sexta-feira, fevereiro 24, 2017

VIOLENTO ATAQUE CONTRA 2 JOVENS JUDEUS EM PARIS PROVA O ALARMANTE CRESCIMENTO DO ANTI-SEMITISMO NA FRANÇA E NÃO SÓ

Esta semana, dois jovens judeus parisienses foram brutalmente espancados e pontapeados por um grupo de indivíduos nos subúrbios de Paris.
Os atacantes, cercaram os dois jovens e passaram imediatamente a espancá-los repetidamente sob a ameaça de os matarem caso se mexessem. Um dos atacantes serrou depois um dos dedos de um dos jovens judeus atacados.
Todo o mundo judaico reagiu fortemente a mais este ataque anti-semita na capital francesa, tendo a ministra israelita para os Negócios Estrangeiros Tzipi Hotovely comentado que "Os ventos do ódio estão soprando contra os judeus em todo o mundo, o anti-semitismo mais feio está erguendo a cabeça."

A MINISTRA TZIPI HOTOVELY
E acrescentou: "Temos de agir vigorosamente de forma a lutar contra o ódio aos judeus. O governo francês criou um programa importante para a luta contra o anti-semitismo, que levou a um decréscimo dos ataques violentos, mas apesar disso temos de agir com mão forte contra aqueles que tentam causar prejuízos, e fortalecer a comunidade judaica."
O incidente teve lugar em Bondy, na Terça-Feira à noite, quando um grupo de indivíduos raptou momentaneamente dois jovens judeus, levando-os para um canto onde foram violentamente espancados e o dedo de um deles serrado por um dos bandidos. Os dois irmãos foram hospitalizados em estado de choque. 
Os dois irmãos, cujo pai é um líder judeu na comunidade, usavam o kipá quando se deslocavam de carro e foram forçados a sair da estrada principal e a encostar por um outro veículo de onde os seus ocupantes gritavam: "Porcos judeus, vocês vão morrer!" Os indivíduos de aparência alegadamente oriental saíram depois do veículo, obrigando os jovens judeus a sair e, ajudados por outros que entretanto saíram de um café, passaram a espancar os jovens judeus.
Este acontecimento ocorrido durante esta semana vem juntar-se a outro ocorrido nos EUA, em que dezenas de campas judaicas foram profanadas, na cidade de Saint Louis. 

Shalom, Israel!

quinta-feira, fevereiro 23, 2017

ESTARÁ O CANDELABRO (MENORÁ) ESCONDIDO NO VATICANO?

Há quem pense que sim. Segundo uma tradição antiga, o antigo candelabro usado no Templo de Jerusalém, destruído no ano 70 d.C. pelos romanos, estará escondido algures nas sombrias e misteriosas catacumbas do Vaticano.
O assunto está novamente na ordem do dia, como consequência da organização para breve de uma exposição conjunta patrocinada pelo assento papal e a antiga comunidade judaica que vive em Roma. Visando promover a visibilidade da crescente relação amigável entre os judeus e o Vaticano, o tema da exposição traz à tona este assunto incómodo, levantando suspeitas que apesar de um longo historial de negações do Vaticano, os rumores terão razão de existir.
Arnold Nesselrath, responsável dos museus do Vaticano, anunciou na passada Segunda-Feira o tema da exposição, assinalando que a ligação entre o Vaticano e o menorá (candelabro) está graficamente ilustrado num fresco pintado na parede do apartamento "Borgia" do Vaticano. O apartamento foi mandado construir pelo papa Alexandre VI, cujo mandato se iniciou em 1492, o mesmo ano em que os judeus espanhóis foram obrigados a escolher entre uma conversão forçada ao catolicismo ou a expulsão do território espanhol.
Os organizadores afirmaram que a exposição "reconta a incrível multi-milenar História sofrida do menorá."

CERTAMENTE FOI PARA ROMA (INICIALMENTE)
A História do sofrimento do menorá começou no ano 70 d.C. com a destruição do Templo. Com uma altura de 1,5 metros e feito de quase 60 quilos de ouro maciço, o menorá foi levado em exílio para Roma pelo imperador Tito.
Esse tenebroso evento está registado até hoje no famoso Arco de Tito, junto ao Coliseu de Roma, num relevo que descreve os soldados romanos carregando o menorá para fora do Templo. Fontes judaicas contêm também muitos relatos de primeira mão descrevendo o menorá como sendo visto em Roma pouco depois da destruição do Templo.
Flávio Josefo, um estudioso e historiador judeu de ascendência sacerdotal que viveu no primeiro século, relatou que os artefactos do Templo foram de facto levados para Roma e colocados dentro do Templo da Paz, construído pelo imperador Vespasiano no ano 75 d.C.
O rasto histórico do menorá parece ter-se perdido durante o 5º século. Há historiadores que conjecturam que o artefacto terá sido saqueado pelos vândalos, quando estes invadiram Roma no ano 455, tendo sido depois derretido, e o ouro dispersado. Mas não há registos históricos da época que comprovem essa possibilidade.
Têm desde então sido relatadas visões não comprovadas do menorá no Vaticano, mas sem qualquer fundamentação válida ou validada. Na segunda metade do século 12, um judeu espanhol conhecido como Benjamin de Tudela fez uma viagem pelo mundo conhecido de então, chegando até à Mesopotâmia. No seu diário, ele relatou que os judeus de Roma sabiam que os vasos do Templo estavam escondidos numa cave do Vaticano.
Esses rumores persistem até aos dias de hoje. Todos os anos o Vaticano recebe centenas de cartas de judeus e de não judeus solicitando que os utensílios do Templo sejam restituídos ao povo judeu.

PEDIDO PELOS ISRAELITAS
Apesar de o Vaticano sempre negar haverem provas de que os utensílios estejam na sua posse, os pedidos continuam. Num encontro havido em 1996 com o papa João Paulo II, o então ministro israelita para os Assuntos Religiosos Shimon Shitrit, solicitou a ajuda do Vaticano na busca dos utensílios do Templo como um "gesto de boa vontade." Segundo relatou na altura o diário israelita "Haaretz", "um tenso silêncio pairou sobre a sala após o pedido de Shitrit."
FRANCISCO I JUNTO AO MURO, JERUSALÉM,
NA SUA PRIMEIRA VISITA OFICIAL EM 2014
Depois deste "ousado" pedido de Shitrit, os rabinos-mor de Israel Yona Metzger e Shlomo Amar, fizeram uma solicitação semelhante durante a sua primeira visita ao Vaticano. E o mesmo voltou a acontecer durante a visita do então presidente israelita Moshe Katsav ao Vaticano. Em 2004, a "Autoridade para as Antiguidades de Israel" enviou uma equipa a Roma para pesquisar nos armazéns do Vaticano algum sinal dos artefactos do Templo. Segundo eles relataram, nada de inesperado foi encontrado...

OS RUMORES PERSISTEM...
Mesmo assim, os rumores não deixam de existir. Em 2013, pouco antes da primeira visita oficial do recém eleito papa Francisco I a Israel, o rabi Yonatan Shtencel, residente em Jerusalém, causou sensação nos media, ao escrever uma carta ao Vaticano solicitando que o papa aproveitasse a oportunidade para devolver o menorá de ouro roubado ao Templo. O rabi dirigiu-se ao novo papa como "um líder com disponibilidade para escutar outras nações."
"É altura desses vasos sagrados, roubados na época desses difíceis eventos históricos e levados para Roma como despojos de guerra e até aos dias de hoje nas mãos das autoridades do Vaticano, e sob o seu controle, mudarem de estatuto" - escreveu na altura o rabi. E acrescentou que ao fazê-lo, os muitos anos em que o Vaticano tomou posse dos utensílios passariam da condição de "roubados", para a de "confiados" ao povo judeu.
CANDELABRO BANHADO A OURO
PRÓXIMO AO MURO, E PREPARADO
PARA O NOVO TEMPLO
O arcebispo Guiseppe Lazzaratto respondeu, afirmando que o Vaticano tinha dedicado "séria atenção" ao assunto. Ainda que não tivesse admitido que os utensílios do Templo estivessem no Vaticano, a verdade é que também não o negou. Simplesmente limitou-se a reafirmar a crescente afinidade entre a Igreja católica e os judeus, assinalando que a retenção dos utensílios iria contra essa tendência.
"Se me conseguirem fornecer qualquer evidência de que os vasos sagrados estão realmente guardados nos arquivos, ou algures no Vaticano, terei todo o gosto em encaminhar o vosso pedido para o prefeito dos mesmos arquivos, e ao próprio papa Francisco" - respondeu o prelado.

ESPECULANDO UM POUCO...
Permita-me agora o leitor um pouco de especulação da minha parte...
Acreditando como eu acredito que o "papa" é o verdadeiro "falso profeta" anunciado pelas Escrituras como o "braço direito" do Anti-Cristo, e sabendo que este último enganará os judeus e grande parte do mundo ao fazer um falso acordo de paz entre judeus e árabes (Daniel 9:27), algo de valioso terá de ser oferecido como "moeda de troca" para convencer os judeus a aceitarem tal "plano de paz." Ora, para além da possível oferta da construção de um Templo para que os judeus possam retomar os desejados sacrifícios diários no Monte Moriá, a devolução do menorá pelo "falso profeta" - entenda-se: papa - seria certamente a melhor "prenda" que os judeus poderiam receber das mãos do chefe do Vaticano...
Quando me refiro ao "papa" como o "falso profeta", não quero dizer que tenha de ser este actual chefe do Vaticano, mas qualquer um que vier preencherá certa e cabalmente esta posição diabólica...

Claro que estou a especular...mas que é uma possibilidade, ninguém o pode negar...

Shalom, Israel!

quarta-feira, fevereiro 22, 2017

FORÇA AÉREA DE ISRAEL TERÁ ATACADO CARREGAMENTO DE ARMAS PARA O HEZBOLLAH NA SÍRIA

Já não é a primeira vez. A cada passo, Israel vê-se obrigado a atacar e destruir grandes carregamentos de armas em território sírio destinados ao grupo terrorista islâmico Hezbollah.
Segundo fontes árabes - que Israel obviamente não confirma - a Força Aérea Israelita terá cedo esta manhã atacado alvos do exército sírio ao longo da fronteira entre a Síria e o Líbano.
Não há registo de qualquer ferido como consequência deste provável ataque aéreo.
O ataque terá ocorrido às 03H45 da manhã, e o alvo provável um comboio de carregamento de armas destinado ao Hezbollah, no Líbano.
Como se sabe, o armamento de que o Hezbollah dispõe destina-se a atacar Israel a partir da fronteira Norte, tal como já aconteceu em 2006.
Há poucos dias atrás, o secretário-geral do Hezbollah Hassan Nasrallah ameaçou direccionar os seus mísseis para o reactor nuclear israelita e para os tanques de reabastecimento: "Israel sabe que com os nossos mísseis podemos transformar o reactor nuclear de Dimona de uma ameaça para nós para uma ameaça a Israel."

Shalom, Israel!

terça-feira, fevereiro 21, 2017

NOVA ADMINISTRAÇÃO TRUMP ARRASA COM A HABITUAL E DOENTIA HIPOCRISIA DA ONU!



NOVA ADMINISTRAÇÃO TRUMP ARRASA COM A HABITUAL E DOENTIA HIPOCRISIA DA ONU!
Nikki Haley, a nova embaixadora dos EUA (administração Trump) na ONU, arrasa completamente a pérfida hipocrisia do Conselho de Segurança da ONU em relação a Israel.
Parabéns Haley! Arrasa com essa escumalha habituada a favorecer os países promotores do terrorismo islâmico, e defende os direitos mais que justos de Israel, a única democracia em todo o Médio Oriente!

segunda-feira, fevereiro 20, 2017

HÁ CADA VEZ MAIS PAÍSES ÁRABES A QUEREREM BENEFICIAR COM ISRAEL

BENJAMIN NETANYAHU COM O REI DA JORDÂNIA, EM
JANEIRO DE 2014
Só os idiotas é que não conseguem compreender o quanto os países árabes só têm a ganhar com o estabelecimento de laços políticos e económicos com Israel.
Há cada vez mais líderes árabes, asiáticos e africanos a perceberem a chegada de "um novo dia" ao Médio Oriente, vendo Israel como uma "ilha de estabilidade" que pode catapultar um período de crescimento económico em toda a região.
Essa é pelo menos a opinião de Stephen M. Greenberg e de Malcolm Hoenlein, CEOs da "Conferência de Presidentes." Hoenlein relatou aos repórteres presentes em Jerusalém para a abertura da conferência de líderes que as suas visitas a Marrocos e ao Egipto na semana passada reforçou as mensagens que tem estado a ouvir de líderes em toda a região, incluindo alguns "que vos iriam surpreender."
"Há um incrível interesse e desejo de operar com Israel como eixo central numa nova realidade regional" - afirmou Hoenlein. 
Os líderes árabes acrescentaram que os seus países estão unidos na sua oposição ao programa nuclear iraniano, e disseram que o tempo é propício para que a administração Trump lidere uma nova ofensiva contra a ambição de Teerão de possuir armas nucleares.
Questionados sobre a abertura de Trump para uma solução 2 estados ou 1 estado só, os líderes responderam que essa não é a discussão principal: "Eles querem uma solução. Mas há uma crescente abertura e desejo de beneficiar daquilo que Israel tem para oferecer. Estão cansados da cleptocracia, sentem que os palestinianos têm andado a desperdiçar biliões de dólares de ajuda humanitária."
"As pessoas estão abertas àquilo que Israel tem a oferecer. A partir dessa perspectiva não há isolamento. Antes pelo contrário."

Shalom, Israel!

sábado, fevereiro 18, 2017

PENCE ASSEGURA QUE OS EUA NUNCA PERMITIRÃO QUE O IRÃO CONSIGA ARMAS NUCLEARES QUE AMEACEM ISRAEL

Presente na Conferência para a Segurança em Munique - mencionada no nosso blogue de ontem - o vice-presidente norte-americano Mike Pence reiterou esta manhã o apoio da administração de Donald Trump à segurança de Israel, ao afirmar veementemente que os EUA não permitirão ao Irão conseguir armas nucleares que ameacem Israel.
Na sua intervenção na Conferência, o evangélico conservador pró-Israel vice-presidente Mike Pence referiu-se ao Irão como "o estado líder no suporte ao terrorismo cujas acções continuam a desestabilizar o Médio Oriente."
Numa intervenção que certamente provocará o agrado do primeiro-ministro israelita Benjamin Netanyahu, Mike Pence foi bem claro: "Deixem-me ser bem claro: sob o presidente Trump, os Estados Unidos manter-se-ão totalmente comprometidos em assegurar que o Irão nunca obterá uma arma nuclear capaz de ameaçar os nossos países aliados na região, especialmente Israel."

PARADA MILITAR NO IRÃO
Desde a eleição de Donald Trump que o Irão tem aumentado as suas ameaças através dos testes realizados com mísseis balísticos, jurando "responder com firmeza" à alegada agressão dos EUA, e chamando Israel de "a maior ameaça à paz mundial", expandindo ainda a sua influência militar, tanto na Síria, como no Iémen,
O vice-presidente norte-americano enfatizou a postura antagónica do Irão e notou que "graças ao fim das sanções relacionadas com a questão nuclear, o Irão dispõe agora de novos recursos para se dedicar a esses esforços."

A chanceler alemã Angela Merkel encontrou-se com Mike Pence à margem da conferência e fez questão de lembrar ao vice-presidente que "a NATO é do interesse norte-americano." Merkel lembrou ainda a necessidade de se preservar e fortalecer outras parcerias multinacionais, como é o caso da União Europeia e das Nações Unidas.
Pence afirmou que os Estados Unidos farão com que a Rússia "seja responsável", afiançando o compromisso do seu país para com a NATO, pedindo no entanto aos países membros para que aumentem as suas contribuições de forma a se alcançar "o padrão."

Shalom, Israel!

sexta-feira, fevereiro 17, 2017

MINISTROS ISRAELITA, IRANIANO E SAUDITA PARTICIPAM DA MESMA CONFERÊNCIA SOBRE SEGURANÇA

"Velhas crises, novo Médio Oriente" - este é o tema da conferência sobre segurança a realizar no próximo Domingo de manhã, em Munique, Alemanha.
O ministro da defesa de Israel Avigdor Lieberman partilhará o pódio com o ministro das Relações Exteriores do Irão Mohammad Javad Zarif, e o da Arábia Saudita Adel al-Jubeir.
O anúncio foi feito apenas hoje, devido a questões de segurança, tanto mais que Israel não tem relações diplomáticas com os outros dois países, que por sua vez também são mútuos inimigos.
A relação de Israel com o Irão é tudo menos pacífica, em virtude das constantes ameaças iranianas de destruição do estado judaico. Há no entanto uma ligação informal com a Arábia Saudita devido aos interesses mútuos relacionados com o inimigo comum, o regime xiita iraniano.
Para completar o quadro "explosivo", o ministro da relações Exteriores da Turquia também estará presente. 
O painel não incluirá qualquer interacção ou diálogo entre estes participantes. Cada um falará no seu turno, sob a moderação de Lyse Doucet, da BBC.

Shalom, Israel!