sexta-feira, janeiro 03, 2014

ISRAEL VAI ANEXAR O VALE DO JORDÃO

Terá Israel o direito de anexar o Vale do Jordão como território seu?
Na semana passada os ministros do governo de Israel aprovaram a anexação do Vale do Jordão. Entretanto, o assunto tem merecido da comunicação social israelita um aceso debate sobre a legalidade da anexação unilateral desta região.
O único precedente de uma situação destas foi a anexação dos Montes Golan, que Israel nunca definiu tecnicamente como "anexação", e, embora a comunidade internacional sempre tenha rejeitado essa posição israelita, a verdade é que se tornou uma situação factual, ou seja: os Montes Golan fazem parte do território de Israel.
O Vale do Jordão apresenta obviamente um problema diferente. Depois do fim da Primeira Guerra Mundial o território do Vale do Jordão nunca foi reconhecido como pertencendo a qualquer entidade nacional. Tecnicamente, Israel limitou-se a controlar um território que não pertencia a ninguém, pelo menos a nível nacional.
Para além disso, Israel apoderou-se da região numa acção militar defensiva que no passado era reconhecida internacionalmente como uma forma aceitável de conquistar território. E, mais importante ainda, o Vale do Jordão era parte do território originalmente assinalado em 1920 pela comunidade internacional para um futuro estado judaico. As potências mundiais da época indicaram inicialmente aquele território como parte do futuro estado de Israel.
E é claro, para os crentes na Bíblia, há um aspecto mais profundo para o argumento da pertença daquele território a Israel: o Vale do Jordão é indubitavelmente parte da terra prometida aos descendentes de Abraão, Isaque e Jacob como possessão eterna. Apesar disso, os líderes israelitas insistem no direito de também reivindicarem aquele território dentro do ponto de vista legal e histórico.
Shalom, Israel!

3 comentários:

Antonio Aquino disse...

SE O INIMIGO SE
LEVANTA, A VITÓRIA É
DO POVO DE DEUS.
E ISRAEL TAMBÉM
CANTA.
A VITÓRIA É DO POVO
DE DEUS.
A MOCIDADE CANTA A
VITÓRIA É DO POVO DE
DEUS.
E OS ADOLESCENTES
TAMBÉM CANTAM A
VITÓRIA É DO POVO DE
DEUS.
E EU TAMBÉM CANTO A
VITÓRIA É DO POVO DE
DEUS.
GLÓRIA A DEUS.
AS PROFECIAS
BÍBLICAS SE CUMPREM
FIELMENTE.
DEUS É FIEL.
DEUS AMA ISRAEL.
E EU TAMBÉM AMO O
PAÍS DE ISRAEL.

Anónimo disse...

Acho ótimo que mais um importante território se torne oficialmente de Israel.
Aqueles que insistem em tomar a terra pertencente ao Eterno que Ele deu aos filhos de Abraão para si, logo terão que lhe prestar contas.

Fabiana

Anónimo disse...

Israel vai oficialmente recuperar uma ancestral e milenar parte de seu antigo mapa,... uma Benção de Deus.


Afinal, como é que alguém pode "anexar", ou "ocupar", ou "colonizar" aquilo que sempre foi seu?
É como os nossos bisavós terem tido um terreno. No entanto, os ímpetos expansionistas da gula dos vizinhos fizeram com que partes desse terreno fossem roubados, saqueados e tomados. Passaram-se anos e os bisavós morreram, tendo passado o que restou para os filhos, nossos avós. Restava somente um pequeníssimo terreno que, depois de eles também falecerem, passou para os nossos pais. Mas pouco depois, os nossos pais foram novamente atacados pelos vizinhos que lhes tentaram roubar o pouco que restava desse cobiçado terreno. Mas eles defenderam-se bravamente e na refrega não só expulsaram os malditos vizinhos como ainda por cima recuperaram de volta as partes outrora perdidas pelos seus avós e bisavós. Acabaram recuperando e reconquistando quase tudo aquilo que sempre foi deles.
No restante bairro (Liga Árabe), os amigos dos vizinhos ladrões a que interesseiramente passaram a chamar-lhes de "palestinianos" (depois dessa refrega, a Guerra dos Seis Dias), não reconhecem nem admitem a permanência dos nossos pais naquele terreno. E na vila (a Comunidade Internacional, demagogicamente e falseadamente má-influenciada pelos árabes) também não quer que os nossos pais fiquem com o terreno, nem sequer no terreno.

Israel é exactamente isto, sem tirar nem por!


Manuel Cunha