sexta-feira, dezembro 11, 2015

CATÓLICOS NÃO PODEM CONVERTER JUDEUS

O chefe do Vaticano emitiu um decreto inibindo os católicos de converter os judeus à fé em Jesus Cristo.
Para além disso, os católicos romanos são convidados também a combater o anti-semitismo, juntamente com o povo judeu.
Para além da proibição de "evangelizar" os judeus, o chefe católico reafirma o facto de o cristianismo e o judaísmo estarem interligados, enfatizando que Deus nunca anulou a Sua aliança com o povo judeu.
Segundo o documento emitido pela "Comissão para as Relações Religiosas com os Judeus", "A Igreja (católica romana) é portanto obrigada a ver a evangelização dos judeus, que crêem no Deus Único, de forma diferente da dos povos de outras religiões e de diferentes cosmovisões."
O documento refere também que os católicos romanos devem ser particularmente sensíveis ao significado que o Shoah tem para os judeus. Shoah é a palavra hebraica para "Holocausto." O documento enfatiza a obrigação de "fazer-se tudo o que for possível com os nossos amigos judeus para repelir as tendências anti-semitas."
"Um cristão nunca pode ser um anti-semita, especialmente por causa das raízes judaicas do cristianismo" - afirma o documento.
Este documento coincide com o 50º aniversário de uma revolucionária declaração do Vaticano que repudiava o conceito da culpabilidade colectiva do povo judeu por causa da morte de Jesus, tendo na altura lançado um debate teológico que os tradicionalistas rejeitaram.
O documento conclui com esta controversa declaração: "Em termos concretos, isto significa que a Igreja Católica nem dirige nem apoia qualquer missão específica institucional direccionada aos judeus."

"OS JUDEUS NÃO PRECISAM DE CRISTO PARA SEREM SALVOS"
A gravidade desta nova heresia, inspirada por Satanás, alega que "ainda que os judeus não possam acreditar em Jesus Cristo como o Redentor universal, eles têm parte na salvação, pois que os dons e a chamada de Deus são irrevogáveis."

Um perito do Vaticano no diálogo católico-judaico afirmou que esta foi a primeira vez que o repúdio à conversão activa de judeus foi tão claramente afirmado num documento do Vaticano.

ESTA É UMA TRÁGICA FORMA DE ANTI-SEMITISMO
Para além de algumas questões positivas deste documento, especificamente na condenação do anti-semitismo e o respeito pelo Shoah, percebe-se aqui mais um avanço para a plataforma necessária à ascensão do falso profeta, um papel que este actual chefe católico parece cada vez mais pretender assumir.
Ao proibir o anúncio da Pessoa de Jesus, o verdadeiro Messias de Israel, como Salvador do povo judeu, o Vaticano está a provocar um verdadeiro e trágico anti-semitismo, uma vez que a melhor forma de amar o povo judeu é transmitir-lhe o anúncio da Vinda e Obra redentora do seu Messias, o judeu Yeshua, filho de David e descendente da tribo de Judá. 
Negar-lhes este anúncio e a possibilidade de O conhecerem é a pior forma de anti-semitismo que se pode conceber. A Bíblia afirma que Jesus veio "para salvar o Seu povo dos seus pecados."
Foi o próprio Saulo, um fanático judeu convertido a Yeshua, e que se tornou no mais zeloso evangelista entre o seu próprio povo, quem afirmou: "O Evangelho (as Boas Novas da salvação e do perdão de pecados no Messias Jesus)...é o poder de Deus para a salvação de todo aquele que crê, primeiro do judeu, e também do gentio." - Romanos 1:16.
E é ele mesmo quem pergunta: "...Como crerão n'Aquele de Quem nada ouviram? E como ouvirão, se não há quem pregue (o Evangelho)?" - Romanos 10:14

UM GIGANTESCO PASSO PARA A ASCENSÃO DO ANTICRISTO
Esta negação da necessidade da crença em Jesus para salvação dos judeus é tudo aquilo que os rebeldes filhos de Abraão esperavam. É mais um passo para a rejeição de Jesus como Messias Salvador e uma promoção do esforço anti-missionário realizado pelos judeus ortodoxos em Israel e em outras comunidades judaicas pelo mundo fora.
Esta declaração do Vaticano é também um verdadeiro passo para o ecumenismo, em que as crenças deixam de ter qualquer valor, desde que se promova o diálogo, o "amor" e a compreensão entre os povos. Só que, ao pretender tornar desnecessária a crença em Jesus como único Redentor, está-se a condenar o povo judeu à ignorância da Verdade, à incredulidade, e por fim à morte eterna, a separação de Deus.
É que o facto de ser-se judeu e até praticar todos os ritos e rituais religiosos de nada adianta, a menos que se reconheça Yeshua, Jesus de Nazaré como o verdadeiro Messias Redentor e Salvador, tanto de judeus como de gentios. 
Este foi de facto um grande passo no caminho para a ascensão do Anticristo. Cumprindo exemplarmente o papel de falso profeta, este actual chefe do catolicismo romano acabou de dar o abraço da morte ao povo judeu, um processo irreversível e necessário para a ascensão do falso Messias, o "Anticristo", aquele que será aceite pelo povo hebreu como o verdadeiro.
E este falso profeta acabou de acelerar esse processo. 
Mas, tal como o apóstolo judeu Jacob afirma: "A fonte de água salgada não pode dar água doce." (Tiago 3:12). Neste caso, a fonte é demasiado inquinada para dar alguma espécie de água saudável...

Shalom, Israel!


11 comentários:

JUnior Melo disse...

O cardeal argentino, o maior chefe entre os inumeros fasos profetas que se levantam neste planeta .Se não abdicar do "trono" de papa , sabemos que de fato , Francisco se apresenta como o verdadeiro falso profeta descrito em Apocalipse 13:11-15 . Francisco vem como um cordeiro, de forma cativante, com palavras persuasivas que atraem a simpatia e boa vontade dos outros. Ele pode ser um extraordinário pregador ou orador cujas palavras demonicamente fortalecidas vão enganar as multidões.Não é coincidencia que este "papa" atual, vem a ludibriar nações com seu ecumenismo barato e falso evangelho.

Junior Melo disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Junior Melo disse...

OS defensores apologetas catolicos , costumam acusar a midia "protestante" e ateia, de distorcer as palavras do "santinho"papa Francisco.E agora, como irão advogar o falso profeta depois destas declarações em que satanás se agrada? Conferiram amados irmao , no site da propria ´cúria de Roma.:

http://www.vatican.va/roman_curia/pontifical_councils/chrstuni/relations-jews-docs/rc_pc_chrstuni_doc_20151210_ebraismo-nostra-aetate_sp.html

Luciano de Paula Lourenço disse...

Prezado irmão em Cristo,
Deus tem um plano todo especial para o povo de Israel, nestes últimos dias da Igreja. Creio que nenhum efeito terão estas palavras do Papa sobre remanescente que se converterão. Suas palavras e nada são a mesma coisa diante do poder transformador do Evangelho. É o Espírito Santo quem convence o ser humano dos seus pecados (João 16:8-11). O Papa falou essas asneira para satisfazer algum interesse: ou da cúpula católica ou de judeus rebeldes, que odeiam o cristianismo. O Papa precisa ler a Bíblia Sagrada, e incentivar os fiéis católicos a estudar o Livro Sagrado, que é a Palavra de Deus.
Deus abençoe sobremaneira o povo de Deus!

olga disse...

Deus não é Deus de confusão. Pra mim o Jeus da bíblia nunca foi o Jesus de Roma. Talvez, o papa tenha razão... o católico não deve tentar evangelizar os judeu mesmo não! Todos nós precisamos aprender mais com a Palavra de Deus, principalmente, sobre a idolatria e sobre o "representante" de Deus na terra. Aliás, a Palavra diz que quem convence do pecado, da justiça e do juízo é o Esprito Santo! Isto para gregos, romanos e judeus!
Shalom Israel!
Olga

Paolo Hemmerich disse...

Não podem tentar converter é?!!!!! Por um lado isso até é bom!!! Esse papa é um universalista, cristão não é!!!!

Marion Vaz Brazil disse...

Dentro da lógica e teologia cristã estipulada após a morte e ressurreição de Jesus, o tratado apresentado pode mesmo fugir às expectativas quanto a fazer proselitismo com judeus, na intensão de convertê-los a uma nova crença. Mas se olharmos para o passado veremos que foi esta obsessão, esse fanatismo religioso que ocasionou a morte de muitos judeus. Talvez esta ação do Papa seja apenas uma reparação aos danos do passado e impedir que uma ação pior volte a acontecer no futuro. O que me confunde mesmo em algumas opiniões é o fato de se omitir a pessoa de D-us, tanto no que diz respeito a nação judaica e todas as tradições e mandamentos firmados na Torah em função da pessoa de Jesus e segundo a "Nova Aliança", D-us não tem poder pra nada, nem perdoar pecados do seu próprio povo(?!). Esta frase parece heresia não é? Quando os judeus lutaram contra a assimilação, pra preservar sua cultura, a fé e os Mitzvot, aí dizemos tudo bem! Mas segundo "alguns" agora é diferente, tem que mudar de crença, para poder galgar os degraus do céu (?!). Não desmerecendo a fé messiânica e cristã, mesmo porque isso na nossa legislação seria um crime, eu entendo que se os antigos "morreram na promessa" e a geração de hoje continua aguardando o Mashiach, então qual é a diferença? Para quem já reconheceu Jesus como seu salvador pessoal e tem o ES de D-us, a Nova Aliança é válida! Mas isso não invalida a fé judaica! Se há apenas uma crença perfeita e verdadeira, o céu é de uma minoria! Por que o que será das pessoas de outras religiões se D-us não puder julgar cada coração? Talvez alguém esteja me crucificando agora, me chamando de louca, herege, incrédula... Mas não estou desmerecendo a Palavra de D-us, que é a nossa regra de fé, seja, grego, romano, brasileiro ou americano... Somos imperfeitos! Alguém pode insinuar que a sua fé e melhor, verdadeira, alicerçada na Palavra... A fé judaica não é? Então metade da Bíblia serve a outra não? Antes de julgarmos quem vai ou não para o inferno, deveríamos julgar a nós mesmo! Será que somos melhores do que aqueles judeus que estão orando no Kotel? Só por que esbarramos em Jesus? Então, para não fugir à regra vou citar o apóstolo Paulo: "Glória, porém, e honra e paz, a qualquer que obra o bem, primeiramente ao judeu e também ao grego... Porque para com D-us não há acepção de pessoas". Rm 2.10-11 - Shalom.

olga disse...

Gostaria de acrescentar mais uma coisa... Penso que Cruzadas, Santa Inquisição, Guerras Santas, Fanatismos não tem nada a ver com a Palavra de Deus... "Nem pela força, nem pela violência" é o certo... Infelizmente, o homem distorce intencionalmente aquilo que é bom, perfeito e agradavel... Tudo que Deus fez e faz é bom... É o homem movido pelo pecado, cego pelo engano que pensa que pode ser salvo por uma religião... até mesmo muitas destas estratégias usadas no passado para "converter" índios, judeus, negros, etc., visavam apenas o ouro, as riquezas e terras... Eu tenho lido atualmente sobre "os maconheiros de Jesus", sobre igrejas consagrando gays para pastores e pastoras, igrejas punks, rocks, enfim , igrejas até com direito a exibicionismo com cobras... Foi Deus quem mudou? Se o homem precisava de salvação no passado continua precisando hoje, não importa as besteiras passadas presentes, assim como não importa determinados acertos passados e presentes porque o maná tem que ser buscado diariamente, não adianta guardar pra amanhã... Basta a cada dia seu próprio mau...
Shalom Israel
Olga

Benaiah Cabral Ben Avraham Leiehouah יהוה The Liger disse...

Excelente contribuição Prezada Senhora Marion. Aprecio muito sua participação quando possível.

Benaiah Cabral Ben Avraham Leiehouah יהוה The Liger disse...

O Vaticano é autoridade sobre quem e para quem? Pode ter milhões de seguidores e dólares, é apenas um credo para mim, bilhões de pessoas e milhões aos milhares de habitantes da Ásia incluindo boa parte dos oito milhões de Israel.

olga disse...

Não vou mais participar deste blog. Adeus.
Shalom Israel!
Olga