quarta-feira, dezembro 09, 2009

ISRAEL NÃO IRÁ TRANSFERIR A SALA DO "CENÁCULO" PARA O VATICANO

Uma delegação israelita parte hoje para Roma para resolver a disputa de há mais de uma década concernente aos locais sagrados que a Igreja Católica quer que Israel transfira para propriedade do Vaticano. O estado judaico está preparado para assumir compromissos relacionados com impostos e expropriações, mas afirma que a "sala do Cenáculo" no Monte Sião não está aberta a negociações.
Como se sabe, esta sala "de cima" no Monte Sião, está logo acima do túmulo do rei David e é o local onde a tradição afirma que se deu a Santa Ceia e onde o Espírito Santo desceu sobre os 120 discípulos reunidos 50 dias após a ressurreição de Jesus.
Quem vai a Israel pode verificar como a Igreja católica e ortodoxa desconfiguraram os locais considerados sagrados, construindo igrejas sobre os mesmos, enchendo os locais de velas e outras parafernálias que descaracterizam completamente os locais. Tal como acontece com a sala do Cenáculo, Israel tem mantido o seu traçado original da época da Idade Média, sendo que a possibilidade de a Igreja católica ter aquele local como propriedade traria as imagens, ícons e outras desconfigurações que prejudicariam obviamente a imagem de um local que se quer o mais parecido possível com o que seria nos tempos do Salvador.
Esperamos que Israel se mantenha firme neste propósito, uma vez que se tem visto que só Israel tem conseguido preservar os locais sagrados segundo os seus traçados originais (conforme foram achados) sem os desconfigurar com edifícios ridículos, como aquele "mamarracho" que construíram por cima da casa da sogra de Pedro em Cafarnaum...
Shalom, Israel!

2 comentários:

DR disse...

A arqueologia defende a manutenção das descobertas de forma a serem vistas da maneira mais semelhante ao original, quer isto dizer, pode-se fazer reparações mas sempre mantendo o aspecto original, nunca alterando senão que valor passa a ter? Para isso faziam algo que fosse o que tinham em mente e não alteravam o original. O alterar da realidade e posteriormente usar essa alteração para comprovar factos fictícios, criados por quem quer criar uma realidade inexistente, é ser mentiroso e levar outros a crerem nas mentiras. Por favor Israel, vocês são os originais, Jesus veio enxertar a Igreja na árvore original mas a Igreja não pode alterar a realidade fazendo-a à sua maneira.

DR

josé Carlos - Sjc - SP - BR disse...

Concordo, fui a Cafarnaun e vi aquela aberraçao construida pelos fransciscanos descaracterizando e praticamente obstruindo a visão do local sob aquele monte de concreto totalmente deslocado da cena local.