segunda-feira, junho 29, 2020

ALEGANDO "PROSELITISMO MISSIONÁRIO", ISRAEL FECHA CANAL DE TV EVANGÉLICO

A contestação dos sectores religiosos em Israel surtiu o efeito desejado por eles: o fecho do sinal do canal de TV alegadamente usado para "converter" judeus ao cristianismo.
O canal "Shelanu" ("Nosso" no hebraico) gerido pela cadeia de TV "GOD TV" tinha adquirido em Abril passado um aval para 7 anos de transmissão na rede "Hot", o primeiro operador de TV por cabo em Israel, o qual tinha sido aprovado pelas autoridades tendo em vista a promessa feita de que o canal seria "para a população cristã."
No entanto, o responsável pelo Conselho para a Emissão por Cabo e Satélite (CSBC) Asher Biton, alegou que uma revisão ao show revelou que o canal "continuava a apelar aos judeus por meio de esforços para lhes ensinar os princípios da fé messiânica judaico-cristã e a convencê-los da sua validade."
O ridículo nesta decisão é que a lei israelita permite a proselitização de adultos, as sombras de um passado ainda recente em que os cristãos forçavam as minorias judaicas à conversão continuam a ocultar as mentes de muitos em relação à realidade dos factos actuais.
Alegam também as autoridades que é expressamente proibido fazer proselitismo de crianças, tanto mais que elas passam horas diante dos écrans das televisões, embora o facto de as mesmas crianças serem expostas a tanto lixo não parecer incomodar tanto os responsáveis pela comunicação social.
As autoridades israelitas cederam infelizmente às pressões dos manifestantes religiosos anti-missionários (cristãos) que se opõem à alegada tentativa de levar os judeus a acreditarem que Jesus é o Messias, uma acusação sem fundamentos num país que se considera laico. Prova-se que isso não passa de uma declaração no papel, porque na realidade os direitos dos judeus messiânicos continuam a ser desprezados em Israel, não se entendendo como é que um judeu, nascido de família judaica em Israel perde o seu atributo e identidade de judeu pelo simples facto de acreditar que Jesus é o Messias... Ironicamente, se esse mesmo judeu se tornar budista, hindu ou até ateu, não tem qualquer problema...
Realmente confirmam-se as palavras do Senhor Jesus ao dizer que Ele seria uma "pedra de tropeço" para muitos em Israel...
Os opositores querem também fazer valer a ideia errada de que a maior parte dos cristãos em Israel são árabes, pelo que um programa falado na língua hebraica os deixou deveras transtornados.
Restam agora 7 dias para que o operador "Hot" desligue o canal de TV que certamente provocou muitas dores de cabeça aos fanáticos religiosos judeus...
Apesar de desapontados com a decisão ambígua, a TV evangélica vai apelar a uma nova licença de transmissão dos seus programas em Israel.

Shalom, Israel!

3 comentários:

Olga disse...

Eu creio que o problema do cristianismo para Israel deve ser o mesmo que o problema de Israel para o mundo. Mas, tudo isto é biblico, é profético... só confirma que a Palavra de Deus é verdadeira! Jesus disse aos religiosos da sua época que se um outro viesse no seu próprio nome eles ouviriam... Será que Israel está pronto para dar ouvido ao anticristo?
Jesus uma pedra de tropeço para os religiosos... Jerusalém uma pedra pesada para todos os povos da terra...
Eu creio que temos que continuar orando para que o povo de Israel, assim como todas as nações aceitem Jesus como Senhor e Salvador... Ele está voltando...Pra mim é impossivel ler o Velho Testamento, por exemplo e, não enxergar Jesus... Yeshua... Ele é o cordeiro que foi morto antes da fundação do mundo. Que possamos despertar a tempo de enxergar tanta beleza e amor que nos revela as Escrituras...Os dias são maus, mas futuramente celebraremos a verdadeira paz!
...e o principado está sobre os seus ombros, e se chamará o seu nome: Maravilhoso, Conselheiro, Deus Forte, Pai da Eternidade, Principe da paz.
Is 9:6
Isaias já se cumpriu...
Shalom!Shalom!Shalom
Shalom Israel!
Olga

Ruben Fontoura disse...

E como recompensa, Deus permitiu que a pandemia voltasse forte a Israel. Com as coisas de Deus não se brinca.

Victor Nunes disse...

que pena