segunda-feira, agosto 17, 2015

DESCOBERTA A CIDADE DO GIGANTE GOLIAS

Mais uma descoberta arqueológica que vem comprovar a veracidade dos relatos bíblicos, contestados pelos ignorantes, mas cada vez mais reconhecidos como verídicos e confirmados pela arqueologia.

A famosa história do confronto entre o jovem franzino judeu David e o gigante filisteu com 3 metros de altura Golias é sem dúvida parte do património cultural da humanidade, uma aventura acarinhada por milhões, tema de filmes, pinturas, enfim...uma das mais conhecidas histórias da Bíblia que tanto tem fascinado crianças, jovens e adultos ao longo de gerações.
A história tem no entanto sido contestada pelos liberais que alegam não haver qualquer evidência histórica ou arqueológica extra-bíblica que confirme a mesma.

Até agora...

Os arqueólogos israelitas escavaram agora aquilo que acreditam ser o enorme portão de entrada de Gate, a cidade natal do gigante Golias. Uma equipa técnica da Universidade Bar Ilan calcula que as ruínas da antiga cidade filisteia datam do 10º século a.C. Duas inscrições descobertas no local revelam nomes semelhantes ao de Golias, acrescentando assim mais peso à teoria. O sítio actual, chamado de Tell el-Safi, tem sido habitado continuamente ao longo de 5.000 anos e tem desde 1989 sido o foco de contínuas escavações arqueológicas. Foi só agora no entanto que se descobriu a enorme extensão destas ruínas da idade do ferro.
"Nós sabíamos que a filistéia Gate era uma grande cidade nos séculos 10º e 9º a.C., talvez até a maior naquela época" - afirmou o líder das escavações, professor Aren Maeir, acrescentando: "Estas fortificações monumentais confirmam o quão importante e poderosa era esta cidade."
A maioria dos peritos acredita que esta cidade filisteia foi cercada e arrasada em 830 a.C. por Asael, rei de Aram, Damasco.
O portão de entrada agora descoberto tem sido descrito como o maior dos seu género até agora encontrado, sendo parte de enormes e extensas fortificações, indicando assim a importância da cidade.
Os arqueólogos encontraram também no local obras em ferro e um templo filisteu próximo ao portão monumental, juntamente com alguma porcelanas. Exames feitos às porcelanas revelaram influências filisteias e israelitas, indicando ter existido uma maior interacção entre as duas culturas do que até aqui se pensava. 
"Isto espelha as conexões intensas e multifacetadas que existiam entre os filisteus e os seus vizinhos" - informou Maeir.
E como se não bastasse a descoberta do portão gigantesco, os arqueólogos encontraram também evidências de um terramoto catastrófico ocorrido no 8º século a.C., que a equipa técnica acredita ser o mesmo descrito no livro do profeta Amós.

Shalom, Israel!

4 comentários:

Benaiah Cabral Ben Avraham Leiehouah יהוה The Liger disse...

A Bíblia'judaica cristã' é, independente de sagrada, o maior documento exato e coerente de toda humanidade. Os críticos dela estão a milhares de ano luz da sua imponente e prática natureza.

Sergio Souza disse...

Até quando o mundo vai ficar duvidando, dos tempos relatos bíblicos... Será que iram esperar pelo Apocalipse..... Aí será tarde.

Sergio Souza disse...

Até quando o mundo vai ficar duvidando, dos relatos bíblicos... Será que iram esperar pelo Apocalipse..... Aí será tarde.

Fernando Moreira disse...

Dúvida, fora os "arqueologos" dessa cidade alguém de fora, de outro país teve acesso as ruinas, para assim poder atestar tal veracidade?