segunda-feira, dezembro 18, 2017

EUA VETAM PROPOSTA DE RESOLUÇÃO DO CONSELHO DE SEGURANÇA DA ONU PARA REVERTER A DECISÃO DO PRESIDENTE DONALD TRUMP

Os Estados Unidos, através da sua representante na ONU, decidiu ir contra o voto favorável dos outros 14 membros do Conselho de Segurança da ONU, vetando uma proposta que pretendia reverter a decisão do presidente norte-americano.
Apesar de não ter sido mencionado o nome de Donald Trump nem dos Estados Unidos, a resolução expressava mesmo assim uma alegada "profunda tristeza pelas recentes decisões respeitantes ao estatuto de Jerusalém."
A proposta incluía também um apelo a todos os países para que se abstivessem de estabelecer missões diplomáticas em Jerusalém. 

REUNIÃO DO CONSELHO DE SEGURANÇA DA ONU
Reuniram-se hoje em Nova Iorque os 15 representantes do Conselho de Segurança da ONU. A reunião teve como propósito tentar inverter a decisão tomada há dias atrás pelo presidente norte-americano Donald Trump em mover a embaixada do seu país para Jerusalém, reconhecendo dessa forma oficialmente a Cidade como capital do estado de Israel.
Um pouco por todo o mundo, as reacções têm-se feito sentir, levando a que o Egipto tenha levado ao CS da ONU uma proposta de resolução que pretendia reverter a decisão de Trump.

REACÇÃO DE ISRAEL
"Nenhum voto conseguirá alterar a realidade de que Jerusalém será sempre a capital de Israel" - afirmou o embaixador de Israel na ONU, Danny Danon, em resposta à pérfida proposta que neste momento acabou de ser discutida e votada.
O teor da proposta visa retirar a Israel o direito a escolher onde é a sua capital: "Quaisquer decisões e acções que proponham alterar o carácter, estado ou composição demográfica da Cidade santa de Jerusalém não têm efeito legal, são vazias e nulas, e devem ser rescindidas de acordo com as resoluções relevantes do Conselho de Segurança."

"COMO UMA MACABEIA"
Assim que teve conhecimento do veto dos EUA, Netanyahu pronunciou-se de seguida, gravando uma mensagem de reconhecimento: "Obrigado, embaixadora Haley. Na (festa da) Hanukkah, falou como uma macabéia. Acendeu uma vela à verdade. Espantou as trevas. Uma derrotou a muitos. A verdade derrotou as mentiras. Obrigado presidente Trump. Obrigado, Nikki Haley."

VETO  DOS EUA
Para que esta resolução passasse, teria de ter pelo menos 5 votos a favor, o que não seria difícil, caso os EUA não fossem um dos 5 membros permanentes do Conselho de Segurança. 
A embaixadora dos EUA na ONU, Nikki Haley, tomou a esperada decisão, em conformidade com a de Donald Trump. Outra coisa não seria de esperar da administração norte-americana que se tem mostrado a mais amiga de Israel nestes últimos anos.
Nikki Haley tem demonstrado uma coragem e uma determinação pró-Israel talvez nunca antes vista em algum outro representante dos EUA na ONU. Sem papas na língua, expressou-se desta forma: "Os EUA não aceitarão que nenhum país lhes diga onde devemos colocar a nossa embaixada." E acrescentou: "Aquilo que hoje aconteceu no Conselho de Segurança é um insulto. Não será esquecido" - afirmou, condenando o Conselho pela sua obsessão com as resoluções anti-Israel.

FUROR ÁRABE
Um representante palestiniano classificou a decisão dos EUA como "inaceitável."

MEMBROS DO CONSELHO DE SEGURANÇA
Os outros 5 países com assento permanente no Conselho de Segurança e com direito de veto, mas que votaram a favor desta resolução são a China, a Rússia, a França e o Reino Unido. 
Os actuais membros não permanentes e que também votaram a favor da resolução anti-Israel são a Bolívia, o Egipto, a Etiópia, a Itália, o Japão, o Cazaquistão, o Senegal, a Suécia, a Ucrânia e o Uruguai. 

Shalom, Israel!

5 comentários:

Ruben MANUEL PEREIRA Fontoura e Celeste Maria Morais Gonçalves Fontoura. disse...

Esses idiotas tudo fazem para bloquear a realidade. Eles desesperam, nem dormem, atormentados com a ideia de que Jerusalém é mesmo de Israel. Divirto-me a ver estas notícias, nomeadamente com a fúria daquelas feras, que uma só mulher bastou para abafar.
Qual será a próxima cena deste circo? Estou desejoso de me continuar a divertir! E até nem pago nada!
Deus abençoe os Estados Unidos e Israel.

Olga disse...

A ONU deve expressar a mais profunda tristeza por não ser mais uma organização confiável!
Ela alega que os Estados Unidos está tomando partido de um lado do conflito Israel/Palestina... Mas, o quê a Onu tem feito nos últimos anos, inclusive, com o aval de presidentes americanos como Obama, senão tomar partido apenas de um lado?
A ONU deveria também expressar o mais profunda tristeza com o terrorismo se espalhando pelo mundo; com as ameaças atomicas vindas do Iră e Coréia do Norte e outras misérias que ela ONU, as vezes, promove!
Que Israel fortaleça suas forças de defesa!
Muitas pessoas espalhadas pelo mundo tambem expressam a mais profunda tristeza com organizações como a ONU!
O mundo está cada vez mais perigoso e menos confiável!
Por isso os judeus estão retornando para SUA TERRA cuja capital é JERUSALÉM!
Shalom Israel!
Olga

Victor Nunes disse...

Muito bom Deus está com Israel

Felipe de Souza Xavier disse...

Acabo de ler uma notícia que o presidente da Rússia o Putin. Está disposto a mediar o acordo de paz entre israel e Palestina. Ezequiel profetizou que no final dos tempos o Reino do Norte virá pelejar contra Israel. E essa atitude pegará a todos de surpresa.
A Rússia fez aliança com inimigos declarados de Israel Síria e Irá. E agora diz que será um mediador justo.
O palco sendo armado. Aguardemos irmãos breve teremos mais um sinal.

Victor Nunes disse...

A profecia de Jerusalém se tornar uma pedra pesada está começando a se cumprir estamos indo para consumação dos séculos