sábado, julho 23, 2011

FUNDAMENTALISTA CRISTÃO?



O hediondo massacre que tem horrorizado o mundo nestas últimas horas merece todo o nosso repúdio e consternação, ao mesmo tempo que nos deve levar a reflectir profundamente sobre o significado e a essência do assim-chamado "fundamentalismo".

Os órgãos de comunicação social não se têm cansado de repetir a "rotulagem" feita ao monstro loiro de olhos azuis, como "cristão fundamentalista". Ora esta rápida forma de "etiquetar" um indivíduo que se acha detentor de uma crença e que age sustentado pela mesma é perigosa na sua aplicação, uma vez que há "crenças" e "crenças", "fundamentalismos" e "fundamentalismos". Ainda mais quando esse "fundamentalismo" se rotula de cristão.
Analisando mais concretamente a questão, podemos concluir que toda a crença tem fundamentos, de outra forma não o seria. Mas é a forma como lidamos com ela e a tentamos impôr aos outros que marca a diferença entre "fundamentalismo" e "radicalismo".
Um cristão verdadeiramente fundamentalista assenta a sua crença e prática nos fundamentos ensinados pelo Mestre, ou seja: o amor, o respeito pelo próximo, a tolerância, a filantropia, a prática do bem, enfim: tudo aquilo que o monstro norueguês ignorou e repudiou. O rabi Jesus chegou ao ponto de ensinar os Seus seguidores a "darem a outra face" e a "orarem pelos seus inimigos". Tudo aquilo que Ele ensinou e praticou são os fundamentos de uma crença onde a fé e a vivência de milhões de cristãos assenta e de onde as suas vivências diárias são alimentadas.
Anders Behring Breivik é o paranóico que a sangue frio revela a sua verdadeira identidade e sentido de vida: a intolerância, o desrespeito, o radicalismo. Em nome de um "direito" que a nenhum ser humano deve pertencer. Ou seja:não permitir a opção do próximo. Não aceitar que ele possa sequer existir. Esse foi o problema de Hitler, de Estaline, de Osama Bin Laden e de tantos outros monstros da História.
Esse monstro europeu nada tem de cristão, como nada têm de verdadeiros muçulmanos aqueles que se fazem explodir acompanhados de dezenas ou centenas de vítimas inocentes.
Será por isso precipitado rotular as pessoas de forma tão linear e redutora, em prejuízo de tantos milhões de seguidores e promotores do bem e da paz e que são verdadeiramente "fundamentalistas" na essência e no benefício das acções que promovem, na perseguição e prossecução do bem e da harmonia que defendem entre os seres humanos, ao contrário dos "radicais", sejam eles de que origem for que são incapazes de entender o direito ao próximo de ser diferente, não só naquilo que ele não pode mudar - como a cor da pele, a raça ou a ancestralidade - mas em especial naquilo que ele julga ser o mais acertado modelo de vida e conduta na sociedade deste tão fragilizado e adoecido planeta.
Shalom para todos! 

3 comentários:

AVELINO VIEIRA disse...

Caro Normando,
Subscrevo inteiramente este seu escrito.
Abraços.
AV

Anónimo disse...

http://bonanisimbanananao.blogspot.com/2011/07/bajulacoes-constantinas-lactancinas.html

Anónimo disse...

http://bonanisimbanananao.blogspot.com/2011/07/bajulacoes-constantinas-lactancinas.html