sábado, março 12, 2011

CARNICEIROS DE GAZA FESTEJAM MASSACRE DE FAMÍLIA ISRAELITA

Enquanto a nação israelita está de luto pelo bárbaro assassinato de uma família de 5 pessoas, incluindo 3 crianças, esta madrugada, enquanto dormiam na sua casa na cidade de Itamar, os residentes de Rafah, em Gaza, vieram para a rua oferecendo doces uns aos outros, manifestando regozijo pela assassinato dos 5 israelitas.
O próprio primeiro-ministro palestiniano, Salam Fayyad, afirmou "denunciar clara e firmemente o ataque de terrorismo, tal como tenho denunciado crimes contra os palestinianos."
Durante uma visita a Belém, Fayyad acrescentou: "Somos contra todo o tipo de violência. A nossa posição não se alterou. Tal como temos dito muitas vezes antes, opomo-nos categoricamente à violência e ao terrorismo, independentemente da identidade das vítimas ou dos autores."
As Forças de Defesa de Israel já detiveram 20 suspeitos nas aldeias vizinhas. O ministro da Defesa já pediu aos líderes dos assentamentos judaicos para agirem "responsavelmente" e pediu à liderança palestiniana que denunciasse o ataque terrorista contra 5 pessoas indefesas, incluindo 3 crianças.
Mas Ron Nachman, prefeito da cidade de Ariel, na Samaria, chegou esta tarde ao local do crime e expressou revolta em relação à conduta do governo e do ministro da defesa: "Temos que encontrar os responsáveis pelo ataque e dar-lhes a pena de morte. Não me consigo recordar de um ataque tão horrendo como este" - desabafou. 
Ainda não está confirmada a autoria do crime, mas o braço armado da Fatah, as chamadas "Brigadas Mártires Al-Aqsa" reivindicaram a autoria do atentado. Uma célula terrorista terá conseguido ultrapassar a barreira - uma sebe cujo sistema de alarme eléctrico não funcionou - para entrar no aldeamento de Itamar e perpretar o ataque.
Um dos porta vozes do Hamas afirmou que "nós, no Hamas, apoiamos completamente a resistência contra os habitantes que matam e usam de crimes e terrorismo contra o povo palestiniano sob os auspícios dos soldados de ocupação israelita".
As crianças assassinadas tinham respectivamente 11, 3 anos e uma 2 meses. Netanyahu afirmou entretanto, referindo-se aos palestinianos: "Uma sociedade que permite tais incitamentos selvagens acaba por promover o assassínio de crianças." Netanyahu referia-se obviamente à promoção do terrorismo feita pelos palestinianos nas mesquitas e através da comunicação social.
Espero que o mundo possa ver a "raça" dos tais habitantes de Gaza - verdadeiros animais selvagens - que festejam o assassinato de inocentes crianças, e aprenda que com essa "raça" não se conseguirá nunca viver em paz! Não nos convencem as palavras do primeiro ministro palestiniano, que não são nada mais que retórica para o mundo ouvir, mas que não têm nada a ver com a realidade das práticas daqueles cujo objectivo final é a completa aniquilação dos judeus em Israel.
Claro que mais uma vez as "nações civilizadas" se remeterão ao silêncio. Afinal, são só judeus... Se contudo se tratasse de crianças palestinianas, já não se falava de outra coisa. Já Israel estaria debaixo dos fusis dos movimentos de esquerda. Como sempre, quando se trata de Israel, o chamado "direito de justiça" internacional tende a estar do lado dos terroristas...
Shalom, Israel!

4 comentários:

New Oriente Médio disse...

Shalom!
Concordo contigo em numero, genero e grau...
veja meu blog http://shalom-israel-shalom.blogspot.com/

Israel

Geltha Dubon disse...

Uno minha dor à de vcs e que os assasinos sejam punidos e não tenham mais sossego na vida!!!!!!
Shabat Shalom!
Geltha(http://blogdagelha.blogspost.com)

FELIX.REZENDE2009 disse...

Gostaria que a Embaixada de Israel e a comunidade Judaica.Abri-se uma Sinagoga aqui em Goiânia-Go.Tem muitos Marranos, como gostaria de voltar as origens judaicas.Acho lindo as liturgias as orações tudo e excelente.

Anónimo disse...

Esse retórica belicista sua só ajuda ao incremento dos fundamentalistas (tais como vc) de ambos os lados, que acabam nessas tragédias. Os animais que fizeram isso não merecem nenhuma complacência, mas vc tb não passa de um anti-humanista e racista de merda.