sexta-feira, fevereiro 01, 2019

NAÇÕES UNIDAS PRESTARAM HOMENAGEM A ARISTIDES DE SOUSA MENDES

ANTÓNIO GUTERRES COM MEMBROS DA "FUNDAÇÃO
SOUSA MENDES" E FAMILIARES DOS BENEFICIÁRIOS
DOS 30 MIL VISTOS PASSADOS POR ARISTIDES
Na passada Segunda-Feira, dia 28 de Janeiro, vários beneficiários dos vistos concedidos em 1940 pelo então cônsul português em Bordéus Aristides de Sousa Mendes juntaram-se a Louis-Philippe Mendes e a outros representantes da "Fundação Sousa Mendes", na sede das Nações Unidas, em Nova Iorque, para uma homenagem ao herói português e a outros 7 diplomatas com exemplos semelhantes.
O grupo contou ainda com a presença de vários sobreviventes do Holocausto e familiares das vítimas.

O secretário-geral das Nações Unidas, o também português António Guterres, juntou-se aos participantes deste tributo mais que devido ao homem que, contra as ordens expressas pelo então primeiro-ministro António Salazar, decidiu desobedecer às mesmas, emitindo num espaço de 48 horas cerca de 30.000 vistos a refugiados da guerra que procuravam refúgio em Portugal, na maioria judeus.
Na cerimónia de homenagem ao herói português, discursaram o secretário-geral António Guterres, o diplomata português na ONU Francisco Duarte Lopes e Maria de Fátima Mendes, cônsul-geral de Portugal em Nova Iorque e familiar de Aristides de Sousa Mendes.

UM ACTO HERÓICO E DE UM INVULGAR ALTRUÍSMO
O acto heróico e altruísta deste cônsul granjeou-lhe o reconhecimento internacional, excepto no seu próprio país, onde o governo de então lhe retirou o posto diplomático, permitindo que o ex-cônsul morresse na completa miséria e abandono, não obstante os sucessivos apelos ao estado português e à Santa Sé. Todos eles sem resposta...
Só muitos anos depois é que o parlamento português decidiu homenagear Aristides de Sousa Mendes, sendo actualmente uma figura incontornável na recente História de Portugal. Na minha opinião, trata-se do maior herói que Portugal alguma vez "produziu", ainda que continue a ser muito mais lembrado e homenageado fora do seu próprio país. Só muito recentemente é que o palacete onde o ex-cônsul viveu, já em plena desgraça económica e social, e cujas paredes ameaçavam ruir a qualquer momento, acabou por receber a devida atenção internacional, em grande parte graças à "Fundação Sousa Mendes", sediada nos EUA, e completamente recuperado segundo o traçado original, prevendo-se para breve a instalação de um museu.
Aristides de Sousa Mendes foi desde 1966 incluído na longa lista dos "justos entre as nações" patente no Museu do Holocausto de Jerusalém, através da plantação de uma árvore e de dados biográficos em exposição permanente no Museu. 
Tornou-se mundialmente célebre a frase que lhe serviu de lema para a acção heróica que decidiu tomar, mesmo às custas da sua carreira e segurança económica e familiar: "Prefiro estar de bem com Deus contra os homens do que estar de bem com os homens contra Deus."

EXPOSIÇÃO NA ONU
Foi também inaugurada na ONU, em 29 de Janeiro passado, uma exposição fotográfica dedicada a estes diplomatas heróis, denominada: "Para além do dever: diplomatas justos entre as nações."
Esta exposição estará aberta ao público na sede da ONU até ao próximo dia 25 de Fevereiro.

ARISTIDES DE SOUSA MENDES
EM 1940
HOMENAGEADO PELO "NEW YORK TIMES"
Aristides de Sousa Mendes foi também "assunto" de um artigo de opinião escrito por Richard Hurowitz no conhecido diário nova-iorquino, sob o título: "Ele ajudou judeus a escaparem do Holocausto. Morreu ignorado." A dado passo, ele escreve: "Quem quer que tenha visto "Casablanca" (filme) sabe da ligação entre Portugal e os refugiados da Segunda Guerra Mundial. Mas poucos conhecem a História do diplomata português Aristides de Sousa Mendes, que em 1940 salvou dezenas de milhares de vidas, acabando por ser punido pelo seu heroísmo pelo seu próprio governo."
Nas palavras deste autor, e que eu subscrevo inteiramente, "devemos honrar este homem que se envolveu naquilo que um historiador descreveu como "talvez a maior acção resgatadora conduzida por um só homem durante o Holocausto."

Shalom!

2 comentários:

Victor Nunes disse...

Justo entre as nações

ohelitom sousa disse...

Louvavel diante de Deus, Herói perante ao hemens.! " O temoer do Senhor é o principio da sabedoria" provérbios 9:10 - Maranata SENHOR JESUS CRISTO!