quarta-feira, maio 03, 2017

UNESCO APROVA NOVA RESOLUÇÃO ANTI-ISRAEL

No exacto dia em que Israel celebrou o seu 69º aniversário, a mais que desacreditada e tendenciosa UNESCO votou mais uma resolução negando as mais que evidentes ligações históricas, culturais e religiosas à Cidade santa de Jerusalém, sua eterna capital. 
A pérfida e abominável proposta foi apresentada ao Conselho Executivo da UNESCO pelos representantes da Argélia, Egipto, Líbano, Marrocos, Oman, Qatar, e Sudão, sob a denominação de "Palestina ocupada", referindo-se a Israel como "potência ocupante".
A resolução passou com 22 votos a favor, 23 abstenções e 10 votos contra. Representantes de 3 países não estiveram presentes.

VOTARAM CONTRA A RESOLUÇÃO
Estes 10 países votaram contra esta pérfida resolução, merecendo a nossa homenagem: Reino Unido, Itália, Holanda, Estados Unidos, Lituânia, Grécia, Paraguai, Ucrânia, Togo e Alemanha.

VOTARAM A FAVOR DA RESOLUÇÃO
Estes 22 países, 7 dos quais árabes, votaram a favor desta resolução, merecendo como tal a nossa condenação: Argélia, Egipto, Líbano, Marrocos, Oman, Qatar e o Sudão. Para além destes, votaram também a favor os representantes do Irão, Malásia, Mauritânia, Nigéria, Senegal, África do Sul, Bangladesh, Paquistão, Vietname, Suécia, Rússia, China, Brasil, Nicarágua e Chade.

PAÍSES QUE VOTARAM PELA ABSTENÇÃO
França, Haiti, República Dominicana, México, Espanha, Saint Kitts e Nevis, Quénia, Trinidad e Tobago, Albânia, Camarões, Estónia, Costa do Marfim, Eslovénia, Gana, Moçambique, Uganda, Argentina, Índia, El Salvador, Japão, Coréia do Sul, e Sri Lanka. 
Os países que não estiveram presentes na votação foram o Nepal, a Sérvia e o Turquemenistão. 

"DECISÃO ABSURDA"
Para Netanyahu, o primeiro-ministro de Israel, esta é mais uma "decisão absurda", no entanto é de salientar que diminuiu substancialmente o número de países que votaram a favor desta resolução contra Israel. De um número de 32 países que originalmente votaram a favor desta pérfida resolução da UNESCO, o número foi baixando para 26, e agora 22. O número conjunto dos países representados que votaram contra e se abstiveram já supera o daqueles que apoiaram esta ideia originada de mentes doentias e escravizadas pela mentira e pelo ódio. 

Naturalmente que os países que votaram contra o direito histórico de Israel à sua eterna e única capital Jerusalém sofrerão duros castigos às mãos de Deus.
Será que nações como o Brasil nunca aprendem que estar contra Israel é estar contra o próprio Deus?

Shalom, Israel!

7 comentários:

Victor Nunes disse...

Sabe o que vai ser engraçado eles dizem que Israel não tem direito a Jerusalém aí vira o Trump e vai mudar a embaixada vou rir muito dá ONU

Junior Melo disse...

Como não poderia ser, o governo de TEmer aqui no Brasil, um governante maçon e satanista,referendou a infame e amaldiçoada resoluçãoo trazendo juizo para esta nação .E ja sentimos o impacto. Brasil, o pais da corrupção e das pragas .Que Deus guarde o seu povo, que ora e ama Israel.Uns poucos que nao sofrerão a ira de Deus.

Junior Melo disse...

Há um povo brasileiro, comprado e remido pelo sangue deJesus, que ora e ama Israel. Este povo está com os "umbrais ' de suas casas ungidos com o sangue do Eterno.

olga disse...

O Brasil não aprende nada porque nossa maldição se chama "políticos"... Os que saíram não nos representava e, os que ficaram também não nos representa...Com a saída de Dilma eu pensava que a democracia poderia dar algum suspiro de vida... mas, oquê é a democracia? Seria que é aquela que impera em países como a Venezuela... O Brasil ta a caminho disso... O Rio já está numa quase guerra civil, aliás, a "paz" no Brasil é "garantida" pelos bandidos e não pela lei... Se os bandidos declaram "toque de recolher", por exemplo, acabou a "paz"... Aliás, políticos e sindicalistas estão usando esta técnica de "toque de recolher" nas suas greves... A população é refém de tanto desgoverno!
Eu parabenizo o governo de Israel, pois luta pelo seu povo com dignidade! Indignos são aqueles que não votam nem a favor de Israel, nem a favor do seu povo!
Shalom Israel!
Olga

olga disse...

"Votar contra uma nação em seu Dia da Independência, em uma tentativa desprezível de falsificar a história, é um novo fundo do poço, até mesmo pelos padrões da UNESCO", disse Shama-Hacohen, embaixador de Israel na entidade!

Shalom )srael!
Olga

Carlos Nascimento Kairos disse...

Amen meu amigo ,acredito que Deus levantou tramp para ajudar a Israel nessa injustiça cometida.

Celena Gomes disse...

Tudo está sob o controle do Deus eterno.
O Deus de Abrão,Isac e Jacó!
O Deus de Israel!
O nosso Deus!
Tudo isto entre as nações é mister que aconteça,é um dos sinais da vinda do Messias à vir buscar seu povo.
Logo iremos para a nossa pátria celestial nos encontrarmos com o nosso Salvador.
Deus seja louvado!!!!