terça-feira, janeiro 14, 2014

"DÊEM-NOS JERUSALÉM, OU NÃO HAVERÁ PAZ!" - AMEAÇAM OS PALESTINIANOS

Sempre temos afirmado que a grande e insolúvel questão no assim chamado "processo de paz" entre israelitas e palestinianos não será uma mera troca de terras, mas a "pedra pesada" chamada Jerusalém.
É que Jerusalém não é uma cidade qualquer. Foi a única cidade onde o próprio Deus Pai habitou através do Seu Shekinah, e a única cidade do mundo que viu consequentemente a maior batalha e o maior triunfo de toda a História: a morte e ressurreição do Messias Jesus.
Também foi a capital de uma única nação: Israel. O direito aos judeus a possuírem a sua Terra é por isso inquestionável, muito mais ainda de se estabelecerem onde bem entenderem dentro das suas fronteiras e designarem mais uma vez Jerusalém como sua capital una, indivisível e eterna.

ÓDIO PALESTINIANO
Mas a liderança palestiniana tem uma posição completamente antagónica aos planos de Deus. Tenta roubar Jerusalém aos judeus, querendo impor a Israel a divisão da Cidade santa, para aí instalarem o seu ódio e aquartelarem o seu material de guerra, com um único objectivo: acabarem de vez com a presença judaica em Jerusalém. 
Neste passado fim de semana, a liderança da Autoridade Palestiniana mostrou clara e objectivamente que não está para meias palavras: através do seu líder, Mahmoud Abbas, tornou público que não assinará qualquer tratado de paz com Israel que não inclua explicitamente a soberania palestiniana sobre Jerusalém oriental. 
E o recado foi imediatamente transmitido ao fantoche do governo de Hussein Obama, o secretário de estado John Kerry, que outra coisa não tem feito que não tentar alcançar o pódio da inutilidade e prepotência. Afirmou Abbas: "Quando Kerry voltar à região no Domingo, ser-lhe-à dito que a Jerusalém oriental sob ocupação é a capital do estado da Palestina, e sem isto não haverá paz entre nós e Israel."
E o líder palestiniano esforçou-se para tornar bem claras as suas pretensões: "A menos que seja claramente mencionado e escrito em letras grandes que ela (Jerusalém oriental) é a capital do estado da Palestina, não haverá paz com Israel e eu quero que eles ouçam isto."
Por outras palavras: Abbas sabe muito bem que estas inúteis conversações "forçadas" pela administração Obama não vão levar a lado nenhum, pois os inimigos de Israel jamais aceitarão um estado judaico na região e tudo farão para extinguir a presença dos hebreus da sua terra. 

ISRAELITAS NÃO QUEREM DIVIDIR JERUSALÉM
Todas as sondagens feitas ao povo de Israel nas últimas décadas comprovam que a esmagadora maioria não quer a divisão ou a partilha da Cidade com os palestinianos. 
Várias tentativas feitas até por líderes políticos israelitas e que admitiam tal hipótese acabaram por ser rejeitadas no seu todo pelos palestinianos. 
Em outras situações, vislumbrou-se claramente a mão de Deus impedindo os homens de prosseguirem em tão ignóbil e trágica decisão. 

Preparemo-nos para dias difíceis. Os palestinianos já ameaçaram que após terminar o prazo para as conversações, farão o que bem entenderem...

Shalom, Israel!

4 comentários:

AILTON RODRIGUES DE SOUZA disse...


JERUSALÉM SERÁ PARA SEMPRE E SEMPRE A CAPITAL ETERNA DE ISRAEL.

Anónimo disse...

Já era esperado, pois estes líderes pseudo-palestinos não querem paz alguma com Israel, somente querem uma desculpa para a guerra e matar o maior número de judeus possíveis.

Fabiana

André M. dos Santos disse...

Esses "palestinos" são abusados!

Creio que o único jeito de Israel ceder na questão de jerusalém seria se permitissem que o terceiro templo fosse edificado.

André M. dos Santos

Eduardo disse...

Alguém poderia me explicar pq os governantes d Israel sempre reconheceram um povo extintos historicamente chamado palestinos?