descoberta indica que pelo menos algumas das Escrituras foram compostas centenas de anos antes das datas anteriormente pensadas e que o Reino de Israel já existia por essa altura. O 10º século a.C. foi o período do reino do Rei David.
A inscrição em si foi descoberta escrita com tinta num pedaço de barro com o tamanho de 15 x 16,5 cms. encontrado há um ano e meio em escavações dirigidas pelo Prof. Yosef Garfinkel, em Khirbet Qeiyafa, pero do vale de Elá.
Embora tenha sido datada do 10º século a.C., não se tornou imediatamente claro se estava escrita em hebraico ou em alguma outra língua local.
A decifração da escrita antiga feita pelo Prof. Galil testifica da realidade do hebraico, baseada na utilização de verbos pela língua hebraica e pelo conteúdo próprio da cultura hebraica e não adoptado por qualquer outra cultura da época ou da região.
"Este texto é uma afirmação social relacionada com escravos, viúvas e órfãos" - explicou o Prof. Galil - "Utiliza verbos característicos do hebraico, tais como asa ("fez") e avad ("trabalhou"), que eram raramente utilizadas em outras línguas regionais. Palavras em particular que são usadas no texto, tais como almana ("viúva") são específicas do hebraico e são escritas de forma diferente nas outras línguas locais."

Eis o texto agora decifrado:
1. Não (0) farás, mas adorarás o (Senhor).
2. Defende o escr(avo) e a viú(va) / Defende o órf(ão)
3. (e) o estrangeiro. (Pl)eiteia pelo bébé / pleiteia pelo po(bre e)
4. a viúva. Reabilita (o pobre) às mãos do rei.
5. Protege o po(bre e) o escravo / (apo)ia o estrangeiro.

Uma vez confirmada esta decifração - afirma o Prof. Galil - a inscrição irá tornar-se na mais antiga inscrição em hebraico jamais encontrada, testemunhando das capacidades de escrita em hebraico já no século 10 antes de Cristo. O professor adianta ainda que esta é uma prova da existência de escribas competentes nesta região da Judéia, capazes de escrever livros como o de Juízes e Samuel.
O conteúdo do texto expressa sensibilidade social face à frágil posição de membros da sociedade mais debilitados, e a inscrição testemunha da presença de estrangeiros dentro da sociedade israelita já neste período antigo, apelando aos hebreus nativos que providenciassem apoio para estes estrangeiros. Defende o cuidado pelas viúvas e órfãos, e encoraja o rei - que na época tinha a responsabilidade de atenuar as desigualdades sociais - para se envolver no melhoramento da sociedade israelita. Esta inscrição é semelhante no seu conteúdo às Escrituras Bíblicas (Isaías 1:17; Salmo 72:3; Êxodo 23:3 e outros), mas segundo Galil não é cópia de nenhum texto bíblico.
Shalom, Israel!




1 comentário:

Wallace Paulista disse...

Que maravilhosa descoberta hehe
Deus abençoe a tds