terça-feira, maio 23, 2017

TRUMP DEIXA ISRAEL ASSEGURANDO LEALDADE A ISRAEL E CONDENANDO O TERRORISMO PALESTINIANO

O périplo de 26 horas do presidente norte-americano por terras de Israel permitiu reforçar os laços de amizade com a liderança israelita - algo posto em causa pela anterior administração de Hussein Obama - e tirar as esperanças dos palestinianos em relação a um estado independente em território judaico.
Trump afiançou a Netanyahu que os palestinianos "querem alcançar a paz", acrescentando no entanto que "não será fácil. Ambas as partes terão de fazer face a decisões difíceis."

"ESTAREMOS SEMPRE COM ISRAEL"
Num emocionado e muito aplaudido discurso proferido esta manhã no Museu de Israel, Trump afiançou que a sua administração estará "sempre ao lado de Israel", tendo provocado uma efusão de aplausos. 
No seu discurso, Trump alertou que "o conflito não pode continuar para sempre. A questão é quando é que as nações perceberão que já tiveram que chegue. A mudança tem que vir de dentro. Só pode vir de dentro."
E foi a partir da Capital eterna de Israel que agora celebra os seus 50 anos de reunificação que Donald Trump fez este apelo: "Apelo a todos os povos, judeus, cristãos, muçulmanos e todos os credos a que retirem inspiração desta antiga cidade para deixar de lado as nossas diferenças sectárias para vencer a opressão e o ódio."
O presidente norte-americano referiu-se ainda às ameaças e aos perigos que os israelitas enfrentam: "Os israelitas têm experimentado em primeira mão o ódio e o terror da violência radical. Têm sido assassinados por terroristas empunhando facas e bombas. O Hamas e o Hezbollah disparam mísseis contra Israel, onde as crianças são ensinadas a correr para os abrigos. Os líderes do Irão apelam rotineiramente à destruição de Israel."
"Não com Donald J. Trump, acreditem em mim" - prometeu, recebendo mais uma ruidosa ovação.
"Os Estados Unidos estão firmemente comprometidos em impedir que o Irão desenvolva uma arma nuclear e continue a financiar terroristas."
Numa conferência de imprensa conjunta com Netanyahu, o presidente Donald Trump proclamou a ligação histórica do povo judeu com a Terra de Israel, fazendo menção do reino do Rei David. 

UMA FORTE REPRIMENDA À AUTORIDADE PALESTINIANA

Durante uma rápida visita a Belém para se encontrar com o líder da Autoridade Palestiniana Mahmoud Abbas, Donald Trump repreendeu a liderança palestiniana por pagar benefícios aos terroristas palestinianos em prisões israelitas e às famílias dos terroristas, tanto dos que estão presos, como dos que já morreram. 

VISITA AO MEMORIAL DO HOLOCAUSTO
Apesar da intensa agenda, Trump ainda teve tempo para homenagear esta manhã os 6 milhões de judeus assassinados durante o Holocausto nazi, visitando o Memorial do Holocausto, onde proferiu as seguintes palavras: "Estamos aqui no Yad Vashem para honrar a memória de seis milhões de judeus que foram enviados para a morte. Palavras não conseguirão descrever a imensidão da profundidade desse mal. O Holocausto foi o acto mais selvagem contra Deus e contra os Seus filhos, e é nosso dever solene lamentar cada vida que foi tão cruelmente tirada."

ASSUNTOS CONVENIENTEMENTE EVITADOS POR TRUMP
Donald Trump soube habilmente evitar referências aos temas que têm desde há décadas conturbado as relações entre os EUA e Israel, tais como os aldeamentos (erradamente chamados de 'colonatos'), o estatuto de Jerusalém e até mesmo a idéia de 2 estados, algo em que o seu antecessor sempre insistia como condição para a paz. 

O primeiro-ministro de Israel tem razões de sobra para recordar esta visita do presidente norte-americano como marcante e um verdadeiro volte face em relação às anteriores políticas da administração dos EUA. A ver vamos como e de que forma é que estas palavras de ocasião se traduzirão em realidades que no terreno garantam a Israel a tão ambicionada paz e segurança...

Shalom, Israel!

3 comentários:

olga disse...

Uma verdadeira paz entre Israel e seus inimigos só seria viável se começasse nos bancos das escolas com as crianças, com livros didáticos, educação, pois nenhuma paz pode ser possível enquanto crianças são ensinadas, doutrinadas a odiar Israel... e, isto não ocorre só em Israel não!
Esta paz não poderá vir de políticos, mas das bases familiares e até religiosas! Como isto é impossível para os homens com certeza não é para Deus!

Então Gideão edificou ali um altar ao SENHOR, e chamou-lhe: O SENHOR É PAZ; e ainda até o dia de hoje está em Ofra dos abiezritas.
Juízes 6:24
SHALOM ISRAEL!
Olga

olga disse...

Ah... A propósito ainda falando de "paz"... Mais um atentado terrorista desta vez envolvendo jovens e crianças em Manchester...
Como um grupo pode matar pessoas em nome de deus em pleno século XXI? Como pode comemorar isto? E, por incrível que pareça eu não sinto o mundo abalado! Parece que mais uma vez tentam abafar a gravidade do ato! Mas, quem sabe se fosse um palestino morto por um soldado israelense... Cadê a ONU? Não que a vida do palestino ou de qualquer pessoa não importa... "Uma vida vale mais do que o mundo inteiro"... Mas, parece que a lavagem cerebral que estão fazendo na humanidade está dando certo! A tecnologia e as drogas que estão transformando homens em zumbis têm alcançado seus objetivos! As pessoas estão nivelando tudo por baixo, mas eu creio num Deus que ainda fala... Anos atrás falou que abalaria o principado da corrupção no Brasil... E, agora estamos vendo claramente que Deus está no controle de tudo!
Que estes vampiros que povoam a terra sugando o sangue dos inocentes saibam que seu tempo está acabando!
Maranata!
https://www.youtube.com/watch?v=GgnRFX70Ubg

Shalom Israel!
Olga

Aloisio Lessa disse...

Não se preoculpem, Israel jamais será destruida, porque a profecia precisa ser cumprida.