quarta-feira, outubro 28, 2020

DESCOBERTAS EM BANIAS RUÍNAS DE UMA DAS MAIS ANTIGAS IGREJAS EM ISRAEL

 

Exactamente no lugar onde Jesus foi confessado por Pedro como sendo o verdadeiro Messias, o Filho de Deus, e onde Ele mesmo pela primeira vez prometeu o estabelecimento da Sua Igreja - não a de Pedro... - foram agora descobertas as ruínas daquela que se crê poderá ser uma das mais antigas igrejas em Israel.

Banias - a bíblica Cesaréia Filipe mencionada nos Evangelhos - é um dos pontos mais belos e tranquilos do Norte de Israel. É ali que se pode ver uma das nascentes do Jordão. Confesso que é um dos lugares que mais amo naquela Terra e onde sinto uma indescritível tranquilidade. Nas nossas visitas durante o Verão somos abençoados pelo cheiro penetrante das muitas figueiras ali existentes e pela frescura das águas frescas provenientes dos Montes Hermon. Rodeados das ruínas daquilo que foi um panteão do culto a vários deuses e demónios - em especial o deu grego Pan - podemos visualizar o que seria aquela cidade pagã e idólatra nos dias do Messias. Sempre penso que não foi por acaso que Ele escolheu precisamente aquele lugar específico para confrontados com a inúmera quantidade de panteões de idolatria à sua volta, os discípulos tiveram de confessar a sua fé no verdadeiro Deus incarnado: "E vós, quem dizeis que Eu sou? E Simão Pedro, respondendo, disse: Tu és o Messias, o Filho do Deus vivo!" A partir daquela confissão, os discípulos começam a entender os propósitos do Messias; escolher um povo, o qual iria separar para Si, ao qual chamou de "a Minha Igreja."

No sopé das majestosas quedas de água que ali jorram foram agora descobertos os restos daquilo que foi uma igreja bizantina construída por volta do ano 300 d.C. por cima do antigo templo romano ao deus grego Pan, que deu o nome a este parque natural. O nome actual Banias deriva de Pan+ias, uma vez que os árabes não conseguiam pronunciar a letra "b". Percebe-se pelas ruínas que os construtores cristãos da época adaptaram o templo pagão para satisfazer as necessidades desta "nova religião." Pelo menos é assim que acredita o professor Adi Erlich, da Universidade de Haifa. Segundo a sua opinião, esta igreja teria sido construída para comemorar a interacção de Jesus com Pedro, que reconheceu ali o seu Mestre como sendo o Messias.

O local da escavação é singular, uma vez que combina um penhasco, uma gruta, nascentes de água e um terraço criado em tempos remotos a partir do colapso de parte do penhasco sobre o qual o templo foi erigido. Segundo Erlich, a adoração do deus Pan começou a ser realizada junto à gruta e à nascente de água por volta do 3º século a.C. O templo foi edificado por volta do ano 20 a.C. O local tornou-se num importante centro cristão por volta do ano 320 d.C., tendo a Igreja o seu próprio bispo já naquela altura.

O edifício de grande estilo era adornado com arquitectura clássica romana, e era um espaço aberto, com um pequeno poço no meio, foi identificado com toda a segurança como sendo um templo dedicado a Pan devido à inscrição de dedicação gravada no altar ao deus dos pastores, da música e do sexo. A estrutura da arquitectura romana original do templo foi depois "cristianizada" e transformada num templo cristão.

Entre os vários achados de cariz cristão estão pequenas cruzes gravadas na decoração do mosaico do chão do templo. O símbolo da cruz tornou-se generalizado na iconografia cristã depois do reino do imperador romano Constantino, em meados do século IV d.C. Um nicho voltado para leste no templo pagão e que teria certamente alojado uma estátua de Pan foi reinventado para se tornar numa abside da igreja. 

Foi ainda descoberta "uma pedra muito interessante" revestida e pontilhada com cruzes gravadas. Seriam certamente grafitis "eu estive aqui" gravados por peregrinos dos séculos 6º e 7º. A certa altura da sua existência, o templo sofreu danos através de um tremor de terra, sendo renovado no 7º século.

A actual escavação está sendo realizada em cooperação com a Universidade de Haifa, e é parte de uma vasta variedade de actividades realizadas para preservar e conservar a arqueologia monumental descoberta nestes últimos anos em Israel. 

Estes novos achados serão preservados e tornados acessíveis aos muitos milhares de turistas que vêm de todo o mundo visitar as quedas de água em Banias. 

terça-feira, outubro 27, 2020

MAIS 5 A 10 NAÇÕES A CAMINHO DA NORMALIZAÇÃO DAS RELAÇÕES COM ISRAEL - AFIRMOU TRUMP

 

Antes de entrar no avião que o levará a mais algumas campanhas eleitorais nos EUA, o presidente norte-americano Donald Trump informou que pelo menos 5 nações árabes irão "definitivamente" assinar acordos de normalização com Israel, prevendo ainda que esse número duplique para os dez.

"Temos cinco, mas teremos provavelmente nove ou dez na calha" - afirmou Trump, acrescentando: "Vamos ter muitos, eventualmente todos eles."

Questionado sobre a altura em que esses acordos serão efectivados, Trump informou que tal acontecerá depois das eleições. "Estamos agora a fazer um grande trabalho, e estou envolvido em todos esses acordos. A beleza disso é que se trata de paz no Médio Oriente sem dinheiro nem sangue."

"Não há nenhum sangue na areia, e as coisas estão a acontecer. Sim, temos 5 países assegurados e penso que vamos ter outros cinco praticamente assegurados."

Trump não especificou quais são os países, apenas revelando que as perspectivas de normalização se relacionam "com todos eles (países) - os grandes e os mais pequenos."

Shalom, Israel!

segunda-feira, outubro 26, 2020

MUSEU DA TORRE DE DAVID RENOVADO E AMPLIADO COM OBRAS DE 40 MILHÕES DE DÓLARES

 

A belíssima Torre de David - um dos pontos mais idílicos da Cidade de Jerusalém - que muito de nós aprendemos a amar - vai passar por extensas obras de ampliação e conservação das salas de exposição, outros equipamentos e com um novo acesso directo subterrâneo a partir do exterior das muralhas de Jerusalém.

Este novo projecto de renovação e conservação do museu da Torre de David visa preservar e conservar a cidadela histórica e o parque arqueológico, ao mesmo tempo que duplicará a área total do museu para 20.000 metros quadrados, incluindo uma nova cafetaria subterrânea à entrada do parque, novas casas de banho, sete novas galerias de exposição, novos espaços para exibições e dois elevadores que permitirão a acessibilidade do museu a todas as pessoas.

Um passeio alinhado com os achados descobertos neste sítio arqueológico conduzirá os visitantes da nova entrada do museu ao novo complexo educacional, ligando até aos parques de estacionamento por debaixo do shopping Mamilla, do outro lado da rua. 

Um dos achados mais impressionantes foram as fundações do palácio do rei Herodes, 10 metros abaixo do solo actual, revelando 2 mil anos de História através de uma experiência multi-sensorial que levará os espectadores a "viajarem" pelo palácio do famoso rei contemporâneo de Jesus.

Ao entrarem pela galeria pelo elevador, os visitantes serão levados até à entrada das escavações, e descerão até às profundidades da terra, camada por camada, até ao início da História da Cidade. 

Têm sido recentemente descobertas escavações romanas e bizantinas por debaixo da praça adjacente ao Portão de Jaffa, que era a antiga entrada para a Cidade Santa, e que foram abandonadas por mais de uma década. Toda essa área foi agora anexada ao museu.

Segundo o presidente do município de Jerusalém, Moshe Lion, a Torre de David é um dos patrimónios históricos e arqueológicos mais importantes do mundo: "A Torre de David, localizada no Portão de Jaffa, providencia uma ligação entre a antiga Cidade de Jerusalém e a parte nova da mesma; e a sua renovação beneficiará toda a paisagem urbana para todos os amantes de Jerusalém e para os visitantes que vêm conhecer a cidade oriundos de todas as partes do mundo."

Mais de 500 mil pessoas visitaram o museu em 2019, gerando 80% dos recursos para os gastos decorrentes do museu.

Shalom, Israel!


domingo, outubro 25, 2020

ISRAEL ENVIA TRIGO NO VALOR DE 5 MILHÕES DE DÓLARES PARA O "NOVO AMIGO" SUDÃO

Israel sempre foi conhecido pela sua generosidade, até mesmo em relação aos seus inimigos.

Em seguimento ao acordo para a normalização de relações diplomáticas entre Israel e o Sudão, o governo de Jerusalém decidiu hoje enviar uma valiosa ajuda humanitária para o "novo amigo." 

"Estamos ansiando por uma paz calorosa, e estamos enviando imediatamente 5 milhões de dólares em trigo para os nossos novos amigos no Sudão" - afirmou o primeiro-ministro Benjamin Netanyahu. E acrescentou: "Israel está trabalhando de perto com os EUA de forma a assistir na transição no Sudão."

Economicamente debilitado, sabe-se que o Sudão concordou com a normalização principalmente para que pudesse ser removido da lista norte-americana dos estados promotores do terrorismo e receber ajuda financeira. O bem estar económico da nação é a força motriz para o estabelecimento de relações com o estado judaico.

Esta ajuda de Israel incluirá também investimentos nas áreas da agricultura e tecnologia, para além de alguma ajuda para o alívio da dívida do país. O país está em estado de transição, com milhares nas ruas a manifestarem-se contra as péssimas condições económicas do país.

Netanyahu informou que "nos próximos dias" seguirá para Cartum uma delegação israelita com o objectivo de se finalizarem os acordos. O primeiro-ministro informou ainda que já haviam sido assinados acordos para que aviões israelitas pudessem sobrevoar o espaço aéreo sudanês, facilitando assim os voos entre Israel e o Brasil e a América do Sul.

Shalom, Israel!

sábado, outubro 24, 2020

SUDÃO NORMALIZA RELAÇÕES COM ISRAEL. OUTROS PAÍSES ÁRABES SE SEGUIRÃO, INCLUINDO A ARÁBIA SAUDITA

 


Hoje foi mais um dia de euforia na sala oval, em Washington: o presidente norte-americano conseguiu mais um trunfo, desta vez o estabelecimento ou a normalização das relações diplomáticas entre o Sudão e Israel. Netanyahu saudou este novo acordo com as palavras: "É um novo mundo!"

Segundo Trump, o Sudão demonstrou um compromisso em combater o terrorismo. "Este é um dos grandes dias na História do Sudão" - afirmou Trump, acrescentando que o Sudão e Israel têm mantido um estado de guerra durante décadas.

"É um novo mundo!" - afirmou Netanyahu ao telefone com o presidente Trump. E acrescentou: "Estamos a cooperar com todos. Construindo um melhor futuro para todos nós."

"Estamos expandindo o círculo da paz tão rapidamente com a sua liderança" - ouviu-se Netanyahu dizer ao presidente Trump, que, por sua vez respondeu: "Há muitos, muitos mais a vir."

O comunicado foi também feito através da TV estatal sudanesa: "O Sudão e Israel concordaram em normalizar as suas relações, terminar o estado de agressão entre eles."

AS VOLTAS QUE O MUNDO DÁ...

Foi exactamente em Cartum, a capital sudanesa que em 1967 o mundo árabe declarou que não haveria nenhum reconhecimento, nenhuma negociação, e nenhuma paz com Israel. Hoje, o Sudão junta-se aos Emirados Árabes Unidos e ao Barein como o terceiro país árabe a fazer a paz com Israel em 2020.

MAIS A CAMINHO...

Segundo Trump, há pelo menos outros 5 países que querem normalizar as relações com Israel, entre os quais a própria Arábia Saudita. E acrescentou que muitos mais se seguiriam.

Questionado sobre a reacção a este novo acordo, Netanyahu expressou-se: "Ultrapassa a nossa imaginação!" E acrescentou: "Isto muda a vida das pessoas. Não nos envolveremos no derramamento de sangue; não nos envolveremos em antagonismos. Iremos comprometer-nos com a cooperação para o presente e para o futuro...Estamos mesmo agora vendo os frutos da paz...dias depois de assinarmos os acordos." E, entusiasmado, acrescentou: "Nunca vimos algo assim."

Segundo Trump, será realizada em Washington uma nova cerimónia para a assinatura de acordos de paz entre Israel e o Sudão e "mais alguns outros estados árabes."

"Todos virão juntos. Iremos ver uma grande e maravilhosa festa no final."

Assim seja. Shalom, Israel!

quinta-feira, outubro 22, 2020

PREVISTO PARA DIAS ANÚNCIO DA NORMALIZAÇÃO DAS RELAÇÕES ENTRE ISRAEL E O SUDÃO

O próximo país árabe a normalizar as relações diplomáticas com Israel deverá ser o Sudão. Prevê-se que o anúncio deva vir a ser feito já neste próximo fim de semana ou no início da próxima.

Este é o resultado de mais um esforço diplomático mediado pelos Estados Unidos, e confirmado ontem com a deslocação de uma comitiva norte-americana e israelita a Cartum. Esta viagem inédita foi realizada em jacto comercial num voo directo entre Tel Aviv e Cartum e volta. Vários responsáveis da Mossad e do gabinete do primeiro-ministro tiveram reuniões com os seus congéneres na capital sudanesa, chegando-se a um acordo final para o estabelecimento de relações amistosas entre os dois países. As conversações prosseguiram durante o dia de hoje.

Espera-se agora um telefonema final entre o presidente Donald Trump, o líder de transição sudanês general Abdel Fattah al-Burhan, o primeiro-ministro do Sudão Abdalla Hamdok, e o primeiro-ministro israelita Benjamin Netanyahu. 

Já ontem o secretário de estado norte-americano Mike Pompeo havia-se pronunciado, esperando ver o Sudão a estabelecer relações diplomáticas com Israel como resultado da decisão norte-americana de retirar o Sudão da lista dos países promotores do terrorismo. Pompeo expressou-se confiando que "cada nação reconhecesse Israel, a pátria judaica de direito, no seu direito fundamental de existir como país."

Desde que começou 2020, o mundo já não é mais o mesmo...

Shalom, Israel! 

quarta-feira, outubro 21, 2020

NÚMERO DE INFECTADOS PELA COVID-19 EM ISRAEL CAI DRASTICAMENTE

 

Provavelmente graças ao rigor do actual confinamento, o número de pessoas infeccionadas pela covid-19 em Israel tem estado a cair bastante nestes últimos dias, dando sinais de esperança aos profissionais de saúde e à população em geral. Por outro lado, os olhos de vários países europeus estão colocados na evolução da pandemia em Israel e a realidade ali vivida serve de "termómetro" para as medidas actualmente em vigor ou ainda a tomar no continente europeu.

O número de novos casos ontem registados foi de 1.165, colocando o rácio de infecções abaixo dos 3%. Foram registados 7 óbitos nas últimas 24 horas. Pela primeira vez em várias semanas, o número de casos sérios no país baixou para menos de 600, mais especificamente 591. O total de óbitos em Israel provocados pela pandemia é actualmente de 2.278. 

Shalom, Israel!