quarta-feira, janeiro 18, 2017

JÁ SE PREPARA EM ISRAEL VINHO ESPECIAL PARA O TERCEIRO TEMPLO

Dia após dia Israel está-se aproximando da realidade descrita há 2.500 anos atrás pelos profetas inspirados por Deus. 
Na semana passada foram oferecidas ao "Sinédrio Nascente" 30 garrafas de um vinho específico para uso no Templo de Jerusalém. A produção de vinho em Israel é um sinal precursor da vinda do Reino.
As uvas fazem parte das 7 espécies de produtos agrícolas com que Israel é especialmente abençoado:  "Terra que produz muito trigo e cevada, videiras e figueiras, romãzeiras, terra de oliveiras, de azeite e de mel" - Deuteronómio  8:8 .
A uva tem um significado muito mais bíblico do que muitos imaginam. O regresso da produção de vinhedos em Israel, que eram quase inexistentes durante o domínio islâmico devido à proibição do uso do álcool, está profetizado pelo profeta Miquéias como arauto da vinda do Messias:
"Mas assentar-se-à cada um debaixo da sua videira, e debaixo da sua figueira, e não haverá quem os espante, porque a boca do Senhor dos exércitos o disse" - Miquéias 4:4.

USO NO TEMPLO
O vinho era parte integrante das ofertas no Templo de Jerusalém. Ainda que fosse proibido para os sacerdotes beber vinho durante os sacrifícios, uma libação de vinho era oferecida no Templo a cada manhã como parte do serviço diário. Um quarto de hin de vinho era derramado sobre o altar.

TERCEIRO TEMPLO
Nas preparações para o Terceiro Templo, o rabi Hillel Weiss, porta voz do Sinédrio, procurou vinho que fosse kosher para uso no Templo. o vinho tem um estatuto especial no judaísmo, uma vez que é requerido para a celebração do Sábado, para festas tais como a Páscoa, e para rituais como o casamento e a circuncisão. Os requisitos para que o vinho de consumo diário seja kosher são bastante exigentes. Todo o processo, desde o esmagar das uvas até ao engarrafamento tem de ser executado por judeus que respeitem o Sábado.

UMA INDÚSTRIA FLORESCENTE
A produção de vinho já é uma indústria florescente em Israel, com centenas de adegas produzindo mais de 10 milhões de garrafas por ano. Mas a produção de vinho suficientemente sagrado para o Templo tem as suas restrições, sendo que a qualidade procurada pelo rabi Weiss não se encontra em todas as lojas.

Contrariamente ao que é habitual na produção das vinhas, as uvas para a produção de vinho a usar no Templo têm de estar junto ao chão e não ter qualquer espécie de produto químico, portanto terão de ser 100% orgânicas. Nenhuma máquina é usada em todo o processo, sendo as uvas pisadas pelos pés dos estudantes e a fermentação 100% natural, sem acréscimo de aditivos.

PRESENTE EM ISRAEL DESDE A ANTIGUIDADE
As evidências arqueológicas comprovam que já se produzia vinho em todo o Israel desde tempos antigos. Por todo o país são encontrados lagares de pedra, provando que já se produzia vinho em Israel milhares de anos antes de ele chegar à Europa.

"SINAL DA ERA MESSIÂNICA"
Para o rabi Weiss, o renascimento da indústria do vinho é um sinal da era messiânica: "A qualidade do vinho israelita, ausente do mundo desde há tanto tempo, é uma prova clara da relação entre o povo judeu e a Terra. O pináculo dessa relação será quando os judeus trouxerem o produto da terra ao Templo, como será o caso do vinho" - afirmou o rabi Weiss.

Shalom, Israel!

4 comentários:

Victor Nunes disse...

Isso é obra de Deus paz e prosperidade para Israel

HAVERIMBRIL SHALOM HAVERIMBRIL disse...

BARUCH HASHEM BE ADONAY SHEL ISRAEL. AM ISRAEL CHAY - SHALOM SOBRE JERUSALÉM.

Daniel oliveira disse...

Ótimo reportagem, parabéns
Sholom sobre Jerusalém

Daniel oliveira disse...

Ótima reportagem, parabéns
Shalom sobre Jerusalém