segunda-feira, maio 04, 2015

MANIFESTAÇÃO ANTI-RACISTA EM TEL AVIV ACABA EM VIOLÊNCIA

Aquilo que começou como manifestação pacífica nas ruas de Tel Aviv degenerou em violentas confrontações entre manifestantes e a polícia, provocando cerca de 50 feridos e um caos difícil de gerir.
Os protestos tiveram como origem a alegada violência policial e racismo exercido contra as populações etíopes que vivem em Israel.
Um video exibido na semana passada mostrava um polícia e um voluntário das forças polícias atacando um soldado etíope israelita em Holon.
A exibição do video provocou demonstrações de protesto em Jerusalém na passada Quinta-Feira e em Tel Aviv durante a noite de ontem, Domingo.
Durante a manifestação de ontem, os protestantes atiraram pedras e garrafas de vidro contra os polícias, que responderam com granadas paralisantes e com disparos com canhões de água contra os manifestantes. 
Por volta da meia noite contavam-se já cerca de 50 feridos, sendo 23 deles polícias. 26 pessoas foram entretanto detidas.

Shalom, Israel!


3 comentários:

Anónimo disse...

Sempre fico com um pé atrás com essas "manifestações" contra racismo pelo mundo.No EUA, por exemplo o índice de brancos assassinados por negros é altíssimo e ninguém os acusa de nada. É fato de que a polícia americana tem cometidos erros, mas todos esse distúrbios na minha opinião tem origem ideológica.

Fabiana

Anónimo disse...

Fabiana, duas coisas são diferentes, bandidagem e racismo. Certo que nos EUA trata se de bandidagem o mesmo que acontece no Brasil. Mas para Israel o caso he de racismo. Essa he a minha inquietação, por que o povo que muitos de no's esperamos seguir o exemplo de salvação meter se no assunto de racismo?

Benaiah Cabral Ben Avraham Leiehouah יהוה The Liger disse...

Israel nunca foi e na Terra que se conhece nunca será isento de graves erros. O fato de seu papel singular histórico e sagrado não garante que deixarão de errar. Ainda assim imputar o comportamento de uns a todos é velha e fútil generalização. As dificuldades dos companheiros Etíopes são umas e as do Sobreviventes do Holocausto são outras. Mas são sociais. Sociedade é feito de quê afinal? Somente flores?