sábado, novembro 14, 2015

"ESTADO ISLÂMICO" DECLARA GUERRA À CIVILIZAÇÃO EUROPEIA


Sob os costumeiros gritos " ”Allahu Akbar” (Alá é grande), 3 operacionais islâmicos massacraram durante 10 minutos cerca de 80 pessoas reunidas para ouvir um concerto da banda metaleira norte-americana "Eagles of Death". Tragicamente, as anunciadas "águias da morte" soltaram-se e colheram o seu fruto...
O número de vítimas mortais do ódio islâmico na capital francesa na Sexta-Feira negra (13 de Novembro) já atingiu os 127, contando-se ainda centenas de feridos. Vários bombistas fizeram-se explodir perto do estádio de futebol onde se desenrolava um jogo amigável entre a França e a Alemanha, levando a que o próprio presidente francês, presente no espectáculo, tivesse de ser evacuado de helicóptero.
Toda esta onda de hedionda barbárie islâmica que incluiu a explosão de 7 homens-bomba, tiroteios em restaurantes e bares e o massacre sistemático de 80 reféns aglomerados dentro da sala de espectáculos "Bataclan"(já anteriormente ameaçada por alegadas ligações aos judeus) foi um bem orquestrado e "muito cuidadosamente organizado acto de guerra" contra a França, já reivindicado pelo "estado islâmico."
Foram 8 os operacionais muçulmanos, mas certamente muito mais os mentores e organizadores responsáveis por mais este massacre no coração da Europa.

A Europa não será mais a mesma. Vão ser necessárias semanas ou meses para digerir, reflectir e preparar medidas que possam precaver e resistir a tais barbáries. 
Os argumentos do "estado islâmico" de que "isto foi por causa da Síria" não chegam para convencer, muito menos justificar estes actos. Este foi um claro ataque contra a civilização ocidental, os seus valores e tradições humanistas, fruto da cultura judaico cristã.

De todo o mundo surgem mensagens de condenação e de solidariedade para com o povo francês, incluindo da Arábia Saudita e da própria Síria. As redes sociais estão inundadas de legítimas e sentidas mensagens de solidariedade para com a França.Há muito que Israel tem sido alvo deste mesmo ódio islâmico. Diariamente há judeus sendo atacados na sua terra, sem que o mundo, aparentemente tão solidário com o ataque aos valores e interesses ocidentais abra a boca em condenação. Por que será?
É que quando se trata de judeus e de Israel, a medida usada para aferir o sofrimento já é outra. O mundo "civilizado" julga-se no direito de escolher quem é que é digno de solidariedade, e quem pode ser esquecido, ainda que maltratado sem dó nem piedade.
Só que, não podemos esquecer que tanto a Europa, o mundo ocidental e Israel partilham as mesmas ameaças e sofrem as consequências dos mesmos ódios e desprezos pela vida humana e pelos valores civilizacionais construídos ao longo de séculos pela cultura judaico-cristã.
Sejamos então solidários para com todos aqueles que são vítimas do ódio islâmico, independentemente das alegadas (e injustificáveis) causas, sob pena de favorecermos uns e negligenciarmos outros que merecem e precisam dessa mesma solidariedade e apoio.


Shalom, Paris! 
Shalom, Israel!

3 comentários:

olga disse...

Eu estou muito triste com toda esta violência que está ocorrendo na França, pois as pessoas de bem se colocam sempre no lugar do outro. Mas, há violências que não são capturadas pelas imagens ou há imagens forjadas para gerar mais violência. Como, por exemplo, o atentado contra o povo de Israel... Realmente, acredito que se as autoridades dos paises ocidentsais tivessem logo desde do inicio uma outra postura contra grupos como o Estado Islamico não teríamos chegado a este ponto! Autoridades como a presidenta Dilma do Brasil pensa ser possível dialogar com terroristas! Será que ela realmente viu as imagens de terroristas decapitando seus reféns? E, o que dizer das imagens de ontem de jovens saindo correndo desesperados da casa noturna de Paris? Não devemos subestimar o mal, mas é isto que fazemos quando queremos ser mais justos que Deus e chamar de mal o que é bem e de bem o que é mal, infelizmente, isto parece o velho conceito dualista de mundo... E é! Não sou contra a nenhum país, ou cidadão estrangeiros, sou contra a políticas de estado que colocam toda a humanidade como reféns do terror. Se Israel protege o seu povo, parabéns! Que outros países sigam o exemplo. Se não querem ver muros construídos, derrubem sua cultura de morte!
Shalom Israel!
Olga

Paolo Hemmerich disse...

Será que agora a Europa irá rever os seus conceitos? Ou será preciso que algo mais grave ainda venha a ocorrer para que esses estúpidos abram os olhos? Desculpem minha revolta!!!

Shalom Israel

Luciano de Paula Lourenço disse...

O que está acontecendo na França é um aviso para os europeus: Mais islamismo, mais violência. O islamismo é uma ideologia violenta que mata 100 mil cristãos por ano. É de longe hoje a ideologia que mais assassina cristãos no mundo inteiro. É a maior máquina assassina da história da humanidade. Não existe islamita radical, existe, sim, o Islã. O que esses assassinos estão fazendo é simplesmente cumprindo o que o fundador de sua religião deixou escrito no Alcorão: "matar os infiéis", precisamente cristãos e judeus.
Veja só uma parcial de alguns mandamentos do livro sagrado muçulmano – O Alcorão (Extraído do site oficial do Islã no Brasil):
Sura 2:191 - Matai-os onde quer que os encontreis e expulsai-os de onde vos expulsaram, porque a perseguição é mais grave do que o homicídio. Não os combatais nas cercanias da Mesquita Sagrada, a menos que vos ataquem. Mas, se ali vos combaterem, matai-os. Tal será o castigo dos incrédulos.
Sura 4:91...capturai-os e matai-os, onde quer que os acheis, porque sobre isto vos concedemos autoridade absoluta.
Sura 9:5;29 - Mas quando os meses sagrados houverem transcorrido, matai os idólatras, onde quer que os acheis; capturai-os, acossai-os e espreitai-os... Combatei aqueles que não crêem em Deus e no Dia do Juízo Final, nem abstêm do que Deus e Seu Mensageiro proibiram, e nem professam a verdadeira religião...
Na Tradição Islâmica se encontra o seguinte: Fazei guerra, com sangue e extermínio, a todos que não creem em Deus (Alá)... Quando encontrardes com os infiéis, matai-os.(Hadith)
Se a Europa quiser sobreviver, tem de banir e expulsar o islamismo de suas fronteiras. Tem também de deportar os invasores islâmicos, que não terão pena de repetir em toda a Europa o que fizeram em Paris.