sábado, dezembro 30, 2017

ISRAEL ABANDONA A UNESCO DAQUI A UM ANO

Diz o ditado que cada um tem o que merece. Após ter sido tão maltratado e injustiçado pela UNESCO, Israel decidiu sair desta organização anti-semita no dia 31 de Dezembro de 2018, portanto daqui a exactamente um ano.
Dois meses depois de os EUA terem anunciado a sua decisão de sairem da UNESCO, Israel notificou agora formalmente a organização da ONU ligada à "cultura e à educação" - ainda que seja isso que mais lhe falta - a sua retirada da mesma.

"LAMENTO PROFUNDAMENTE"

Hoje mesmo a chefe da organização, Audrey Azoulay, confirmou ter recebido a notificação e partilhou a sua tristeza com a decisão israelita: "Lamento profundamente, e é minha convicção que é dentro da UNESCO e não fora dela que os estados podem melhor procurar ultrapassar as diferenças nos campos de competência da organização."

MAU COMPORTAMENTO
Israel tem mais do que razão para se retirar de uma organização que constantemente tem estado a adulterar os factos históricos em prejuízo de Israel, chegando ao ponto de apagar a ligação histórica e religiosa judaica a lugares sagrados, adulterando-as com alegadas ligações palestinianas. 
Para os tendenciosos responsáveis da UNESCO, não existe presença judaica no Muro Ocidental, no Monte do Templo e em outros lugares da herança judaica, mas sim uma ligação islâmica e palestiniana. O ridículo em tudo isto é que há 100 anos atrás nem sequer se falava no "povo palestiniano."
A retirada de Israel tem mesmo assim uma cláusula, permitindo a possibilidade de Israel rever a sua posição, caso a UNESCO também reveja os seus procedimentos e corrija os absurdos erros em que tem estado a chafurdar nesta matéria.

Shalom, Israel!

5 comentários:

Luciano Lourenço disse...

Quando li esta postagem, vibrei! Pensava que seria amanhã. Sinceramente, Israel demorou em sair dessa organização claramente antissemita.
Parabéns, Israel!

Edileuza Ferreira disse...

Verdade! Concordo, parabéns Israel

Ruben MANUEL PEREIRA Fontoura e Celeste Maria Morais Gonçalves Fontoura. disse...

A saída de Israel do bode Unesco já deveria ter sido. Não entendo tanta demora em certas decisões como esta.

Olga disse...

Como falamos aqui no Brasi:"Demorou"...
Eu sei que ha interesses governamentais que devem ser levados em conta para a tomada de determinadas decisões e, ha tambem muitas reuniões e jogo diplomático, mas, há o tempo do "basta"!
Que credibilidade tem uma organização como esta?
Estes dias eu estava meditando sobre o estado do mundo que vivemos... Aqui no Brasil, por exemplo, tem um evento, uma "festa" de jovens que ocorre nas ruas das cidades chamado "Pancadão"... é o simbolo máximo da ausencia do Estado e falta de autoridade geral... drogas, sexo, barulho altissimo pertubando os vizinhos que, geralmente, são trabalhadores, crianças, idosos...
Mas, por quê esta falta de atitude das autoridades, esta impotência?
Penso que o mundo ja esta sendo influenciado por um governo invisivel...
Não importa mais o que é certo e justo!
O que impera é a anarquia satanica!
Espero que Israel não queira se igualar a outras nações... Que saia mesmo desta babilonia e não deseje nem seus reis, nem suas leis!
Quem perde com a saida de Isrsel é a Unesco porque agora quem sabe ela pode se declarar como agencia de proganda nazista!
Talvez, esteja ate financiando os pancadões Brasil afora, pelo, menos fazendo propaganda do mesmo no exterior ou livros didaticos... Ela adora difundir "cultura bandida"..
Shalom Israel!
Olga

Olga disse...

Com relação ao que eu citei anteriormente sobre os "pancadões" , se uma igreja evangélica passa 5 minutos do horario todo munfo ja quer fecha-la, processar pastor, etc... geralmente, a lei é empregada apenas em cima daqueles que cumprem a lei! Não que as igrejas sejam perfeitas, mas, quase sempre respeitam horarios, constituiçāo, determinaçoes das autoridades, etc.
Guardadas as devidas proporções o mesmo se dá com Israel no Oriente Médio. É mais fácil para uma ONU condenar Israel do que um Hamas, Hesbollaz, Erdogan, Irā...
Infelizmente a inversão de valores é explicita mais somos nós que somos acusados de preconceituosos, tendenciosos, fanaticos...
Em breve nem isto que estou escrevendo será permitido!
Devemos nos preparar!
Shalom Israel!
Olga