sexta-feira, novembro 21, 2014

O DOMO DA ROCHA FOI ORIGINALMENTE CONSTRUÍDO PARA...OS JUDEUS!

Talvez nunca tenha ouvido a verdadeira história da origem do Domo da Rocha. Se eu lhe disser que originalmente ele foi construído a pedido dos judeus e para que os judeus orassem no Monte, talvez não acredite. Mas essa é a verdade histórica!
Claro que temos andado a ser bombardeados pelo revisionismo histórico manipulado pelos islamitas, querendo fazer crer que o Domo - convertido em mesquita - é um espaço construído para as rezas muçulmanas. Mas tal não foi assim originalmente. Eis um pouco de História...

A HISTÓRIA DA ORIGEM DO DOMO DA ROCHA
Até há cerca de uns 300 anos atrás quem entrava para orar naquele espaço eram...também os judeus. Sim, os judeus! 
De acordo com a obra clássica "The Temple Mount" (O Monte do Templo) escrita por Shlomo Goren, um perito nas questões do Monte do Templo e rabino mor de Israel há alguns anos atrás, a verdade é bem diferente daquela que nos querem fazer crer:
"A mesquita al-Aqsa foi construída (no extremo sul da esplanada) como uma casa de oração islâmica fora dos limites do Monte do Templo original e por isso está virada para Meca. E, acedendo ao pedido dos judeus, Omar construiu o santuário do Domo da Rocha para servir como casa de oração para os judeus. Isso aconteceu depois de os judeus lhe terem mostrado o lugar onde assentava o Templo sagrado - e não estava voltado para Meca."
Há assim uma diferença entre os dois edifícios: um está voltado para a cidade sagrada dos muçulmanos, Meca. O outro, nada tendo a ver com Meca, mas sim com as indicações e o pedido feito pelos judeus ao sultão Omar.
DOMO DA ROCHA EM 1546
Uma das fontes históricas para esta afirmação de Shlomo Goren foi o historiador bizantino Theophanes que no ano 635 escreveu uma obra em grego entitulada "Chronographia", cuja tradução em inglês foi editada em 1839 na cidade alemã de Bona. O famoso historiador inglês Guy Le Strange citou a relevante passagem daquela tradução na sua obra publicada em 1890: "História de Jerusalém sob os muçulmanos", página 11:
THEOPHANES
"Neste ano (635 d.C.), Omar começou a restaurar o Templo de Jerusalém, pois que o edifício, na verdade, não estava mais firmemente fundamentado, mas tinha caído em ruínas. Agora, quando Omar inquiriu sobre a causa, os judeus responderam-lhe dizendo: 'A menos que derrubeis a cruz erguida no Monte das Oliveiras, o edifício do Templo nunca será firmemente fundamentado.'
Foi a partir daí que Omar derrubou a cruz naquele lugar de forma a que o edifício (do Templo) pudesse ficar firme naquele lugar..."
Le Strange enfatiza a fiabilidade desta espantosa descrição ao assinalar que o historiador Theophanes precedeu as mais antigas autoridades árabes neste assunto em mais de 50 anos. Mais ainda: ele enfatiza que Theophanes viveu "consideravelmente no espaço de uns 150 anos após a conquista de Jerusalém pelo sultão Omar."
Uma antiga tradição islâmica do rabino convertido ao islamismo Ka'ab al-Ahbar afirma o seguinte: "Ayrusalaim, que significa Jerusalém, e a Rocha, que significa o Templo. Irei enviar-vos o meu servo Abd al-Malik que te irá construir e embelezar. Irei certamente restaurar-te à Bayt Al Maqdis (casa santa), seu primeiro reino, e coroá-lo-ei com ouro, prata e pedras preciosas. E irei certamente enviar-te as minhas criaturas. E irei certamente investir o meu trono de glória sobre a rocha, visto eu ser o soberano Deus e David é o rei dos filhos de Israel."

CONSTRUÍDO PARA JUDEUS
Conclui-se assim que, baseando-nos nos mais antigos relatos acerca da construção do domo, que este foi construído originalmente não para os muçulmanos, mas para os judeus, e que era supostamente para ser uma versão do Templo "mais firmemente fundamentada."

Ridiculamente - para não usar outra expressão - os muçulmanos tentam fazer crer que aquele edifício foi propositadamente construído para eles, querendo dessa forma alegar que aquele espaço lhes pertence em exclusivo e pretendendo proibir os judeus de até subirem àquele lugar!
Claro que o espaço é agora um santuário islâmico cuja cúpula cobre a famosa pedra onde segundo a tradição Abraão ia sacrificar o seu filho Isaque. Segundo a tradição judaica, foi também a partir desta pedra que Deus criou o mundo.
Toda a arquitectura é lindíssima, uma obra de grande beleza e valor. Lamentavelmente, os escritos no interior e exterior da mesquita são uma verdadeira provocação ao cristianismo, uma vez que negam a divina Triunidade e o facto de Jesus ser o Filho de Deus. Crê-se que estas frases foram escritas não para combater o judaísmo - que também não aceita a Triunidade nem a divindade de Jesus - mas o cristianismo. 
Quando era possível aos não muçulmanos entrar no domo, eu nunca o fiz, uma vez que compreendi há muitos anos que ao entrar e tirar os sapatos naquele lugar estaria a submeter-me a Alá e às suas blasfémias contra Jesus, pelo que jamais aceitaria fazê-lo...

Voltar ao status quo daquele lugar deveria representar a possibilidade da volta dos judeus às suas orações naquele espaço, deixando aos muçulmanos a mesquita al-Aqsa, essa sim construída para eles, e por tal voltada na direcção da cidade que lhes é mais sagrada: Meca.

Shalom, Israel!


QUER CONTRIBUIR PARA ESTE MINISTÉRIO?
Se desejar contribuir com alguma oferta para encorajar o nosso ministério, ficaremos imensamente reconhecidos!


Para fazer qualquer contribuição, pode usar o sistema mundial de transferências "paypal", completamente seguro, bastando para tal clicar no pequeno rectângulo na coluna à direita onde diz "Doar", logo abaixo do anúncio dos DVDs. Obrigado!


3 comentários:

Anónimo disse...

Obrigado por este artigo tão interessante e por manter um blogue tão didático. Um bem haja, Ricardo Carvalho.

Tailaine Lopes disse...

SHALOM povos de SRAEL Jesus não vai acenta no dono dá Rocha só o anti mecia não o aceite até Que Jesus venha nas nuvens do céu com poder e muita glória amém Chalom Adonai

Juliana Aragão disse...

Muito obrigada por compartilhar! SHALOM!