segunda-feira, novembro 01, 2010

ISRAEL - O RELÓGIO PROFÉTICO DE DEUS


Em resposta aos muitos pedidos, transcrevo na íntegra o meu estudo apresentado em 5 de Outubro passado durante o "VIII Encontro Nacional de Irmãos", na Tocha (Portugal)

ISRAEL – O RELÓGIO PROFÉTICO DE DEUS



A GRANDE DIÁSPORA
Deus ameaçara que o povo de Israel seria espalhado por toda a terra:
E o Senhor vos espalhará entre todos os povos, desde uma extremidade da terra até à outra; e ali servireis a outros deuses que não conheceste, nem tu nem teus pais; ao pau e à pedra. E nem ainda entre as nações descansarás, nem a planta de teu pé terá repouso; porquanto o Senhor ali te dará coração agitado, e desfalecimento de olhos, e desmaio de alma – Deut. 28;64-65.
Isto iniciou-se com a destruição do 1º Templo, a dispersão e cativeiro dos Judeus para a Síria e para a Babilónia.
A última fase da dispersão do povo de Israel deu-se com a destruição do 2º Templo, no ano 70 d.C. A morte do Messias levou a que as ovelhas de Israel fossem dispersas, segundo a profecia de Zacarias 13:7:
“Fere ao pastor, e espalhar-se-ão as ovelhas...”
O tempo final foi no ano 132 d.C. quando todos os últimos judeus foram expulsos de Jerusalém, suas casas arrasadas e o chão literalmente “pisado debaixo dos pés”, deixado para campo de lavoura.
Em 135 d.C. O imperador Adriano tentou apagar para sempre a memória dos judeus, mudando o nome de Israel para PALESTINA e o de Jerusalém para AELIA CAPITOLINA.
Durante quase 2000 anos os judeus não puderam voltar a Jerusalém, a cidade foi literalmente “pisada pelos gentios”(Lucas 21:24), e os judeus “ficaram poucos em número” (Deut. 28:62), foram “desarraigados da terra” (Deut. 28:63), “levados cativos para todas as nações” (Lucas 21:24) e “nem a planta dos seus pés teve repouso” (Deut. 28:65). Daí surgiu a famosa expressão: “o judeu errante”.

PROMESSA DE RESTAURAÇÃO
Deus no entanto não abandonou o Seu povo! Apesar da punição colectiva, houve uma promessa de restauração!
“...o Senhor teu Deus te fará voltar do teu cativeiro, e se compadecerá de ti, e tornará a ajuntar-te dentre todas as nações entre as quais te espalhou o Senhor teu Deus. Ainda que os teus desterrados estejam na extremidade do céu, desde ali te ajuntará o Senhor teu Deus, e te tomará dali; e o Senhor teu Deus te trará à terra que teus país possuíram, e a possuirás; e te fará bem, e te multiplicará mais do que a teus pais.” - Deut. 30:3-5.

A VISÃO PROFÉTICA DO VALE DE OSSOS SECOS – Ezequiel 37
1º - Israel volta na sua incredulidade -
“Estes ossos são toda a casa de Israel. Eis que dizem: os nossos ossos se secaram, e pereceu a nossa esperança; nós mesmos estamos cortados. Portanto, profetiza, e dize-lhes: Assim diz o Senhor Deus: Eis que Eu abrirei os vossos sepulcros, e vos farei subir das vossas sepulturas, ó povo meu, e vos trarei à terra de Israel.” Ezequiel 37:11-12
“Assim diz o Senhor Deus: Eis que Eu tomarei os filhos de Israel dentre os gentios, para onde eles foram, e os congregarei de todas as partes, e os levarei à sua terra.” - Ez. 37:21
“E habitarão na terra que dei a Meu servo Jacó, em que habitaram vossos pais; e habitarão nela, eles e seus filhos, e os filhos de seus filhos, para sempre.” - Ez. 37:25.
“Trarei do cativeiro Meu povo Israel, e eles reedificarão as cidades assoladas, e nelas habitarão, e plantarão vinhas, e beberão o seu vinho, e farão pomares, e lhes comerão o fruto. E plantá-los-ei na sua terra, e não serão mais arrancados da
sua terra que lhes dei, diz o Senhor teu Deus”
- Amós 9:14-15
“E vos tomarei dentre os gentios, e vos congregarei de todas as terras, e vos trarei para a vossa terra.” - Ezequiel 36:24.
2º – Israel será restaurada na sua fé -
E porei em vós o Meu Espírito, e vivereis, e vos porei na vossa terra; e sabereis que Eu, o Senhor, disse isto, e o fiz, diz o Senhor” - Ez. 37:14.
“E nunca mais se contaminarão com os seus ídolos, nem com as suas abominações, nem com as suas transgressões...e os purificarei. Assim eles serão o Meu povo, e Eu serei o seu Deus” - Ezeq. 37:23.
“Poupa o Teu povo, ó Senhor, e não entregues a Tua herança ao opróbrio, para que os gentios o dominem; por que diriam entre os povos: Onde está o seu Deus? Então o Senhor Se mostrou zeloso da Sua terra, e compadeceu-Se do Seu povo”. Joel 2:17, 18.
“Comereis abundantemente e vos fartareis, e louvareis o Nome do Senhor vossos Deus, que procedeu para convosco maravilhosamente; e o Meu povo nunca mais será envergonhado. E vós sabereis que Eu estou no meio de Israel, e que Eu sou o Senhor vosso Deus, e que não há outro...porque no monte Sião e em Jerusalém haverá livramento, assim como disse o Senhor, e entre os sobreviventes, aqueles que o Senhor chamar.” - Joel 2:26
“O Senhor bramará de Sião, e de Jerusalém fará ouvir a Sua voz; e os céus e a terra tremerão, mas o Senhor será o refúgio do Seu povo, e a fortaleza dos filhos de Israel” - Joel 3:16
“Mas Judá será habitada para sempre, e Jerusalém de geração em geração, e purificarei o sangue dos que Eu não tinha puruficado; porque o Senhor habitará em Sião” - Joel 3:20-21.
“Sobre a casa de Davi, e sobre os habitantes de Jerusalém, derramarei o Espírito de graça e de súplicas; e olharão para Mim, a quem traspassaram; e prantearão sobre Ele, como quem pranteia pelo filho unigénito; e chorarão amargamente por Ele, como se chora amargamente pelo primogénito...e acontecerá naquele dia, diz o Senhor dos Exércitos, que tirarei da terra os nomes dos ídolos, e deles não haverá mais memória; e também farei sair da terra os profetas e o espírito da impureza... e se alguém Lhe disser: Que feridas são estas nas Tuas mãos? Dirá Ele: São feridas com que fui ferido em casa dos Meus amigos” - Zacarias 12:10; 13:2; 13:6.
“Porventura rejeitou Deus o Seu povo? De modo nenhum...Deus não rejeitou o Seu povo, que antes conheceu...assim, pois, também agora neste tempo ficou um remanescente, segundo a eleição da graça... se a sua queda é a riqueza do mundo, e a sua diminuição a riqueza dos gentios, quanto mais a sua plenitude!” - Romanos 11:1, 2; 5; 12
“...o endurecimento veio em parte sobre Israel, até que a plenitude dos gentios haja entrado. E assim todo o Israel será salvo...” - Romanos 11:25, 26

3º – Israel servirá e obedecerá para sempre ao Senhor
“Levanta-te, resplandece, porque vem a tua luz, e a glória do Senhor vai nascendo sobre ti. Os gentios caminharão à tua luz, e os reis ao resplendor que te nasceu” - Isaías 60:1, 3.
“Porque a nação e o reino que não te servirem perecerão; sim, essas nações serão de todo assoladas... E todos os do teu povo serão justos, para sempre herdarão a terra; serão renovos por Mim plantados; obra das Minhas mãos, para que Eu seja glorificado. O menor virá a ser mil, e o mínimo uma nação forte; eu, o Senhor, ao seu tempo o farei prontamente.”- Isaías 60:12; 21-22.
“E dirás naquele dia: Graças te dou, ó Senhor, porque, ainda que Te iraste contra mim, a Tua ira se retirou, e Tu me consolas. Eis que Deus é a minha salvação, n'Ele confiarei, e não temerei, porque o Senhor Deus é a minha força e o meu cântico, e se tornou a minha salvação... e direis naquele dia: Dai graças ao Senhor, invocai o Seu nome, fazei notórios os Seus feitos entre os povos, contai quão excelso é o Seu nome...saiba-se isto em toda a terra.” - Isaías 12.
“Mas esta é a aliança que farei com a casa de Israel depois daqueles dias, diz o Senhor: Porei a Minha lei no seu interior, e a escreverei no seu coração; e Eu serei o seu Deus e eles serão o Meu povo. E não ensinará mais cada um a seu próximo, nem cada um a seu irmão, dizendo: Conhecei ao Senhor; porque todos me conhecerão, desde o menor até ao maior deles, diz o Senhor; porque lhes perdoarei a sua maldade, e nunca mais Me lembrarei dos seus pecados. Assim diz o Senhor, que dá o sol para luz do dia, e as ordenanças da lua e das estrelas para luz da noite, que agita o mar, bramando as suas ondas; o Senhor dos Exércitos é o Seu nome. Se falharem estas ordenanças diante de Mim, diz o Senhor, deixará também a descendência de Israel de ser uma nação diante de Mim para sempre...se puderem ser medidos os céus lá em cima, e sondados os fundamentos da terra cá em baixo, também Eu rejeitarei toda a descendência de Israel, por tudo quanto fizeram, diz o Senhor” - Jeremias 31:33-37.

A PROFECIA DE OSÉIAS 6:1 – 2
"Vinde, e tornemos ao Senhor, porque Ele despedaçou, e nos sarará; feriu, e nos atará a ferida. Depois de dois dias nos dará a vida; ao terceiro dia nos ressuscitará, e viveremos diante d'Ele” - Oséias 6:1-2.
Depois de 2000 anos (“um dia para o Senhor é como 1000 anos...” 1945 (fim do Holocausto) > 1948 (declaração da independência do estado de Israel) = 3 anos, ou seja: o 3º dia: ressurreição.
Jesus, o Messias de Israel, já pode voltar porque o Seu povo já voltou à Sua terra, oriundo de todo o mundo.

THEODORE HERZL – O PROFETA MODERNO QUE ANTEVIU O CUMPRIMENTO DAS PROFECIAS BÍBLICAS EM RELAÇÃO AO POVO JUDEU
Em 1896, Theodore Herzl, sionista judeu e jornalista de origem austro-húngara publicou o seu livro “O Estado Judaico”, no qual enfatizou as razões porque o povo judeu deveria voltar à sua terra. “A idéia que desenvolvi neste livreto é uma idéia antiga: é a restauração do estado judaico...” As idéias de Herzl incluíam a própria construção de um “moderno templo”! Essas idéias espalharam-se rapidamente pelo mundo fora. Herzl encontra-se com autoridades do mundo de então, acabando por organizar o Primeiro Congresso Sionista, em Basileia, no ano de 1897.
É impressionante o que Herzl escreveu em 1 de Setembro de 1897, no seu diário, acerca do congresso: “Se eu tivesse de resumir o Congresso de Basileia numa palavra – o que não farei publicamente – seria esta: Em Basiléia eu fundei o estado Judaico. Se eu dissesse isto hoje em voz alta seria recebido com uma gargalhada universal. Talvez em cinco anos, e certamente em 50 anos todos o perceberão.”
Exactamente 20 anos depois, no dia 2 de Novembro de 1917, na Inglaterra, que na altura administrava toda a região da então “Palestina”, foi feita a Declaração de Balfour, com o seguinte teor:
“O governo de Sua Majestade vê favoravelmente o estabelecimento na Palestina de um lar nacional para o povo judeu, e usará os seus melhores esforços para facilitar a realização deste objectivo, sendo claramente entendido que nada será feito que possa prejudicar os direitos civis e religiosos das comunidades não judaicas existentes na Palestina, ou os direitos e estatuto político desfrutados pelos judeus em qualquer outro país.”
Exactamente 50 anos depois do "sonho" de Herzl, em 29 de Novembro de 1947, as Nações Unidas, na sua assembleia geral, com 33 votos a favor, 13 contra e 10 abstenções adoptam a Resolução Nº 181, “recomendando o término do Mandato britânico sobre a Palestina e a partição do território em 2 estados, um judeu e um árabe”.
No ano seguinte, Israel declara a sua independência, no dia 14 de Maio de 1948.
Os judeus começam a fazer alyah, ou seja: a fazer o retorno à sua terra, a terra dos seus ancestrais, em cumprimento das profecias bíblicas, que chegam ao ponto de descrever aviões: “Quem são estes que vêm voando como nuvens, e como pombas às suas janelas?” - Isaías 60:8.
“...Dizei: Salva, Senhor, ao Teu povo, o restante de Israel. Eis que os trarei da terra do norte, e os congregarei das extremidades da terra; entre os quais haverá cegos e aleijados, grávidas e as de parto juntamente; em grande congregação voltarão para aqui...ouvi a palavra do Senhor, ó nações, e anunciai-a nas ilhas longínquas, e dizei: Aquele que espalhou a Israel o congregará e o guardará, como o pastor ao seu rebanho.” - Jeremias 31:7, 8, 10.
“Trarei a tua descendência desde o oriente; e te ajuntarei desde o ocidente. Direi ao norte: Dá; e ao sul: Não retenhas; trazei Meus filhos de longe e Minhas filhas das extremidades da terra” - Isaías 43:5, 6.
Milhares e milhares de judeus retornam a Israel, provenientes dos 4 cantos da terra... (ex: operação Salomão, tapete voador,falashas,etc.)

A língua hebraica é ressuscitada, através do dedicado Eliezer ben Yehuda, que no século 19 consegue recompor a antiga e esquecida língua dos hebreus, fazendo do hebraico “o único símbolo do nacionalismo linguistíco”. Em 1922, e exactamente 1 mês antes da morte de Yehuda, os britânico reconhecem o hebraico como língua oficial dos judeus na Palestina. Hoje, volvidas apenas algumas décadas, o hebraico voltou a ser a língua oficial do povo judeu, falada pelas crianças e velhos, falada nas ruas e nas universidades, nos escritórios e no parlamento de Israel...!

E exactamente 70 anos depois da "visão" de Herzl, no ano de 1967 e após quase 2000 mil anos tendo sido “pisada pelos gentios”, JERUSALÉM volta às mãos dos judeus, tornando-se a capital eterna, una e indivisível do estado de Israel!
Em 1967 completaram-se então “os tempos dos gentios” - Lucas 21:24.
Que nos trará o ano 2017?...
Agora que estes sinais foram cumpridos, Israel voltou à sua terra, Jerusalém voltou à soberania de Israel, que sinal indicará em que horas proféticas estamos?

A 70ª SEMANA DE DANIEL
O PACTO DO ANTICRISTO!

Setenta semanas estão determinadas sobre o teu povo, e sobre a tua santa cidade, para cessar a transgressão, e para dar fim aos pecados, e para expiar a iniquidade, e trazer a justiça eterna, e selar a visão e a profecia, e para ungir o Santíssimo. Sabe e entende: desde a saída da ordem para restaurar, e para edificar a Jerusalém, até ao Messias, o Príncipe, haverá 7 semanas, e 62 semanas; as ruas e o muro se reedificarão, mas em tempos angustiosos.
E depois das 62 semanas será cortado o Messias, mas não para si mesmo; e o povo do príncipe que há-de vir destruirá a cidade e o santuário, e o seu fim será com uma inundação; e até ao fim haverá guerra; estão determinadas as assolações.
E ele firmará aliança com muitos por uma semana; e na metade da semana fará cessar o sacrifício e a oblação; e sobre a asa das abominações virá o assolador, e isso até á consumação; e o que está determinado será derramado sobre o assolador.”
- Daniel 9: 24-27.

O interregno entre o “corte” da 69ª semana e o início da 70ª é o período da Igreja – o tempo dado por Deus para que os gentios possam também participar do projecto e serem “enxertados na oliveira original”.

AS SETENTAS SEMANAS DE DANIEL

1 dia = 1 ano (Ezeq. 4:6; Números 14:34)

1 semana profética = 7 anos (7 dias = 7 anos)

70 semanas proféticas = 490 anos (70 semanas x 7 dias)

69 semanas proféticas = 483 anos.


Do 10º do mês de Nisan - Neemias 2:8 - 14 de Março de 445 a.C
Até
Ao Domingo, 6 de Abril de 32 d.C. (Domingo de ramos), são exactamente 173.880 dias
(7x69 anos proféticos de 360 dias)


As 69 semanas (173.880 dias) contadas "desde a saída da ordem para restaurar e edificar Jerusalém", em 14.3.445 a.C. findam exactamente no dia 6 de abril de 32 d.C., dia da entrada triunfal de Jesus em Jerusalém. Vejamos os cálculos feitos por Alva J. Mc Clain (cálculo dos dias decorridos entre 14.3.445 a.C. e 6.4.32 d.C.):

445 a.C. a 32 d.C = 476 anos (AC 1 até DC 1 = 1 ano)
476 x 365 = 173.740 dias
Aumento dos anos bissextos: 116 dias (3 a menos em 4 séculos) > 14 de março a 6 de abril = 24 dias
TOTAL: 173.880 dias


Neemias 2.1-8: Artaxerxes I, rei da Pérsia, foi elevado ao trono em 465 a.C. Logo, o "ano vigésimo do rei" deu-se em 445 a.C. E como não está indicado o dia do mês, fica entendido ser o primeiro dia do mês de nisã (conforme o costume judaico), que no nosso calendário corresponde a 14 de Março. Daí ser o ponto de partida da profecia, ou seja, a "ordem para reedificar Jerusalém" (Daniel 9.25) o dia 14 de Março de 445 a.C. Conforme cálculo, o fim das 69 semanas, contadas a partir de 14.3.445 a.C., deu-se em 6 de Abril de 32 d.C., data em que Jesus foi aclamado Rei em Jerusalém: "Bendito o Rei que vem em nome do Senhor" (Lucas 19.28-40).

O PERÍODO DA TRIBULAÇÃO
7 ANOS, ou seja:
a 70ª semana de Daniel

TRIBULAÇÃO A GRANDE TRIBULAÇÃO

----------3 ½ ANOS ------------------------- 3 ½ ANOS -----------

O SINAL DA SUA VINDA - Apocalipse 6

CAVALO CAVALO CAVALO CAVALO MÁRTIRES DISTÚRBIOS
BRANCO VERMELHO PRETO AMARELO DEBAIXO CÓSMICOS
(1ºSELO) (2º SELO) (3º SELO) (4º SELO) DO ALTAR (6º SELO)

INICIAM TROMBETAS


O INÍCIO DAS DORES - Mat. 24: 4-7; Apoc. 6:1-8

A GRANDE TRIBULAÇÃO - Jer. 30:7; Mat. 24:9-13; Apoc. 6:9-11

O DIA DO SENHOR - JULGAMENTO - TROMBETAS - TAÇAS - ARMAGEDON - Apoc. 8:1-9:21;
11:15-19; Apoc. 16:1-21


---------------- 3 ½ ANOS ----------- ---------------------- 3 ½ ANOS --------------
ABOMINAÇÃO DA DESOLAÇÃO: (O Anticristo revela-se a meio da semana)


OS SELOS, TROMBETAS E TAÇAS
SELOS - A ira do homem através do Anticristo

TROMBETAS - A ira de Deus sobre toda a humanidade

TAÇAS - A ira de Deus sobre as nações pela perseguição a Israel



O ÍNÍCIO DAS DORES A GRANDE TRIBULAÇÃO O DIA DO SENHOR DANIEL 12:11
--- 3 ½ ANOS ---- --------------3 1/2 ANOS ----- --- 30 DIAS ---

------------------- SELOS ----------------- ---TROMBETAS--- ---- TAÇAS---

O DIA DO SENHOR - (7º SELO)
O JULGAMENTO SEGUE-SE IMEDIATAMENTE AO ARREBATAMENTO E INCLUI O SOPRO DAS TROMBETAS E O DERRAMAMENTO DAS TAÇAS

JULGAMENTOS DO DIA DO SENHOR
TROMBETAS - Apoc. 8:1 - 9:21; 11:15 - 19 TAÇAS - Apoc. 16: 1-21

O DIA DO SENHOR
O derramar final da ira de Deus sobre a terra é a última trombeta de Deus (a não confundir com a sétima trombeta). O último selo (Apoc. 8:1) contém todas as sete trombetas. E a sétima trombeta contém todas as sete taças. Conjuntamente, as trombetas e as taças são a última parte da ira de Deus sobre um mundo descrente - a última trombeta. A ira de Deus começa com a abertura do sétimo selo (Apoc. 6:17; 8:1) e conclui com a abertura das sete taças (Apoc. 15:1; 16:1). Os julgamentos das trombetas são universais em natureza. Eles abarcam uma duração de tempo substancial, mas desconhecida, dentro da segunda metade da 70ª semana, terminando com o retorno físico de Cristo à terra no final dessa semana (Apoc. 11:15). Os julgamentos das taças serão ao ritmo de metralhadora. Serão direccionados às nações por causa do seu tratamento de Israel (Zac. 12:8-9), e durarão os trinta dias além da 70ª semana, referidos pelo profeta Daniel (Dan. 12:11). Esses mesmos 30 dias serão um período de lamentação para Israel, ao finalmente reconhecer na volta de Cristo, que Ele era de facto o seu há muito esperado Messias (Zac. 12:10-14)

Daniel fala de um outro período de 45 dias além dos 30, ou um total de 75 dias além da segunda metade do período da “Tribulação” (Dan. 12:12). Existem exactamente 75 dias entre as festas judaicas dos Tabernáculos e Hanukkah. Os Tabernáculos correspondem à volta de Cristo no final do período da Tribulação.

Se desejar um cópia do estudo integral, envie-nos por favor o seu e-mail.
Shalom!

11 comentários:

Anónimo disse...

Olá Irmão!
Poderia me enviar o estudo completo?
Muito interessante..

Que o Senhor continue derramando suas bençãos poderosamente sobre sua vida!!

Victor - Brasil
escreveprovictor@yahoo.com.br

Anónimo disse...

gostaria de receber o estudo completo...parabens pelo estudo.

Anónimo disse...

A paz do Senhor servo do Deus vivo
Gostaria de receber o estudo por completo

Neto disse...

A Paz do Senhor, tb gostaria do estudo completo. Meu e-mail é netochiodini@hotmail.com. Deus te abençoe

Anónimo disse...

mto edificante

Anónimo disse...

Gostaria de receber o estudo por completo.Grato.

rodrigovenancio@bol.com.br

Paulo Papas disse...

Belo estudo. Também gostaria de receber o estudo, se possível.

valmir disse...

excelente estudo poderia me enviar

valmir disse...

tambem gostaria de receber este estudo completo edificante e esclarecedor. parabens

Eu e minhas ideias. disse...

Shalom! Nosso Senhor esta voltando e os sinais se multiplicam. Por favor, me enviem o estudo completo. Obrigao. Precisamos divulgar para o maximo de pessoas que o tempo esta proximo. Deus continue a abencoa-los.

Ulisses

Jodilhel Ferreira disse...

MARANATHA