quarta-feira, março 22, 2017

Presidente da República inaugurou exposição “Heranças e Vivências Judaicas em Portugal” - NOTÍCIAS - PRESIDENCIA.PT

Presidente da República inaugurou exposição “Heranças e Vivências Judaicas em Portugal” - NOTÍCIAS - PRESIDENCIA.PT: O Presidente Marcelo Rebelo de Sousa inauguração, na sala de exposições do Arquivo Nacional da Torre do Tombo, em Lisboa, a Exposição Internacional “Heranças e Vivências Judaicas em Portugal” organizada pela da Rede de Judiarias de Portugal - Rotas de Sefarad.

terça-feira, março 21, 2017

ISRAEL ESTREIA NOVO SISTEMA DE DEFESA ANTI-MÍSSIL "FUNDA DE DAVID"

Acompanhando o crescente das tensões na fronteira Norte de Israel (Líbano e Síria), a Força Aérea Israelita inaugurou ontem oficialmente o seu novo sistema de defesa anti-míssil, cognominado de "Funda de David", acrescentando assim mais um avançado sistema de protecção aos já bem sucedidos "Cúpula de Ferro" e "Arrow", cuja eficácia tem sido comprovada nos últimos ataques com rockets disparados pelo Hamas a partir da Faixa de Gaza.
Este novo sistema é o resultado de um trabalho conjunto realizado por israelitas e norte-americanos.
Já operacional, este sistema irá funcionar como parte do programa de defesa anti-míssil israelita.
Quando em plena capacidade de acção, o sistema "Funda de David" opera na camada acima da "Cúpula de Ferro" e abaixo do sistema "Arrow." Isso significa na prática que está preparado para interceptar mísseis balísticos, rockets de alcance médio a longo e mísseis de cruzeiro disparados de distâncias entre 40 e 300 quilómetros.

TENSÕES NA FRONTEIRA NORTE
Este novo sistema vem mesmo a tempo. As tensões na fronteira Norte de Israel avolumam-se, com um míssil terra-ar sírio recentemente interceptado pelo sistema israelita "Arrow" depois de um ataque da Força Aérea Israelita a um carregamento de armas do Hezbollah.

A eficácia do sistema de defesa "Arrow" no derrube do míssil S-200 sírio com uma ogiva carregando 200 kgs de explosivos foi vital, uma vez que visava a região do vale do rio Jordão.
Sabe-se que o míssil foi disparado a partir de uma base aérea síria perto da cidade de Homs. 
Menos de um minuto depois de o míssil S-200 ter sido disparado, identificou-se do lado israelita o perigo que o mesmo constituíria para o país, levando a equipa do "Arrow-2" a disparar contra o míssil.

Os inimigos não descansam, mas Israel não dorme. E os avisos do ministro da Defesa de Israel são bem claros: se a Síria continuar a disparar mísseis contra Israel, a aviação israelita destruirá por completo todos os sistemas de defesa antí-míssil dos sírios...

Shalom, Israel!

segunda-feira, março 20, 2017

NETANYAHU NA CHINA PARA APROFUNDAR LAÇOS ECONÓMICOS

Numa altura em que a economia exportadora israelita tem os olhos na Ásia, de uma "forma bem clara e propositada", o primeiro-ministro israelita Netanyahu está de visita à maior potência económica asiática, num esforço para combinar a crescente tecnologia "high-tech" israelita com as capacidade chinesas de marketing e comercialização em massa, para o benefício de ambos os países.
Tendo sido recebido de braços abertos, o primeiro-ministro Netanyahu encontrou uma China interessada em aumentar a sua cooperação tecnológica com Israel, ao mesmo tempo que tenta um maior envolvimento no Médio Oriente.
O encontro principal do líder israelita com o primeiro-ministro chinês Li Keqiang deu-se esta manhã na capital chinesa Beijing, tendo o líder chinês aplaudido os avanços tecnológicos de Israel, afirmando tratar-se de um líder mundial no que respeita a certas tecnologias.
"O povo chinês e o povo israelita são ambos grandes povos do mundo" - afirmou o responsável chinês.
Netanyahu, por seu turno, afirmou haver muito a conversar acerca da tecnologia de ponta.
"Ao mesmo tempo em que há uma enorme convulsão no mundo, incluindo na nossa parte do mundo" - disse Netanyahu - "eu gostaria de ter a oportunidade de trocar pontos de vista consigo e ver como poderemos juntos cooperar para o avanço da segurança, paz, estabilidade e prosperidade."
Fala-se da possibilidade de se fazer um acordo de livre circulação de mercadorias entre os dois países. A economia chinesa é cerca de 35 vezes maior que a israelita. 
Netanyahu procura nesta visita de 3 dias um maior investimento chinês no estado judaico, especialmente nas áreas de infra-estruturas e da construção, para além de uma maior presença israelita na tecnologia de ponta da China. Netanyahu fez-se acompanhar de 100 líderes empresariais ligados às áreas da alta tecnologia.
Nesta última década, as exportações israelitas para a China triplicaram, atingindo em 2016 uns 3,3 biliões de dólares, basicamente em produtos de tecnologia de ponta, que vão desde áreas ligadas à ciber-segurança à agricultura.

Shalom, Israel!


sábado, março 18, 2017

PARLAMENTO ISRAELITA APROVA UMA MAIOR LIGAÇÃO DOS JUDEUS AO MONTE DO TEMPLO

Aproxima-se o Jubileu da Cidade de Jerusalém. Em Junho deste ano, completam-se 50 anos desde que as forças israelitas conseguiram recuperar a totalidade da sua capital, unificando-a e reconstruindo tudo aquilo que os ocupantes jordanos haviam destruído.
Mas a reconquista de Jerusalém em Junho de 1967 falhou num ponto crucial: desejoso de fazer a paz com a Jordânia, o general Moshe Dayan decidiu deixar a administração do Monte do Templo nas mãos dos árabes. Muitos ainda hoje não compreendem como foi possível que o lugar mais sagrado para os judeus tivesse sido deixado nas mãos dos seus maiores inimigos, os muçulmanos. Houve no entanto um cumprimento profético nessa resolução das autoridades israelitas. Deus estava mais uma vez - como sempre - no controle da História. Segundo as profecias de Daniel, o falso Messias terá de fazer um acordo "com muitos", acreditando-se que o mesmo envolverá a resolução da questão da soberania do Monte do Templo, agora ocupado pela mesquita de al-Aqsa e pelo Domo da Rocha.
Ainda que a soberania seja israelita, a administração é muçulmana, dessa forma impedindo no local a realização de quaisquer orações por parte de judeus e de cristãos.
Há no entanto um crescente anseio da parte de muitos judeus para que eles não só ali possam orar, como inclusivamente retomar os sacrifícios num espaço que necessitará de ser erigido para o efeito.

CRESCENTES PRESSÕES NO KNESSET
Há actualmente grupos dispostos a encetar uma jornada de luta política visando a recuperação do espaço para os judeus. Pela primeira vez desde o estabelecimento do estado judaico em 1948, o parlamento - Knesset - propôs estabelecer um órgão governamental destinado a fortalecer a ligação entre o estado judaico e o seu lugar mais sagrado: o Monte do Templo. Esta medida provocou obviamente a ira dos políticos palestinianos que acreditam que as recentes pérfidas decisões da UNESCO visando eliminar os laços históricos entre Jerusalém e os judeus têm sido bem sucedidas.
Numa medida que encolerizou as hostes políticas palestinianas, a ministra para a Cultura de Israel, Miri Regev e o ministro para Jerusalém, Ze'ev Elkin, propuseram uma nova fundação para promover a ligação judaica ao Monte do Templo. Um orçamento de 550.000 dólares anuais será acrescentado ao já existente "Fundação da Herança do Monte do Templo."
Esta nova fundação será responsável pela "pesquisa, informação e defesa" concernentes à ligação judaica àquele lugar sagrado.

INDIGNAÇÃO ÁRABE
Para os deputados árabes no parlamento israelita, o lugar é exclusivamente islâmico. Para eles, todo o espaço das construções e à sua volta é sagrado para o islão e considerado "mesquita."
"Sempre foi assim, e é assim que vai permanecer, apesar da conquista e apesar deste novo financiamento" - afirmou Ahmad Tibi, verbalizando o seu ódio e repugnante ignorância histórica sobre a verdade dos factos. 

ESPERANÇA JUDAICA
O deputado israelita Yehudah Glick, do partido Likud, que desde há anos vem defendendo a possibilidade de qualquer pessoa e de qualquer religião poder orar no local, ficou obviaimente entusiasmado com a decisão.
"Depois de muitos e longos meses, alegro-me que os nossos esforços tenham finalmente produzido frutos. Esta é uma boa altura, e graças a Deus chegámos finalmente lá, apesar do atraso de 50 anos (de facto, 2 mil anos...) O governo israelita reconheceu que o Monte do Templo é um sítio nacional, é nosso." - afirmou Glick.

Esta medida acontece a poucas semanas do Jubileu de Jerusalém. Foi criado um logotipo apropriado a este evento, explicado pela ministra da Cultura Miri Regev: "Ele (logotipo) conta a verdadeira História de Jerusalém. A base do dígito 5 é uma harpa, uma reminiscência de David, rei de Israel, que há 3.000 anos fundou Jerusalém como nossa capital eterna. A cabeça do 5 é um leão - o símbolo da moderna cidade de Jerusalém."
E a ministra acrescentou: "Os laços da nação judaica a Jerusalém são possivelmente os mais profundos que ao longo da História têm existido entre um povo e uma cidade."

Shalom, Israel!

sexta-feira, março 17, 2017

GUTERRES TRAVA CONDENAÇÃO A ISRAEL NA ONU

O secretário geral da ONU, o português António Guterres, solicitou à comissão regional das Nações Unidas que representa a maioria dos países árabes que removam do seu website um relatório em que Israel é acusado de praticar um "regime de apartheid" contra os palestinianos.
O relatório apresentado à "Comissão Social e Económica das Nações Unidas para a Ásia Ocidental"  - ESCWA - que compreende um total de 18 nações árabes. conclui que "Israel estabeleceu um regime de apartheid que domina o povo palestiniano como um todo."
Este tipo de acusação - frequentemente feita a Israel pelos seus críticos - nunca havia sido feita por um órgão das Nações Unidas.

DEMISSÃO POR "PRESSÕES DE GUTERRES"
Rima Khalaf, a jordana sub-secretária geral da ONU e secretária executiva da ESCWA, demitiu-se esta Sexta-Feira, após aquilo que ela descreve como sendo pressão do secretário geral para retirar o relatório. O anúncio da demissão foi feito hoje pela própria em Beirute.
Nas suas alegações, Khalaf disse que "Era esperado que Israel e os seus aliados fossem pôr uma enorme pressão sobre o secretário geral da ONU para retirar o relatório."

Não obstante a alegada pressão, Khalaf defende o relatório, apelidando-o de "primeiro do género" de uma agência da ONU que levanta o véu sobre "os crimes que Israel continua a cometer contra o povo palestiniano, os quais se podem comparar a crimes de guerra contra a humanidade."

REACÇÃO DO EMBAIXADOR ISRAELITA NA ONU
Logo após a publicação inicial deste relatório, Danny Danon solicitou a Guterres que arquivasse o mesmo. 
E em resposta à reacção de Khalaf, Danny Danon afirmou o seguinte: "A decisão do secretário geral é um passo importante para parar a descriminação contra Israel. O lugar dos activistas anti-Israel é do lado de fora da ONU e chegou a hora de pôr um fim a este fenómeno em que representantes da ONU se aproveitam das suas posições para actividades anti-Israel. Khalaf anda há anos a trabalhar para prejudicar o estado de Israel, promovendo regularmente o BDS (boicote aos produtos israelitas) e há muito que ela deveria ter deixado o seu cargo."
Desde há anos que Israel tem apelado à resignação de Khalaf devido aos seus sentimentos anti-Israel e anti-semitas.
Stephane Dujarric, porta-voz da ONU, informou na passada Quarta-Feira que o relatório foi publicado sem consentimento prévio do secretariado da ONU.
Os Estados Unidos informaram terem ficado revoltados com o relatório.
A demissão de Khalaf foi aceite por António Guterres.

Parabéns, engº António Guterres!

Shalom, Israel!

quinta-feira, março 16, 2017

ESTA É A MARAVILHOSA JERUSALÉM! IMAGENS MARAVILHOSAS DA CIDADE QUE MAIS AMO!





Estar a acrescentar palavras a este video, seria estragar o efeito do mesmo...
Delicie-se com as imagens e com a música, e planeie um dia visitar e conhecer esta Cidade do Grande Rei!

Shalom!

quarta-feira, março 15, 2017

ENVIADO DE TRUMP REÚNE-SE COM NETANYAHU EM JERUSALÉM E COM ABBAS EM RAMALA

Jason Greenblatt, o representante especial para as negociações internacionais do governo de Donald Trump, encontra-se em Israel para um périplo de uma semana na qual tentará ouvir todas as partes envolvidas no conflito israelo-árabe.
Na Segunda-Feira passada o representante norte-americano reuniu-se durante 5 horas com o primeiro-ministro Netanyahu, na capital Jerusalém. 
No dia seguinte (ontem), Greenblatt reuniu-se com o presidente da Autoridade Palestiniana, Mahmoud Abbas, em Ramala.
A intenção do representante norte-americano é "ouvir bastante, abordar os pontos de vista da liderança regional, perceber as suas perspectivas sobre a situação actual e ver como podem ser feitos progressos tendo em vista uma paz eventual."
Segundo fontes norte-americanas, "esta pode ser a primeira de muitas visitas à região."
Do encontro com Netanyahu sabe-se apenas das habituais boas intenções: "um compromisso mútuo de Israel e dos EUA para avançar na direcção de uma paz genuína e duradoira entre israelitas e palestinianos que fortaleça a segurança de Israel e a estabilidade na região."
O palestiniano Abbas terá dito a Greenblatt "acreditar que sob a liderança do presidente Trump será possível alcançar um acordo de paz histórico" e que isso "poderá aumentar a segurança em toda a região."
Uma declaração da Autoridade Palestiniana assinala que "Abbas comprometeu-se em evitar a retórica inflamatória e o incitamento à violência."
Netanyahu afirmou acreditar que sob a liderança de Trump poderá ser alcançado um acordo que inclua vários países árabes da região.

ABBAS CONVIDADO A VISITAR A CASA BRANCA
Esta visita do representante norte-americano a Israel sucede poucos dias depois de o presidente Donald Trump ter na sua primeira conversa telefónica com o líder palestiniano convidado Mahmoud Abbas a visitar a Casa Branca, em Washington.
Nesse telefonema, Trump terá dito a Abbas que chegou a hora de se fazer "um acordo", e que qualquer acordo terá de ser negociado entre ambas as partes, não podendo por isso os EUA impôr qualquer solução.

Shalom, Israel!