quinta-feira, fevereiro 13, 2020

ISRAEL VAI INVESTIR EM GRANDE NAS SUAS FORÇAS ARMADAS PARA OS PRÓXIMO 5 ANOS, TENDO EM VISTA A AMEAÇA DO IRÃO

O chefe das Forças de Defesa de Israel Aviv Kochavi apresentou hoje os planos para os próximos 5 anos. Sabe-se que haverá um fortalecimento das capacidades operacionais, uma melhoria da qualidade e quantidade dos armamentos das FDI, com a idéia de converter as forças militares numa força letal capaz de combater de forma unificada no mar, em terra e no ar, e também através dos meios electrónicos.
No centro das atenções estará a ameaça iraniana e a integração de novas tecnologias.
"Se concretizado como planeado, permitirá um aumento substancial das capacidades das FDI" - afirmou Kochavi, acrescentando que "isso fortalecerá as nossas capacidades letais, tanto em alcance como em eficácia."

UM GENERAL "DEDICADO" À QUESTÃO IRANIANA
A questão da ameaça iraniana é tão levada a sério, que o chefe militar irá em breve designar um general para supervisionar em exclusivo todos os elementos da ameaça iraniana, desde o programa nuclear da República Islâmica à expansão militar na região.
As FDI irão formar um comando único que trabalhará em cooperação com os seus pares da Mossad.

"PLANO DO MOMENTO"
O projecto já denominado "Plano do Momento", apela ao fortalecimento das capacidades operacionais do exército regular, ao melhoramento da quantidade e da qualidade dos armamentos da Força Aérea, e a conversão das forças militares numa força letal e de alta tecnologia que combaterá simultânea e conjuntamente no mar, em terra, no ar, e através da guerra electrónica e cibernética.
Segundo as FDI, este novo plano irá incrementar as suas capacidades nas áreas que têm tido a preeminência nestes últimos oito anos: uma confrontação em duas frentes simultâneas, uma primária e outra secundária, contra o Hamas no Sul e o Hezbollah no Norte.
O plano parte do princípio de que o Hamas, o Hezbollah e o Irão têm estreitado a superioridade israelita sobre eles, pelo que o alvo é mais uma vez incrementar a vantagem israelita até aos níveis requeridos para manter a segurança do estado, prevenir a guerra e reforçar a superioridade israelita.
600 milhões de shekels já foram destinados pelas IDF para este programa, a serem utilizados nos próximos dois meses, incluindo a compra de milhares de drones, aparelhos para visão nocturna e mísseis anti-aéreos.

ATAQUES LETAIS
A linha mestra deste plano visa um aumento substancial do número de alvos do Hamas e do Hezbollah destruídos durante uma guerra, incrementando ao mesmo tempo também a qualidade e a frequência dos milhares de alvos inimigos a destruir por Israel num só dia.
Segundo o comandante, as ameaças são demasiado evidentes para serem desprezadas, pelo que há que avançar com o plano o mais rapidamente possível.
O plano terá ainda de ser aprovado pelo actual ministro da Defesa, Naftali Bennett.

Shalom, Israel!

2 comentários:

Paulo Helmich disse...

Essa é a parte visível, transparente, do plano de defesa/contra-ataque, sem prejuízo das surpresas tecnológicas, de cunho altamente secreto! E isso tudo é estritamente necessário, porque o inimigo está à espreita e se preparando, sorrateiramente, como soe acontecer com escorpiões!!

Victor Nunes disse...

muito bom