quarta-feira, fevereiro 25, 2015

POR QUE TANTOS ODEIAM TANTO OS JUDEUS?

O ódio aos judeus é tão antigo quanto a sua própria existência. Mas por quê tanto ódio, em tantos países e em tantas ocasiões da História? 

Entre os anos 250 d.C. e 1948 - um período de 1.700 anos - os judeus experimentaram mais de 80 expulsões de vários países europeus, uma média de uma expulsão a cada 21 anos. 
Os judeus foram neste período expulsos da Inglaterra, França, Áustria, Alemanha, Lituânia, Espanha, Portugal, Boémia, Morávia e outros 71 países.

Os historiadores têm classificado 6 explicações principais para o ódio aos judeus:

1 - ECONÓMICAS - "Odiamos os judeus porque eles possuem demasiado dinheiro e poder."
2 - POVO ELEITO - "Odiamos os judeus porque eles alegam arrogantemente serem o povo eleito."
3 - BODE EXPIATÓRIO - "Os judeus são um grupo conveniente para culpar dos nossos problemas."
4 - DEICIDAS - "Odiamos os judeus porque eles mataram Jesus."
5 - FORASTEIROS - "Odiamos os judeus porque eles são diferentes de nós."
6 - TEORIA RACIAL - "Odiamos os judeus porque eles são uma raça inferior."

Ao examinarmos estas explicações, temos de nos interrogar: são elas as causas do anti-semitismo, ou, pelo contrário, as desculpas para o anti-semitismo? 

A diferença é que se removermos as causas, o anti-semitismo desapareceria. E é exactamente por essa contradição que a verdadeira razão do ódio não tem a ver com as causas, mas sim com as desculpas. Vejamos algumas delas:

1 - ECONÓMICAS - Os judeus da Polónia e da Rússia dos séculos 17 ao 20 eram extremamente pobres, não tinham influência, mas eram mesmo assim pobres. E muitos milhares de judeus expulsos da Espanha e de Portugal só levaram a roupa do corpo.

2 - POVO ELEITO - No final do século 19, os judeus da Alemanha recusaram a ideia de "eleição." Começaram a assimilar-se com o povo. Mesmo assim, foi lá que se iniciou o Holocausto...
Tanto os cristãos como os muçulmanos professam ser o "povo eleito", mas ninguém os persegue por isso.

3 - BODE EXPIATÓRIO - Para se ser um "bode expiatório", é preciso ser-se já odiado. O anti-semitismo faz dos judeus um alvo preferencial e de conveniência. 

4 - DEICIDAS - A Bíblia relata que quem matou Jesus na cruz foram os romanos, ainda que os judeus sejam acusados de cúmplices. É interessante que essa acusação feita aos judeus surgiu séculos depois. Como é que é possível pela lógica perseguirem-se os cúmplices e não os autores materiais do crime? O próprio Messias Jesus pediu ao Pai que perdoasse os Seus carrascos - judeus e romanos. Foi só em 1963, após o Segundo Concílio do Vaticano, que a Igreja Católica Romana decidiu exonerar os judeus desta "culpa."

5 - FORASTEIROS - Com o Iluminismo do final do século 18, muitos judeus tentaram assimilar-se. O anti-semitismo deveria então ter parado por aí. Só que, pelo contrário, com o surgimento dos nazis veio o clamor: "Nós vos odiamos, não por vocês serem diferentes, mas por tentarem ser como nós! Não podemos permitir que vocês infectem a raça ariana com os vossos genes inferiores."

6 - TEORIA RACIAL - O problema contraditório desta teoria é que os judeus não são verdadeiramente uma raça. Qualquer um pode tornar-se judeu. E muitos membros de todas as raças, credo e cor têm-no feito numa ou noutra ocasião. 

Todos os outros grupos que são odiados são-no por uma razão específica. Com os judeus, no entanto, dão-se as maiores contradições: são odiados por serem preguiçosos e raça inferior, mas ao mesmo tempo por dominarem a economia e quererem tomar conta do mundo. São odiados por tentarem manter uma certa separação cultural, familiar e religiosa, mas quando se tentam assimilar, são acusados de constituírem uma ameaça à pureza racial através dos casamentos mistos. Os judeus são simultaneamente vistos como pacíficos e conflituosos. Como capitalistas exploradores e como comunistas revolucionários. Imbuídos de uma mentalidade de "escolhidos", ao mesmo tempo que inferiorizados. 

Uma coisa é certa: não há razões válidas para se odiar os judeus. Talvez seja mais um problema de inveja e mesquinhez...
Um verdadeiro problema de raíz espiritual...

Shalom, Israel!


6 comentários:

Anónimo disse...

Foi no último parágrafo que tocaste no motivo primordial desse ódio aos judeus: A INVEJA!!!!


Paolo Hemmerich

Anónimo disse...

Para além da "teoria deicida" referida no artigo, o facto dos judeus, embora não tendo sido autores materias da crucifixação, mas terem sido delatores da "falsidade" de Cristo, e com isso contribuído moralmente para a sua morte física, sendo facto incontornável que o Judaísmo nunca aceitou esse "falso messias", penso que outra das raízes principais do Anti-Semitismo será porque, no Sinai, a aliança com Deus instituiu um tratado em que novas regras morais era estabelecidas, demasiado contrárias às de regimes de tirania então e posteriormente reinantes, em toda a Península Arábica e Mediterâneo. Não é por acaso que, seis séculos após Cristo, a nova religião-tirania designada Islão, que reinterpretou e se apropriou rudemente das religiões dos "povos do livro", dos seus profetas e lugares sagrados, desenvolveu um tão profundo e vil ódio aos judeus, perdurando nos últimos catorze séculos até hoje. As duas religiões-ideologias são com efeito antíteses morais, sendo claro que o Islamismo constitui um "cancro" mundial desde sempre, como se pode constatar modernamente pelo atual ISIS, mero percursor dos actos supremacistas iniciados pelo profeta da sua religião no séc. VII. Juntando os elementos (i) ódio a uma nova ordem moral intituída pela "divina aliança" de Deus com um supostamente "povo eleito", (ii) ódio contra os assassinos morais de Jesus Cristo, (iii) o enorme e indiscutível sucesso do povo judeu, em todas as áreas de atividade humana, construtores de um país extraordinário, a todos os níveis, como é Israel, enquanto diversos países vizinhos hoje, profundamente dependentes do petróleo e que só evoluíram alguma coisa pela exposição aos "colonialismos" judaico e europeu, mas mantendo ainda os mais atrasados indicadores de desenvolvimento humano, (iv) com o facto dos judeus terem sido sempre minorias, em todo o lado excepto na sua própria "terra prometida", tem-se provavelmente uma receita perfeita para o ressentimento, a inveja, a desconfiança, o racismo, o ódio e a rejeição eternos, por parte do Cristianismo, do Islamismo, do Comunismo, etc., e demais ideologias de base supremacista, racista e/ou sectária, contra o Judaísmo. Ao fim e ao cabo, é a eterna guerra das ideologias e religiões a funcionar e a envenenar a Humanidade. Retire-se o elemento "religião judaica" da equação, e a única forma que os nazis encontraram para distinguir judeus das demais pessoas foi colocar-lhes uma cruz amarela ao peito. Isto não significa que o problema esteja no elemento "judaísmo", mas antes na incapacidade dos outros para entender e aceitar as diferenças dos outros. Aceitando estas várias premissas como válidas, torna-se simples entender como, mais modernamente, ideologias de base supremacista, racista e genocida, como o Nazismo e o Islamismo, este último hoje mero continuador do primeiro, se limitaram ou limitam a dar continuidade ao passado, em formas mais ou menos perversas, mais ou menos destrutivas e desumanas. Não concordo inteiramente com o artigo a seguir, mas penso que contém alguns elementos importantes sobre este tópico, tão complexo e difícil de interpretar: "Why The Jews A True Understanding" -> http://www.aish.com/sem/wtj/84684087.html

Benaiah Cabral Ben Avraham Leiehouah יהוה The Liger disse...

Odeiam judeus por odiar Iehouah. O resto são pretextos pra mascarar isso. Não há nenhuma tolerância pra o os antijudaismo, antissionismo e antissemitismo, que embora termos diferentes, produzem os mesmos resultados. Olhando bem, independente de como encarar a Bíblia, é possível perceber o ódio aos judeus presente na sua linhagem que antece David, Iehudah, Israel e mesmo Avraham. Religiosos ou idealistas que odeiam os judeus apenas estão tentando fugir da realidade de que odeiam a mais pura manifestação do Infinito na história humana. Um direito que a pessoa humana recebe de apreciar ou não a fonte da sua existência. Se forças ou elementos externos forem considerados, agem pelo indivíduo se identificar e permitir. O Cristo defendeu Iehouah, o Elohim dos judeus para os judeus, defendeu a autoridade dos mesmos e na Terra se restringiu aos mesmos, como citado no artigo, até mesmo perdoando ofensas, pois antes dele, profetas foram vitimados por pretensas autoridades judaicas (segundo a tradição, Isaías foi serrado pela metade às ordens do Rwi Manassés, pois este temia que Isaías não pudesse ser morto). O antissemitismo religioso é indesculpável e doentio, até mesmo infectando judeus com uma ideia ridícula, covarde e ignorante de ser anti-sionista enquanto se é judeu, desprezando questões israelitas e sucessivamente israelenses que são parte da própria evolução positiva dos hebreus liderados por Iehouah. Ontem li algumas obras muçulmanas, inclusive com menções contra o terrorismo e a favor dos judeus. Bonito. Mas... E as obras do movimento? Cristãos mataram por Cristo, mas diferente de MMaomé, Cristo não recomendou e não permitiu matanças de inimigos. Bons documentos demonstram que as Cruzadas foram uma gota d'água perto das atrocidades mundiais da expansão muçulnana. Aliás, cruzados e exércitos cristãos poderosos, amiúde são controlados ou impedidos por outros exércitos cristãos, enquanto no mundo Islâmico os supostos pacíficos permitem seus professos heróis terroristas avançarem. Com todas as queixas que se faça, este planeta sem a influência hebraica judaica já teria se desintegrado, e sem atual mobilização cristã, não haveria nenhum equilíbrio, pois tudo que é amado e benquisto neste mundo de leste a oeste tem influência bíblica, de fato, influência do Elohim chamado Iehouah.

Nicolae Sofran disse...

Ninguém é imbecil para acreditar que estes judeus foram e são odiados por nada!!!

JGrando disse...

Os Judeus são os irmāos mais velhos de nòs Cristāos Catolicos e que graças a eles nos deixaram a Biblia Palavra de Deus escrita. Irmaos na fė .ROMA LOCUTA CAUSA SOLUTA.

Raymundo C Paula Jr. disse...

Assim como eu, acredito que milhares de cristãos sempre estiveram alienados de um conhecimento mais profundo das raízes da discriminação e ódio ao povo judeu. Manifesto minha solidariedade ao povo judeu sem distinção, pois independente de credo a dignidade da condição humana deve ser uma causa inegociável e preservada.
Um ótimo documentário no youtube sobre a história de Israel está disponível neste endereço:
https://www.youtube.com/watch?v=7we8cUSAKwA&t=167s

Shalom bach