sexta-feira, abril 01, 2016

POR QUE SÃO A PÁSCOA JUDAICA E A CRISTÃ CELEBRADAS EM DATAS TÃO DIFERENTES?



Muitos cristãos têm-se interrogado sobre a discrepância de datas entre a celebração da Páscoa judaica e a Páscoa cristã. Enquanto que a Páscoa cristã relacionada com a ressurreição do Messias Jesus foi celebrada no passado Domingo, 27 de Março, a Páscoa judaica iniciar-se-à apenas quase um mês depois, ou seja, na noite do dia 22 de Abril. 
Afinal, quem terá a data certa?

PÁSCOA JUDAICA - A VERDADEIRA DATA BÍBLICA
Desde a celebração da primeira Páscoa no Egipto até aos dias de hoje, os judeus sempre respeitaram o dia 14 do mês de Nissan, o primeiro mês do calendário lunar hebraico. O mês de Nissan também pode ser chamado de Aviv (Primavera).
Segundo o relato do Novo Testamento, esse foi o dia exacto em que o Messias Jesus foi crucificado em Jerusalém, confirmando a Sua identidade como o verdadeiro "Cordeiro de Deus" - Lucas 22:7; João 1:29; 19:14. Três dias depois, Jesus ressuscitou dos mortos no dia da festa bíblica dos Primeiro Frutos, tornando-se nas "primícias dentre os mortos" - Levítico 23:10-14; 1 Coríntios 15:20.
Desde o tempo da morte e ressurreição do Messias Jesus até ao terceiro século d.C., os crentes em Jesus sempre ligaram a ressurreição do Senhor à celebração da Páscoa (judaica). Contudo, à medida que vários bispos foram ocupando os lugares deixados pelos apóstolos originais, foram tomadas decisões para tentar separar a fé cristã das suas raízes judaicas. Foi essa série de eventos que levou à posterior separação das datas da celebração da Páscoa.

CONCÍLIO DE NICEIA SEPARA DEFINITIVAMENTE AS DATAS
Foi no Concílio de Nicéia, realizado no ano 325 d.C. que foi feito o decreto final para que a Páscoa cristã passasse a ser celebrada no primeiro Domingo após a primeira lua cheia da Primavera, não mais em conjunção com a Páscoa judaica. Depois deste Concílio, o imperador Constantino enviou uma carta a todos quantos não tinham estado presentes, informando-os das decisões tomadas, incluindo a decisão de rejeitar a Páscoa judaica e passar a celebrar a Páscoa cristã segundo a data agora estabelecida:
"Foi declarado ser particularmente indigno para este, o mais sagrado de todos os festivais, seguir o costume (os cálculos) dos judeus, que mancharam as suas mãos com o mais temível dos crimes, e cujas mentes foram cegas. Ao rejeitarmos os seus costumes, podemos transmitir aos nossos descendentes o modo legítimo da celebração da Páscoa.
...não devemos, pois, ter alguma coisa em comum com os judeus, pois o Salvador mostrou-nos uma outra forma...nós desejamos, queridos irmãos, separar-nos da detestável companhia dos judeus." - da Carta do Imperador a todos não presentes no Concílio: historiador Eusébio.

LAMENTÁVEL PERDA DE RAÍZES
Esta decisão da "Igreja" de então, cavou um fosso milenar entre judeus e cristãos, e estragos de consequências inimagináveis. E a celebração da morte e ressurreição do Messias Jesus fora do contexto judaico da Pascoa judaica, não só é um absurdo, como um obstáculo para que muitos judeus entendam e reconheçam Jesus como o seu Messias. 
Este descolamento da Igreja cristã das raízes judaicas da sua fé tem também roubado aos crentes gentios o privilégio de desfrutarem da "rica raíz da oliveira" na qual foram enxertados - Romanos 11:17. 
Dessa forma, muitos crentes gentios não reconhecem a sua origem espiritual na oliveira espiritual que Israel representa, levando-os por isso a desprezarem os "irmãos mais velhos" e permitindo-se até a atitudes nada bíblicas como o anti-semitismo e o anti-sionismo.

RESTAURAÇÃO
Há no entanto um número cada vez maior de crentes gentios que estão começando a reivindicar as suas "riquezas roubadas." Muitos já estão organizando nas suas Igrejas celebrações pascais durante a Festa da Páscoa judaica, apresentando o "Messias na Páscoa", e convidando até amigos judeus a participarem nesses eventos!

Shalom, Israel!


2 comentários:

De Sousa disse...

Atos : 4 : 12 ...YAHUSHUAH

Benaiah Cabral Ben Avraham Leiehouah יהוה The Liger disse...

Ótimo artigo. Infelizmente o conhecimento de Yeshua sobre Iehouah não é pra todos pois o ser humano cria divergências pela falta de humildade interior.