quarta-feira, julho 19, 2017

TAL COMO ANUNCIADO HÁ 2.500 ANOS, JERUSALÉM ESTÁ-SE A TORNAR NUMA "PEDRA PESADA"

As tensões à volta do Monte do Templo estão aumentando de dia para dia, em grande parte por culpa dos muçulmanos que não querem aceitar o controle das entradas através da passagem por detectores de metais, algo que já acontece para quem entra pelo lado do Muro Ocidental, conforme tem sido a minha experiência nestes últimos anos.
O velho ditado "quem não deve não teme" aplica-se exactamente a esta gente muçulmana que alega subir ao Monte apenas para rezar, o que não tem sido sempre a realidade. É que se assim fosse, esses indivíduos não teriam qualquer problema em fazer-se passar pelo detector que avisa a presença de metais, logo de armas.

"WAQF ISLÂMICA DE JERUSALÉM" PROVOCA O RASTILHO QUE PODE PROVOCAR UMA TRAGÉDIA
Para incendiar ainda mais a questão, um dos grandes bandidos muçulmanos responsáveis por esta violência que levou à morte de 2 polícias israelitas druzos há poucos dias atrás, é o próprio mufti de Jerusalém, o líder espiritual islâmico que controla as rezas naquele enorme recinto conspurcado por duas mesquitas. 
A "Waqf Islâmica de Jerusalém" veio hoje anunciar que todas as mesquitas estarão encerradas em Jerusalém para as rezas nesta próxima Sexta-Feira, um claro e preocupante esforço para convocar todos os muçulmanos a virem rezar às portas do Monte do Templo, algo que poderá causar mais violência, com contornos inimagináveis.

MONTE FECHADO AOS JUDEUS
Esta manhã a polícia israelita decidiu fechar o acesso do Monte aos visitantes judeus devido ao "desrespeito pelas normas ali vigentes" por parte de um grupo de visitantes judeus.
Apesar dos esforços de mediação norte-americanos, sauditas e de outros, mantém-se a situação imposta por Israel face aos permanentes distúrbios entre manifestantes muçulmanos e as autoridades israelitas.
E, como não poderia deixar de ser, o Egipto veio agora também exigir a Israel que "acabe com a violência" nos acessos ao Monte, uma ridícula visão completamente desfasada da realidade dos factos, uma vez que são os muçulmanos que estão constantemente a provocar a polícia que protege os acessos ao recinto sagrado. O Egipto exigiu também a Israel que assegure os direitos dos palestinianos para poderem expressar a sua fé em liberdade. 
E Mahmoud Abbas, o grande e nojento hipócrita líder da Autoridade Palestiniana, usando da sua habitual manha para conquistar votos entre a população palestiniana de Gaza, da Judeia e da Samaria, convocou os palestinianos para "um dia de ira" em Jerusalém Oriental, na Judeia e em Samaria.
Tanto a Fatah como o Hamas estão atiçando estes fogos, convocando os muçulmanos para grandes manifestação de "ira." Ontem à noite várias pedras e cocktails Molotov foram atirados contra elementos da polícia, deixando dois oficiais com ferimentos ligeiros.

Estas lamentáveis situações, embora que preocupantes - tanto mais que contamos ali estar já na próxima semana - não nos apanham de surpresa, pois o profeta Zacarias revelou pelo Espírito de Deus o que seria Jerusalém "nos últimos dias": um cálice de tontear e uma pedra pesada para todos os povos ao derredor. 
Parece que estamos chegando a esses dias, agora que o conflito se centra cada vez mais em Jerusalém e no seu lugar mais sagrado: o Monte do Templo.

Shalom, Israel!

4 comentários:

acristinags10 disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
barbosa sousa disse...

Israel ame-0 ou deixe-0 essilio para os canalhas

Luciano de Paula Lourenço disse...

Faz duas semanas que assisto filmes relativos à segunda guerra mundial, principalmente com relação à perseguição do nazismo ao povo judeu. São filmes que mostram a perversidade do nazismo. Hoje assisti ao documentário “HOLOCAUSTO – O QUE NINGUÉM VIU”. São imagens tremendamente impactantes. O link: https://www.youtube.com/watch?v=uJZaIkURyZ8. Aconselho a todos aqueles que são judeus e simpatizantes desse admirável povo a assistirem com muita atenção este documentário. São imagens filmadas por cinegrafistas russos à época da guerra.
Ao ver estes filmes, fico mais consciente de que o povo judeu, em hipótese nenhuma, deve mover-se do seu direito de posse da Terra que Deus lhe deu, na sua forma integral conforme registrado na Bíblia Sagrada. A Terra de Israel é a sua “Arca”. Fora da Terra de Israel, o povo judeu está fadado à ser perseguido impiedosamente. Os inimigos estão à espreita. Todavia, o guarda de Israel, Deus, não dormita. “De maneira alguma cochila nem dormita o guarda de Israel” (Sl.121:4).
Shalom, Israel!

Ruben MANUEL PEREIRA Fontoura e Celeste Maria Morais Gonçalves Fontoura. disse...

Obrigado, Luciano de Paula Loureço. Já copiei o link.

Hoje, Sexta feira, acabo de ouvir as notícias na rádio, que dão sérios confrontos na zona do Monte do Templo. Parece que há mortos entre os arruaceiros.
Como temos visto e revisto, aquele local é uma autêntica bomba atómica que pode rebentar a qualquer momento. Estamos em 2017... ano de muita coisa!
Os viajantes para Israel na próxima semana talvez tenham a vida complicada nesta zona da Cidade. Em todo o caso, Deus está a ver tudo.