sábado, setembro 12, 2020

JERUSALÉM APROVA PLANOS PARA TRAZER 2 MIL JUDEUS ETÍOPES PARA ISRAEL

A administração israelita aprovou o orçamento de 52 milhões de dólares em fundos a serem utilizados para trazer 2 mil judeus da Etiópia para Israel até ao final deste ano.
A ministra israelita para a Aliyah e Absorção Pnina Tamano-Shata, ela própria sendo a primeira mulher nascida na Etiópia a ocupar um lugar no parlamento, tem andado a pressionar o governo de Jerusalém para resgatar os judeus etíopes. Muitos deles enfrentam a subnutrição e condições humanitárias que se deterioram de dia para dia devido à crise do coronavírus, estando desde há anos esperando para se poderem reunir às suas famílias já em Israel.
O governo de Israel aprovou em 2015 uma lei para permitir o "regresso aéreo" do restante da comunidade de judeus vivendo em Gondar e em Adis Abeba para Israel num espaço de 5 anos. Segundo a Agência Judaica, só 2.200 etíopes é que foram trazidos para Israel. Segundo os mídia israelitas, existem ainda 14.000 judeus esperando emigrar para a terra dos seus antepassados.

No mês passado a ministra Tamano-Shata elaborou um plano para trazer 8.000 etíopes para Israel. Mesmo apesar de só terem sido aprovados 2.000, ela mesmo assim considera isso como uma vitória.
A ministra agradeceu aos governantes envolvidos nesta decisão e prometeu lutar para trazer mais judeus etíopes de volta a Israel.

Shalom, Israel!