quinta-feira, dezembro 18, 2014

UM DIA NEGRO NA HISTÓRIA DA EUROPA

O dia de ontem - 17 de Dezembro - foi fértil em notícias preocupantes, em especial no que concerne a Israel e à sua relação com as nações europeias. 

1 - TRIBUNAL EUROPEU MANDA REMOVER O HAMAS DA LISTA DOS GRUPOS TERRORISTAS
Logo pela manhã soubemos que o Tribunal Europeu tinha ordenado a remoção do Hamas da lista europeia dos grupos terroristas, ou seja, os legisladores passam a tratar o grupo terrorista islâmico - cujo único objectivo é a aniquilação total do estado de Israel - como um grupo de resistência, e não mais como um grupo de terror...
Reagindo a tão ignóbil decisão, o primeiro-ministro de Israel Benjamin Netanyahu criticou severamente a Europa, fazendo uso da memória histórica, ao mencionar o esquecimento aparente dos 6 milhões de judeus assassinados em território europeu.
Federica Mogherini, a alta representante europeia para as relações exteriores, veio entretanto colocar "água na fervura", afirmando que o Hamas deve continuar na "lista negra" europeia das organizações terroristas.
Participando numa recepção da festa judaica "Hanuká" realizada na Comissão Europeia, em Bruxelas, a comissária europeia realçou a necessidade de se combater o anti-semitismo, acrescentando que o mundo deveria aprender com o exemplo dos macabeus (os resistentes judeus à helenização da Judeia).
Mogherini prometeu ainda aos judeus ali presentes que a União Europeia iria apelar à decisão do Tribunal de forma a assegurar que o Hamas seja novamente incluído na "lista negra" dos grupos terroristas.
É uma verdadeira atitude de imbecilidade dos legisladores europeus, um verdadeiro gesto de aceitação do terrorismo como forma de luta. Numa altura em que as povoações israelitas vizinhas da Faixa de Gaza testemunham preparações militares nocturnas do Hamas, incluindo testes com rockets, disparos e explosões, antecipando uma nova onda de ataques contra Israel, os juízes do Tribunal Europeu tratam este grupo terrorista em tudo semelhante ao "estado islâmico" com bondade e consideração...!
Confirmou-se entretanto que as operações e treinos militares actuais em Gaza são as maiores desde a última intervenção naquele território.

2 - PARLAMENTO EUROPEU VOTOU A FAVOR DO RECONHECIMENTO "EM PRINCÍPIO" DE UM ESTADO PALESTINIANO
Com 498 votos a favor, 88 contra e 111 abstenções, o Parlamento Europeu reunido ontem em Estrasburgo, França, votou também a favor de uma resolução "em princípio" de "um compromisso de reconhecimento de um estado palestiniano."
Devido à controvérsia, debate calorosos e discussões durante o plenário com os partidos de centro-direita, os deputados de esquerda que fizeram a proposta emendaram a mesma, de forma a atenuar os seus efeitos, acrescentando que a resolução de reconhecimento "acompanharia lado a lado" as conversações de paz entre israelitas e palestinianos.

3 - QUARTA CONVENÇÃO DE GENEBRA CONDENA ISRAEL
E como se não bastassem estas preocupantes decisões, Israel foi ontem mais uma vez condenado na 4ª Convenção de Genebra, uma reunião que prima pelo anti-semitismo, e como tal desconsiderada por países como o Canadá, EUA e a Austrália. Os países reunidos nesta conferência condenaram a actividade de construção de aldeamentos na Judeia, Samaria e na capital Jerusalém, alegando que essa prática "viola as responsabilidades de Israel como potência ocupante."

4 - PROPOSTA PALESTINIANA NAS NAÇÕES UNIDAS
Ontem ainda a Jordânia apresentou aos 15 membros do Conselho de Segurança das Nações Unidas uma proposta de resolução para forçar Israel a retirar dos territórios "ocupados" em 1967, propondo levar o estado judaico a ter de abandonar grandes partes da Judeia, Samaria e até a repartir Jerusalém com os palestinianos até ao final de 2017.
A ironia desta proposta é ela mencionar o apelo à "paz" entre israelitas e palestinianos, quando se sabe que o efeito da mesma será exactamente o oposto...
A grande questão neste momento é saber qual a posição dos Estados Unidos, uma vez que se anseia que o "amigo americano" use do direito de veto e impeça o avanço desta resolução, que a ser aceite, colocaria em risco a própria sobrevivência de Israel.
A votação poderá ser realizada em 24 horas, adiada, ou até protelada "ad eternum", como já tem acontecido no passado.
O ministro dos Negócios Estrangeiros israelita, Lieberman, já considerou a proposta como "um artifício", alegando que sem o consentimento de Israel nada irá mudar no terreno.

Este caminho delineado pela União Europeia acarretará o seu próprio prejuízo. Não classificar o Hamas como grupo terrorista é um atentado à moral e aos princípios que durante séculos sustentaram a Europa na linha da frente do respeito pelos direitos humanos. 
Obrigar Israel a dividir a sua Terra é uma verdadeira promoção do terrorismo islâmico. Sabe-se perfeitamente pela História que de cada vez que Israel entrega terras aos palestinianos nada melhora, antes pelo contrário, intensificam-se os ataques terroristas contra as populações israelitas. Gaza é o perfeito exemplo disso.
Mas este é um caminho irreversível, já anunciado pela Palavra de Deus. 
Duas verdades importa no entanto salientar: primeiro, Israel vai sobreviver. Segundo, os inimigos de Israel vão cair por terra.
Não sou eu que o digo: é a Palavra de Deus que o garante. 
Assim seja!

Shalom, Israel!

 QUER CONTRIBUIR PARA ESTE MINISTÉRIO?
Se desejar contribuir com alguma oferta para encorajar o nosso ministério, ficaremos imensamente reconhecidos!

Para fazer qualquer contribuição, pode usar o sistema mundial de transferências "paypal", completamente seguro, bastando para tal clicar no pequeno rectângulo na coluna à direita onde diz "Doar", logo abaixo do anúncio dos DVDs. Obrigado!

9 comentários:

Espaço Bíblico disse...

Em parte estou feliz com as notícias deste ilustre site, em parte não.

Feliz, porque as Escrituras estão se cumprindo na íntegra.

Todas as nações se ajuntarão contra Israel, para finalmente, destruí-la, mas as nações inimigas não conseguirão.

Feliz, porque estes fatos serão decisivos para a volta de Jesus, o Messias, O Fiel de Israel.

Em parte triste, porque isto custará as vidas de muitos inocentes, infelizmente, de ambos os lados.

Portanto, assim como o Messias teve os Seus dias de agonia rumo à crucificação e, em seguida, a Sua ressurreição e glorificação, também, o momento de agonia se aproxima para Israel, para em seguida, ser completamente restaurado e reinar absoluto com o Seu Messias.

Elias disse...

Literalmente o objetivo é "espalhar o poder do Povo Santo", conforme está escrito em Daniel 12.
E ENTÃO ... "E ouvi o homem vestido de linho, que estava sobre as águas do rio, o qual levantou ao céu a sua mão direita e a sua mão esquerda, e jurou por aquele que vive eternamente que isso seria para um tempo, tempos e metade do tempo, e quando tiverem acabado de espalhar o poder do povo santo, todas estas coisas serão cumpridas." Daniel 12:7
... VIRA O FIM. ALELUIA E GLORIAS AO DEUS TODO PODEROSO E NOSSO SALVADOR JESUS CRISTO. AMÉM

Olga disse...

A União Européia está sendo mais uma vez hipócrita. Basta um "simples" atentado em um dos seus territórios para que decidam mudar de ideia, afinal, como diz um amigo meu... A teoria na prática é outra!
Falar que Israel precisa conviver com ações terroristas diárias, precisa expor sua população a homens bombas, foguetes, a indivíduos que foram doutrinados desde crianças a matar, é fácil... Se grupos extremistas que expoem sua própria população ao terror, que entram em sinagogas e matam pessoas que estão desarmadas orando, que investem com carros contra mulheres e crianças não são classificados como terroristas, quem será? Moralmente estamos vivendo num mundo falido! É claro que sempre existiu coisa ruim e gente ruim no mundo! Mas, agora o padrão a ser seguido é este! É por isto que creio que estamos vivendo os últimos dias. O copo precisa transbordar... Não dá mais para engolir! Acho que num dado momento o próprio Deus diz: Basta! Seja forte Israel! Deus é contigo!
Shalom Israel!
Olga

Olga disse...

Vamos falar um pouco de terrorismo, perseguição religiosa, etc;... A Arabia Saudita é parceira de qual país mesmo? Estados Unidos da América! Vejam o que estão fazendo com os cristão... "A Arábia Saudita é o “berço” do Islamismo, tendo em Meca a cidade mais sagrada desta religião. Já é proibido aos não muçulmanos entrarem naquela cidade. De modo geral, a perseguição religiosa só aumenta. Não há igrejas conhecidas e a maioria dos cristãos naquela nação são imigrantes estrangeiros.
Agora, o governo do país que já se diz regido pela lei sharia, anuncia modificações em uma lei sobre literatura. Isso poderá marcar o fim do cristianismo na região. O motivo é simples: está prevista pena capital para quem carregar Bíblias para dentro da Arábia. Ou seja, o que já era considerado contrabando, agora chega ao extremo. Não se pode comprar legalmente uma cópia das Escrituras por lá."
"...O portal WND entrou em contato com a embaixada da Arábia Saudita para confirmar as mudanças na lei, mas a resposta oficial é que não haveria comentários. Por ser um importante parceiro comercial dos EUA, a Arábia raramente recebe cobertura negativa da imprensa."
Cadê o clamor internacional contra barbáries como esta?
Bem, num mundo regido por interesses comerciais, financeiros... o que menos importa é a morte de milhares de crianças, mulheres, idosos... E, o pior homens! Quando falo pior não é porque são melhores, mas porque são essenciais! O mundo carece deles! E, o diabo sabe disso!
Shalom Israel!
Olga

Olga disse...

Fonte citada no comentário anterior:
http://noticias.gospelprime.com.br/arabia-saudita-pena-morte-biblia/

Cesar Augusto Cabral Arevalo Iehouah disse...

A bem dizer, a Europa faleceu. Que Israel fortaleça sua fé tanto judaica como cristã, pois para muitos cristãos, o foco é o mesmo de Genesis 1:1 e 2:4, bem como um sentido apurado e holístico de equilíbrio. Na América, Obama anela por impor mais nuances antissemitas. Massada não israelenses, o foco é Chanuká.

Marion Vaz Brazil disse...

Terrorista é sempre terrorista e em breve um grupo extremista desses vai se utilizar a porta europeia aberta e mostrar o que realmente são capazes, enfim... É só aguardar. Quanto a divisão do território Israel nao deve e não precisa acatar nenhuma resolução, embora eu acredite que as relações comerciais e políticas com outros países seja importante para Israel, não para pleno desenvolvimento deste, mas dos demais. Em questão da "paz" mencionada no artigo parece mesmo uma piada. Palestinos não querem paz com Israel, comunidades ou pró israelenses. Isso é fato consumado, todo resto é demagogia, coversa fiada. Quanto aos comentários que usam profecias apocalíticas mencionadas neste e demais artigos que invocam medo e terror para Israel para que venha o "FIM" ... Prefiro, na geração presente, ficar com esta profecia: "E verás o bem de Jerusalém, sobre os filhos dos teus filhos e a paz sobre Israel todos os dias da tua vida" Amém.

Marion Vaz Brazil disse...

Eu queria pedir desculpas pela maneira como coloco minha opinião. Às vezes eu exagero mesmo e sou até mal interpretada. Mas quando se trata de Israel tenho minha própria conduta. E fico mesmo indignada com essa gente decidindo sobre o território israelense como se o Governo de Israel nao tivesse competência para o pleno desenvolvimento do país. A solução mais prudente agora é orar. E é o que faço todos os dias por Israel. Todas as manhãs eu me coloco na "brecha" por Israel, pelo meu povo e peço a D-US uma bênção especial para cada cidade, para Jerusalém, para essa nação que eu tanto amo. Que D-US levante pessoas com esse mesmo sentimento para orar e clamar, independente de crença, conceito teológico, a favor de Israel e do povo judaico. Não projetando o "Fim" mas dando continuidade a essa geração. Shalom Hakol Israel.

Olga disse...

Estes dias conversando com uma pessoa de uma determinada religião ela falava sobre Deus... Então, eu perguntei? De qual Deus estamos falando? Se estamos falando do Deus da bíblia precisamos ler a bíblia para conhecê-lo. Lá há palavras vivas que nunca passarão... Agora eu creio no novo e velho testamento! Não exatamente nesta ordem... E, segundo o que lá está escrito o fim vem... Mas, o que é o fim? Vamos ler a bíblia que, talvez, possamos entender... Não importa nossa religião, não é assim? Ou, importa?
"E, se sois de Cristo, então sois descendência de Abraão, e herdeiros conforme a promessa." Gálatas 3:29
Eu também oro por Israel e Jerusalém!
Shalom Israel!
Olga