quinta-feira, janeiro 15, 2015

NETANYAHU CONVIDA JUDEUS DO MUNDO INTEIRO A VIREM PARA ISRAEL

Saberá o primeiro-ministro israelita que está participando num dos momentos mais cruciais da História moderna? Saberá ele que ao propôr aos judeus para virem para a Terra dos seus antepassados está a participar no cumprimento de profecias milenares?
Creio que ele sabe. Sendo um estudioso das Escrituras (Velho Testamento), este homem poderá estar a aperceber-se dos sinais que o rodeiam e entender que chegou a hora de promover os desígnios do Deus Eterno, que sempre usa homens atentos para cumprir os Seus propósitos.

Durante o mega-evento anual "Taglit-Birthright" ontem realizado em Israel, o primeiro-ministro Netanyahu apelou a todos os judeus que vivem na Diáspora (dispersão) para que imigrem para Israel. Trazendo à memória os massacres contra judeus inocentes na passada semana em Paris, Netanyahu pediu aos milhares ali presentes que observassem um minuto de silêncio em memória das 17 vítimas do ódio islâmico:
"Esta noite, apelo a todos vós, e a todos os jovens judeus espalhados pelo mundo: Venham para Israel. Façam aliyah. Este é o vosso país. Aqui está o vosso direito de cidadania."
O primeiro-ministro lembrou o questionamento que lhe surgiu quando da sua visita a Paris, se os judeus nos outros países eram livres e se não tinham medo de declarar a sua identidade.
"Vi aquelas multidões de franceses a manifestarem-se com o "eu sou charlie", e, no meu coração, disse para mim próprio: para nós, judeus, há questões adicionais. Será que os judeus em outros países podem manifestar-se nas ruas dizendo "eu sou judeu"?
"Como primeiro-ministro de Israel, posso dizer-vos aquilo que todo o judeu no estado de Israel pode dizer: "Je suis juif", e declará-lo sem medo, sem hesitação, e com muito orgulho" - afirmou Netanyahu.
"É isso que diferencia Israel. Todo o judeu pode sentir-se parte de Israel e sentir que Israel lhe pertence."
Netanyahu voltou a convidar os judeus do mundo inteiro a virem para Israel, tal como já havia feito subtilmente durante a visita à Grande Sinagoga de Paris no Domingo passado, e tal como também fizeram Avigdor Liberman, o ministro das Relações Exteriores de Israel, o ministro da Defesa de Israel Moshe Ya'alon, e o ministro da Economia Naftali Bennett. 

DUPLICARAM AMEAÇAS AOS JUDEUS NA SUÉCIA
Desde os atentados da semana passada em Paris que as ameaças contra judeus suecos duplicaram - afirmou Lena Posner-Koerosi, representante do Conselho das Comunidades Judaicas.
Foi aumentada a segurança à volta das instituições judaicas, especialmente na capital Estocolmo.
A Suécia tem sido criticada por não parecer levar a sério as muitas ameaças feitas contra os seus cidadãos judeus.
Há cerca de 20.000 judeus na Suécia, cerca de metade dos quais vivem na capital, Estocolmo.

Shalom, Israel!


QUER CONTRIBUIR PARA ESTE MINISTÉRIO?
Se desejar contribuir com alguma oferta para encorajar o nosso ministério, ficaremos imensamente reconhecidos!

Para fazer qualquer contribuição, pode usar o sistema mundial de transferências "paypal", completamente seguro, bastando para tal clicar no pequeno rectângulo na coluna à direita onde diz "Doar", logo abaixo do anúncio dos DVDs. Obrigado!

3 comentários:

Geltha Dubon disse...

Parabéns ao nosso primeiro Ministro.
Perdi a oportunidade de ir qdo jovem,eu já não posso mais.infelizmente.E sim,EU SOU JUDIA com muito orgulho.

Luciano de Paula Lourenço disse...

Infelizmente, mais da metade (será que estou sendo otimista?) dos judeus em todo mundo não acredita nas Escrituras Sagradas. Se acreditasse, aceitaria o apelo do Primeiro Ministro, pois dias terríveis se aproximam contra o povo judeu. É uma realidade tangível, o antissemitismo nuvea todos os segmentos em suas diversas matizes, em todo o mundo. Israel é a terra que Deus deu aos descentes de Abraão. Mas, muitos não acreditam nisso. Pasmem, muitos judeus até defendem a própria destruição de Israel. Isso me dá tristeza.
Deus abençoe o povo judeu, o maior milagre da humanidade.
Luciano Lourenço

Cesar Augusto Cabral Arevalo Iehouah disse...

Os que são judeus com muito orgulho, sempre serão extensão e pulsação de Israel.