quinta-feira, novembro 04, 2010

UNESCO CLASSIFICA TÚMULO DE RAQUEL COMO MESQUITA...

Numa vergonhosa, ridícula e lamentável decisão, a UNESCO - Organização Educacional, Científica e Cultural das Nações Unidas - decidiu na semana passada reclassificar o túmulo de Raquel (uma das Matriarcas de Israel) como "mesquita", exigindo a Israel que remova esse sítio da sua lista do Património Nacional de Israel.
Não satisfeita, a UNESCO disse que Israel não tem direito a acrescentar o Túmulo dos Patriarcas em Hebron à mesma lista. Recorde-se que o Túmulo dos Patriarcas em Hebron é o local onde repousam os restos mortais da maioria dos patriarcas e matriarcas de Israel.
A resposta de Israel foi suspender imediatamente toda a cooperação com a UNESCO. O representante israelita para o Ministério das Relações Externas, Danny Ayalon, informou que a suspensão vigorará até que a UNESCO reverta a sua decisão.
Numa decaração transmitida na semana passada, o gabinete do Primeiro Ministro Benjamin Netanyahu lamentou a natureza ridícula da decisão da UNESCO:
"A tentativa para separar a Nação de Israel da sua herança é absurda. Se os sítios de sepultamento dos Patriarcas e Matriarcas da Nação Judaica - Abraão, Isaque, Jacob, Sara, Rebeca, Raquel e Leah - com cerca de 4 mil anos de existência, não são parte da sua cultura e tradição, então o que é que é um "sítio cultural nacional"?
Sítios como o Túmulo dos Patriarcas e o Túmulo de Raquel (na fronteira com Belém) representam realmente uma verdade inconveniente para o movimento pró-palestiniano e seus apoiantes, que pretendem afirmar que os Judeus não têm ligações históricas à Terra.
Mais uma vez a ONU prova ser tudo menos imparcial, ao ignorar a evidência histórica e abraçar o revisionismo islâmico...! Nada que nos admire...



3 comentários:

Judite disse...

Shalom,
o Pr. Hilton Sutton refere-se à "mãe" da UNESCO, a ONU, em inglês UN,como a United Nothing.Não admira pois que a United Nothing aceite e promova o louco presidente do Irão e, realmente, acabam de ser premiadas as suas palavras através do desprezo pela cultura israelita.

Anónimo disse...

Não sou judia, mas acredito que a Bíblia é a palavra de Deus. Lá está escrito que o povo de Deus, descendente de Abraão, é o povo Judeu, pois Isaque é o descendente da promessa.

Anónimo disse...

Não sou judia, mas acredito que a Bíblia é a palavra de Deus. Lá está escrito que o povo de Deus, descendente de Abraão, é o povo Judeu, pois Isaque é o descendente da promessa.