quinta-feira, maio 12, 2022

QUEM É O VERDADEIRO CULPADO DA MORTE DA JORNALISTA DA AL JAZEERA?

A morte a tiro de uma conhecida jornalista árabe ao serviço da TV Al Jazeera tem suscitado ondas de emoção e a habitual doentia condenação de Israel por parte dos palestinianos.

Várias entidades, desde a ONU aos próprios EUA exigem uma clara averiguação dos factos visando saber a autoria do disparo que abateu a jornalista norte-americana de origem palestiniana Shireen Abu Akleh.

A morte da jornalista deu-se a meio de confrontos entre forças de segurança israelitas e terroristas palestinianos numa operação israelita na cidade palestiniana de Jenin de onde têm surgido os autores de vários assassinatos recentemente perpetrados contra isarelitas.

Não se sabe ao certo quem disparou o tiro mortal, mas o que se presencia é a recusa da parte palestiniana de colaborar na investigação e na cedência da bala que vitimou a repórter. Só isso por si já indicia uma tentativa de ocultação da verdade por parte dos palestinianos...

Entretanto, esperemos para ver no que isto vai dar, e se sempre se confirma a autoria israelita do disparo, o que, com toda a sinceridade, me causa sérias dúvidas...

Shalom, Israel!

quinta-feira, abril 21, 2022

JERUSALÉM E O MONTE DO TEMPLO UMA VEZ MAIS NO EPICENTRO DAS ATENÇÕES MUNDIAIS

À medida que o relógio profético se aproxima da meia-noite, o foco das tensões e da atenção mundial voltará a ser Jerusalém, ou não estivessem certas as profecias bíblicas.

As injustificadas acusações contra Israel como alegado causador do actual conflito caem por terra quando averiguamos a origem dos acontecimentos, porém, como sempre acontece, a pérfida e manipulada comunicação social conta sempre o filme a partir da metade, ou seja, sempre ocultam quem é o verdadeiro responsável pelo actual mal estar em Jerusalém, e especificamente no Monte do Templo. 

Agora é a Liga Árabe, uma associação de países violadores dos direitos humanos e nada democráticos a querer impôr a Israel - um estado soberano - que proíba as orações dos judeus no Monte do Templo. Israel, por seu turno, cansa-se de assegurar que manterá o actual status quo, permitindo a liberdade de culto a todas as religiões. A Liga Árabe alega que as orações de judeus no recinto do Monte - actualmente profanado pela mesquita de al-Aqsa e o Domo da Rocha - são "uma flagrante afronta aos sentimentos muçulmanos que podem inflamar um conflito alargado." Só não mencionam é que foram precisamente os arruaceiros muçulmanos que iniciaram o conflito, interrompendo as orações dos judeus junto ao Muro no início da manhã da passada Sexta-Feira, arremessando pedras contra eles, o que obrigou a uma pronta intervenção das forças de segurança de Israel. Para acalmar a situação e acabar com as inúmeras pedradas a que a polícia foi sujeita a partir de dentro da mesquita, os elementos policiais tiveram de entrar dentro do recinto da mesquita, pois de outra forma a situação só tenderia a piorar.

O ministro das Relações Exteriores da Jordânia também condenou a intervenção israelita no recinto: "As nossas exigências são claras, que a al-Aqsa e a Haram al-Sharif em toda a sua área é um lugar só para os muçulmanos adorarem."

As tensões deste mês têm muito a ver com a coincidência da celebração do Ramadão, com a Páscoa judaica e cristã. Esta manhã registaram-se novos confrontos entre arruaceiros palestinianos e a polícia israelita. 

A Rússia, através do seu ministro dos Negócios Estrangeiros Lavrov, veio também condenar "a excessiva força" de Israel nos confrontos de Jerusalém.

O movimento islâmico terrorista palestiniano Hamas vai aproveitando a actual crise para tentar conquistar a simpatia dos palestinianos, fazendo bandeira desta luta e convocando os palestinianos a uma "mobilização" para as orações de amanhã no Monte do Templo, alegando que se trata da "defesa dos lugares sagrados do islamismo."

De forma a acalmar a situação, o governo de Jerusalém proibiu a subida de judeus ao Monte nos últimos 10 dias do Ramadão, começando já amanhã, uma medida que visa aliviar as tensões, mas que, como se sabe, não receberá a atenção mundial, muito menos a dos inimigos de Israel. 

Em resposta a rockets disparados desde Gaza contra território israelita, a força aérea tem estado a bombardear posições terroristas dentro do enclave.

Na nossa opinião, as tensões irão aumentando pouco a pouco, uma vez que Satanás, o grande inspirador do islamismo, sabe que o Messias Jesus virá reinar em Jerusalém e construir o Seu Templo exactamente naquele lugar agora conspurcado pelos lugares sagrados do islão, pelo que essa criatura abominável tudo fará para tentar impedir que tal aconteça... O que ele quer ignorar, é que ele já está vencido e nada poderá fazer para impedir o progresso e a concretização plena do plano de Deus em relação a Jerusalém, Israel e o Seu povo eleito. 

Shalom, Israel!

quarta-feira, abril 20, 2022

POLÍCIA ISRAELITA BLOQUEIA DESFILE NACIONALISTA NO BAIRRO MUÇULMANO DE JERUSALÉM

A meio das recentes tensões entre judeus e árabes, qualquer rastilho pode causar graves danos, pelo que a situação recomenda sabedoria e bom senso. Apesar disso, um grupo de várias centenas de nacionalistas de direita liderados por Itamar Ben-Gvir, do movimento "Otzma Yehudit" tentaram entrar no bairro muçulmano através do portão de Damasco ostentando bandeiras de Israel, tendo sido barrados pela polícia. Este desfile conhecido por "desfile das bandeiras" tinha previamente sido proibido pela polícia, contudo os manifestantes decidiram prosseguir com o evento.

O primeiro-ministro Naftali Bennet proibiu o desfile de entrar pelo portão de Damasco e a polícia montou barricadas e colocou camiões para tentar evitar a passagem dos manifestantes. Apesar de algumas pequenas refregas entre a polícia e os manifestantes, os mesmos acabaram por desistir de forçar a entrada pelo portão de Damasco, o qual dá acesso ao bairro muçulmano, optando antes por entrar pelo portão de Jaffa. 

Shalom, Israel!

terça-feira, abril 19, 2022

TODAS AS ATENÇÕES FOCADAS NO MONTE DO TEMPLO

Sabemos pelas Escrituras proféticas que um dia todas as nações afluirão ao Monte do Senhor para receber as Suas Palavras e as bênçãos daí advindas. Sem dúvida que o Monte do Senhor será o centro do mundo e o epicentro das bênçãos emanadas pelo Rei, sentado no Seu trono em Jerusalém.

Só que por agora o Monte do Templo está no foco das manchetes - mais uma vez - mas não pelas melhores razões. A recente intervenção das forças de segurança israelitas naquele recinto para tentarem apaziguar a violência perpetrada pelos palestinianos contra os judeus foi condenada ou no mínimo  criticada pelos hipócritas do costume, desde a Turquia aos Emirados Árabes Unidos, já para não falar na vizinha Jordânia, que administra a área onde se encontra a mesquita de al-Aqsa e o Domo da Rocha.

O próprio secretário de estado norte-americano Antony Blinken abordou recentemente a questão com o seu par da Jordânia, sublinhando a importância de ser mantido o estatuto de status quo neste local de Jerusalém. Algo que o governo israelita tem feito, como prova a recente proibição governamental de serem realizados quaisquer sacrifícios de animais no Monte como ambicionava fazer um grupo religioso judaico, e que, apesar da proibição do governo, serviu mesmo assim de pretexto para a onda de violência palestiniana a que o mundo assistiu na passada sexta-feira.

Blinken e o ministro jordano abordaram ainda a importância de haver um trabalho conjunto entre israelitas e palestinianos para parar a violência e evitar uma escalada da mesma. Para o rei Abdullah da Jordânia, as "acções unilaterais" de Israel contra os fieis muçulmanos na mesquita de al-Aqsa minam seriamente as perspectivas para a paz na região. O que o rei hashemita não mencionou foi quem é que começou o conflito...

Mais do mesmo...

Shalom, Israel!

segunda-feira, abril 18, 2022

DECORREU SEM INCIDENTES A CERIMÓNIA DA BÊNÇÃO SACERDOTAL JUNTO AO MURO OCIDENTAL

Apesar dos recentes eventos violentos no Monte do Templo, decorreu esta manhã a cerimónia da bênção sacerdotal bi-anual junto ao Muro Ocidental, normalmente aglomerando várias dezenas de milhares de judeus, mas que desta vez reuniu apenas alguns milhares de fieis, mesmo assim um número considerável.

De forma a ajudar no controle da multidão por questões de segurança, o evento deste ano foi dividido por dois dias, tendo hoje decorrido a primeira cerimónia, e a segunda estando planeada para a próxima Quarta-Feira. A cerimónia desta manhã iniciou-se pelas 8H45. Cerca de 2.500 polícias foram destacados para o local e imediações. 

Esta cerimónia é realizada pelos sacerdotes através do erguer as mãos para dar a bênção aos presentes, estando os mesmos sacerdotes coatitas envoltos em xailes de oração. Alguns dos participantes desta manhã estavam envoltos em bandeiras ucranianas em solidariedade para com aquele país recentemente invadido pela Rússia. 

Shalom, Israel!


sábado, abril 16, 2022

EUA "PROFUNDAMENTE PREOCUPADOS" COM O MONTE DO TEMPLO EM JERUSALÉM

Devido aos incidentes na manhã de ontem em que cerca de 185 palestinianos foram alegadamente feridos pela intervenção da polícia israelita que tentou pôr ordem na multidão de arruaceiros que atirava pedras contra os fiéis judeus que rezavam junto ao muro, o departamento de estado norte-americano informou estar em permanente contacto com as autoridades palestinianas e israelitas visando o acalmar da situação naquele lugar sagrado para judeus e muçulmanos. 

"Apelamos a ambas as partes para que exerçam contenção, evitem acções provocatórias e de retórica, e que preservem o status quo histórico no Haram al-Sharif/Monte do Templo."

Sob o actual status quo de há 54 anos, enquanto os muçulmanos podem rezar e fazer o que querem no Monte do Templo, inclusivé deixar as crianças jogar à bola, os judeus apenas têm permissão para subir e visitar em pequenos grupos, e mesmo assim sob pesadas restrições, seguindo um caminho previamente estabelecido e apenas durante algumas horas em certos dias da semana. Os judeus estão ainda por cima proibiddos de orar naquele recinto...

Numa declaração emitida pela embaixada norte-americana em Jerusalém, foi feito um apelo à calma e ao restabelecimento da normalidade: "Estamos a acompanhar de perto os acontecimentos em Jerusalém durante este período de feriados sagrados para os judeus, muçulmanos e cristãos. Apelamos a cada um para que se abstenha de acções que levem a um escalar das tensões. Encorajamos ambas as partes a que trabalhem conjuntamente para assegurar a calma e o tranquilo desfrutar de todos os feriados religiosos."

As autoridades israelitas detiveram 400 arruaceiros palestinianos e, segundo alegações do Crescente Vermelho Palestiniano, 158 indivíduos terão ficado feridos, a maioria dos quais devido à inalação de gás lacrimejante. Os videos gravados no local revelaram um verdadeiro caos no recionto, com pedras voando em todas as direcções e bombas artesanais sendo arremessadas contra a polícia israelita. Determinada a limpar as pilhas de pedras acumuladas pelos palestinianos dentro da mesquita de al-Aqsa, a polícia teve de invadir o edifício, resultando na detenção de dezenas de arruaceiros. Foram necessárias seis horas para que a polícia repusesse a ordem, expulsando os arruaceiros palestinianos do recinto, conduzindo centenas deles para dentro de autocarros que os conduziram para uma estação de polícia próxima do local. A calma foi então restaurada, e as orações da tarde puderam ser realizadas sem qualquer problema, com a presença de cerca de 50 mil fiéis muçulmanos.

Shalom, Israel!

sexta-feira, abril 15, 2022

MAIS DE 100 FERIDOS EM NOVOS CONFRONTOS NO MONTE DO TEMPLO

Esta manhã, após as rezas do Ramadão, a polícia israelita foi forçada a entrar no recindo do Monte do Templo para tentar impedir que uma furiosa multidão de palestinianos continuasse a atirar pedras aos judeus que oravam junto ao Muro Ocidental. Segundo a polícia israelita, 3 oficiais sofreram ferimentos ligeiros. 59 palestinianos terão ficado também feridos com os confrontos.

Os palestinianos estavam mascarados e atirando pedras junto à mesquita de al-Aqsa quando a polícia israelita foi obrigada a intervir, neste que tem sido um mês de grandes tensões, devido à celebração do Ramadão, coincidente com as celebrações da Páscoa judaica e cristã. Vários ataques têm sido feitos a israelitas civis, com um total de 14 vítimas mortais. 

Pelas 4 da manhã um grupo de palestinianos com bandeiras do Hamas e palestinianas começaram a atirar pedras aos judeus que oravam junto ao Muro. Quando a polícia interveio, os arruaceiros barricaram-se dentro da mesquita de al-Aqsa. A polícia não entrou dentro do local sagrado para os muçulmanos. Apesar dos esforços, a polícia não conseguiu dispersar os manifestantes palestinianos. 

Para as autoridades muçulmanas responsáveis pelo Monte do Templo, a polícia israelita é que provocou os incidentes, tentando varrer dali os muçulmanos para permitir que "colonos" façam sacrifícios no recinto, uma referência ao que o grupo extremista judeu "Retornando ao Monte" queria fazer, anunciando aos seus membros que iriam tentar realizar um sacrifício pascal no Monte do Templo segundo os preceitos bíblicos na manhã de hoje. 

Como sempre, estes lamentáveis conflitos são fruto da estupidez incurável dos extremistas muçulmanos que não conseguem produzir nada de bom a não ser a violência e o ódio contra aqueles que apenas querem estar no sossego do lugar da oração. E, como lhes é habitual, todas as mentiras servem de argumento para acender o rastilho...

Shalom, Israel!