terça-feira, maio 16, 2017

PAÍSES DO GOLFO ÁRABE PROPÕEM MELHORAR AS RELAÇÕES COM ISRAEL SE PARAREM AS CONSTRUÇÕES NA JUDEIA E SAMARIA

A visita de Donald Trump à Arábia Saudita e a Israel na próxima semana está a despontar todo o tipo de posicionamentos da parte dos políticos árabes e dos países vizinhos de Israel.
Enquanto ontem o Egipto e a Jordânia mandaram um "recado" a Trump de que querem ver um estado palestiniano com Jerusalém oriental como capital desse estado, hoje é jornal norte-americano "Wall Street Journal" a reportar de um documento que terá recebido a aprovação da Arábia Saudita e dos Emirados Árabes, propondo o congelamento das construções e o início de conversações políticas em troca da normalização das relações com Israel.
Aquilo que os países do Golfo querem de Israel é o reinício do processo de paz, levando à paragem das construções e a um alívio do bloqueio à Faixa de Gaza.
Este documento e proposta terão sido enviados ao governo norte-americano a escassos dias da visita do presidente Trump àquela região.
Como moeda de troca, os Emirados Árabes Unidos oferecem o estabelecimento de telecomunicações com Israel, a aprovação para que os aviões israelitas possam cruzar os seus espaços aéreos e a remoção de várias barreiras comerciais. Tanto a Arábia Saudita como os EAU pretendem avançar com estas medidas. Até ao momento Israel ainda não fez qualquer comentário oficial a esta proposta.
Ninguém pode prever a reacção de Netanyahu, cada vez mais "entre a espada e a parede", por um lado precisando do apoio de Trump para a implementação das políticas internas de Israel, mas por outro lado desejando firmar acordos sólidos com nações árabes até agora hostis a Israel, mas que recentemente têm demonstrado uma abertura sem precedentes e sem dúvida proveitosa para ambas as partes.
A grande pergunta é esta: estará Netanyahu disposto a pagar o preço? Arriscará ele pôr em causa a frágil coligação governamental que até agora ele conseguiu manter à frente dos destinos do seu país?
Uma coisa é certa: a semana que vem promete muito...

Shalom, Israel!

2 comentários:

Charmoso Cristao disse...

O que os saudistas e países do golfo querem e o direito de visitar Jerusalém, eles nao tem e não terão enquanto nao normalizarem e reconhecerem o estado de israel,Jerusalém deve permanecer unida e única a israel,os islamitas árabes tem s estratégia de ganhar terra por paz, uma paz temporária, depois que conseguirem as terras, eles avançam com a guerrilha querendo e reivindicando mais terras, ate o objetivo de tomar toda israel pra eles,israel nao deve ceder, se negocia,nao pode negociar seus direitos.

Victor Nunes disse...

Concordo Israel tem que avançar e reconquistar suas terras...