terça-feira, outubro 25, 2016

MUÇULMANOS ESCOLHERAM O COLISEU DE ROMA PARA UMA VERDADEIRA "DECLARAÇÃO DE GUERRA" CONTRA A CULTURA OCIDENTAL

A coisa é muito mais séria do que se pensa. 
Naquilo que foi rotulado como "protesto muçulmano contra o encerramento de mesquitas e de outros locais de culto na Itália", centenas de muçulmanos reuniram-se diante do Coliseu de Roma, nesta passada Sexta-Feira, numa postura de oração e demonstração de força, ainda que sob a capa de "paz e abertura"...
O protesto dos muçulmanos da Itália tem a ver com o recente encerramento pelas autoridades de 5 mesquitas, e ainda com a alegada "descriminação" pelo facto de o islamismo ainda não ser reconhecido como "religião oficial."

PARA TUDO HÁ UM PROPÓSITO...
Claro que surgirão sempre os entorpecidos, os indiferentes, os condescendentes, todos aqueles que não conseguem vislumbrar mais do que o seu próprio nariz, criticando os "preocupados", os atentos aos sinais, e os arautos anunciadores dos escolhos no caminho. Já assim aconteceu antes do massacre nazi. Quase ninguém acreditava, todos fizeram "orelhas moucas", havendo apenas alguns "profetas da desgraça", aqueles que, apesar da incredulidade das massas, percebiam os sinais e tentavam por todos os meios alertar as consciências.
Ontem era o nazismo e o comunismo, hoje é o islamismo.

Pouca gente se apercebeu que na passada Sexta-Feira, uma multidão composta de algumas centenas de fieis muçulmanos, se reuniram para rezar, exactamente no coração de Roma... diante do próprio Coliseu!
Não é por acaso que os seus líderes - os ímans - escolheram o símbolo mais venerado no Ocidente cristão. Ou não fosse a "Irmandade Muçulmana" a mentora desta mega-manifestação consentida pelas autoridades romanas e tolerada pela maioria da população desatenta aos perigos que se avolumam diante das suas próprias portas. Não nos esqueçamos que é em Roma que está implantada a maior mesquita de todo o mundo ocidental...

Para esta gente que ali esteve, não há separação entre estado e religião, entre o estado e a mesquita. O seu slogan continua sendo o mesmo de sempre: "Alá é o nosso alvo, o profeta (Maomé) o nosso líder, o Corão a nossa lei, a jihad o nosso caminho, morrer pelo caminho de Alá a nossa maior esperança."
A gigantesca manifestação em Roma é uma declaração islâmica à não aceitação de uma "cultura de paz", tão do agrado dos europeus. E já não é a primeira. Já tinha sido realizada uma outra diante da catedral de Milão, e outra em Bolonha, diante da Igreja de São Petrónio, um dos alvos do ódio islâmico, devido à presença naquele espaço católico de um fresco exibindo Maomé como um dos condenados ao inferno.
Esta investida islãmica no coração de Roma demonstra que para essa religião, Roma (o berço do Catolicismo Romano) já faz parte do seu campo missionário. A realização das rezas em território "tão cristão" é um sinal claro da cega obediência às determinações de Maomé, que declarou ser "campo missionário" - jihad - todo aquele espaço geográfico que (ainda) não se insere no território "sagrado" do islão.
Calcula-se que vivam actualmente na Itália 800.000 muçulmanos legalizados. 
A manifestação religiosa foi obviamente pacífica. Assim convinha. Mas foi uma declaração de guerra cultural e religiosa no coração da cristandade. Imagine-se o que aconteceria se fossem os católicos a celebrar uma missa em Meca ou em Medina...

"ROMA SERÁ ISLAMIZADA"
O conhecido pregador muçulmano Yussuf al Qaradawi afirmou que chegará o dia em que Roma será islamizada. Falta decidir se será "pela palavra, se pela espada." Nesta passada Sexta-Feira, foi pela palavra. Nos videos do Daesh, o alvo é pôr o Coliseu em chamas...
O filósofo americano Lee Harris afirmou algo de muito importante: A glória do Ocidente tem sido a erradicação do vírus do fanatismo, mas talvez a tenhamos conseguido com o preço da derrota...

Será que alguém se apercebe?

Shalom, Isarel!

4 comentários:

Paolo Hemmerich disse...

Quando os estúpidos acordarem, será tarde demais!!! Que seja!!! Israel deve se fortificar cada vez mais, porque a batalha final não tarda!!

Shalom, Israel!!

olga disse...

A própria imprensa mundial comprada e alienada diz que o islamismo é a religião que mais cresce no mundo! Mas, a que preço? O preço é a liberdade de muitos povos e, a vida de muita gente, principalmente mulheres e crianças... Sem contar estupros, torturas, etc. Em muitos países árabes, muçulmanos você não pode nem portar uma bíblia... Agora quando eles estão no Ocidente sabem clamar a ONU, aos Direitos Humanos, a democracia... Mas, é como está escrito no artigo: "Imagine o que seria se fosse os católicos a celebrar uma missa em Meca ou Medina."
Pra mim não é à toa que estas coisas estão acontecendo... Podemos comparar sim com o advento do nazismo e a ascensão de Hitler...
Hoje quando lemos a História passada pensamos: Nossa como isso pode ter ocorrido debaixo dos nossos olhos? Bem diante de tudo que temos visto no mundo nos últimos tempos, podemos ter uma ideia... Uma delas é a cumplicidade de nações e organizações que tinham a obrigação moral de alertar a humanidade do perigo que corre! Ou, será que aquilo que está acontecendo no Oriente Médio não pode chegar aqui? E, mesmo aquilo que ocorre num país como a Síria, por exemplo, já afeta todos nós! É uma ilusão você pensar que não!
Cada um vai ter que dar conta daquilo que recebeu sejam homens sejam nações... Se as pessoas pensam que não tem nenhuma responsabilidade com relação a tudo isto que que passa no mundo, se enganam. Uns podem orar, outros lutar mesmo que politicamente falando... Mas, também há casos que a guerra é um mal necessário!
Que ainda haja opções para a humanidade!
Shalom Israel!
Olga

De Sousa disse...

" Para meditar lendo a bíblia "

Com 71 pontos no gay happiness index Israel ocupa a sétima posição da lista dos 10 países com os gays mais felizes do mundo ...[ Não é assim que Israel escapará do juízo divino]

De Sousa disse...

"Lâmpada para os meus pés é a tua palavra,e luz para o meu caminho. salmo 119:105"

O verdadeiro seguidor do Messias Yahushuah é da opinião firme que a homossexualidade é um crime condenado pela bíblia,é uma conduta humana desviante e abominável que a sociedade de forma nenhuma deveria aceitar. Na minha opinião não acredito ser a melhor forma de Israel se preparar para a batalha final [Armagedom] aceitando e implementando direitos para estas "pessoas"