segunda-feira, maio 11, 2009

ISRAEL RECEBE UM FALSO "AMIGO"

Israel recebeu esta manhã o chefe do Vaticano e da Igreja católica, Bento XVI, o homem que faz uma "peregrinação de paz", mas que encobre outros propósitos, notando-se até a dificuldade que ele tem em pronunciar a palavra "Israel". Certamente que à semelhança de Paulo VI, ele preferiria dizer que estava na "Terra Santa", mas o politicamente correcto obriga-o a "dobrar a língua" e dizer que está em Israel...
O papa já condenou o anti-semitismo e o Holocausto, numa hábil tentativa de "limpar a borrada" que ainda há pouco tempo fez ao readmitir um bispo inglês negador do Holocausto. Político hábil, este homem está tentando falar ao coração dos judeus, ao tocar no ponto sensível do Holocausto, chegando mesmo a encontrar-se esta tarde com seis sobreviventes, sem contudo entrar no Museu. Esperteza não lhe falta...
Bento XVI está cumprindo exemplarmente o seu papel de "falso mensageiro da paz", pois apesar da aparente condenação do anti-semitismo, este enganador já está a falar do desejo de ver 2 estados (Israel e "Palestina") convivendo lado a lado.
Os políticos israelitas estão recebendo de braços abertos o homem vestido de branco, "montado num cavalo branco" (neste caso um avião branco), correndo velozmente para o precipício da mentira e do engano, o qual mais tarde lamentarão amargamente.
Desta forma, e no nosso entender, Bento XVI torna-se um bom candidato a "falso profeta"...
Israel, não te deixes enganar! Olha para o teu Deus, não confies no "homem"...
Shalom, Israel!

4 comentários:

Edmir disse...

Tambem acho isto...xô..fora....mentiroso. Nosso DEUS não precisa destes pseudos mensageiros de paz..Israel é soberana, constituida por DEUS atraves de Abraão....não precisa da ajuda destes mentirosos mundiais.

Nilo disse...

Saudações,

Sabe... eu acho que não devemos nos precipitar.

O "falso profeta" é alguém que irá enganar e convencer o judeu de que um determinado homem seja o messias (no caso será um falso messias).

Esta visita do papa claramente demonstra o curso adiantado das "últimas coisas", mas acho difícil que o judeu admita ser guiado por um papa católico, alemão e com suspeitas de envolvimento passado nas fileiras do nazismo.

Na minha pequena opinião o "falso profeta" será um judeu respeitado e com grande projeção em Israel.

Em todo caso, continuemos alertas

Abraço,
Nilo - Br

Joaquim ben Levy disse...

Este é o 'expoente maximo' da mentira e do engano que surgiu no tempo próprio. Os titulos que usa: "Santo Padre", "Benedito (bem-dito)" e Sumo Pontifice" bem o demonstram:
"Não é pai"
"Não é bendito, porque Bendito só há um 'Hashem'" e
"Não é pontifice"
Lá Vicário é... mas de outro!

Zafenate Panéia disse...

Eu particularmente não confio em nenhum papa, e nem na igreja católica; na Inquisição eles mataram milhares de Judeus e protestantes, simplesmente por não aceitarem o batismo de Roma.