segunda-feira, junho 01, 2015

"LIBERTEM JERUSALÉM DOS JUDEUS!" - VOCIFERA ERDOGAN, PRESIDENTE TURCO, COM ASPIRAÇÕES A CALIFA

Archive photo/AFPO anti-semita presidente turco Recep Tayyip Erdogan, a meio de uma campanha eleitoral que quer ganhar a todo o custo, fez ontem uso da analogia da "libertação" de Jerusalém pelos turcos otomanos no passado turco, para engrossar a sua argumentação pró-islâmica, anti-semita e xenófoba.
Esta nova "arma" eleitoral tem sido aproveitada para cativar os votos dos anti-semitas turcos ainda indecisos quanto à tendência de voto, a uma semana da realização das eleições presidenciais.

Recep Tayyip Erdogan"A conquista é Meca, a conquista é Saladino, é fazer novamente flutuar a bandeira islâmica sobre Jerusalém. Conquista é a herança de Mehmed II e conquista significa voltar a pôr a Turquia de pé" - vociferou ontem Erdogan perante milhões de pessoas que se reuniram para celebrar os 562 da captura de Constantinopla pelos turcos das mãos dos cristãos europeus.
Erdogan teceu uma linha paralela histórica entre a captura de Jerusalém das mãos dos cruzados pelo muçulmano Saladino, passando pela captura de Constantinopla até às eleições a realizar daqui a uma semana na Turquia. 
Esta recente tendência do actual presidente turco Erdogan e seus párias para associarem Jerusalém ao islamismo tem-se tornado numa tendência com características preocupantes. Exemplo disso é a recente denominação de um aeroporto no sul do país como "aeroporto Saladino": "É um nome que fala aos curdos, à Turquia e aos árabes, sim, que este (Saladino) é o nosso líder" - afirmou no seu discurso o primeiro-ministro turco Davutoglu durante a inauguração do aeroporto.
E as provocações continuaram: "É um símbolo que nos une" - discursou o primeiro-ministro, prosseguindo: "Todos quantos reivindicam Jerusalém como cidade santa dos judeus deveriam ter vergonha. Escolhemos o nome de Saladino para, com a ajuda de Alá, enviar uma mensagem de que Jerusalém sempre pertencerá aos curdos, à Turquia, aos árabes e aos muçulmanos."
As sondagens apontam para uma perda da maioria absoluta até agora detida nestes últimos 12 anos pelo partido de Erdogan, provocando certamente algum desespero aos actuais líderes, que optaram "jogar" com este trunfo tão querido dos muçulmanos para conseguir conquistar votos. 
E quando se tem de "apostar" desta forma, Jerusalém e a sua posse pelos muçulmanos passa a ser a retórica utilizada para alcançar os propósitos políticos dos lunáticos muçulmanos...
Uma coisa é certa: Erdogan e a suas loucuras passarão, mas Jerusalém permanecerá para sempre como capital do estado de Israel, a cidade eterna dos judeus!

Shalom, Israel!

3 comentários:

Elias disse...

Ah coitado!

Junior Melo disse...

Aqueles que amaldiçoarem Israel, serão amaldiçoados, icluindo este SEnhor e hoje, o chefe do papado catolico,o marxista e usurpador FRANCISCO I ,cardeal argentino que abraçou a causa palestina de destruir Israel.

Benaiah Cabral Ben Avraham Leiehouah יהוה The Liger disse...

Erdogan é um dos principais chacais da morte que a natureza espera com prazer ao pó.