quinta-feira, dezembro 01, 2022

ONU VOTA A FAVOR DA COMEMORAÇÃO PRÓ-PALESTINIANA DO "DIA DA CATÁSTROFE" (NAKBA)


A assembleia geral das Nações Unidas votou ontem a favor de uma proposta visando a adopção de uma resolução pró-palestiniana para a comemoração do "dia Nakba" - o dia da "catástrofe", segundo a perspectiva dos inimigos de Israel. Este termo é usado pelos palestinianos para descrever o estabelecimento do moderno estado de Israel em 1948.

A resolução da ONU apela à "comemoração do 75º aniversário da Nakba, que inclui a organização de um evento a alto nível no auditório principal da assembleia geral" em Maio de 2023. A resolução apela ainda à "disseminação de arquivos e testemunhos relevantes."

A iniciativa foi apoiada pelo Egipto, Jordânia, Senegal, Tunísia e Iémen, para além dos palestinianos, e passou com 90 votos a favor, 30 contra e 47 abstenções. Entre os países que votaram contra estão Israel, Austrália, Áustria, Canadá, Dinamarca, Alemanha, Grécia, Hungria, Itália, Países Baixos, Reino Unido e EUA. A Ucrânia não votou. Já no início de Novembro este país que se farta de pedir ajuda militar a Israel decidiu votar a favor de uma resolução anti-Israel, originando um mal estar com o governo de Jerusalém. 

Quase todos os países da União Europeia rejeitaram a moção, com a excepção de Chipre, que votou a favor. Portugal absteve-se...

Os países árabes e muçulmanos com quem Israel tem laços diplomáticos votaram a favor da resolução, entre os quais estão o Azerbaijão, Barein, Egipto, Jordânia, Marrocos, Sudão e Emirados Árabes Unidos. 

Os árabes nunca aceitaram a entrada de judeus na Terra de Israel, muito menos a aceitação de um estado judaico em terras que alegam serem suas. Com o novo governo de Netanyahu, as aspirações palestinianas de um estado naquela terra irão dissipar-se, uma vez que o novo governo de coligação é contra a divisão da terra entre 2 estados. 

Esta resolução sobre a "Nakba" é apenas uma entre várias outras semelhantes avançadas durante a reunião sobre a "questão da Palestina." Claro que todas são contra Israel...

Uma outra resolução reza assim: "Nota-se com grande tristeza a passagem de 55 anos desde o estabelecimento da ocupação israelita" e 75 anos desde o plano de partição das Nações Unidas e da "Nakba", sem nenhuma resolução para o conflito."


O embaixador israelita para a ONU, Gilad Erdan, disse que "o único propósito das resoluções é colocar apenas sobre Israel a culpa de tudo o que acontece no Médio Oriente, ao mesmo tempo que absolvendo os palestinianos de qualquer responsabilidade."

E o embaixador afirmou no seu discurso: "Tentem imaginar a comunidade internacional comemorar o dia da independência do vosso país, chamando-lhe de um desastre. Que desgraça" - afirmou  Erdan, acrescentando: "As mentiras palestinianas não deveriam mais ser aceites no palco mundial, tal como esta assembleia deveria parar de permitir que os palestinianos se aproveitem do mesmo. Apelo a todos vós para que deixeis de apoiar cegamente as difamações palestinianas."

"Esta assembleia geral, esta organização, votou para adoptar a resolução 181 - o plano da partição. O meu povo, o povo judeu, aceitou esta resolução sem hesitar. Mas os árabes e os palestinianos não: cinco exércitos árabes, juntamente com os árabes que viviam em Israel, tentaram destruir-nos e aniquilar-nos."

Erdan também revelou uma exibição na ONU sobre a "nakba judaica", a expulsão de centenas de milhares de judeus de países árabes e do Irão nos anos 1940 e 50, logo a seguir ao plano de partição. "O único crime deles era serem judeus. Esta é a verdadeira Nakba. Este é o desastre provocado contra o povo judeu, o mesmo desastre que esta organização tem ignorado há décadas. Combaterei de todas as formas a falsa narrativa que os palestinianos disseminam na ONU."

Sabe-se que 750.000 judeus foram expulsos dos países árabes e muçulmanos após o estabelecimento do estado moderno de Israel. 

ALEGAÇÕES PALESTINIANAS

Riyad Mansour, o enviado palestiniano à ONU, alegou durante o evento: "Estamos no final da estrada que leva à solução 2 estados. Ou a comunidade internacional resume a vontade de agir decisivamente, ou irá então deixar que a paz morra passivamente. Passivamente, mas não pacificamente."

O representante dos inimigos de Israel instou ainda para que a comunidade internacional pressione Israel e para que a ONU garanta aos palestinianos o pleno reconhecimento, com um estado palestiniano com Jerusalém oriental como capital. Mansour condenou ainda o "regime" israelita por combinar os males do colonialismo e do apartheid.

"O plano era, e em muitos casos ainda é, para deslocar o nosso povo para fora da sua terra ancestral" - alegou o palestiniano, acrescentando que "foram 75 anos de políticas israelitas tendo como alvo desenraizar o nosso povo." Mansour referiu-se por várias vezes a Israel como "colónia", dessa forma iníqua negando os laços e raízes ancestrais dos judeus a Israel e ao Médio Oriente. 

A HIPOCRISIA DE ANTÓNIO GUTERRES

Ma passada Terça-Feira, durante um evento na ONU assinalando o "Dia Internacional de Solidariedade para com o Povo Palestiniano", o secretário-geral António Guterres afirmou que "a ocupação tem de terminar", alegando que o conflito tem como causa a ocupação, os colonatos, as demolições de casas, os despejos e o fechamento das passagens para Gaza...

O hipócrita Guterres e outros palestrantes focaram-se nas forças israelitas na Margem Ocidental (entenda-se: Judeia e Samaria), esquecendo no entanto de mencionar o terrorismo palestiniano, o grupo terrorista Hamas, as preocupações israelitas em questões de segurança, ou as vítimas israelitas da violência palestiniana... Enfim, mais do mesmo.

Shalom, Israel!


quarta-feira, novembro 23, 2022

DUAS FORTES EXPLOSÕES NUMA DAS ENTRADAS DE JERUSALÉM CAUSARAM 1 MORTO E 22 FERIDOS


Duas explosões comandadas à distância causaram 1 morto e 22 feridos numa paragem de autocarros junto a uma das principais entradas de Jerusalém.

A vítima mortal é um adolescente de 16 anos estudante numa escola religiosa judaica (yeshiva). 

Segundo as autoridades israelitas estas explosões são classificadas como de "alta qualidade", uma vez que foram colocadas em 2 paragens de autocarro e detonadas à distância quando se notava uma maior aglomeração de passageiros. Crê-se que este massacre foi organizado por uma célula terrorista já a ser procurada pelas autoridades israelitas. As bombas foram preenchidas com pregos, de forma a provocar um efeito mais devastador. 

O nível de alerta na capital foi accionado tendo em vista as ameaças latentes. 

Tanto o Hamas como a Jihad palestiniana já aplaudiram o ataque terrorista. 

Esperamos que os responsáveis sejam rapidamente encontrados e devidamente punidos.

Shalom, Israel!

terça-feira, novembro 22, 2022

AZERBAIJÃO (PAÍS DE POPULAÇÃO ISLÂMICA) VAI ABRIR EMBAIXADA EM ISRAEL


O parlamento da República do Azerbaijão votou na passada Sexta-Feira a favor da abertura de uma embaixada do país em Israel. 

O presidente israelita Isaac Herzog já telefonou ao presidente azeri Ilham Aliyev congratulando-o por esta decisão: "Este é um passo enorme na direcção das nossas excelentes relações com o Azerbaijão, um amigo importante e um parceiro estratégico."

Israel tem mantido uma embaixada em Baku, capital do Azerbaijão, desde 1992. 

O ministro da Defesa de Israel Benny Gantz visitou oficialmente o Azerbaijão no mês passado.

Shalom, Israel!

sábado, novembro 19, 2022

NÚMERO RECORDE DE JUDEUS EMIGRANDO PARA ISRAEL EM 2022


Contam-se já em 60.000 os judeus que desde o início deste ano fizeram "aliyah" (retorno) a Israel, batendo o recorde destes últimos 20 anos. Estes são números oficiais revelados pelo ministério israelita responsável pela imigração. Até ao fim do ano esperam-se ainda mais 4 mil. 

Muitos destes judeus são oriundos da Etiópia, da Ucrânia e de outras repúblicas ex-soviéticas. 

Consta-se que o recente conflito entre a Rússia e a Ucrânia fez aumentar substancialmente o número de judeus desses dois países que emigram para Israel, cerca de 40 mil (47% da Rússia e 25% da Ucrânia). 

Os judeus vindos da Rússia vêm normalmente em famílias inteiras, ao passo que os que chegam da Ucrânia são maioritariamente mães, filhos e idosos que fugiram da guerra. 

Este é certamente parte do cumprimento da profecia exarada há muitos séculos pelo profeta Jeremias para estes últimos dias: "E há esperanças, no derradeiro fim, para os teus descendentes, diz o SENHOR, porque teus filhos voltarão para o seu país." (Livro do profeta Jeremias 31.17, Bíblia ARC).

Shalom, Israel!


quinta-feira, novembro 17, 2022

ISRAEL E JORDÂNIA ASSINAM ACORDO PARA SALVAR O RIO JORDÃO

Israel e a Jordânia aproveitaram a presença na cimeira do clima em curso no Cairo - COP27 - para se debruçarem sobre a preocupante situação do rio Jordão, assinando esta manhã um acordo de intenções visando mitigar os efeitos das mudanças climáticas no rio, ao mesmo tempo que permitindo a criação de mais oportunidades de emprego e o robustecimento da economia dos dois países vizinhos separados em grande parte do território pelo rio Jordão. 

O rio Jordão, tão conhecido e amado por milhões de cristãos, tem sido muito afectado pelas alterações climáticas, tendo o seu caudal diminuído bastante nestes últimos anos, a que acresce ainda o aumento da poluição. 


A cooperação entre os dois países iniciada em 1994 teve como um dos principais itens as questões da água, mas o esfriamento das relações nestes últimos anos tem vindo a complicar os esforços para que haja um acordo para o incremento da água para o rio Jordão. 

O acordo assinado esta manhã inclui o compromisso mútuo da redução da poluição das águas do rio através da construção de instalações para o tratamento da água de esgotos, ao mesmo tempo que melhorando os sistemas de esgotos das cidades próximas do rio.

Os dois países também se comprometeram a promover uma agricultura mais sustentável, controlando perdas de água e reduzindo o uso de pesticidas.

Segundo a imprensa jordana, este acordo poderá criar novos empregos, inclusivamente entre a população palestiniana. De acordo com as declarações jordanas, o fluxo do rio é actualmente cerca de 7% do que foi no passado. 

Shalom, Israel!

quarta-feira, novembro 16, 2022

SEPULTADOS OS 3 ISRAELITAS CHEFES DE FAMÍLIA ONTEM ASSASSINADOS POR TERRORISTA PALESTINIANO


Foram hoje a sepultar os 3 homens ontem esfaqueados até à morte por um terrorista palestiniano, na região bíblica de Ariel (Samaria). Todos eles eram casados e com filhos...

Michael Ladygin, de 36 anos de idade, residente em Bat Yam, deixa para trás esposa e dois filhos menores.

Motti Ashkenazi, de 59 anos, residente em Yavne, foi a segunda vítima deste bárbaro atentado terrorista, deixando para trás a esposa, 3 filhos e 2 netos.

Tamir Avihai, de 50 anos, residia no aldeamento de Kiryat Netafim, deixa para trás 6 filhos. tendo sido atropelado mortalmente pelo terrorista quando este fugia da perseguição policial. 

Todos estes três homens, civis e inocentes, deixam para trás esposas, filhos e netos, e muitas saudades entre os seus vizinhos e amigos. 

Para além destas 3 vítimas mortais, há ainda 3 feridos em cuidados intensos num dos hospitais das imediações. 

O terrorista palestiniano autor do massacre chamava-se Muhammed Souf, tinha 18 anos, e tinha um visto válido para poder trabalhar em Israel, nada indicando que iria perpetrar tão grave crime contra civis inocentes israelitas. O bandido foi prontamente abatido pelos guardas israelitas próximos do local do arrombamento dos veículos. 

Esperamos que este novo governo de direita seja mais rígido e perspicaz no tratamento a dar a estes indivíduos que, ainda que ajudados por Israel na sua busca de bem estar, continuam alimentando um ódio cego que nada vai resolver senão aumentar as dificuldades para que se possa encontrar uma paz duradoura naquela região.

Shalom, Israel!

terça-feira, novembro 15, 2022

3 ISRAELITAS ASSASSINADOS E 3 FERIDOS POR TERRORISTA PALESTINIANO


Este foi um dia trágico para Israel, comprovando o permanente ódio dos radicais palestinianos contra o povo judeu. Essa gente ignóbil poucas vezes ataca os militares israelitas, mas sim, e cobardemente, a população civil desprotegida e que em muitos casos é até amiga dos seus vizinhos árabes...

Esta manhã, um bandido palestiniano, pegou num carro aparentemente roubado, arrancou a alta velocidade para a região bíblica de Ariel e esfaqueou um segurança na entrada do parque industrial de Ariel, arrancando depois para um posto de gasolina, onde esfaqueou outras 3 pessoas, fugindo logo em seguida. O terrorista bateu entretanto o carro contra outros veículos que seguiam na autoestrada Nº 5, mas mesmo assim saiu do carro para esfaquear mais uma pessoa, tendo logo a seguir roubado mais um carro que acabou também de fazer colidir contra outros. O terrorista saiu então do carro, tendo sido de imediato abatido por militares e civis armados. 

O total de pessoas atacadas pelo criminoso palestiniano calcula-se em 6, tendo 3 perdido a vida e outras 3 ficado feridas. Dois dos homens mortos eram chefes de família, um deles pai de 2 filhos e o outro de 6. Ainda não se conhece a identidade da terceira vítima mortal.

Shalom, Israel!