sábado, abril 18, 2009

ANTI-SEMITISMO CRESCE NA EUROPA

"O ANTI-SEMITISMO, O ÓDIO AO POVO JUDEU, FOI E PERMANECE COMO UMA MANCHA NA ALMA DA HUMANIDADE"
- Martin Luther King
Segundo dados facultados pelo Congresso Judaico Europeu, o número de incidentes de anti-semitismo na Europa durante os três primeiros meses deste ano já excede o número total de incidentes semelhantes ocorridos em todo o ano de 2008.
Rony Smolar, responsável da comunidade judaica na Finlândia, disse que os seus 25.000 membros são sujeitos a constantes provocações devido ao seu apoio a Israel.
"A opinião pública liga Israel com a pequena comunidade judaica local, o que faz de nós seus inimigos" - acrescentando que o seu país tem visto um "crescimento dramático" no número e na severidade dos ataques anti-semitas.
"Têm sido atirados cocktails molotov contra sinagogas,e cemitérios judaicos na Suécia e na Noruega têm sido vandalizados" - informou Smolar, lembrando ainda um incidente com disparos em que dois israelitas ficaram feridos na Dinamarca durante a "Operação Chumbo Pesado". Cartoons comparando a estrela de David à swástica nazi têm-se torñado lugar comum na Escandinávia.
Richard Prasquier, líder da organização que representa a comunidade judaica em França, informou também do aumento de incidentes anti-semitas na França: "A França abriga tanto a maior comunidade judaica como a maior comunidade muçulmana de toda a Europa" - afirmou Prasquier, dando a entender que a numerosa comunidade muçulmana oriunda de países árabes é a maior responsável pla instigação da violência anti-semita.
Peter Feldmeie, líder da comunidade judaica na Hungria, informou que o anti-semitismo no seu país ainda mantém características históricas semelhantes às que prevaleceram no período entre as 2 guerras mundiais.
Entretanto na Suíça, líderes da comunidade judaica estão muito apreensivos por causa do forte crescimento de acções anti-semitas com "pouca reprovação das autoridades helvéticas".
Com a "Conferência Durban II" a realizar pelas Nações Unidas entre 20 a 24 de Abril em Geñebra, na mesma semana em que se celebra o "Dia da Lembrança do Holocausto", os judeus na Suíça estão preocupados com a sua segurança. Lembramos que esta conferência visa condenar o racismo, e Israel é um dos países a condenar - apesar da contestação dos EUA, Canadá e muitos países europeus.
Segundo estatísticas a apresentar em breve pela organização judaica suíça CICAD, o número de ataques na Suíça aumentou de 38 durante o ano de 2007 para 96 ocorridos no ano passado só na parte francesa.
"Está pior do que nunca. Esta é a primeira vez que fui confrontado com este tipo de anti-semitismo na Suíça" - disse Gurfinkiel, que trabalhou anteriormente para a Liga Anti-Difamatória na França. - "Nós não estamos protegidos. Nós não estamos resguardados pela polícia. Há uma imagem em Genebra de que está tudo em perfeita paz. Espero que as autoridades suíças se levantem contra esta ameaça e protejam os seus cidadãos" - acrescentou.
Oremos pela crescente vaga tempestiva de anti-semitismo que varre a Europa e o mundo inteiro. A verdadeira Igreja deve levantar-se nesta ocasião e preparar-se para aceitar a responsabilidade dada por Deus de estar ao lado do povo judeu nesta altura tão delicada da História.
"Porque convosco falo, gentios... para ver se de alguma maneira...posso salvar alguns deles (os judeus)..." - (Paulo em Romanos 11:13)
Nós os cristãos devemos aprender com o noss0 pecaminoso silêncio durante a recente 2ª Guerra Mundial. Enquanto as igrejas protestantes por toda a Europa se reuniam semana após semana cantando Aléluia, os comboios da morte carregavam judeus, passando pelas suas portas, a caminho de Auschwitz, Birkenau Treblinka, Belzec Sobibor, Chelmno, Majdanek e tantos outros campos de concentração e guetos.
São mais actuais do que nunca as palavras do famoso estadista e filósofo irlandês Edmund Burke: "Tudo o que é necessário para o triunfo do mal é que os homens bons nada façam".
"Porque tive fome, e não Me destes de comer, tive sede, e não Me destes de beber; sendo estrangeiro, não Me recolhestes; estando nu, não Me vestistes; e enfermo, e na prisão, não Me visitastes...Então lhes responderá dizendo: Em verdade vos digo que, quando a um destes pequeninos (Meus irmãos, os judeus) o não fizestes, não o fizestes a Mim". (Jesus, em Mateus 25:42-45).
Sabemos pelas Escrituras que todas as nações se juntarão contra Israel, não só em ódio, mas também com uma cruel determinação de completar a conquista final de Hitler na sua "Solução Final" - o extermínio da raça judaica. Iremos nós, a Igreja, fechar novamente os olhos? Ou será que desta vez vamos abrir as nossas mãos e coração (e quem sabe até as nossas casas) para ajudar o Seu povo eleito no seu tempo de necessidade? Todos teremos de tomar essa decisão num dia muito próximo.
"Congregarei todas as nações, e as farei descer ao vale de Jeosafat; e ali com elas entrarei em juízo, por causa do Meu povo, e da Minha herança, Israel, a quem eles espalharam entre as nações, repartindo a Minha terra." (Joel 3:2)
Faça a sua parte. Tome a decisão certa.
Deus lhe dará a Sua bênção! Génesis 12:3.
Shalom, Israel!

1 comentário:

O PENSADOR disse...

Indiquei este blog a um selo. Passa lá para pegar...