segunda-feira, abril 19, 2021

GRANDE INOVAÇÃO MÉDICA ISRAELITA PERMITE DIAGNÓSTICO IMEDIATO DO CANCRO DE PELE SEM NECESSIDADE DE BIÓPSIA

Em mais uma grande revolução médica, uma empresa tecnológica israelita está a produzir uma nova forma de os médicos poderem diagnosticar melanomas e outros cancros de pele em apenas 10 segundos, sem qualquer corte no corpo. 

Esta invenção de cientistas da universidade de Tel Aviv permitirá que o paciente não tenha que sofrer os sempre desconfortáveis exames de biópsia para efectivação do diagnóstico. Com este novo método, bastarão 10 segundos para se ter informação sobre alguma séria lesão da pele. 

Os cientistas tomaram partido do facto de que as lesões emitem cores diferentes quando submetidos à luz infravermelha, dependendo se são ou não cancerígenos, e, caso sejam, qual o tipo de cancro. Com esta nova tecnologia israelita é possível ter acesso às lesões através da utilização da luz enquanto elas se encontram no corpo da pessoa. 

Segundo o professor Abraham Katzir, da faculdade de ciências exactas de Tel Aviv, a tecnologia óptica "terá o potencial de provocar uma mudança dramática no campo do diagnóstico e do tratamento do cancro de pele."

Assim seja! Israel sempre na vanguarda!


sábado, abril 17, 2021

PÓRTICO DO TEMPLO DE BAAL NA SÍRIA VAI SER RECONSTRUÍDO PELOS RUSSOS

O mundialmente conhecido "Arco Triunfal de Palmira", na Síria, destruído quase totalmente pelo Daesh há 6 anos, vai agora ser reconstruído pelos russos. Este arco era o que servia como pórtico de entrada para o antigo templo de Baal.

Um mês depois da visita do chefe da Igreja Católica Romana à antiga Babilónia e Assíria, a notícia agora revelada é a de que os russos irão contribuir para ajudar os sírios a reconstruírem aquele símbolo do paganismo milenar. 

"(Manassés) tornou a edificar os altos que Ezequias, seu pai, tinha destruído, e levantou altares a Baal, e fez um bosque como o que fizera Acabe, rei de Israel, e se inclinou diante de todo o exércitos dos céus, e os serviu." (2 Reis 21.3).

As antigas ruínas de Palmira, a cerca de 200 quilómetros a Norte de Damasco, eram uma grande atracção turística, atraindo 105.000 visitantes por ano até ao início da devastadora guerra civil síria em 2011. Tanto o templo como grande parte da estrutura foram destruídos pelo ISIS em 2015. O Arco Monumental, uma peça central da estrutura que ficou quase completamente destruída, foi erigido durante o tempo do imperador romano Septimus Severus cerca do ano 200 d.C. Calcula-se que só ficaram 30 a 40% das pedras originais do arco.

O sírios já esboçaram os planos para a reconstrução, a qual tem sido atrasada devido à pandemia da covid-19, calculando-se que os estudos para a execução do trabalho fiquem prontos daqui a 6 meses. O trabalho será feito em cooperação entre o Ministério Sírio para a Cultura e a Associação da Indústria da Pedra da Rússia. Outras instituições russas estão envolvidas no projecto, entre as quais o Museu Hermitage em São Petersburgo, e o Instituto da História da Cultura Material da Academia Russa de Ciências. O projecto terá também o auspício da UNESCO. 

O sítio foi um local de passagem vital da famosa "rota da seda". O templo foi erigido no ano 32 d.C. para a adoração ao deus Baal. Os habitantes conhecidos mais antigos da região eram os amorreus, que ali viviam desde o segundo milénio a.C. Existiam ali muitos monumentos, entre os quais o Templo de Baal (ou Bel). O templo agora conhecido foi construído sobre as ruínas de um antigo templo pagão datando do 3º milénio a.C. O templo conhecido, e o mais recente, foi dedicado no ano 32 d.C., e convertido em igreja cristã na época bizantina, tendo partes da estrutura sido adaptadas em 1132 para a construção de uma mesquita, tendo permanecido nesse estado até aos anos 1920. 

O pórtico encontrava-se à entrada do templo utilizado para a adoração de Baal, um deus pagão referido mais de 90 vezes em toda a Bíblia, e também conhecido como Moloque. Baal tornou-se no arquétipo da adoração de ídolos. Os panteístas e deus adeptos adoravam a Mãe Natureza, negando a existência de um Criador. Os adeptos de Baal envolviam-se em orgias bissexuais e sacrificavam bébés, queimando-os vivos. 

ANÚNCIO DA VINDA DO MESSIAS?

Segundo a tradição judaica, o arco de Palmira pode ser aludido como um sinal indicador da era messiânica. Um arco que é continuamente erigido e derrubado está descrito no Talmude. Os discípulos do rabino Yossi, filho de Kisma, questionaram-no, perguntando quando é que o filho de David (o Messias) iria aparecer. Ele respondeu: Temo que me peçais também um sinal. E eles asseguraram-no que não o fariam. Ele então disse-lhes: Quando este portão cair, for reconstruído e novamente derrubado, outra vez reconstruído e derrubado. E antes de ser reconstruído pela terceira vez o Messias surgirá. 

O rabino Shlomo Yitzchaki, um preeminente rabino da época medieval conhecido pelo acrónimo Rashi, explicou essa parte do Talmude, afirmando que o arco descrito pelo rabino Yossi era "um arco romano numa cidade romana." O arco em Palmira era realmente um arco romano de triunfo construído quando Palmira era uma cidade romana. 

Shalom, Israel!

sexta-feira, abril 16, 2021

70.000 MUÇULMANOS REUNEM-SE NO MONTE DO TEMPLO NA PRIMEIRA SEXTA-FEIRA DO RAMADÃO

Apesar dos receios da polícia de que pudessem despontar actos de violência, as rezas dos muçulmanos decorreram com tranquilidade, em contraste com as últimas 3 noites de violência em Jerusalém. 

70.000 muçulmanos subiram esta manhã ao Monte do Templo para as primeiras rezas do Ramadão na Cidade santa de Jerusalém, sendo o maior ajuntamento no local desde o início da pandemia. No ano passado as autoridades israelitas não permitiram que ninguém o fizesse na esplanada do Templo. Mesmo com tão grande número de fiéis, a praça onde estão situadas a mesquita de al-Aqsa e o Domo da Rocha estava longe de se encontrar cheia. A polícia tem montado pontos de controle em toda a cidade, uma vez que esta época do Ramadão é propícia a actos violentos por parte dos muçulmanos. 

Nestes três últimos dias têm-se registado vários incidentes violentos em Jerusalém, levando a que a polícia proibisse que as pessoas se sentassem nos degraus adjacentes ao Portão de Damasco, em pleno bairro muçulmano. No início desta semana os palestinianos mostraram-se zangados quando as autoridades israelitas desligaram alegadamente a energia eléctrica que alimentava os altifalantes que convocam os fiéis às rezas muçulmanas no Monte do Templo durante a duração de uma cerimónia memorial realizada na praça adjacente ao Muro Ocidental. 

Shalom, Israel!


quinta-feira, abril 15, 2021

ISRAEL CELEBRA 73 ANOS COMO ESTADO MODERNO

Israel está em festa, e desta vez, ao contrário do ano passado, em desconfinamento.

As praias e parques estão cheios, os céus de Israel viram os aviões a celebrarem este dia, numa "saudação" a todos os cidadãos do país, o país está mais alegre e feliz, as indústrias tecnológicas estão num crescimento vertiginoso, e os preços das habitações estão a baixar.

Tudo isso permite que Israel esteja hoje no 12º lugar do índice de felicidade a nível mundial. As indústrias tecnológicas de ponta permitiram que Israel conseguisse sobreviver economicamente à pandemia que avassalou o mundo inteiro. Enquanto a economia da União Europeia decresceu 6,6% durante o ano passado, 3,5% nos EUA e 5,5% em média nos países da OCDE, a contracção económica em Israel ficou-se pelos 2,5%.

A população actual de Israel soma 9.327.000, e é maioritariamente jovem, com uma taxa de nascimentos superior a qualquer outro país da OCDE. A taxa de fertilidade em Israel é de 3,01%, e de 2,2% entre as mulheres não religiosas, sendo mesmo assim um número que não pára de crescer. 28,1% dos habitantes têm entre 0 e 14 anos, e apenas 12% têm mais de 65 anos. 

Entre muitos outros notáveis avanços, Israel tem estado na linha da frente mundial no que concerne à vacinação da sua população, com mais de metade já tendo recebido as duas doses da vacina da Pfizer, levando a que os casos activos de infecções tenham caído para 3.008, e os casos "sérios" para 219.

Parabéns, Israel!

quarta-feira, abril 14, 2021

ISRAEL LEMBRA OS SEUS MORTOS VÍTIMAS DAS GUERRAS E DO TERRORISMO

Israel comemora hoje o Dia da Memória, honrando as 23.928 vidas que caíram em defesa do estado de Israel e da sua formação, desde 1873 até hoje. De assinalar que o último ano foi o que registou o menor número de mortos pela pátria, e que morreram de forma violenta: 3 vítimas, sendo um soldado e dois civis.

112 nomes foram acrescentados à lista neste último ano judaico: 43 militares no activo, e 69 que foram reconhecidos como falecidos devido a ferimentos recebidos em guerras ou atentados terroristas. Algumas destas pessoas já tinham falecido há vários anos, mas só agora se reconheceu que as suas mortes se deviam a ataques contra a pátria.


Israel é um dos únicos países do mundo que dedica um dia à memória das vítimas que perderam a vida em defesa da pátria.

Shalom, Israel!


terça-feira, abril 13, 2021

TURISTAS VACINADOS PODEM ENTRAR EM ISRAEL EM GRUPOS A PARTIR DE 23 DE MAIO

Foi ontem à noite comunicado pelo Ministério da Saúde de Israel que estrangeiros poderão entrar no país em grupos a partir do próximo dia 23 de Maio.

Os turistas terão de fazer o teste do covid PCR antes de entrarem no avião e outro, juntamente com o teste sorológico, quando chegarem ao aeroporto de Ben Gurion para comprovar que foram vacinados ou recuperados do vírus. O governo de Israel irá entretanto negociar com os países o reconhecimento mútuo de certificados de vacinação de forma a remover a necessidade dos testes serológicos. 

Será colocado um limite máximo para o número de turistas a entrar diariamente no país.

"Israel é o primeiro estado vacinado, e os cidadãos de Israel são os primeiros a desfrutar disso" - afirmou Yuli Edelstein, ministro da Saúde, acrescentando: "Depois de abrirmos a economia, é altura para cuidadosa e planeadamente facilitarmos o turismo. A abertura do turismo é uma linha importante para uma das indústrias particularmente afectadas no ano do coronavírus. Continuaremos a examinar constantemente as medidas de alívio em função dos dados da morbidade."

Nesta fase, apenas turistas em grupos poderão entrar, uma vez que são mais fáceis de monitorar.

São excelentes notícias! Shalom, Israel!

segunda-feira, abril 12, 2021

EXPLOSÃO NO REACTOR NUCLEAR DE NATANZ ATRASA O PROGRAMA NUCLEAR IRANIANO EM 9 MESES

Segundo o New York Times reportou hoje, o incêndio causado ontem por uma "misteriosa explosão" nas instalações de enriquecimento de urânio em Natanz fará atrasar em 9 meses o programa de produção de material de fissura do Irão.

Pensava-se inicialmente que a explosão tinha sido provocado por um ataque cibernético, mas essa hipótese já foi descartada, sabendo-se agora que foram colocados explosivos poderosos que acabaram por destruir por completo a instalação eléctrica que fornece a energia necessária para fazer funcionar as centrifugadoras a gás que separam os isótopos de urânio usados para armas nucleares. 

O Irão tenta convencer o mundo que a explosão atingiu "centrifugadoras de modelos antigos", prometendo que serão substituídos por outros mais modernos. No dia anterior à explosão o Irão tinha-se gabado publicamente de estar a iniciar dezenas de novas centrifugadoras IR-9 mais avançadas nas suas instalações nucleares subterrâneas capazes de separar os isótopos 50 vezes mais rapidamente. 

Os serviços secretos israelitas contradisseram entretanto essa informação, informando que os danos foram significativos e que afectaram mais do que os IR-9. O Irão culpou o "regime sionista" pelas explosões, ameaçando com uma pronta vingança. Israel não confirmou nem negou oficialmente o ataque. A Casa Branca já veio desmentir qualquer responsabilidade no ataque. 

Shalom, Israel!