sexta-feira, dezembro 31, 2010

ISRAEL: A MELHOR ECONOMIA DO OCIDENTE!

Segundo dados do Gabinete Central de Estatísticas (CBS), a economia de Israel é a que cresce mais rapidamente em todo o Ocidente.
O produto interno bruto (PNB) cresceu 4,5% em 2010, mais 0,5% do que era esperado. Em comparação, os outros 33 países da OCDE (Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Económico) cresceram apenas 2,7%. Recordamos que Israel tornou-se membro da OCDE apenas em Setembro passado.
Israel está também melhor do que todos os outros países da OCDE no que toca ao desemprego, com uma taxa de 6,7%, em comparação com os 8,3%, média dos outros países.
O Gabinete assinala três assinaláveis progressos na economia israelita em 2010: as exportações baixaram no 3º trimestre, depois do inusitado crescimento na segunda metade de 2009; o rápido crescimento do consumo privado começou a desacelerar; e os investimentos em edifícios residenciais continuou a crescer.
Com a confirmação da existência de uma quantidade fabulosa de gás natural (nossa postagem de ontem), com um tamanho 6,5 vezes superior ao da cidade de Tel Aviv, Israel poderá ter uma receita de 227 mil milhões de euros, o equivalente a 1,5 vezes o produto interno bruto do país!
Shalom, Israel! Que o Ano de 2011 traga ainda mais crescimento!

quinta-feira, dezembro 30, 2010

ISRAEL FAZ NOVA E ENORME DESCOBERTA DE GÁS NATURAL

Mais de 16 triliões de pés cúbicos de gás natural acabam de ser descobertos ao largo de Israel, na costa de Haifa, numa operação de perfuração conjunta entre Israel e os EUA. O valor é calculado em 95 biliões de dólares. Nas palavras da agência de informação France Presse: "ISRAEL TEM GÁS SUFICIENTE PARA SE TORNAR NUM EXPORTADOR".
Segundo a companhia exploradora petrolífera Noble, "esta descoberta de gás natural nas profundidades marinhas é a maior de toda a década a nível mundial, com reservas de gás natural suficientes para suprir as necessidades de Israel por 100 anos."
Impressionante, sem dúvida! Mas nada de espantar para os estudiosos das profecias bíblicas (incluo-me singelamente nesse número), pois acreditamos que nos "últimos dias" Israel tornar-se-á numa nação muito rica em petróleo, causando a inveja dos vizinhos estados árabes e provocando a invasão num futuro próximo a partir do Norte, ou seja, a Rússia e seus aliados. E não estamos a especular! Existem evidências bíblicas para estas suposições:
"Depois chamou Jacó a seus filhos, e disse: Ajuntai-vos, e anunciar-vos-ei o que vos há de acontecer nos dias vindouros." - Génesis 49:1
"Pelo Deus de teu pai, o Qual te ajudará, e pelo Todo-Poderoso, o Qual te abençoará com bênçãos dos altos céus, com bênçãos do abismo que está embaixo..." (petróleo?) - Génesis 49:25. Nota: não serão as "bênçãos do abismo que está embaixo" uma clara referência à extracção do petróleo das profundezas da terra e do mar?
"E de José disse: Bendita do Senhor seja a sua terra, com o mais excelente dos céus, com o orvalho e com o abismo que jaz abaixo. (não serão as riquezas petrolíferas?)" - Deuteronómio 33:13
"Eles chamarão os povos ao monte; ali apresentarão ofertas de justiça, porque chuparão a abundância dos mares e os tesouros escondidos da areia" - (não será uma referência às reservas petrolíferas?) Deuteronómio 33:19.
"Dar-te-ei os tesouros escondidos, e as riquezas encobertas, (não será uma alusão ao petróleo escondido debaixo da terra e do mar?) para que saibas que Eu sou o Senhor, o Deus de Israel, que te chama pelo teu nome." - Isaías 45:3
"Depois de muitos dias serás visitado (Gog). No fim dos anos virás à terra que se recuperou da espada, e que foi congregada dentre muitos povos (Israel), junto aos montes de Israel, que sempre se faziam desertos; mas aquela terra foi tirada dentre as nações, e todas elas habitarão seguramente. Então subirás, virás como uma tempestade, far-te-ás como uma nuvem para cobrir a terra, tu e todas as tuas tropas, e muitos povos contigo (coligação Rússia-Irão e outros párias). Assim diz o Senhor Deus: E acontecerá naquele dia que subirão palavras no teu coração, e maquinarás um mau desígnio, e dirás: subirei contra a terra das aldeias não muradas; virei contra os que estão em repouso, que habitam seguros; todos eles habitam sem muro, e não têm ferrolhos nem portas; a fim de tomar o despojo, e para arrebatar a presa (despojo e presa = riquezas físicas), e tornar a tua mão contra as terras desertas que agora se acham habitadas, e contra o povo que se congregou dentre as nações, o qual adquiriu gado e bens, e habita no meio da terra. Sebá (os actuais Yemen e Etiópia) e Dedã (provavelmente a norte da Arábia Saudita), e os mercadores de Társis (provavelmente sul de Espanha?), e todos os seus leõezinhos te dirão: Vens tu para tomar o despojo? Ajuntaste a tua multidão para arrebatar a tua presa? Para levar a prata e o ouro, para tomar o gado e os bens, para saquear o grande despojo?" (não será este "grande despojo" a riqueza petrolífera de Israel?)- Ezequiel 38:8-13.
Sem dúvida que estamos vivendo dias de grande excitação profética. Israel já voltou à sua terra, após 2 mil anos de dispersão. Israel já é uma potência económica, e isto em apenas 62 anos! Deus prometeu abençoar aquela nação com riquezas materiais, e aí estão as confirmações. Ezequiel adianta que será "a riqueza, os tesouros" económicos que Israel possui que irão despertar a cobiça dos inimigos do Norte, provavelmente da Rússia, fazendo-os querer "saquear o grande despojo"...
Quem tiver olhos para ver, veja, e prepare o seu coração para os próximos e fascinantes eventos!
Shalm, Israel!

quarta-feira, dezembro 29, 2010

BRASIL TERÁ PRIMEIRA EMBAIXADA DA "PALESTINA"

Num acto verdadeiramente ignóbil, num mundo mais parecido com o virtual do que com a realidade, o Brasil prepara-se para participar num dos mais polémicos momentos da sua história recente, ao cometer um verdadeiro acto de ilegitimidade, não só no reconhecimento de um inexistente "estado palestiniano", mas no lançamento da primeira pedra de uma futura embaixada da "Palestina", esta sexta-feira, pelas mãos do próprio presidente da Autoridade Palestiniana, Mahmoud Abbas. Esta inexplicável medida prossecutória de uma tendência cada vez mais acentuada dos governos do PT (Lula + Dilma) de apoiarem cada vez mais os palestinianos, não tendo em conta os acordos e muito menos as regras internacionais, põe certamente em causa a credibilidade do governo brasileiro em questões internacionais, o que sinceramente muito deploramos...
Na foto acima pode ve-se o "entendimento" que Abbas tem da "Palestina": nada mais nada menos que toda a Terra de Israel. Ele não deixa por menos...
Na sexta-feira o presidente da AP lançará então a primeira pedra da futura embaixada em Brasília, e no sábado este "digníssimo chefe de terroristas" participará na tomada de posse da nova presidente do Brasil Dilma Rousseff. Tudo bons amigos...
Israel já fez saber ao Brasil que o reconhecimento de um estado palestiniano é uma clara violação do Acordo Interino assinado entre Israel e a Autoridade Palestiniana em 1995, numa referência aos Acordos de Oslo feitos entre as duas partes.
Claramente o Brasil quer tornar-se numa voz ouvida e respeitada no mundo, só que está tomando posições erradas, violando os princípios de ética nas relações internacionais. Com governos assim, é caso para perguntar: para onde vai o Brasil?
Mas o Brasil não está só nesta amálgama de disparates: logo a Argentina, o Uruguai e a Bolívia se apressaram a repetir a façanha: reconhecer um estado pirata dentro de um outro estado reconhecido pelas Nações Unidas...! E como isto já "virou moda" na América Latina, eis que o Paraguai se apressa também a reconhecer unilateralmente a "Palestina"...
Lamentamos o futuro destes países, pois os seus líderes estão provocando a ira de Deus, lembrando-nos as palavras do salmista: "Por que se amotinam os gentios, e os povos imaginam coisas vãs? Os reis da terra se levantam e os governos consultam juntamente contra o Senhor...Aquele que habita nos céus se rirá; o Senhor zombará deles. Então lhes falará na Sua ira, e no Seu furor os turbará." - Salmos 2:1-5.
"Congregarei todas as nações, e as farei descer ao vale de Jeosafá; e ali com elas entrarei em juízo, por causa do Meu povo, e da Minha herança, Israel, a quem elas espalharam entre as nações e repartiram a Minha Terra." - Joel 3:2.
Shalom, Israel!

terça-feira, dezembro 28, 2010

RETORNO A ISRAEL AUMENTA 16% EM 2010

Cumprindo um mandamento bíblico - e uma profecia para os últimos dias - há um número cada vez maior de judeus fazendo aliyah, ou seja, o retorno à Terra dos seus ancestrais, a Terra de Israel.
No final deste ano o aumento destes "retornados" será de cerca de 16% em relação ao ano anterior, fazendo deste o segundo melhor ano das recentes estatísticas do número dos que fazem aliyah.
Este número é no entanto em grande parte devido aos 1.650 judeus vindos da Etiópia, um elevado número se tivermos em conta que durante 2009 apenas 140 o fizeram. O governo de Israel resolveu recentemente ajudar os últimos etíopes "Falashmura" a retornarem a Israel nos próximos quatro anos.
Houve também um significativo crescimento dos "olim" - novos imigrantes judeus - oriundos da América do Sul. A maior parte ainda continuam a ser os oriundos das ex-repúblicas soviéticas. Nos EUA houve um aumento de 6% face ao ano anterior.
A Agência Judaica está investindo muito na possibilidade de judeus americanos fazerem aliyah, fazendo-o através da educação e do fortalecimento da identidade judaica, bem como no aprofundamento da ligação a Israel, na esperança de que muitos judeus americanos "voltem para casa".
O número total de judeus retornando à Terra durante 2010 deverá ser de 19.130, sendo 3.980 dos EUA, 760 da Grã-Bretanha, alguns milhares da Rússia, e algumas centenas de países europeus, Austrália e Índia. Há um aumento muito grande da Venezuela, onde o regime se aproxima cada vez mais do Irão, fazendo com que 150 tenham decidido retornar a Israel, um fenomenal aumento, tendo em conta os 38 que o fizeram em 2009. Há também grandes aumentos do México, Peru e Argentina.
Jerusalém continua a ser a cidade mais procurada pelos novos olim, e isto apesar dos elevados custos de vida da cidade.
Sem dúvida que este processo se enquadra no ideal sionista moderno, mas muito mais ainda nas profecias que mencionam o regresso dos judeus "das extremidades da terra" nos últimos dias para a Terra da Promessa, Eretz Israel.
E como o nosso coração e os nossos olhos se alegram vendo Deus a cumprir integralmente aquilo que prometeu!
Shalom, Israel!

domingo, dezembro 26, 2010

"NÃO ACEITAREI AS MENTIRAS DA TURQUIA!"




Avigdor Lieberman, ministro das Relações Exteriores de Israel, afirmou que a contínua reivindicação turca de um pedido de desculpas por parte de Israel "ultrapassa o bom senso". Segundo ele, deveria ser o governo turco a pedir desculpas por apoiar o terrorismo, mandando um recado ao seu congénere turco que Israel enviou ajuda humanitária à Turquia em 2007.
Estas airmações claras de Lieberman tiveram lugar apenas algumas horas depois de o polémico barco "Marmara", o cabecilha da flotilha que tentou violar as águas de Israel em Maio passado, chegar a Istanbul, onde foi aplaudido por milhares de apoiantes dos palestinianos, que gritavam: "Morte a Israel".
Numa conferência com embaixadores, o ministro foi bem claro: "Não aceitarei as mentiras que estamos sempre ouvindo". Esta foi uma "resposta" às afirmações do seu congénere turco, Ahmet Davutogiu, que terá no passado sábado afirmado que o seu país está disponível para restabelecer relações com Israel, mas que as lutas internas presentes na coligação governamental impediam que tal acontecesse.
"Ouvi as mentiras e as falsas promessas feitas pelo ministro das Relações Exteriores, que disse: 'Olhem, nós estamos dispostos para cooperar com Israel, vejam como nós viemos ajudar Israel no incêndio do monte Carmelo. Se isso acontecesse connosco, eles não o fariam'... Pois eu quero lembrá-lo do terramoto de 2007, quando lhes enviámos delegações que ficaram lá durante semanas. Nós trabalhámos, e não ouvimos uma única palavra" - adiantou Lieberman.
Em relação ao pedido de desculpas exigido por Ancara, Lieberman retorquiu: "Se alguém tem de pedir desculpas é o governo de Ancara por apoiar o terrorismo, o IHH, o Hamas e o Hezbollah. Não haverá pedido nosso de desculpas, antes pelo contrário, aguardamos um da parte de Ancara."
Em relação ao "processo de paz" com os palestinianos, Lieberman afirmou aos diplomatas presentes no encontro que rejeita essa noção de paz proposta pelos palestinianos: "Mesmo que oferecessemos Tel Aviv para ser a capital de um estado palestiniano e regressássemos às fronteiras de 1948, eles encontrariam mesmo assim alguma forma de não assinarem um acordo."
Assim é. Não temos dúvida que para os palestinianos, um acordo com Israel só será válido quando o último judeu tiver sido atirado ao mar. Essa é a noção que essa gente tem acerca de um acordo de paz. Eles simplesmente querem é tudo, a terra inteira, e os judeus para fora, e para longe...
A certeza que tenho contudo, baseada e fundamentada nas promessas de Deus é que tal nunca acontecerá. Antes pelo contrário, Israel crescerá ainda mais e tornar-se-á o centro do mundo, independentemente da vontade dos homens.
Shalom, Israel!

sexta-feira, dezembro 24, 2010

quinta-feira, dezembro 23, 2010

UNIÃO EUROPEIA "DESPEJA" DINHEIRO PARA OS PALESTINIANOS

A braços com uma crise económica sem precedentes, a União Européia não vê problemas em financiar os "amigos" da Autoridade Palestiniana, chegando ao ponto de nos acordos e contratos tratar a AP como "Palestina"... Parece que a doença começada por Lula da Silva se pegou também à Europa dos 27...!
O anúncio da primeira entrega de uma tranche para 2011 no valor de 100 milhões de euros foi feito hoje pela responsável das Relações Exteriores da UE, Catherine Ashton, sob o pretexto de "ajuda". Desse "bolo" sessenta milhões serão para pagar salários e pensões para trabalhadores e funcionários ditos "essenciais", em especia pessoal médico e professores. O restante será canalizado através dos programas de ajuda das Nações Unidas.
E a sra. Ashton foi bem clara: "Esta decisão é um sinal do forte compromisso político e financeiro da União Europeia com a Autoridade Palestiniana e com a liderança do Primeiro Ministro Salam Fayyad, na construção de um estado palestiniano viável e democrático" - afirmou a ministra, mostrando claramente de que lado está no incessante debate sobre se a existência de um estado palestiniano é desejável para uma estabilidade do Médio Oriente. Segundo ela, "um estado palestiniano é crítico para qualquer solução duradoira, pacífica e viável do conflito."
Esta "ajuda" será adicionada aos 696 milhões de euros já oferecidos pela UE à AP, bem como a outros 265 milhões doados individualmente por países da União Européia.
Entretanto, a prometida ajuda de Obama a Israel para o sistema de defesa anti-míssil está só nos papéis, não se sabendo quando e se será realmente concedida. O primeiro ministro israelita já anunciou que fará tudo para ir baixando a dependência israelita da ajuda norte-americana. É que com Obama à frente, tudo pode acontecer...
No caso da União Européia, não é para admirar. A política da UE estará cada vez mais sintonizada com a agenda do emergente Anticristo - certamente um europeu - pelo que essa ajuda é de facto "entre amigos" que perderam completamente o sentido da moral e da justiça. É esta Europa que boicota produtos de Israel, que agora esbanja o tão necessário dinheiro com um grupo de indivíduos que nunca sairão do seu vício da subsídio-dependência e que visam, acima de qualquer outra coisa, a aniquilação de um estado legítimo, trabalhador e produtivo: Israel. Só não produz terroristas...
A Europa está condenada. Tem ao longo deste ano tido sérios avisos do desagrado de Deus quanto às suas posturas anti-israelitas. Mas não aprende...
Shalom, Israel!

segunda-feira, dezembro 20, 2010

ANTI-SEMITISMO EM AMESTERDÃO "EMPURRA" JUDEUS PARA ISRAEL

Sempre defendemos que serão as circunstâncias adversas que "empurrarão" os judeus a fazerem "aliyah", ou seja, o retorno à Terra Prometida. Quando há poucos anos atrás a Argentina passou por uma dolorosa crise financeira, muitos judeus argentinos viram-se forçados a emigrar para Israel, estabelecendo-se e sendo bem sucedidos na Terra da Promessa.
E assim creio que irá acontecer com muitos dos judeus espalhados pelo mundo fora. Especialmente da Europa, que está assistindo a uma preocupante vaga de anti-semitismo, só comparável à que experimentou nos anos antecedentes à 2ª Guerra Mundial. A presença de milhões de muçulmanos na Europa está provocando uma influência perversa anti-sionista na população, para além do vertiginoso crescimento dos partidos de extrema-direita que começam a marcar terreno nas governações europeias.
O caso mais recente é o do filho de um conhecido rabi em Amesterdão que anunciou os seus planos de partir para Israel por causa do anti-semitismo. Benzion Evers, filho do conhecidíssimo rabi Raphael Evers, disse ao jornal De Telegraaf que se sente "sufocado e enjaulado" no seu país natal devido aos sentimentos anti-semitas.
"Estou farto dos abusos verbais e das lutas de rua" - confessou ao Het Parool, outro jornal holandês.
"Não é que não se possa sair de casa, mas temos que andar sempre a esconder-nos e a andar com muito cuidado" - explicou. E relatou as suas próprias medidas de precaução, que incluem evitar certas vizinhanças, e esconder o seu kippah (solidéu) quando anda em áreas com um elevado número de imigrantes muçulmanos.
Embora o anti-semitismo não seja incomum entre os imigrantes muçulmanos, especialmente os de Marrocos e da Turquia, há também um outro tipo de anti-semitismo comum na Holanda, afirmou Evers, um anti-semitismo "educado" disfarçado como anti-sionimo.
Cinco dos filhos da família Evers já deixaram a Holanda - acrescentou ele - e o seu próprio pai também planeia sair logo após a aposentadoria. Segundo Evers, mais de metade dos judeus ortodoxos acabam por sair do país.
Precisamente há uns dias atrás, o político holandês Frits Bolkestein afirmou que os judeus religiosos não têm futuro na Holanda devido ao anti-semitismo. Segundo Frits, "eles deveriam emigrar para os EUA ou Israel". Os seus comentários foram publicados no livro: "A Decadência: Judeus numa Holanda sem leme", por Manfred Gerstenfeld.
A principal causa da crescente hostilidade contra os Judeus é o "anti-semitismo entre holandeses de origem marroquina, cujos números continuam a crescer" - afirmou Bolkestein. Ele expressou dúvidas de que o governo seja capaz de combater o anti-semitismo e proteger os seus cidadãos judeus.
Os seus comentários controversos levantaram ondas de choque, levando o parlamento holandês a reunir-se para discutir o assunto.
No início deste ano o rabi-mor da Holanda, Benjamin Jacobs compartilhou com um jornal israelita a sua preocupação acerca do anti-semitismo holandês que segundo ele está-se tornando dominante. Disse que muitos cidadãos holandeses estão aborrecidos com o anti-semitismo, mas concluiu: "Tal como a situação se encontra hoje, o futuro dos judeus holandeses é partirem para Israel".
É assim que as profecias bíblicas nos informam sobre os acontecimentos destes últimos dias. Os judeus terão de uma forma ou outra voltar à sua Terra, para que tudo se possa cumprir segundo Deus nos anunciou. E já não falta muito...
Shalom, Israel!

sábado, dezembro 18, 2010

UM BELO EXEMPLO A SEGUIR: ANABAPTISTAS PEDEM PERDÃO AOS JUDEUS




Um grupo de anabaptistas (menonitas e membros do grupo amish) visitou recentemente Israel, numa emotiva demonstração de amor para com o Senhor e o povo de Israel. Tornou-se praticamente numa mudança histórica das relações e entendimento destes cristãos evangélicos para com a nação de Israel.

A declaração oficial feita pelo grupo demonstra o sentimento prevalecente nos seus corações, tornando-se num modelo para muitos "ditos evangélicos" que mantêm uma atitude de arrogância e ignorância para com Israel e para com os propósitos finais de Deus em abençoar o Seu "povo eleito"...

Eis a declaração dos irmãos amish e anabaptistas:

"À Nação e ao Povo de Israel:

Neste dia, nós, representando o povo anabaptista, humilhamo-nos e buscamos o vosso perdão pelo nosso pecado colectivo de orgulho e egoísmo ao termos ignorado o clamor do povo Judeu e da nação de Israel. Uma tragédia, que incluiu a aniquilação de 6 milhões de Judeus pelos nazis. Até mesmo nesta hora Israel encontra-se rodeado por todos os lados de países vizinhos comprometidos com a sua destruição.

Deus, na Sua soberania, abriu os nossos olhos para a promessa de Génesis 12:3 onde Ele afirma: 'Abençoarei aqueles que te abençoarem e amaldiçoarei aqueles que te amaldiçoarem'. Ao ter graciosamente aberto os nossos olhos para a gravidade desta promessa, temos ficado como corpo profundamente convencidos da realidade que a nossa ignorância colectiva do sofrimento judeu é de facto nada menos que uma rejeição histórica dos Judeus, tal como uma maldição. Para nossa vergonha não vos temos levado em consideração.
Por isto, pedimos o vosso perdão.

Além disto, publica e abertamente vos abençoamos a vós e ao povo de Israel. Nós vos abençoamos como descendentes de Abraão, segundo Génesis 12:1-3. Esta promessa dada a Abraão é sobre vós, seus descendentes, para toda as gerações futuras. Nós vos abençoamos por terdes mantido viva a fé no único Deus verdadeiro. Escolhemos honrar-vos como nossos pais na fé, e iremos encorajar outros e as gerações futuras a assim procederem.

No âmago dos nossos corações está um desejo apaixonado de ver o cumprimento de Amós 9:11-12: 'Naquele dia tornarei a levantar o tabernáculo caído de David, e repararei as suas brechas, e tornarei a levantar as suas ruínas, e o edificarei como nos dias da antiguidade. Para que possuam o restante de Edom, e todos os gentios que são chamados pelo Meu Nome, diz o Senhor, que faz essas coisas.'

Nós abençoamos as vossas fronteiras prometidas por Deus tanto a Norte, Sul, Este e Oeste, para que possais prosperar e cumprir a vossa chamada para as nações.

Oramos pela paz em Jerusalém, segundo o mandamento bíblico no Salmo 122.6.

No nosso quebrantamento e contrição, não descansaremos nem de dia nem de noite, até que Ele estabeleça Jerusalém e faça dela um louvor para toda a terra. Isaías 62:6-7.
Com incessante amor a Sião,
A Nação Anabaptista, vossos irmãos e irmãs Amish e Menonitas"
Que belo exemplo para todos nós! Certamente Deus irá mover muitos mais corações a terem essa mesma atitude de contrição, respeito e de bênção para com o povo que Ele na Sua soberania escolheu para ser uma luz para as nações.
Shalom, Israel!

sexta-feira, dezembro 17, 2010

HOJE É UM DIA DE LAMENTO EM ISRAEL

Hoje, sexta-feira, é o 10º dia do mês hebraico de Tevet, um dia de jejum em que os judeus recordam o cerco a Jerusalém que precedeu a destruição do Primeiro Templo e o exílio babilónico. O cerco está descrito na Bíblia no Livro dos Reis.
O dia é também a altura em que são feitas orações de lamentações pelas vítimas do Holocausto cuja data da morte é desconhecida. Muitos judeus religiosos lamentam pelo Holocausto neste dia (1oº de Tevet) em vez da data escolhida pelo governo israelita no mês hebraico de Nissan.
O dia 10 de Tevet é observado como dia de jejum desde a manhã até ao pôr do sol. É o único dia inteiro de jejum que pode ser numa sexta-feira.
Um outro evento que é lamentado no dia 10 do mês de Tevet é o dia em que o rei Ptolomeu do Egipto forçou os sábios judeus a traduzirem a Bíblia Hebraica para o grego. Essa tradução foi usada por aqueles que tentaram assimilar os judeus na cultura grega, formando mais tarde a base da Bíblia Cristã, que segundo os judeus foi por muitos anos utilizada para promover a perseguição aos judeus.
Um outro evento que é lamentado neste dia é a morte de Esdras, o escriba, que conduziu os judeus do exílio na Babilónia para Jerusalém e dirigiu a construção do Segundo Templo.
Apesar do lamento dos judeus pela tradução da Bíblia Hebraica para a língua grega, a chamada Septuaginta, a verdade é que isso foi uma grande bênção para o mundo, uma vez que possibilitou o acesso do mundo não-judaico à revelação de Deus nas Santas Escrituras! A acusação de que isso serviu para perseguir os judeus não é justa, uma vez que quem perseguiu os filhos de Israel não foram os verdadeiros conhecedores e seguidores da Bíblia, mas sim aqueles que ou a desconhecem ou a distorcem a seu bel prazer. Esta é a realidade. Ainda nos dias de hoje...
Shalom, Israel!

quinta-feira, dezembro 16, 2010

ANTIGA ESTÁTUA ROMANA "DEVOLVIDA" PELO MAR EM ASHKELON

O mar tem destas coisas: fica bravo e assusta toda a gente. Mas desta vez a tempestade marítima trouxe às praias de Ashkelon uma maravilha: nada mais nada menos que uma belíssima estátua romana em mármore branco com uns 1.800 a 2.000 anos, representando uma mulher vestida de toga e calçando sandálias. Jornalistas e fotógrafos foram convidados anteontem a virem presenciar e documentar esta verdadeira obra prima da arte romana.
A estátua tem uma altura de 1,2 metros, e apareceu quando uma ribanceira despencou no mar após a tempestade que ali se abateu na semana passada. Quando a agitação marítima cessou e as ondas voltaram ao seu normal, a estátua surgiu no lugar daquilo que já foi um antigo porto.
A imagem pesa uns 200 kgs e é indubitavelmete do período da ocupação romana da Judéia.
O mar traz destas surpresas...
Shalom, Israel!

quarta-feira, dezembro 15, 2010

À PROCURA DE SODOMA...

A Rússia assinou um acordo com a Jordânia para pesquisa do fundo do Mar Morto, na busca das ruínas das antigas cidades bíblicas de Sodoma e Gomorra. Segundo notícias transmitidas pela imprensa árabe, uma empresa russa acordou em conduzir a pesquisa em cooperação com as autoridades da Jordânia, suportando todos os custos - em troca de direitos exclusivos para filmar um documentário da busca. A notícia citou um dos responsáveis jordanianos pelo projecto, Zia Madani, como tendo afirmado que a pesquisa se vai iniciar no final de Dezembro.
A empresa russa escolhida para parceira da busca dispõe de equipamento especial para pesquisa submarina que pode suportar a extrema salinidade das águas do Mar Morto.
Os arqueólogos bíblicos têm várias teorias acerca do local onde estarão situadas Sodoma e as cidades circunvizinhas. Segundo a Bíblia, Deus destruiu Sodoma, Gomorra e 3 outras cidades por causa da sua decadência, pecado e iniquidade, transformando aquilo que era um vale fértil num árido deserto. Abraão, que orou pelas cidades, foi incapaz de impedir a destruição ordenada por Deus.
Arqueólogos e geólogos têm vindo a sugerir que um grande terramoto ou chuva de meteoros possa ter causado a destruição. As pesquisas têm estado centralizadas na área à volta do Mar Morto, e a moderna cidade de Sodoma e o sobranceiro monte Sodoma, feito praticamente de sal petrificado têm sido considerados como os lugares das antigas cidades.
No entanto, alguma evidência arqueológica tem surgido indicando que o lugar poderia ser na margem oriental do Mar Morto, com 2 localidades na actual Jordânia - Bab edh-Dhra e Numeira - consideradas como fortes candidatas. A pesquisa russo-jordaniana vai centralizar-se em Bab edh-Dhra, onde se situam alguns monumentos cristãos.
Segundo Madani, mais evidências de que as ruínas das cidades estarão localizadas na margem jordaniana do Mar Morto surgiram depois que recentes fotografias tiradas ao local pela NASA indicaram que o fundo do mar está repleto de restos e objectos não encontrados em outras partes do Mar. Segundo os jordanianos, Israel enviou recentemente um submarino para pesquisar o fundo do Mar Morto, mas descobriu que os objectos vistos nas fotos da NASA estavam no lado da Jordânia. A Jordânia não permitiu que Israel ali chegasse, sendo que é agora a Jordânia que tenta encontrar aquilo que acredita serem as ruínas das antigas cidades.
Esperamos ansiosos para ver os resultados...

Shalom, Israel!

segunda-feira, dezembro 13, 2010

SÍRIA INFORMOU O IRÃO DE QUE ERA "DEMASIADO FRACA PARA ATACAR ISRAEL"

O Wikileaks continua a fazer das suas, ao revelar informações que embaraçam os arrogantes e presunçosos deste mundo. Especialmente os políticos e os banqueiros...
Agora coube a vez à Síria, na pessoa do seu presidente, ao ser publicamente desmascarado e humilhado!
Segundo informações da Wikileaks, Teerão terá há cerca de um ano pedido à Síria para se juntar ao Irão e à sua milícia, o movimento terrorista Hezbollah, no caso de haver uma guerra com Israel, mas a Síria terá recusado. Esta notícia "escapou" da informação conseguida e publicada pela Wikileaks, a partir de um telegrama enviado da embaixada norte-americana na Síria e datado de 22 de Dezembro de 2009, sendo um dos documentos publicados pelo Wikileaks nestas últimas semanas. O telegrama referia-se à visita feita à Síria por oficiais de alta patente iranianos e à assinatura de um memorando de defesa e entendimento entre os dois países.
"A Síria resistiu alegadamente aos esforços iranianos para se comprometer com o Irão numa situação em que houvesse uma guerra entre o Irão e Israel ou entre o Hezbollah e Israel" - mencionava o telegrama, assinado por Chuck Hunter, o encarregado de negócios da embaixada dos EUA na Síria.
O telegrama mencionava uma fonte que foi propositadamente obliterada:
"xxxxxxxxxxx disse que oficiais iranianos estiveram na Síria para "fazer aliados", antecipando um ataque militar israelita. "Ele (um ataque israelita ao Irão) não é uma questão de "se", mas de "quando" - afirmou xxxxxxxxxxxxxxxx, informando o que os oficiais sírios tinham ouvido da parte dos seus parceiros iranianos. A resposta síria foi de dizer aos iranianos para não olharem para a Síria, Hezbollah ou o Hamas para 'combaterem esta batalha'."Dissemos-lhes que o Irão é suficientemente forte para desenvolver um programa nuclear e combater Israel"- disse a fonte, acrescentando: "Nós somos muito fracos".
Os iranianos sabem que a Síria tem condenado as ameaças israelitas e que denunciariam as operações militares israelitas contra o Irão. "Mas ficaram desagradados com a resposta de Assad (o presidente da Síria). Eles precisavam de ouvir a verdade" - disse xxxxxxxxxxx.
Aí está comprovada a debilidade dos inimigos de Israel! Todos ameaçam, mas ninguém quer confrontar "o inimigo comum"...
Shalom, Israel!

sábado, dezembro 11, 2010

"A RETIRADA DE GAZA FOI UM ERRO"

Dezenas de parlamentares seniores de toda a Europa comunitária visitaram o Museu Gush Katif em Jerusalém durante uma visita a Israel. O ministro do Likud Ayoub Kara juntou-se a eles, e todos conjuntamente acenderam as velas do Chanukah, num gesto de solidariedade com o povo judeu.
À medida que iam visitando o museu, os parlamentares iam comentando que a retirada unilateral feita por Israel da Faixa de Gaza em 2005, denominada "Desprendimento", foi um erro.
Segundo eles, a medida unilateral, resultado de anos de ataques terroristas foi vista pelos radicais islâmicos como uma vitória para a sua ideologia.
Segundo Rene Stadtewitz, chairman do partido alemão "Partido da Liberdade" os judeus israelitas deveriam construir em todo o território de Israel, particularmente na Judéia e Samaria. Na sua opinião, entregar terras não traz a paz, mas, pelo contrário, fortalece os terroristas.
Os parlamentarists visitaram a Judéia e a Samaria e notaram que muito do território de Israel pode ser visto a partir dos montes da Judéia e da Samaria, tornando uma retirada da região algo extremamente perigoso.
Kara apelou a que Israel construa relações fortes e próximas com os parlamentaristas, membros do partido europeu "Nova Direita", que apoia Israel e se preocupa com o extremismo islâmico. Segundo Kara, o partido "Nova Direita" tem interesses partilhados com o povo e o estado de Israel.
Israel retirou-se de Gaza e removeu à força milhares de judeus das suas casas na região, apesar de nada terem recebido em contrapartida da Autoridade Palestiniana. Após a retirada de Gaza, os terroristas aumentaram os seus ataques com morteiros e foguetes no sul de Israel, numa escalada de violência até à "Operação Chumbo Pesado" no início de 2009, que reduziu drasticamente o número de ataques palestinianos.
As velas que os parlamentaristas acenderam estavam colocadas num candelabro especial construído com invólucros de morteiros disparados pelos terroristas a partir de Gaza contra os cidadãos israelitas de Gush Katif. O candelabro (menorah) foi criado por Gideon Rivlin, um residente de Gush Katif e pai de cinco filhos, e que mais tarde foi assassinado num ataque terrorista.
Shalom, Israel!

terça-feira, dezembro 07, 2010

GOVERNO BRASILEIRO DE LULA RECONHECE "ESTADO PALESTINIANO"

Na sexta-feira passada, o presidente brasileiro Lula da Silva cometeu uma atrocidade para o seu próprio país ao reconhecer formalmente a Autoridade Palestiniana como "Palestina, um novo país árabe independente, dentro das fronteiras anteriores a 1967".
Lula da Silva reconheceu a "Palestina" numa carta enviada no dia 1 de dezembro ao presidente da Autoridade Palestiniana, Mahmoud Abbas, na qual "reconhece a Palestina, desejando que este reconhecimento ajude à existência de 2 estados, Israel e Palestina, que coexistam pacificamente e em segurança." Segundo Lula, esse reconhecimento "é o melhor caminho para a paz no Médio Oriente, objectivo que interessa a toda a humanidade".
A um mês da sua saída da presidência do Brasil, que se esperava em glória após 8 anos de sucessos, Lula da Silva acabou de escrever uma página negra na história do Brasil, atraindo dessa forma a ira e o desagrado de Deus.
O governo israelita criticou a medida, expressando a "sua tristeza e desapontamento", afirmando ainda que "o reconhecimento de um estado palestiniano é uma clara violação do acordo interino assinado entre Israel e a AP em 1995", uma referência aos chamados "acordos de Oslo".
Os EUA também condenaram a decisão do governo brasileiro, achando-a "severamente desorientada", acrescentando que a mesma é "um último fôlego de uma política externa conduzida por Lula e que estava substancialmente fora dos carris".
A política internacional de Lula tem optado por fazer alianças com parceiros muito duvidosos, como é o caso do presidente iraniano Ahmadenijad. Ao proclamar a independência de um estado palestiniano, certamente com o aval da futura presidente Dilma Roussef, o próximo governo brasileiro está enviando uma mensagem aos palestinianos de que não precisam de fazer a paz com Israel para serem reconhecidos como estado independente, o que é no mínimo muito grave e perigoso.
Mas a iniciativa de Lula não foi a única. Ontem mesmo a Argentina seguiu na mesma decisão, reconhecendo a "Palestina, um estado livre e independente dentro das fronteiras de 1967". A decisão foi ontem comunicada ao presidente da AP pela própria presidente argentina Cristina Kirchner.
Mais países da América Latina estão em linha para tomar as mesmas iniciativas, como é o caso do Uruguai, Bolívia e Equador.
Estas decisões não só violam as regras internacionais, como dão crédito a uma reivindicação ilegal aos olhos da lógica - criar um estado dentro de um outro estado - mas muito pior ainda aos olhos de um Deus que não deixará que desta atitude de provocação aos Seus planos não advenham consequências funestas para essas nações.
Que Deus tenha misericórdia!
Shalom, Israel!

segunda-feira, dezembro 06, 2010

AS MARCAS DO MAIOR INCÊNDIO QUE ISRAEL JÁ SOFREU

O cálculo feito pelo gabinete do primeiro-ministro aponta para 150 milhões de shekels de prejuízos causados pelo maior incêndio na história do moderno estado de Israel, para além de uma quantidade idêntica para a reflorestação e pavimentação das estradas destruídas.
250 casas foram também atingidas e necessitam de reparações.
A área ardida nos Montes Carmelo, até aqui considerada como a "pequena Suíça", devido às suas paradisíacas paisagens e pastos verdejantes espalhados no meio de idílicas aldeias e vilas tornou-se agora negra, causando não so um prejuízo paisagistíco como um perigo ecológico, uma vez que as florestas também produzem oxigénio.

O terrível fogo só foi extinto após 82 horas de intensos esforços em que milhares de bombeiros e militares se envolveram, com a ajuda de pessoal e aviões extintores vindos da Turquia, Rússia, Bulgária, Grécia, outros países europeus, e ainda dos EUA, com a cedência do maior avião tanque do mundo, o "Supertanker".

Cerca de 5 milhões de árvores foram destruídas, 74 estruturas completamente desfeitas no kibbutz Beit Oren, Ein Hod e Yemin Orde. Cerca de 17.000 pessoas foram evacuadas das suas habitações, hospitais, prisões e outras instituições.
Os pilotos dos aviões estrangeiros que vieram socorrer Israel receberam medalhas de honra da parte da Força Aérea de Israel. As palavras do comandante coronel Ronen Simhi, da base aérea de Ramat David dirigidas aos 192 membros das organizações estrangeiras que vieram ajudar Israel foram bem significativas: "Houve uma excelente cooperação. Uma parceria que ultrapassou fronteiras, línguas e culturas. Todos estavam focalizados numa só tarefa: salvar vidas e a paisagem do Carmelo. Na Força Aérea costumamos dizer que os amigos medem-se nos tempo de dificuldade. O estado de Israel achou-se em necessidade, no meio de um desastre. Vocês estiveram cá e provaram ser verdadeiros amigos."
A maior tragédia contudo foi a humana, tendo o fogo devorado a vida a 41 pessoas, a maior parte guardas prisionais que seguiam num autocarro num processo de transferência de prisioneiros. Foi hoje ainda confirmada a morte da chefe dos bombeiros da cidade de Haifa, a cidade mais próxima da zona do incêndio.
O rabino Ovadia Yosef, líder espiritual do Sha's, já veio dizer publicamente que o incêndio é um castigo de Deus pelas ofensas religiosas causadas pelos residentes na região, alegando que segundo o Talmud Babilónico, "o fogo só existe num lugar onde o Sábado seja profanado".
Outros líderes religiosos apelam a que o povo "sonde o coração" para ver qual será a causa que provocou este sério aviso de Deus.
Seja qual for a "mensagem", a tragédia é demasiado grande para se estar agora com especulações e conclusões tiradas ao virar da esquina. Só Deus conhece todas as razões, mas as lições a extraír deste "inferno" poderão ser muitas e esperamos que Israel as aprenda.
Shalom, Israel!

quinta-feira, dezembro 02, 2010

ACENDEM-SE OS CANDELABROS PARA A FESTA DO CHANUKAH

O primeiro candelabro anunciando o início das celebrações da Festa do Chanukah foi acendido ontem junto ao MURO OCIDENTAL (muro das Lamentações) pelo principal rabi dos sefarditas, Shlomo Amar, pelo Ministro da Educação Gideon Saar e pelo rabi responsável pelo Muro, o rabi Shmuel Rabinovich.
Quem não está nada contente com a aparição dos candelabros chanukah (9 braços) por todo o Israel são os palestinianos, que teimam em tentar negar a ligação judaica ao Muro e à própria Terra de Israel. Segundo os muçulmanos, Maomé amarrou o seu burro junto ao muro antes de ascender aos céus. Imaginação não lhes falta...
O Muro é uma das únicas ruínas que restam da destruição do Templo no ano 70 d.C., tendo sido escavado e mantido no seu estado original. O muro era parte do suporte para toda a estrutura onde estava sustentado o Templo e a esplanada do mesmo. A parte conhecida e "visível" é aquela tornada pública, mas há uma parte incomparavelmente maior e que é visitada por alguns grupos e cuja visita causa a maior admiração aos que por ali passam.
Nas nossas excursões - como será a de Agosto de 2011 - sempre incluímos esta parte importante nas nossas visitas na Cidade de Jerusalém.
Shalom, Israel!

terça-feira, novembro 30, 2010

MILHARES ORAM PARA QUE DEUS MANDE CHUVA PARA ISRAEL


Foram muitos milhares os que se juntaram ontem na grande praça do Kotel, junto ao famoso MURO DAS LAMENTAÇÕES, suplicando ao Deus Todo Poderoso que na Sua misericórdia envie as tão necessitadas e desejadas chuvas sobre a Sua Terra de Israel.
Há cerca de 50 anos que Israel não via um Novembro tão seco como o deste ano, e as previsões indicam que a chuva não virá até meados de Dezembro, a menos que Deus intervenha, e é isso que todos ansiamos ver!
O judaísmo ensina que a Terra de Israel foi dada por Deus aos judeus e que ela receberá chuvas anuais no tempo certo e prosperidade desde que os judeus observem os mandamentos de Deus.
Esta mensagem está incluída, entre outros lugares, na oração "Shma Yisrael" que os judeus observantes fazem pelo menos duas vezes por dia, e que é uma das orações mais básicas do judaísmo. Ela contém uma promessa divina de que a chuva virá no tempo certo, desde que a nação de Israel faça a sua parte. Os versos são extraídos do Livro de Deuteronómio.
Oremos para que Deus faça o milagre, levando a nação de Israel a voltar-se mais para o Senhor Deus!
Shalom, Israel!

segunda-feira, novembro 29, 2010

ORAÇÕES POR CHUVA NO MURO DAS LAMENTAÇÕES

O principal rabi ashkenazi de Israel, Yonah Metzger, e o seu par sefardita, rabi Shlomo Amar, decretaram esta segunda-feira como dia de jejum e oração para que venha chuva, visto que a seca continua em Israel.
Os metereologistas não esperam chuva para esta semana ainda. A situação é tão grave que até os agricultores seculares dos kibbutzim - as famosas cooperativas agrícolas socialistas de Israel - são esperados em Jerusalém para se juntarem às orações.
Um sessão especial para que a chuva venha sobre Israel está marcada para esta tarde, às 3 e meia locais, na praça do Muro, e será dirigida pelos dois rabis. Nas sinagogas de todo o Israel serão também feitas orações à mesma hora.
Crê-se que haja uma grande concentração, uma vez que estão sendo feitos apelos às escolas, ao habitantes da Judéia e da Samaria e a toda a população disponível.
Há também um movimento mundial de oração promovido pela comunidades judaicas preocupadas com a situação.
Venha a chuva! Venha a bênção sobre a Terra de Israel!
Shalom, Israel!

sexta-feira, novembro 26, 2010

SUPREMACIA DAS FORÇAS DE DEFESA DE ISRAEL - AS IDF MAIS FORTES QUE NUNCA


Israel está criando uma vantagem militar estratégica que é sem precedentes na história do conflito israelo-árabe.
Uma série de inovações no mar, no ar e no terreno, que o inimigo não tem - e que não terá - está mudando completamente o equilíbrio de poder no Médio Oriente. Com estas inovações, as IDF estão-se tornando num exército inquestionavelmente poderoso e dissuasor.
Neste e no próximo ano Israel estará recebendo mais dois submarinos Dolphin feitos na Alemanha, os quais, juntando os desenvolvimentos tecnológicos israelitas neles instalados, passam a ser dos submarinos mais avançados do mundo. O número de submarinos na Marinha israelita passará a ser de 5. Segundo fontes internacionais, estes submarinos podem disparar mísseis balísticos e outros potencialmente nucleares.
Segundo estudos internacionais, este é o poder nuclear mais eficaz que Israel tem para deter o Irão.
Só outros cinco países é que têm submarinos balísticos com potencial nuclear: os Estados Unidos, a Rússia, a China, a França e a Grã-Bretanha. Após a chegada dos 2 submarinos a Israel, o país tornar-se-á na terceira potencia mundial nessa linha, à frente da China, França e Grã-Bretanha.
Os submarinos são móveis e evasivos, não podendo assim ser facilmente destruídos, e podem aproximar-se bastante do alvo a atingir. Foi por essas razões que a França decidiu anular completamente o seu arsenal de mísseis nucleares em terra e transformá-lo num arsenal de poder nuclear no ar e no mar. O elemento territorial, que sempre foi um problema em Israel, fica resolvido através dos submarinos.
Entretanto, o presidente Obama prometeu a Israel outros 20 bombardeiros "invisíveis" F-35, em troca do "congelamento" das construções em Jerusalém. Os primeiros 20 aviões serão pagos com a ajuda militar norte-americana a Israel. A vantagem deste aviões, com o custo de 2,7 biliões de dólares, é que não podem ser detectados pelos radares inimigos e podem descolar e aterrar verticalmente. Os aviões só chegarão daqui a quatro anos, no entanto a Força Aérea Israelita nessa altura já conseguirá voar por todo o Médio Oriente sem ser detectada.
Segundo relatos produzidos ainda durante este mês, as IDF estão também começando a receber o novo sistema de defesa anti-míssil para os seus tanques avançados. Actualmente os tanques israelitas de última geração Merkava 4 têm sido reforçados com o sistema, e a intenção é ir gradualmente equipando os tanques Merkava com o mesmo. O sistema inovador, produzido pela autoridade israelita em armamento, "Rafael", foi desenvolvido em Israel e é o único de seu género e capacidade no mundo. A sua qualidade é atestada pelo facto de os EUA quererem comprá-lo para as suas tropas no Afeganistão.
Esta "revolução" militar elimina a superioridade de estados como a Síria e de grupos terroristas como o Hezbollah, no que concerne aos mísseis anti-tanque. Após a Segunda Guerra do Líbano, o Hezbollah fez depender toda a sua doutrina militar investindo em milhares de mísseis anti-tanque, não se preocupando em comprar nenhuns tanques de guerra, devido a essa táctica de mísseis. No entanto, ao serem neutralizados esses mísseis, o Hezbollah ficará vulnerável à face do avanço das tropas israelitas. O mesmo acontece com a Síria e com os seus antiquados tanques.
É este desequilíbrio militar a favor de Israel que levará os seus inimigos a pensarem duas vezes antes de se meterem em alguma aventura...
Shalom, Israel!

quarta-feira, novembro 24, 2010

HEZBOLLAH RESPONSÁVEL PELA MORTE DE HARIRI

Uma reportagem de investigação feita pela cadeia de TV canadiana CBC comprovou que o grupo terrorista Hezbollah, que a soldo do Irão controla praticamente todo o Líbano, está por detrás do assassínio do antigo primeiro-ministro libanês Rafik Hariri, e que os investigadores da ONU têm provas contundentes desse facto.
A CBC comprova a acusação com a recolha de informações pelos investigadores da ONU, e que são "contundentes", além de gravações de telemóveis e outras comunicações relacionadas com o caso.
A CBC afirma que os investigadores convocaram uma empresa britânica especializada em comunicações, tendo-se descoberto que os portadores de 8 telemóveis tinham andado a monitorar os movimentos de Hariri nas semanas anteriores à sua morte. O relato acrescentou que um detective libanês chamado Wissam Eid já tinha conseguido descobrir a teia, tendo-a ligado ao Hezbollah, tendo sido morto em Janeiro de 2008 após ter enviado a sua informação aos investigadores da ONU.
Hariri foi assassinado em 14 de Fevereiro de 2005, quando explosivos foram detonados durante a viagem do seu carro próximo ao Hotel S. George, em Beirute. Outras 22 pessoas foram mortas na explosão.
Pouco antes da sua morte, Hariri tinha falado contra a forte presença e interferência síria no Líbano.
Terroristas são terroristas! E eles não olham a meios para atingir os seus fins! Vejamos agora o que a ONU, tão pronta a condenar Israel pelas suas "agressões" de legítima defesa fará em relação a este crime cometido por um dos grupos mais perigosos do mundo...

terça-feira, novembro 23, 2010

CONFERÊNCIA INTERNACIONAL "RESTAURANDO A HERANÇA PERDIDA" EM CASTELO DE VIDE

Castelo de Vide (Portugal) receberá entre 3 e 6 de Dezembro a "1ª CONFERÊNCIA INTERNACIONAL B'NEI ANUSSIM - RESTAURANDO A HERANÇA PERDIDA", um importante encontro que visa chamar a atenção da comunidade judaica internacional e do Estado de Israel para a realidade dos judeus Marranos / Anussim.
Este evento, no qual contamos estar presentes, é organizado pela ABRADJIN - Associação Brasileira dos Descendentes de Judeus da Inquisição, pela Câmara Municipal de Castelo de Vide e pela NETIVYAH - Bible Instruction Ministry, de Israel.
Os prelectores são de reconhecida qualidade, contando-se entre eles Elvira Cunha Mea, Esther Mucnik, Joseph Shulam, Lúcia Soares, Marcelo Guimarães, Pe Vítor Melícias, e outros.
A conferência incluirá visitas a locais de grande relevância para o conhecimento da história dos judeus portugueses e espanhóis. Poder-se-á no programa posterior visitar Castelo de Vide, Belmonte, Trancoso, Coimbra, Tomar e Lisboa.
Para obter todas as informações e eventualmente poder inscrever-se neste tão importante evento, consulte o site:

www.anussimconference.com/index_port.html

Shalom!


segunda-feira, novembro 22, 2010

JUDEUS DESAPONTADOS COM BENTO XVI

Os líderes judeus ficaram negativamente surpreendidos com as recentes afirmações proferidas pelo papa Bento XVI de que o seu predecessor, o controverso Pio XII, foi "um grande homem justo que salvou mais judeus do que qualquer outra pessoa". Na opinião dos líderes judeus, "esta afirmação é categoricamente contradita pelos reconhecidos registos históricos".
Estas afirmações do papa vêm inseridas no seu novo livro "Luz do Mundo: o Papa, a Igreja e o Sinal dos Tempos", a publicar amanhã, e em que Bento XVI afirma que o seu predecessor fez o que podia e não protestou mais claramente porque temia as consequências.
Muitos judeus acusam Pio XII - o chefe da Igreja Católica entre 1939 e 1958 - de ter fechado os olhos ao Holocausto. O Vaticano entretanto defende o "dotado de infabilidade" alegando que "ele trabalhou silecionsamente atrás dos bastidores, porque, se falasse, isso iria provocar represálias por parte dos nazis contra os católicos e os judeus na Europa."
Realmente trabalhou "tão silenciosamente" que nunca se percebeu nada que ele tenha feito para poupar os judeus da grande tragédia do Holocausto...
Pior ainda é a intenção do Vaticano de promover Pio XII a santo... este é um ponto actual de tensão entre as comunidades judaicas e o Vaticano.
Nada de admirar. O Vaticano é ao longo da História responsável por alguns dos mais nefastos crimes da humanidade, para não falar das pérfidas condutas dos seus líderes ao longo dos tempos. Não admira que este actual chefe do Vaticano tente "limpar a imagem" tão imunda que esta sinistra organização humana carrega, revisionando a História à sua maneira, manipulando e torcendo os factos que reconhecidamente contrariem a imagem "santa e infalível" que os seus líderes e responsáveis ostentam.
Shalom, Israel!

sexta-feira, novembro 19, 2010

FÁTIMA - A PRIMEIRA BONECA IRANIANA




A Barbie que se cuide: o Irão não fabrica só mísseis. Também fabrica bonecas, gravatas e até um software próprio tipo "messenger" para consumo interno.
Uma empresa iraniana lançou agora a nova boneca "Fátima", 100 % islâmica. Ora, e eu que pensava que a "Fátima" era 100% católica...
Até agora as crianças do Irão tinham de se contentar com 2 bonecas: a "Sara" e a "Dara", supostamente a "resposta iraniana" às depravadas Barbie e Ken, só que não conseguiam convencer o mercado a comprá-las. Mas a nova boneca tem um aspecto mais islâmico e menos iraniano, daí chamar-se "Fátima" - uma das filhas de Maomé.
Segundo um representante do fabricantes das bonecas, a idéia da boneca Fátima é "batalhar contra a invasão cultural dos inimigos do Irão." Segundo Hossein Sereshet, "ao criarem a Barbie e comerciá-la os ocidentais estão encorajando o não uso do véu e do hijab; todos estes factores levaram-nos a considerar como obrigação apresentar bonecas islâmicas ao mercado".
Mas as "modas" não se ficam pelas bonecas: eis que agora são apresentadas gravatas em forma de cimitarra, portanto respeitando os "valores islâmicos", incluindo frases proferidas pelo profeta Maomé. A espada representada na gravata representa a arma do shiita Iman Ali, primo e cunhado de Maomé, considerado um santo no Irão. Segundo o designer da gravata, a mesma recebeu aprovação de alguns dos professores shiitas iranianos.
Desde a revolução islâmica de 1979, a maior parte dos homens tinham deixado de usar gravatas, uma vez que elas "representavam o ocidente corrupto". Diz-se até que nos primeiros dias da revolução, os homens que envergassem gravatas eram presos e viam as suas gravatas serem cortadas.
Hoje em dia há homens no Irão que ainda usam gravatas em público, apesar de isso não corresponder às directivas dos líderes e clérigos religiosos do país.
Aproveitando a idéia, quem sabe se não veremos qualquer destes dias um outro "génio" a produzir gravatas em forma de míssel...
Shalom, Israel!

quinta-feira, novembro 18, 2010

CIENTISTAS PERFURAM 1.200 METROS ABAIXO DO MAR MORTO

Cientistas estão perfurando 1.200 metros abaixo do Mar Morto - a região mais baixa de toda a terra - de forma a examinarem a história geológica da área nos últimos meio milhão de anos (nota: este cálculo de anos baseia-se na especulação evolucionista).
Este projecto é promovido pelo Programa Internacional de Perfuração Continental (ICDP) e inclui a extracção do solo de uma "fatia de bolo" na parte norte do Mar, utilizando uma torre de perfuração especial. Este organismo tem realizado várias perfurações na crosta terrestre pelo mundo fora.
A equipa responsável é composta por cientistas da Universidade de Tel Aviv, do organismo da Pesquisa Geológica de Israel e da Academia Israelita de Ciências e Humanidades. Todos estes irão pesquisar a amostra a extraír através de equipamento de scanning de alta resolução.
Tanto o governo de Israel como o da Jordânia estão cooperando no projecto, bem como a Autoridade Palestiniana.
"Acreditamos que os resultados deste projecto terão vastas implicações nos campos da ciência e do ambiente, indo derramar luz em novos recursos naturais." - afirmou o professor Tzvi Ben-Avraham, da U. de Tel Aviv, e Motti Stein, da organização de Pesquisa Geológica de Israel.
Um cientista da Academia de Ciências e Humanidades de Israel explicou que os sedimentos a serem examinados irão mostrar as condições ambientais que existiam na região durante o seu passado geológico.
"Para além disso, o estudo histórico hidro-geológico-ambiental do Mar Morto ajudará a descortinar o mistério da evolução cultural humana nesta região" - acrescentaram Ben-Avraham e Stein.
Shalom, Israel!





terça-feira, novembro 16, 2010

JUDEUS SOBEM AO MONTE DO TEMPLO PARA ORAR POR CHUVA


Vinte e cinco estudantes da Escola Secundária Kiryat Arba (religiosa) subiram ontem ao Monte do Templo juntamente com o seu rabi para orarem por chuva. A oração que eles ali recitaram (Ve'anenu Borei Olam), é um acréscimo à oração feita pelos judeus ashkenazi quando as chuvas tardam em vir, tendo o rabinado-mor instruído que esta oração fosse incluída em todo o lado.
Tem estado um clima continuamente seco e quente em Israel, numa altura em que já se deveria estar na estação das chuvas. Esse problema tem inquietado os agricultores e levado os rabis a conduzirem orações especiais nas escolas religiosas (yeshivas) e sinagogas para que venha a tão desejada chuva.
O chefe dos rabis sefarditas de Israel, o rabi Shlomo Amar, pediu ao povo que pratique mais acções de bondade e para que se ore com fervor especial para convencer o Todo Poderoso de que Israel merece a mui desejada chuva.
As suas palavras fazem referência ao Livro de Deuteronómio, especificamente a um capítulo onde se diz que ao contrário das outras nações, as chuvas sobre Israel dependem das acções do povo judeu.
A ascensão dos 25 estudantes ao Monte é parte de uma série de subidas que são realizadas em memória de Yitzchak e Talia Imes, dois dos 4 judeus mortos num ataque selvagem perpretado por terroristas da Autoridade Palestiniana em 31 de Agosto.
Na semana passada, 60 estudantes da Yeshiva Susiya ascenderam também ao Monte.
Ambos os grupos foram guiados por Yehudah Glick, chairman do Fundo da Herança do Monte do Templo. Durante a passagem pelo Monte eles foram lendo Salmos e oraram para que em breve os judeus possam tomar parte em rituais religiosos no Templo reconstruído...
Assim será! Talvez mais cedo do que muitos pensam...
Shalom, Israel!

segunda-feira, novembro 15, 2010

CHÁ ISRAELITA APAIXONA INGLESES


Os chás israelitas produzidos na Galiléia estão a vender às toneladas na Grã-Bretanha, "viciando" muitos londrinos ansiosos pela "cup of tea" e qualquer hora do dia...!
O problema é que o bloqueio económico europeu a produtos "made in Israel", muito visível em Inglaterra, levou a que os importadores ingleses removessem a palavra "Israel", temendo que o produto não pudesse vender tão bem...
A Europa no seu anti-semitismo primário, que a levará a pagar um alto preço (Génesis 12:3)...
O chá inglês é produzido no vale de Jezreel por uma empresa denominada "The Spicy Way", e o sucesso das vendas no "país do chá" não pára de causar espanto a Avi Zithersphieler, fundador e dono da empresa israelita: "Quem iria pensar que iríamos conseguir vender infusões de chá no mercado mais exclusivista do género?" Para alguns, este sucesso de vendas do chá israelita no mercado inglês é como "vender gelo aos esquimós", no entanto sabe-se que os ingleses não produzem chá, tendo que o importar de várias regiões do mundo.
Apesar de Israel não ser um produtor de chá, a quinta da Spicy Way produz ervas medicinais e mesmo introduzindo alguns ingredientes importados, cerca de 50% das infusões são produzidas em Israel.
Os chás da Spicy Way conquistaram o mercado israelita, tendo aberto já 12 lojas franquiadas por todo o Israel, o que despertou a atenção de 2 importadores ingleses, que agora já distribuem o chá em 2 lojas de toda a cidade de Londres.
O chá é feito de ervas aromáticas e frutos secos, sendo que após o líquido ser ingerido, ficam os frutos que são depois comidos à colher, deixando os ingleses fascinados com o chá natural.
Uma da razões do sucesso tem a ver com a tendência dos ingleses em consumir produtos naturais, pelo que o chá israelita tem entrado dentro do quadro da "nutrição saudável".
Shalom, Israel!

sexta-feira, novembro 12, 2010

ARIEL SHARON REGRESSA A SUA CASA

O antigo primeiro ministro Ariel Sharon, em estado de coma desde há cinco anos, vai finalmente regressar a sua casa, no rancho Sycamore.
O processo de "transporte" do corpo de Sharon, em estado vegetativo não será fácil, pois requer a transferência de uma grande quantidade de material médico do hospital em que ele tem até agora estado internado. O comité de finanças do Knesset aprovou ainda a atribuição de um subsídio anual de 440 mil dólares para ajuda ao ex-primeiro ministro, agora com 82 anos.
Recorde-se que Sharon te estado neste estado de coma desde há quase cinco anos, após ter sofrido um ataque cerebral em Janeiro de 2006, cinco meses depois de o seu governo ter expulso perto de 10.000 judeus dos seus lares em Gush Katif (Gaza) e do norte da Samaria.
Nestes últimos dias o pessoal médico do hospital tem estado a treinar familiares de Sharon e outro pessoal para o uso de todo o equipamento que agora irá ser instalado na casa dos Sharon.
Apesar do estado em que Sharon se encontra, é opinião genérica que a mudança para a sua casa, rodeado de familiares e de um ambiente natural magnífico será muito mais benéfica para o doente do que estar confinado a um quarto de um hospital.
Shalom, Ariel, Shalom, Israel!

quinta-feira, novembro 11, 2010

ISRAEL JÁ É UMA SUPERPOTÊNCIA ECONÓMICA

"Israel é uma superpotência económica e estamos mais fortes do que nunca. Temos uma economia avançada que é mais forte do que aquilo que o público vê e sente" - afirmou Shlomo Maoz, membro da "Directoria do Desconto".
Esta declaração foi feita durante uma conferência internacional para o desenvolvimento do comércio realizada pela empresa Dr. Alter & Co.
Segundo Maoz, "atravessámos a pior crise económica no mundo e as nossas taxas de juro actuais são as mais baixas desde a 2ª Guerra Mundial. O shekel nunca esteve tão forte. Na maior parte dos países as taxas de juro estão baixas para encorajar a actividade económica.
Para além disso, há um crescimento visível no comércio global consequente dos planos de recuperação implementados por muitos países, incluindo os que se encontravam em boas condições."
Maoz acrescentou que "um dos problemas prementes em Israel é o da pessoa rica. Desde 2003 que Israel tem tido receitas positivas, um surplus. Israel tem experimentado uma revolução desde 1985, expresso pelo investimento na tecnologia militar, a absorção de imigrantes russos com formação tecnológica, bolsas oferecidas para pesquisa e desenvolvimento e a inauguração de novas universidades.
Todos estes factores têm levado o governo a diminuir o déficit, sendo por isso as taxas de juro bastante baixas, sendo que o público em geral tem acesso ao mercado de capitais."
Shalom, Israel!

domingo, novembro 07, 2010

ISRAEL VAI AJUDAR OS DESERTOS DO PLANETA A FLORESCEREM

Israel vai contribuir para que cerca de 200 milhões de pessoas no mundo, actualmente ameaçadas pela pobreza e pela fome possam encontrar uma solução para os seus problemas de sobrevivência.
Vai iniciar-se amanhã no deserto do Negueve, Israel, uma conferência internacional patrocinada por Israel e que durante 4 dias irá debater e ajudar os cerca de 500 participantes, oriundos de 50 países, a lidarem com o problema da seca e desertificação. O tema da conferência, a terceira do seu género, é: "Conferência sobre terras secas, desertos e desertificação: o caminho para a restauração", e será realizada no campus da Universidade Ben Gurion, em Sde Boker, localizado entre Bersheva e Eilat.
Mais de 500 representantes oficiais e académicos irão participar, incluindo da Autoridade Palestiniana e da Jordânia. A conferência é co-patrocinada pelo Instituto Arava para Estudos Ambientais e pela UNESCO.
"Se não se fizer nada contra a desertificação, as pessoas irão morrer à fome" . afirmou o professor Alon Tal, fundador do Instituto Arava e professor da Universidade Ben Gurion.
O sucesso israelita na reabilitação do deserto de Arava tem atraído as atenções do mundo para o estado judaico, onde 97 por cento da terra é árida. Israel não só fez "o deserto florescer", como tem feito grandes investimentos na aprendizagem de como impedir que as terras secas sobrepujem os terrenos férteis.
Devido à crescente erosão dos solos, salinização e mau uso dos recursos naturais, como os lençóis freáticos, Israel quer compartilhar os seus conhecimentos e soluções com o mundo.
Segundo o prof. Tal, "a desertificação tem-se tornado a órfã dos problemas globais ambientais no nosso planeta, por não ter estado no topo da lista de prioridades da maior parte dos países".
O professor acredita ainda que a reunião com todos estes académicos e representantes governamentais poderá servir como um "catalista para futuros projectos de cooperação e colaboração a nível global".
A realidade em Israel é nada menos que milagrosa: algumas partes do deserto do Negueve têm sido transformadas em autênticos celeiros, reduzindo significativamente o deserto desde 1948 (data da fundação do estado de Israel). Desde essa altura o Fundo Nacional Judaico tem estado plantando florestas e produções resistentes ao sal e à seca que estão florescendo como resultado de métodos agrícolas avançados. O deserto é também já marcado com pequenos pontos azuis, ou seja, viveiros de peixes e algas saudáveis para a produção de medicamentos e alimentos saudáveis.
O professor informou que as algas crescem melhor em regiões secas, sendo um exemplo de como o deserto pode até oferecer vantagens.
Para quem conhece as Escrituras proféticas, este é mais um sinal evidente do cumprimento daquilo que o Senhor prometeu que faria e daria a Israel nos últimos dias: "O deserto e o lugar solitário se alegrarão disto; e o ermo exultará e florescerá como a rosa. Abundantemente florescerá, e também jubilará de alegria e cantará...porque as águas arrebentarão no deserto e ribeiros no ermo. E a terra seca se tornará em lagos e a terra sedenta em mananciais de águas" - Isaías 35:1-2a e 6-7.
Israel pode e deseja ser uma bênção para o mundo inteiro!
Shalom, Israel!


sábado, novembro 06, 2010

REINO UNIDO RECONHECE "ESTADO PALESTINIANO"...

Num gesto inqualificável e absurdo, William Hague, secretário dos Negócios Estrangeiros para a Grã Bretanha, assinou quarta-feira passada um "tratado entre nações" com os líderes da Autoridade Palestiniana.
"Este acordo é o primeiro acordo bilateral de sempre entre as duas nações" - proclama o site oficial do Consulado Geral Britânico.
O tratado cobre a cooperação na indústria cinematográfica. Hague assinou um acordo semelhante com Israel.
Para além da sua referência ao "tratado entre nações", o site do Consulado Britânico refere-se também à visita de Hague aos líderes da Autoridade Palestiniana em Ramallah como "a sua primeira visita à Palestina" (!), aparentemente reconhecendo um novo país chamado "Palestina" antes mesmo que os próprios líderes palestinianos o tenham feito...!
Os líderes da AP, apoiados pelo mundo árabe, dizem que os árabes da Judéia, Samaria, Gaza e de Israel partilham a nacionalidade "palestiniana" e têm de ter um país próprio - a Palestina - na Judéia, na Samaria e em Gaza. Alguns líderes chegam ao ponto de disseminar nos mídia palestinianos que todo o Israel é na verdade "Palestina".
De acordo com entendimentos passados entre Israel e a AP, qualquer novo estado árabe na Judéia e Samaria só pode ser criado através de negociações, e não por declarações unilaterais. Líderes da AP têm estado recentemente ameaçando passar ao lado dos acordos e ir directamente às Nações Unidas de forma a receberem reconhecimento internacional para um novo estado, sem planearem com Israel as questões relacionadas com fronteiras e formas de segurança.
Varrida por uma onda de "islamofobia" (exemplos recentes: as recentes conversões ao Islão da cunhada do ex-primeiro ministro Tony Blair e da popular jornalista Lauren Booth, "Maomé" como o nome mais atribuído aos bébés nascidos em Londres...), a Inglaterra caminha para o ridículo e o condenável, numa clara violação ao senso comum e aos acordos internacionais, jogando ao lado dos árabes (o que lhe é politicamente muito correcto e necessário), mas atraindo a ira divina, à qual não escapam todos aqueles que se colocam contra os desígnios de Deus para com Israel e a Terra da promessa. Deus tenha misericórdia desses políticos, cegos pelos interesses materiais, ou talvez até atemorizados pelo poder diabólico do Islão que dia após dia vão deixando alojar-se estrategicamente nas suas terras outrora cristãs...
Shalom, Israel!

sexta-feira, novembro 05, 2010

ISRAEL "SALTA" PARA O 15º LUGAR NOS ÍNDICES DE DESENVOLVIMENTO HUMANO

Israel "pulou" 12 lugares no IDH- Índice do Desenvolvimento Humano do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento, alcançando a 15ª posição no recém publicado índice para 2010. Esta é a primeira vez na história de Israel que a nação atinge um padrão tão alto no IDH, ficando acima da Itália, Grã-Bretanha e Singapura. O IDH inclui 169 nações de todo o mundo.
Os 10 primeiros países nesta classificação de qualidade vida em 2010 são a Noruega, Austrália, Nova Zelândia, Estados Unidos, Irlanda, Lichenstein, Holanda, Canadá, Suécia e Alemanha. No fim da lista estão vários países africanos como a Libéria, Burkina Faso, Chade, Guiné-Bissau, Moçambique, República Popular do Congo, e, no fundo da lista, o Zimbawe.
A Ásia oriental é a região do mundo com maior progresso nos últimos 40 anos, liderado pela China e pela Indonésia. Os países árabes também têm conseguido bons progressos nestes últimos anos.
Olhando para as mudanças que tiveram lugar nos últimos 40 anos em 135 países - onde reside 92% da população mundial - a estatística demonstra que a média de esperança de vida subiu de 59 para 70 anos, a frequência em escolas primárias subiu de 55 para 70 por cento, e os rendimentos per capita duplicaram para mais de 10.000 dólares anuais.
Estes dados também referem os países de maior confiança para o investimento, sendo Israel um dos mais estáveis. O governador do Banco de Israel foi recentemente designado pela revista britânica Euromoney como sendo "o melhor governador de um banco central".
Shalom, Israel!

quinta-feira, novembro 04, 2010

UNESCO CLASSIFICA TÚMULO DE RAQUEL COMO MESQUITA...

Numa vergonhosa, ridícula e lamentável decisão, a UNESCO - Organização Educacional, Científica e Cultural das Nações Unidas - decidiu na semana passada reclassificar o túmulo de Raquel (uma das Matriarcas de Israel) como "mesquita", exigindo a Israel que remova esse sítio da sua lista do Património Nacional de Israel.
Não satisfeita, a UNESCO disse que Israel não tem direito a acrescentar o Túmulo dos Patriarcas em Hebron à mesma lista. Recorde-se que o Túmulo dos Patriarcas em Hebron é o local onde repousam os restos mortais da maioria dos patriarcas e matriarcas de Israel.
A resposta de Israel foi suspender imediatamente toda a cooperação com a UNESCO. O representante israelita para o Ministério das Relações Externas, Danny Ayalon, informou que a suspensão vigorará até que a UNESCO reverta a sua decisão.
Numa decaração transmitida na semana passada, o gabinete do Primeiro Ministro Benjamin Netanyahu lamentou a natureza ridícula da decisão da UNESCO:
"A tentativa para separar a Nação de Israel da sua herança é absurda. Se os sítios de sepultamento dos Patriarcas e Matriarcas da Nação Judaica - Abraão, Isaque, Jacob, Sara, Rebeca, Raquel e Leah - com cerca de 4 mil anos de existência, não são parte da sua cultura e tradição, então o que é que é um "sítio cultural nacional"?
Sítios como o Túmulo dos Patriarcas e o Túmulo de Raquel (na fronteira com Belém) representam realmente uma verdade inconveniente para o movimento pró-palestiniano e seus apoiantes, que pretendem afirmar que os Judeus não têm ligações históricas à Terra.
Mais uma vez a ONU prova ser tudo menos imparcial, ao ignorar a evidência histórica e abraçar o revisionismo islâmico...! Nada que nos admire...