sábado, outubro 15, 2016

DIRECTORA DA UNESCO DESVINCULA-SE DA RESOLUÇÃO TOMADA PELA PRÓPRIA ORGANIZAÇÃO QUE ELA DIRIGE...

Respondendo a uma carta da ex-ministra israelita para as Relações Externas de Israel Tzipi Livni, a actual directora da UNESCO, Irina Bokova distanciou-se claramente da controversa decisão tomada pela organização que ela dirige, e afirmou o seu compromisso em combater o anti-semitismo.
Depois do ministro israelita para a Educação, Naftali Bennett, ter anunciado o rompimento da cooperação entre Israel e a UNESCO, a directora-geral do organismo cultural da ONU veio a lume, enviando uma comunicação a Tzipi Livni, em que afirma que a organização trabalha para "combater a intolerância e as formas contemporâneas de anti-semitismo, incluindo as que procuram deslegitimar o estado de Israel."
Bokova fez questão de notar que as decisões tomadas são da responsabilidade dos estados-membros e não dela, como directora-geral da organização.
Bokova repetiu ainda as suas declarações dos passados meses de Abril e de Julho, em que "A Velha Cidade de Jerusalém é a cidade sagrada das três religiões monoteístas: o judaísmo, o cristianismo e o islamismo, e que tanto os judeus, como os cristãos e os muçulmanos têm direito ao reconhecimento explícito da sua História e relacionamento com a cidade."
 
E, numa aparente oposição à resolução aprovada pelo organismo que ela dirige, Bokova afirmou ainda: "acredito firmemente que negar ou ocultar quaisquer das tradições judaica, cristã ou muçulmana mina a integridade do sítio."
Bokova referiu-se ainda a alguns dos sítios inscritos na lista do património mundial da UNESCO e a alguns dos projectos da organização, que "atestam o nosso compromisso com a cultura judaica e que comprovam o nosso conhecimento e respeito pelos laços existentes entre o povo judeu e a Terra Santa, incluindo Jerusalém."
 
A directora-geral da UNESCO fez ainda questão de apregoar que a sua organização "é a única da ONU com um programa dedicado à educação sobre o Holocausto."
 
 
Irina Bokova e a organização que dirige com agendas contrárias. Ainda bem para ela. Só espero que ela não se fique pelo "politicamente correcto" das palavras, mas que dê passos que comprovem de facto esta sua louvável postura...
 
Shalom, Israel!
 
 

7 comentários:

olga disse...

Isto demonstra que até nesta organização há um governo paralelo! É preciso até para o bem da paz nesta região (Oriente Médio) que as pessoas sejam mais responsáveis e coerentes!
Se esta diretora da UNESCO é só um fantoche nas mãos de alguns Estados-membros que ela renuncie em protesto a tal decisão!
Muitos homens e mulheres entraram para a História da humanidade como pessoas de valor porque se colocaram contra a injustiça em momentos que agindo assim corriam até risco de morte! Seria certo, por exemplo, esconder alguma família judia numa casa alemã, durante a Segunda Guerra mundial?
Falando em História eu estava pensando nas conquistas de Alexandre, o Grande;
pensando sobre AntÍoco Epifanio... O quê a UNESCO significa mesmo? Organização das Nações Unidas para EDUCAÇÃO, Ciência e CULTURA? Que vergonha! Agindo assim se assemelha a grupos terroristas que destroem documentos e sÍtios arqueológicos para tentar apagar a passagem dos judeus por muitos locais da terra!
Israel tem que lembrar a UNESCO que, talvez, ela dependa mais de Israel do que Israel dela! E, não é só por questões financeiras. Tem a ver com não se distanciar demais das mentes brilhantes... Israel produz premios Nobel! É a única democracia do Oriente Médio e, até onde eu saiba não incentiva terror, homens bombas ou usa sua população como escudo. A ONU precisa rever seus conceitos senão corre o risco de ser apenas uma página amarela da história passada ou um filme em preto e branco onde homens dignos ainda faziam parte do seu quadro de membros!
VIVA O ESTADO SOBERANO DE ISRAEL!
https://www.youtube.com/watch?v=OBUsIqUVg7I
Shalom Israel!
Olga

André Luiz loiola da Silva disse...

Jerusalém é a capital de Israel e a cidade do Grande Rei Yeshua Hamashia Jesus Cristo o Messias.
Amém e Amém.

André Luiz loiola da Silva disse...

Jerusalém é a capital de Israel e a cidade do Grande Rei Yeshua Hamashia Jesus Cristo o Messias.
Amém e Amém.

André Luiz loiola da Silva disse...

Jerusalém é a capital de Israel e a cidade do Grande Rei Yeshua Hamashia Jesus Cristo o Messias o filho do único Deus Eterno e Todo Poderoso. O Deus de Abraão, Isac e Jacó/Israel que é Santo Santo Santo.
Amém e Amém.

olga disse...

A UNESCO deveria esclarecer para as pessoas, principalmente, jovens como surgiu o termo Palestina e o que ocorreu nas guerra dos seis dias... Os árabes queriam varrer Israel do mapa... Aconselharam os palestinos a sair das cidades... Afirmaram que poderiam voltar depois quando tivessem destruído Israel... Nem todos sairam! Israel não só não foi destruído como venceu a guerra!
Eu respeito os palestinos assim como respeito todos os povos! Mas, os palestinos são mais um "problema" dos árabes do que de Israel! Na verdade usam este povo para atingir Israel!
Que Israel ajude os palestinos... Sei que os judeus honram sua história... Muitos seguem a Lei de Moises que pede para olhar para o estrangeiro... A UNESCO deu um tiro no pé... Não só em Israel existe israelenses... Muitos estão dispostos a lutar e morrer por esta nação! Sem contar que pela fé muitos são também filhos de Abraão! Eu creio!
https://www.youtube.com/watch?v=jgTNXVdzGWo
Shalom Israel!
Olga

olga disse...

Acredito que o que está por trás desta resolução da ONU é absolutamente preocupante... A IGREJA precisa acordar! Há uma pressão de grupos que detêm as riquezas do mundo, grupos satânicos, maçons, etc., estes grupos operam até dentro de igrejas ditas cristãs... Mas, conhecemos a árvore pelos frutos... Não adianta de certa maneira Israel recorrer ao Vaticano... Lá é o "ninho da serpente"... Israel tem que clamar ao Senhor dos Senhores... Rei dos Reis... Assim como Deus agiu no passado, continuará agindo! Nele não há mudança nem sombra de variação!
Amém!
https://www.youtube.com/watch?v=mZ18croi2n4
Shalom Israel!
Olga

olga disse...

Eu acabei de assistir um vídeo (sinagoga sem fronteiras) onde o rapaz fala sobre a decisão da UNESCO e a Festa de Sucot... Achei bem interessante... Enquanto a ONU quer tirar o direito de Israel a terra de Israel, o próprio Deus Todo Poderoso num determinado momento fez o seu povo habitar em tendas para mostrar o quanto o vínculo entre Deus, Israel e a terra é bem mais do que algo apenas físico... É acima de tudo espiritual!
Eu ainda estou indignada com a posição do Brasil... Infelizmente, há um certo silêncio tendencioso por parte da imprensa... Quem votou esta resolução em nome do Brasil? Ele não nos representa... Enviei um email para o Itamaraty... Acho que há "decisões silenciosas" sendo tomadas no mundo, muitos serão pegos de surpresa... A Europa mesmo já não é a mesma! Precisamos vigiar!
https://www.youtube.com/watch?v=2HitAFS7_Pc
shalom Israel!
Olga