sábado, setembro 21, 2019

VENHA COMIGO SUBIR A JERUSALÉM!



Contactos para a nossa próxima viagem a Israel 
(26 de Março a 2 de Abril de 2020):
viagens.shalom@gmail.com
www.viagens-shalom.com

terça-feira, setembro 10, 2019

NETANYAHU PLANEIA ANEXAR JUDEIA E SAMARIA

A uma semana das eleições parlamentares em Israel, Netanyahu pediu aos eleitores um "claro mandato" para aplicar a soberania israelita ao vale do Jordão e à área do Mar Morto, num esforço conjunto com a administração Trump, visando no futuro a anexação da própria Judeia e Samaria.
No anúncio dramático de hoje, Netanyahu prometeu anexar as bíblicas Judeia e Samaria, caso seja eleito, começando já pelo vale do Jordão e pela região do Mar Morto.
Netanyahu acrescentou que esta é a altura certa para avançar com este projecto, uma vez que tem a administração do presidente Trump a apoiá-lo, e Netanyahu anseia estabelecer fronteiras seguras em Israel, impedindo que a Judeia e a Samaria se tornem numa nova Gaza.
As últimas estatísticas demonstram que praticamente metade da população israelita é a favor desta medida.

Shalom, Israel!

segunda-feira, setembro 09, 2019

NETANYAHU REVELA "NOVO SÍTIO DE DESENVOLVIMENTO DE ARMAS NUCLEARES" NO IRÃO

"Sabemos o que andais a fazer, quando e onde o fazeis" - afirmou Netanyahu em forma de aviso a Teerão, numa revelação feita hoje a partir do seu gabinete, na capital Jerusalém.
O primeiro-ministro israelita referia-se ao agora descoberto e revelado novo sítio no Irão, em Abadeh, onde alegadamente se estará a desenvolver um novo projecto de desenvolvimento de armas nucleares.
Segundo Netanyahu, os locais por ele desmascarados publicamente no ano passado nas instalações de Turquzabad, possuem traços de urânio, facto já confirmado pelos inspectores das Nações Unidas presentes no local.

"NOVAS INSTALAÇÕES"
Netanyahu revelou hoje a existência de novas instalações iranianas "secretas", que denominou como "sítio de desenvolvimento de armas nucleares", em Abadeh, a Sul de Isafhan.
O primeiro-ministro revelou como o Irão tem andado a tentar esconder os traços de actividade nuclear nos locais denunciados. Segundo ele, em Turquzabad, o local foi arrasado e coberto com entulho - "literalmente tapado", acrescentou.
Tal como aconteceu com Abadah, logo que os iranianos se aperceberam de que Israel sabia aquilo que estava sendo preparado, trataram logo de correr para tapar todos os vestígios. Netanyahu mostrou fotos tiradas ao local "antes e depois", em Junho e Julho deste ano. E acrescentou: "É impressionante: de cada vez que denunciamos, eles tentam logo encobrir todos os vestígios!"

UM RECADO AOS IRANIANOS
Dirigindo-se aos iranianos, Netanyahu afirmou: "Sabemos o que andais a fazer, quando e onde o fazeis, e continuaremos a expôr as vossas mentiras e violações."
Netanyahu apelou ainda à comunidade internacional para que exerça "pressão, pressão e mais pressão" sobre o Irão, juntando-se às sanções impostas pelo presidente dos EUA, Donald Trump.

Shalom, Israel!



sexta-feira, setembro 06, 2019

ARQUEÓLOGOS ISRAELITAS JULGAM TER ENCONTRADO A "VERDADEIRA" EMAÚS QUE JESUS VISITOU APÓS A SUA RESSURREIÇÃO

O longo e antigo debate sobre a verdadeira localização da bíblica povoação de Emaús, conhecida como o primeiro lugar para onde o Messias Jesus caminhou com dois dos Seus discípulos após a Sua ressurreição, pode ter chegado a uma conclusão - pelo menos é assim que acreditam alguns arqueólogos israelitas.
A descoberta de muralhas massivas com 2.200 anos de uma fortaleza do período helenístico que se acredita terá sido construída pelo general selêucida que derrotou Judas Macabeu, o líder judeu ligado ao milagre do Hanuká, terá sido a "pedra de toque" para esta dedução.
Uma equipa franco-israelita tem estado desde 2017 a escavar uma colina voltada para Jerusalém, conhecida como Quiriate-Jearim, uma região onde se crê que a Arca da Aliança tenha permanecido durante 20 anos antes de ter sido conduzida a Jerusalém pelo rei David.
Tanto o reconhecido arqueólogo da Universidade de Tel Aviv Israel Finkelstein, como Thomas Romer, professor de estudos bíblicos no Colégio da França defendem que a colina de Quiriate-Jearim e a cidade adjacente de Abu Gosh deveriam ser identificadas como sendo Emaús.
AS ACTUAIS QUIRIATE-JEARIM E ABU GOSH
"A importância deste sítio e a sua posição dominante sobre Jerusalém, foram sentidas vezes sem conta ao longo das épocas: no oitavo século a.C., mais tarde durante o período helenístico, e depois mais uma vez após a primeira revolta dos judeus e o saque de Jerusalém no ano 70" - afirmou Finkelstein.
Judas Macabeu, um sacerdote que liderou a revolta judaica contra o império selêucida, foi derrotado e morto aqui no ano 160 d.C. pelo exército selêucida liderado pelo general Bacchides. Bacchides fortificou as cidades à volta de Jerusalém com grandes muralhas, incluindo a cidade bíblica de Emaús. Finkelstein e Romer acreditam terem encontrado as muralhas erigidas para fortificar Emaús.
Esta descoberta, a confirmar-se, terá amplas repercussões em toda a comunidade cristã mundial.

DISTÂNCIA CORRECTA
Segundo o relato do evangelista Lucas, Emaús distava de Jerusalém "60 estádios", uma distância que ronda os 10 quilómetros, exactamente a distância actual entre o sítio das escavações, Abu Gosh, e Jerusalém.
Esta descoberta arqueológica e suas conclusões serão apresentados daqui a um mês numa conferência a realizar em Jerusalém. 

Shalom, Israel!

quinta-feira, setembro 05, 2019

MOSAICOS DESCOBERTOS PERTO DO LAGO DA GALILÉIA PODEM REDEFINIR LUGAR DA MULTIPLICAÇÃO DOS PÃES E DOS PEIXES

Mosaicos anormalmente coloridos numa recém descoberta Igreja Bizantina do 6º século podem "recolocar" o lugar verdadeiro onde ocorreu o milagre da multiplicação dos pães e dos peixes para bem longe do lugar tradicional, ou seja: exactamente para o outro lado do Lago da Galiléia. A conclusão não é contudo pacífica, havendo discordância quanto ao verdadeiro lugar do milagre realizado pelo Messias Jesus há quase 2 mil anos.
Os mosaicos agora descobertos exibem peixes, pássaros e cestos com o que se julga serem pães, podem ser comemorativos do lugar da multiplicação dos pães e dos peixes. Esta é pelo menos a opinião do arqueólogo responsável pelas escavações, o Dr. Michael Eisenberg, da Universidade de Haifa.

Estes mosaicos coloridos foram descobertos durante as actuais escavações em Hippos-Sussita, em pleno Parque Natural Sussita, também conhecido como da "Igreja Queimada."
Estes mosaicos com um comprimento de 15 metros e 10 de largura fervilha com imagens de peixes, pássaros e 12 cestos plenos de frutos, flores e, segundo parece, pães. O lugar tradicional da multiplicação é em Tabgha, assinalado pela Igreja da Multiplicação ali erigida, e em cujo interior se pode encontrar também um pequeno mosaico contendo a gravura de 2 peixes em cada um dos lados de um cesto que também contém pães. 
Mas é a combinação de cestos carregados de peixes e pães que leva o arqueólogo a acreditar que este será o lugar verdadeiro do notável milagre de Jesus.

"O simbolismo por detrás (dos mosaicos) e o posicionamento da Igreja no local perfeito, sobranceiro ao Mar da Galiléia, onde a maior parte dos Seus (de Jesus) milagres tiveram lugar, significa que me sinto confiante de que o povo reconhecia e interagia com os lugares físicos e geográficos onde os milagres ocorriam" - afirmou o arqueólogo.
Segundo Eisenberg, os mosaicos exibem peixes, dois dos quais ocupam uma posição privilegiada no abside da Igreja, bem como 12 cestos, alguns dos quais cheios de romãs e talvez um com maçãs e flores. Outros cestos - assim ele acredita - chamam mais directamente a atenção para o bem conhecido milagre e estão repletos de pães. Um tem 5 pães, um ou dois têm 7 pães, e dois com 6 pães.

CONSTRUÍDA NO 5º E 6º SÉCULOS D.C.
A assim chamada "Igreja Queimada" foi construída em duas fases, na segunda metade dos séculos 5º e 6º - afirmou Eisenberg - e os mosaicos, incluindo pelo menos três inscrições, parecem ser do 6º século. 
Segundo o arqueólogo, um dos aspectos singulares dos mosaicos da "Igreja Queimada", é que "são muito simples, naive, e até charmosos na sua natividade. Foram encomendados pela população local, o que os torna ainda mais interessantes a nível de pormenores." Cerca de 20 por cento dos mosaicos ainda estão por escavar.

DOIS MILAGRES DE MULTIPLICAÇÃO DE PÃES E PEIXES
Segundo o relato contidos nos Evangelhos, Jesus realizou pelo menos 2 milagres de multiplicação de pães e peixes, tendo o primeiro sido realizado com 5 pães e 2 peixes, os quais, após multiplicados, serviram para alimentar uma multidão de 5 mil homens, sem contar mulheres e crianças. 
O segundo milagre, que alimentou 4 mil homens, foi realizado através da multiplicação de 7 pães e pequenos peixes.
É interessante que a primeira multiplicação foi para judeus, tendo os apóstolos recolhido 12 cestos de pães (para as 12 tribos). Na segunda multiplicação, houve sobras suficientes para encher 7 grandes cestos, sendo o número sete simbólico dos gentios. 
"Os peregrinos guardam a memória deste segundo milagre em Tel Hadar" - afirmou o Dr. Francesco Giosuè Voltaggio, arqueólogo e sacerdote católico na Galiléia. Tel Hadar fica localizada a cerca de 10 quilómetros a Norte da localidade de Hippos/Sussita onde se encontra a "Igreja Queimada."

MOSAICO DE TABGHA
O arqueólogo israelita Eisenberg reconhece o lugar tradicional da multiplicação como sendo Tabgha, mas sugere ao mesmo tempo que uma leitura cuidadosa do texto mostra algo de diferente: "Jesus caminhou sobre o mar em direcção a Tabgha após o milagre dos pães e dos peixes. Como é que o milagre poderia então ter ocorrido ali?" - questiona ele.
Ainda que alguns duvidem da existência de dois milagres de multiplicação de pães e peixes, alegando tratar-se apenas de dois relatos do mesmo milagre, a verdade é que a nova descoberta "reavalia a historicidade de dois milagres", que segundo os Evangelhos ocorreram nos dois lados do lago da Galiléia. 
"Os dois locais, Tabgha e Sussita, não se opõem" - afirmou Voltaggio.
Nem todos os arqueólogos partilham a mesma opinião de Eisenberg. Alguns acham que os cestos não contêm pães, mas sim frutos, tal e qual se pode ver em muitos outros mosaicos da época. Essa é pelo menos a opinião assumida pela Dra. Anat Avital, perita em mosaicos do período bizantino. 

UMA CONCEPÇÃO DIFERENTE DA "MENSAGEM" DOS MOSAICOS
Segundo a Dra. Avital, as imagens patentes nos mosaicos encontrados em Israel e na Jordânia são pare ser interpretadas literalmente, demonstrando assim que "se vieres à Igreja e acreditares em Deus, terás muitos e bons frutos para comer."
E acrescentou: "A representação de recompensa é simbólica de uma das coisas mais fundamentais nas nossas vidas: a necessidade de comer."
Na opinião desta perita nos mosaicos bizantinos, é raro encontrar arte simbólica nas Igrejas da época bizantina. Pelo contrário, "os artistas mostravam a vida terrena, as coisas mais indispensáveis à vida, como o ar, a água, comida e a protecção contra os inimigos, bestas, etc."
Para Avital, o número de cestos não tem qualquer significado, uma vez que "temos que entender que a maior parte das pessoas eram iletradas", e os mosaicos exibiam temas "de uma maneira simples de entender, não através de pistas, como nos dias actuais."
A conclusão é que nestas questões não há certezas absolutas, apenas "discussões saudáveis".
A verdade absoluta é que os milagres realmente aconteceram, e abençoaram milhares de homens e mulheres que na altura puderam constatar "ao vivo e a cores" o poder do Filho de Deus, e as bênçãos que Ele lhes providenciou através destas manifestações de solidariedade e misericórdia.

Shalom, Israel!

quarta-feira, setembro 04, 2019

NUMA RARA MAS JÁ HISTÓRICA VISITA À CIDADE BÍBLICA DE HEBRON, NETANYAHU AFIRMA QUE OS JUDEUS PERMANECERÃO "PARA SEMPRE" NESTA CIDADE DIVIDIDA

Celebra-se hoje em Hebron o 90º aniversário do massacre cometido em 1929 contra 67 judeus então residentes na cidade dos patriarcas, Hebron.
Durante as comemorações realizadas esta manhã, o primeiro-ministro israelita prometeu aos residentes judeus ali presentes que a cidade nunca será esvaziada da presença judaica.
"Viemos aqui em unidade pela memória, para expressarmos a vitória sobre os arruaceiros sedentos de sangue que há 90 anos cometeram este horrível massacre" - afirmou Netanyahu, acrescentando: "Eles estavam convencidos que nos haviam expulsado para sempre, mas cometeram um grave erro."
"Cumprimos a justiça histórica, e retornámos à cidade dos patriarcas. Hebron nunca será esvaziada de judeus."
"Não somos estrangeiros em Hebron, ficaremos aqui para sempre. Não viemos para desarraigar ninguém, mas ninguém tampouco nos irá desarraigar."
Nas suas intervenções, Netanyahu também elogiou os habitantes palestinianos de Hebron que, nas suas palavras, "arriscaram as suas vidas" para salvar judeus durante o massacre de 1929.

ANEXAÇÃO TOTAL DE HEBRON
Não são poucas as vozes que apelam no entanto à anexação total de Hebron. Tal foi o caso hoje da Ministra para a Cultura de Israel Miri Regev, que se juntou ao seu colega do Likud Yuli Edelstein, apelando a que Israel anexe a cidade bíblica de Hebron.
"Se não há Hebron, também não há Tel Aviv" - afirmou Regev, acrescentando: "O direito de Tel Aviv à existência está enraizado em Hebron, onde Abraão e Sara foram sepultados."

CONDENAÇÃO PALESTINIANA
Tal como seria de esperar, a condenação palestiniana a esta visita não se fez esperar. A Autoridade Palestiniana fez saber da sua condenação a esta visita, a primeira de um primeiro-ministro desde 1998, classificando-a como "provocatória" e com motivações políticas.
Alguns activistas palestinianos do movimento "Jovens contra os Colonatos" ergueram uma gigantesca bandeira palestiniana no local por onde Netanyahu e outros líderes israelitas iriam estar presentes para as comemorações.  
Segundo testemunhas, vários palestinianos atiraram pedra e foguetes contra soldados israelitas, no centro da cidade, tendo estes respondido com disparos de balas de borracha.

Shalom, Israel!