quinta-feira, fevereiro 20, 2014

VATICANO QUER O CONTROLE DO MONTE SIÃO

O Vaticano tem andado a pressionar o governo de Israel para a cedência da administração do bíblico Monte Sião, situado no coração de Jerusalém, acreditando-se até que essa será a "prenda" a oferecer a Francisco I durante a sua visita a Jerusalém, em Maio próximo.
Segundo as últimas informações, Israel estará a entrar nas últimas fases das negociações que levarão à cedência do Monte Sião para o império do Vaticano. As conversações têm sido secretas, tendo a última sido realizada esta semana entre o Município de Jerusalém, o Gabinete do Primeiro-Ministro, o Ministério do Turismo e representantes oficiais do Vaticano.
SALA DO "CENÁCULO"
Durante a reunião, a delegação católica terá alegadamente pressionado Israel a ceder o controle do edifício onde se situa a sala do "cenáculo", onde se teria realizado a Santa Ceia.



LOCAL SAGRADO PARA OS JUDEUS
O problema é que por baixo dessa sala está localizado o tradicional "túmulo do rei David", um lugar sagrado reverenciado e visitado pelos judeus religiosos. Isso já para não mencionar que o Monte Sião, como um todo, é extremamente simbólico para a Cidade santa de Jerusalém, e a entrega do mesmo ao Vaticano representaria para muitos israelitas um repúdio às reivindicações judaicas à Cidade.
Em resposta aos comentários feitos sobre estas negociações, o Município de Jerusalém respondeu que o mesmo manteria o "poder soberano central sobre o Monte Sião."

UMA "VALIOSA PRENDA"
Muitos israelitas não acreditam nessa declaração do Município, acreditando antes que o primeiro-ministro Netanyahu vai querer agradar ao papa católico, oferecendo-lhe esta "valiosa prenda."
Pessoalmente, como visitante habitual daquele belo lugar, repudio completamente mais esta ambição do Vaticano, não só porque aquele espaço é território de Israel, mas também porque ninguém melhor do que o próprio Israel conseguirá manter aquele lugar de forma tranquila e segura para que todos - católicos, judeus e cristãos - o possam visitar em segurança, tal como até aqui tem acontecido.
Mas os "abutres" do Vaticano têm um sede insaciável... e não olham a meios para atingir os seus objectivos.
Caso Netanyahu ceda o Monte Sião aos "abutres" do Vaticano - o que considero nada menos do que uma traição ao povo e à História de Israel - isso será em troca de quê? Qual será a moeda de troca?
Fico-me pela pergunta...
Shalom, Israel!

9 comentários:

Luciano de Paula Lourenço disse...

Quanta pretensão!! O Alcorão deve ser o guia prático do catolicismo! Quanta ignorância!

Anónimo disse...

Era só o que faltava.Será que não faltam mais e mais aves de rapina voando sobre Jerusalém para tirar o que pertence ao povo judeu???

Dar prenda ao Vaticano...que absurdo!!


Fabiana

Anónimo disse...

Se isso acontecer com certeza se cumprirá Apocalipse 13, o concílio mundial de igrejas e então virá a tribulação, muitos acreditam em acordo de paz, sendo que a própria Besta que as escrituras menciona é o próprio papa, quem tem ouvidos ouça.

Anónimo disse...

Se isso acontecer com certeza se cumprirá Apocalipse 13, o concílio mundial de igrejas e então virá a tribulação, muitos acreditam em acordo de paz, sendo que a própria Besta que as escrituras menciona é o próprio papa, quem tem ouvidos ouça.

Anónimo disse...

Se isso acontecer com certeza se cumprirá Apocalipse 13, o concílio mundial de igrejas e então virá a tribulação, muitos acreditam em acordo de paz, sendo que a própria Besta que as escrituras menciona é o próprio papa, quem tem ouvidos ouça.

Akim Setenta disse...

Salmo 87:2-3 diz: "o SENHOR ama as portas de Sião mais do que as habitações todas de Jacó. Gloriosas coisas se têm dito de ti, ó cidade de Deus!" Sendo citada mais de 150 vezes na Bíblia, a palavra “Sião” essencialmente significa “fortificação”. Na Bíblia, Sião é a cidade de Davi e a cidade de Deus. À medida que a Bíblia progride, a palavra Sião deixa de se referir à cidade física e passa a assumir um contexto espiritual.

A palavra “Sião” é mencionada pela primeira vez na Bíblia em 2 Samuel 5:7: "Porém Davi tomou a fortaleza de Sião; esta é a Cidade de Davi." Sião, portanto, era originalmente o nome da fortaleza jebusita na cidade de Jerusalém. Sião passou a significar não só a fortaleza, mas também a cidade onde a fortaleza se encontrava. Depois que Davi capturou "a fortaleza de Sião", Sião passou a ser chamada de "a Cidade de Davi" (1 Reis 8:1; 1 Crônicas 11:5; 2 Crônicas 5:2).

Quando Salomão construiu o Templo de Jerusalém, a palavra Sião expandiu o seu significado para incluir também o Templo e a área ao seu redor (Salmo 2:6; 48:2,11-12; 132:13). Sião foi eventualmente usado como um nome para a cidade de Jerusalém, a terra de Judá e o povo de Israel como um todo (Isaías 40:9; Jeremias 31:12; Zacarias 9:13).

O uso mais importante da palavra Sião é em seu sentido teológico. Sião é usada figurativamente de Israel como o povo de Deus (Isaías 60:14). O significado espiritual de Sião continua pelo Novo Testamento, onde recebe o significado Cristão do reino espiritual de Deus, a Jerusalém celestial (Hebreus 12:22; Apocalipse 14:1). Primeiro Pedro 2:6: "Pois isso está na Escritura: Eis que ponho em Sião uma pedra angular, eleita e preciosa; e quem nela crer não será, de modo algum, envergonhado."

Leia mais: http://www.gotquestions.org/Portugues/Siao.html#ixzz2ufEKBJpj

nazare do socorro moura alves disse...

tudo está no controle do Criador o senhor Deus,de vemos continuar orando pira Israel , tens que se cumprir A palavra de Deus.slalom! !!

nazare do socorro moura alves disse...

oremos por Israel, Jesus está voltando, ,, prepara-te Israel para te encontrares com teu Deus !!!

Anónimo disse...

Quanto delírio...