quinta-feira, janeiro 17, 2019

NEVA EM JERUSALÉM!

O território judaico tem estado debaixo de um intenso nevão, incluindo a própria capital Jerusalém. O próprio Muro Ocidental tem sido palco de grandes manifestações de alegria pela neve que desde ontem à noite ali tem caído abundantemente.
As montanhas da Judeia ficaram cobertas de neve desde o início desta semana, prevendo-se que a situação regresse à normalidade neste próximo fim de semana.
Apesar destas condições adversas, a vida tem continuado como normalmente em todo o Israel, incluindo as escolas, embora estejam a ser emitidos avisos para que se tomem as devidas precauções.
O lago da Galiléia já teve uma subida de 75 centímetros, algo animador, mas ainda longe dos necessários 5,10 metros para regressar à sua capacidade total.
Este é o maior nevão em Jerusalém nestes últimos 4 anos. 

Em outras partes do país, especialmente no Norte, têm-se assistido a chuvas torrenciais que têm provocado consideráveis enchentes.

Shalom, Israel!

terça-feira, janeiro 15, 2019

MERGULHADORES ISRAELITAS VÃO PROCURAR NO RIO DANÚBIO OS RESTOS MORTAIS DE JUDEUS HÚNGAROS MORTOS NO HOLOCAUSTO

Uma equipa profissional de mergulhadores israelitas vocacionados nas áreas do resgate irão esta semana passar "a pente fino" o fundo das águas do rio Danúbio, na capital húngara, Budapeste, em busca de restos mortais dos muitos judeus mortos pelos nazis e atirados ao rio. 
Esta operação é fruto do acordo conseguido entre os ministros do interior israelita e húngaro.
Os mergulhadores da organização israelita ZAKA dirigirão todas as operações de busca.
"Estou contente por o ministro do interior húngaro prometer assistência, apoio e equipamento tecnológico para o benefício deste projecto, e espero que os mergulhadores da ZAKA consigam resgatar esses santos mártires judeus para um digno e completo sepultamento judaico" - afirmou o ministro israelita Aryeh Deri.

MILHARES DE JUDEUS
Perto do final da Segunda Guerra Mundial, milhares de judeus húngaros que não haviam sido enviados para os campos de morte foram executados nas margens do rio Danúbio por membros da "Cruz da Lança" - o partido fascista de extrema direita que colaborou com os nazis e que dirigiu a Hungria entre Outubro de 1944 e Março de 1945.
Cerca de 565.000 judeus húngaros foram mortos durante o Holocausto - a maioria em Auschwitz, na Polónia então ocupada pelos nazis, para onde foram deportados em massa em meados de 1944.
Quem visita Budapeste, poderá ver junto às margens do rio Danúbio um memorial dedicado a esses judeus. O memorial consta de centenas de sapatos dispostos sobre um pequeno muro contíguo às margens do rio.

Shalom, Israel!

sexta-feira, janeiro 11, 2019

POMPEO CONVIDA NETANYAHU PARA CONFERÊNCIA ANTI-IRÃO

Numa altura em que o Irão insiste nas suas ameaças contra Israel, prometendo eliminar o estado judaico, os EUA fincam pé e tentam reunir o mundo árabe contra a nação dos ayatollahs, num esforço para isolar ainda mais o regime ditatorial xiita.
No próximo dia 13 de Novembro irá realizar-se em Varsóvia, a capital polaca, uma conferência internacional contra o Irão, na qual participarão os ministros das relações exteriores de vários países árabes, como o Egipto, Jordânia, Arábia Saudita, Bahrain, Marrocos e ainda os Emirados Árabes Unidos. Confirma-se também o convite feito ao primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu.
O líder israelita ainda não confirmou a sua presença na conferência.
"Vamos reunir dezenas de países de todo o mundo" - informou o secretário de estado norte-americano Mike Pompeo, acrescentando: "Os países reunir-se-ão de todo o lado para se focarem na estabilidade, na paz e na liberdade no Médio Oriente, e isso inclui um elemento importante: assegurar que o Irão não seja uma força desestabilizadora."
Pompeo informou ainda que esta cimeira irá reunir países da Ásia, África, do hemisfério Norte, da Europa e do Médio Oriente.
Pompeo encontra-se neste momento numa tournée por vários países do Médio Oriente.

TOTAL APOIO A ISRAEL
Pompeo reiterou também o "total apoio ao direito de Israel a se defender contra o aventureirismo agressivo do regime iraniano. Continuaremos a assegurar que Israel tenha a capacidade militar para o fazer de forma decisiva."

REACÇÃO IRANIANA
O regime iraniano já condenou a iniciativa norte-americana, usando a habitual chantagem: "Lembrança aos anfitriões/participantes da conferência anti-Irão: aqueles que participaram na última conferência anti-Irão, um show dos EUA, ou já estão mortos, ou já entraram em desgraça ou marginalizados. E o Irão está mais forte do que nunca."

Shalom, Israel!

quinta-feira, janeiro 10, 2019

DESCOBERTA NO CENTRO DE ISRAEL ESTRUTURA LIGADA À ARCA DA ALIANÇA

Uma plataforma massiva feita por mãos humanas no século 8º a.C. foi descoberta num convento católico no centro de Israel, e poderá bem ter servido como um antigo santuário para a Arca da Aliança. Assim acredita pelo menos o conhecido e já famoso arqueólogo israelita professor na Universidade de Tel Aviv, Israel Finkelstein. 
Escavado na povoação de Quiriate-Jearim, este santuário fornece uma potencial nova perspectiva sobre as maquinações políticas dos reinos irmãos de Judá e de Israel. 
Foram assim escavadas as ruínas de um monumental pódio elevado, nos montes associados à região bíblica de Quiriate-Jearim. Segundo a Bíblia, o local foi durante 20 anos a "morada" da Arca da Aliança até esta ter sido tomada pelo rei David e levada para a capital Jerusalém.
Esta expedição conjunta da Universidade de Tel Aviv e do Colégio de França não tem no entanto em vista a procura em si da Arca, mas antes o conhecimento da situação geopolítica de há 3 mil anos atrás naquela cidade fronteiriça situada entre os dois reinos.


Segundo Finkelstein, a enorme plataforma elevada teria sido construída pelo reino do Norte como santuário para a Arca.
"As escavações em Quiriate-Jearim trazem luz ao poder de Israel (O Reino do Norte) no início do 8º século a.C., incluindo, provavelmente, o seu domínio sobre Judá" - afirmou o arqueólogo, acrescentando: "Elas também iluminam um tema importante da Bíblia: a Arca e a sua história."
As escavações têm estado a ser realizadas desde 2017 nos terrenos privados pertencentes a um convento católico situado próxima à aldeia árabe de Abu Gosh, no centro de Israel, bem próxima à comunidade messiânica de Yad Hashmona que costumamos sempre visitar nas nossas excursões a Israel.

MODELO DO QUE SERIA O MONTE DE QUIRIATE-JEARIM
UMA DESCOBERTA IMPRESSIONANTE
Todo o trabalho arqueológico no local foi subitamente premiado com esta fabulosa descoberta: nada mais, nada menos, que uma imponente plataforma construída por mãos humanas. Segundo os arqueólogos, este pódio rectangular elevado pode ser reconstruído no tamanho original, que seria de 110 a 150 metros em tamanho, e cobrindo uma área de cerca de 1,65 hectares. Construído com paredes típicas da "idade do ferro" de 3 metros de largura e uma elevação de 2 metros, o pódio fica orientado exactamente nas direcções Norte-Sul, e Leste-Oeste.
Talvez estivesse na mente dos criadores deste espaço fazer de Quiriate-Jearim um novo santuário para a Arca, uma vez que aquela região era constantemente disputada pelos dois reinos. Poderia até ser que a plataforma alojasse uma base administrativa israelita e até um templo construído pelo reino do Norte, tendo em vista o domínio sobre os vassalos do reino de Judá. 
Os objectos até agora achados nas escavações comprovam que aquele lugar era mesmo a bíblica Quiriate-Jearim, de onde o rei David transportou triunfalmente a Arca até Jerusalém, conforme se pode ler nas narrativas bíblicas de 1 Crónicas 13:5-8.
O historiador da Igreja Eusébio de Cesaréia, que viveu entre o 3º e o 4º século d.C. também registou este lugar como sendo a bíblica Quiriate-Jearim.
Segundo os arqueólogos, existem outras plataformas deste tipo nas regiões do Reino do Norte (Israel), incluindo na própria capital Samaria. 

Shalom, Israel!