sexta-feira, fevereiro 09, 2018

ERDOGAN (TURQUIA/"TOGARMA") + FRANCISCO I (VATICANO/"GRANDE BABILÓNIA") = UMA ALIANÇA NADA SANTA CONTRA JERUSALÉM...

O encontro realizado na passada Segunda-Feira, 5 de Fevereiro, entre o candidato a califa do mundo islâmico, Recep Tayyip Erdogan, presidente da Turquia (a bíblica Togarma, uma das nações da confederação que atacará Israel nos últimos dias) e o chefe supremo da Igreja Católica Romana, Francisco I, o grande representante da "grande Babilónia", não augura nada de bom para o futuro de Jerusalém, uma vez que ambos os líderes parecem querer reunir uma agenda de oposição ao reconhecimento da Cidade Santa como capital do estado de Israel.

A visita teve lugar no Vaticano e por si só já representou um passo significativo, visto ser a primeira visita de um chefe de estado turco ao Vaticano desde o estabelecimento de relações entre os dois países em 1960.

ESTATUTO DE JERUSALÉM
Uma declaração formal emitida pelo Vaticano informou que ambos os líderes aproveitaram a ocasião para abordarem conjuntamente o estatuto de Jerusalém, "sublinhando a necessidade de se promover a paz e a estabilidade na região (Médio Oriente) através do diálogo e da negociação, com respeito pelos direitos humanos e pela lei internacional."
Ouvir Erdogan falar de "direitos humanos" deve ser algo verdadeiramente recambolesco...

Ambos os líderes - um católico romano e o outro muçulmano - estão contra a decisão do presidente norte-americano Donald Trump de deslocar a embaixada do seu país para a capital Jerusalém, levando até a que Erdogan tenha prontamente convocado uma reunião urgente da OIC - Organização da Cooperação Islâmica - onde foi declarado que "Jerusalém oriental é a capital da Palestina", apelando-se a todos os países para que "reconheçam o estado da Palestina e Jerusalém oriental como sua capital ocupada."
Erdogan não perdeu tempo, apelando ao chefe supremo da Igreja Católica Romana na reunião da passada Segunda-feira para que ajudasse a Turquia e o mundo islâmico a "preservar o estatuto de Jerusalém."

"Precisamos de trabalhar conjuntamente para preservar o estatuto de Jerusalém" - disse Erdogan ao chefe do Vaticano, acrescentando: "As mensagens sobre esta questão que entregar ao mundo católico serão muito importantes."

UMA MACABRA E TEMÍVEL ALIANÇA
A Turquia é actualmente a nação que preside à OIC, uma coligação de 57 países muçulmanos. O islamismo é actualmente a segunda maior religião do mundo, com cerca de 1,6 biliões de seguidores, e uma aliança com o Catolicismo, que representa cerca de 1,2 biliões de seguidores poderá constituir uma força enorme para fazer avançar uma agenda anti-Israel no que concerne a Jerusalém. 
Apesar de o Vaticano não ter exército, há que lembrar o poderio militar da Turquia, o maior de toda a região.

PRENÚNCIO DA VINDA DO MESSIAS?
Segundo alguns rabinos influentes em Israel, esta estranha aliança entre o catolicismo e o islamismo poderá ser um prenúncio da manifestação do Messias. Estas deduções baseiam-se em antigas profecias emitidas por um sábio rabino do século 18, alegando que esta aliança era um passo necessário para o processo do Messias. Apesar de ambos os poderes terem andado séculos em guerra por causa de Jerusalém, a obra do rabino aponta para o tempo actual como sendo "um tempo de redenção", em que Ismael e Esaú (representados pelos seus descendentes) comparecerão juntos às portas de Jerusalém. 

"ANJO DA PAZ"
Profecias aparte, a verdade é que o chefe católico ofereceu ao líder turco muçulmano um medalhão em bronze com a representação do "anjo da paz" abraçando o hemisfério Norte e o Sul, ao mesmo tempo que vencendo um dragão. 
"Este é o anjo da paz que estrangula o demónio da guerra" - afirmou Francisco I a Erdogan quando lhe entregava o presente. "(É) um símbolo de um mundo baseado na paz e na justiça."
Não sei se ao entregar tal "atributo" a um cruel carrasco assassino como é o ditador turco, o chefe católico estaria detentor das suas faculdades mentais...
Já em Maio de 2015 o mesmo líder católico tinha oferecido uma "distinção" idêntica ao criminoso terrorista palestiniano Mahmoud Abbas, alegando nessa altura que o "anjo da paz" estava "destruindo o mau espírito da guerra", elogiando então Abbas como "um anjo da paz."
Termino confessando que nunca pensei ver o mundo tão louco como agora...

Shalom, Israel!




6 comentários:

Victor Nunes disse...

Kkkkkk Satã se disfarça de anjo de luz

Olga disse...

Será que o papa sabe que há cristãos sendo mortos e perseguidos,torturados em países islamicos onde a bíblia em muitos deles, é proibida? Será que o papa sabe que há pessoas morrendo por NÃO NEGAREM A FÉ; igrejas incendiadas, crianças exploradas?
Ah, desculpe o papa não se importa com cristãos... os cristaos verdadeiros sabem quem o papa representa!
O papa representante de milhões de pessoas (católicas romanas) que vivem no engano... E o engano é a arma principal do anticristo! Então nada mais antinatural/natural do que a união muçulmanos,/"cristãos"...
Precisamos crer que os remanescentes (Igreja de Cristo) irão brilhar nestes últimos dias! Os dias são maus!
Chorem os sacerdotes, ministros do Senhor, entre o alpendre e o altar e diga: Poupa o teu povo, ó Senhor, e não entregues a tua herança ao óproprio, para que as nações façam escárnio dele; porque diriam entre os povos: Onde está o seu Deus?
Joel 2:17
Eu deveria ter começado pelo início Joel 2:1
Tocai a buzina em Sião e clamai em alta voz no monte da minha santidade; pertubem-se todos os moradores da terra, porque o dia do Senhor vem, ele está perto.
Shalom Israel!
Olga

Hero' Rangel disse...

Sao dois inimigos se fingindo de amigos.
No fundo no fundo, estao se unindo para juntarem forças contra Israel, pois o principal objetivo é se apoderar de Jerusalém.
Um cego guiando outro.
Se conseguissem, depois iriam separarem-se e lutarem entre si visando Jerusalém, ou seja, interesse politico, econômico e religioso. Como Jesus disse " rasa de víbora".
Por outro lado, nada a nos surpreender . Afinal foi um papa o principal patrocinador financeiro de Adolf Hitler. Obgjetivo? Se
apossar de Jerusalém (Papa).
Creio estarmos ante a última semana de Daniel.
O leão da tribo de Judá está voltando.

Ora vem Senhor Jesus.

Shalon Israel.

Felipe de Souza Xavier disse...

Jesus disse que nos últimos dias coisas espantosas aconteceria.
Essa aliança maligna é muito espantosa mais cheia de significados claros e perturbadores para Israel.
A grande meretriz terá sua carne comida pelos reis da terra.
Em outras palavras podemos dizer que será destruída pelos governantes tá terra.
Mas vejo algo de muito positivo nessa aliança. Um sinal do final dos tempos. A igreja de Cristo a noiva do cordeiro que se prepare pois o Noivo breve virá buscá-la.
Mas como a irmã Olga citou acima
Oremos por Israel e pedimos ao Senhor que não esqueça do teu povo.
Mas de uma coisa tenho certeza o Senhor nunca abandonou Israel. E não será dessa vez.
Por que foi profetizado de Sião virá o libertador.

Ruben MANUEL PEREIRA Fontoura e Celeste Maria Morais Gonçalves Fontoura. disse...

Este Erdogan tem se destacado de uma maneira profética. Vale a pena seguir com atenção o seu percurso. Será ele o antiCristo?...

Felipe de Souza Xavier disse...

Se seguirmos as escrituras bíblicas vamos ver que ele não tem as características do anti-cristo.
A bíblia deixa claro que o anticristo aparecerá sem muito reconhecimento sem muito alarde.
Esse Erdogan na verdade quer se tornar um líder islâmico. Ele terá algum papel importante nos fins dos tempos por ser hoje quem ele é.
Mas o anti-cristo não.