quinta-feira, setembro 23, 2021

CASA DOS REPRESENTANTES DOS EUA APROVA POR ESMAGADORA MAIORIA O FINANCIAMENTO DE 1 BILIÃO DE DÓLARES PARA O SISTEMA ISRAELITA "IRON DOME"

Apesar do voto contra de 8 democratas "progressistas" e de 1 republicano, a "Casa dos Representantes" dos EUA aprovou por esmagadora maioria a passagem a legislação que permitirá a Israel receber 1 bilião de dólares para subsidiar o seu programa de defesa "Cúpula de Ferro", alguns dias apenas depois de essa verba ter sido retirada das despesas governamentais por pressão de um pequeno grupo de advogados "progressistas."

A decisão foi aprovada com 420 votos a favor contra 9, e 2 abstenções. A proposta vai agora ser levada a votos pelo Senado, cujos votos são fundamentais para que a lei possa passar à respectiva efectivação.

Israel já aplaudiu e agradeceu efusivamente esta decisão logo a seguir à votação da mesma: "Muito obrigado aos membros da Casa dos Representantes dos EUA, tanto republicanos como democratas, pelo avassalador apoio a Israel e compromisso com a sua segurança" - declarou o primeiro-ministro Naftali Bennett, acrescentando: "Quem quer que tente desafiar este apoio recebeu hoje uma inequívoca resposta. O povo de Israel agradece ao povo norte-americano e seus representantes pela sua permanente amizade."

Shalom, Israel!

quarta-feira, setembro 22, 2021

REI DA JORDÂNIA E PRESIDENTE TURCO NA ONU APELAM À CRIAÇÃO DE UM ESTADO PALESTINIANO COM JERUSALÉM COMO CAPITAL

Os líderes islâmicos continuam a insistir na velha retórica da criação de um estado palestiniano em território bíblico de Israel, com Jerusalém oriental como capital. 

Durante a decorrente assembleia geral da ONU, a "cassette" árabe e islâmica continua a fazer-se ouvir, desta vez através do presidente turco, o cruel ditador que anseia liderar um utópico califado islâmico e que, na sua intervenção presencial de ontem na ONU acusou Israel de "opressão" sobre os palestinianos e "violações" em Jerusalém. Erdogan apelou ainda ao regresso das conversações de paz. O presidente turco abordou ainda mais uma vez a necessidade de uma "solução dois estados o mais rápido possível sem mais demoras."

E o conhecido ditador e opressor do seu próprio povo e da população curda voltou a atacar Israel, acusando o estado judaico de "opressão contra os nossos irmaos palestinianos", acrescentando que enquanto essa alegada opressão continuar é impossível haver paz e prosperidade no Médio Oriente: "As políticas de ocupação, anexação de terras e assentamentos ilegais têm de ser terminados o mais rapidamente possível." Erdogan condenou ainda Israel pelas "violações do estatuto internacional de Jerusalém" e da santidade do Monte do Templo, lugar da mesquita de al-Aqsa, o terceiro lugar mais sagrado do islão. 

O rei Abdullah II da Jordânia, por seu turno, numa mensagem virtual, repetiu a habitual ladaínha da criação de um estado palestiniano com Jerusalém oriental como capital, acrescentando ainda que a recente guerra entre Israel e Gaza sublinhou que "a actual situação é simplesmente insustentável."

Enfim, nada de novo debaixo do sol...

Shalom, Israel!

terça-feira, setembro 21, 2021

NO SEU DISCURSO NA ONU, JOE BIDEN DEFENDE A SOLUÇÃO "2 ESTADOS"

Enfatizando o apoio norte-americano à segurança de Israel, o presidente Joe Biden aludiu à solução 2 estados para o conflito israelo-palestiniano como "a melhor forma" de assegurar que Israel se mantenha como estado judaico e democrático. Biden assegurou que o compromisso dos EUA para com a segurança de Israel está "fora de dúvidas e o nosso apoio a um estado judaico independente é inequívoco."

"Continuo a acreditar que uma solução 2 estados é a melhor forma de assegurar o futuro de Israel como um estado judaico democrático, vivendo lado a lado com um estado palestiniano viável, democrático e soberano."

Biden prometeu também na sua intervenção desta manhã o compromisso do seu país para impedir que o Irão consiga a arma nuclear. Biden acrescentou ainda que, caso o Irão o faça, os EUA regressarão também ao acordo assinado em 2015. 

Shalom, Israel!

segunda-feira, setembro 20, 2021

O MESSIAS JESUS NA FESTA DOS TABERNÁCULOS

Inicia-se esta noite a última das festas bíblicas de Israel, a Festa das Cabanas, ou dos Tabernáculos (no hebraico: sucote). Durante 7 dias muitos judeus constroem dentro das suas casas ou nos terraços uma espécie de cabana sob a qual pernoitam e se alimentam, em memória do tempo que o povo de Israel passou no deserto, habitando em tendas durante 40 anos  - Levítico 23.42 - 43. São dias de lembrança e de gratidão ao Senhor pela Sua protecção e provisão durante queles dias. Nos tempos bíblicos, todos os judeus subiam a Jerusalém para celebrar esta grande festa, repleta de alegria e de comida - Levítico 23.40. Como bom judeu cumpridor da Lei e das tradições bíblicas, o Messias Jesus também subia regularmente à Cidade santa para celebrar esta e outras festas do calendário judaico: a Páscoa e o Pentecoste. 

Uma das tradições desta semana é permanecer o mais tempo possível dentro da tenda (ou cabana). Os judeus trazem diante do Senhor um molho com ramos de palmeiras, murtas e salgueiros, e ainda citrinos semelhantes ao limão (lulav). Este fruto da família dos citrinos (limão) tem de ser perfeita, sem manchas nem rachaduras. 


JESUS NASCEU DURANTE A FESTA DOS TABERNÁCULOS?

Muitos estudiosos calculam que o Messias Jesus terá nascido em carne da virgem Maria durante esta festa, uma vez que o texto de João 1.14 refere que "Ele Se fez carne e tabernaculizou entre nós." A palavra hebraica usada no texto é a mesma referida para "habitação", ou seja: Deus fez-Se carne e habitou (fez o Seu tabernáculo) entre nós. Muitos crêm também que será durante este período também que Ele Se manifestará na Sua segunda vinda. Visto que todos os eventos relativos ao programa da redenção divina através do Filho de Deus, Jesus, o Messias de Israel, se realizaram exactamente durante a celebração das festas do Senhor - ou seja: no calendário do Senhor - não tenho qualquer dificuldade em aceitar essa pressuposição, uma vez que "tudo Deus faz perfeito no Seu tempo."

JESUS MANIFESTA-SE NA FESTA DOS TABERNÁCULOS

O 7º dia da celebração do Sucote é o maior de todos, e é conhecido como "Hoshana Raba" (Grande Salvação). Era nesse dia, nos dias do Templo, que uma impressionante cerimónia de libação com água tinha lugar. Numa espécie de acto profético de intercessão, os sacerdotes tiravam água do tanque de Siloé, derramando-a depois cuidadosamente, ao mesmo tempo que oravam para que Deus trouxesse chuva durante o próximo ano agrícola, dessa forma abençoando o povo e a Terra de Israel. Ora foi exactamente nesse "último dia, o grande dia da festa", que o Messias Jesus Se manifesta mais uma vez ao Seu povo, oferecendo-Se como a verdadeira água viva que dessedenta a sede espiritual: "Jesus pôs-Se em pé, e clamou, dizendo: Se alguém tem sede, venha a Mim, e beba. Quem crê em Mim, como diz a Escritura, rios de água viva correrão do seu ventre." - João 7.37-38. O verso seguinte esclarece que Jesus estava a referir-Se ao Espírito Santo "que haviam de receber os que n'Ele cressem."

UM SINAL DO REINO MILENAR DE CRISTO

A Festa dos Tabernáculos aponta também para o futuro Reino Milenar do Messias Jesus, quando ocorrerá o ajuntamento final do Seu povo na Terra de Israel durante o governo de Cristo em Jerusalém - Isaías 27.12-13; Jeremias 23.7-8. Segundo as Escrituras, e nessa altura que as nações virão perante o Senhor durante a Festa dos Tabernáculos para adorá-l'O em Jerusalém - Zacarias 14.16.

Este será então um tempo do maior ajuntamento de sempre do povo de Deus ligado à vinda do Senhor, que habitará então no meio do Seu povo numa glória indescritível e eterna!

Shalom, Israel!

sexta-feira, setembro 17, 2021

EUA QUEREM FOMENTAR MAIS ACORDOS ENTRE PAÍSES ÁRABES E ISRAEL

Num encontro virtual realizado hoje com vários líderes árabes para assinalar o 1º aniversário da assinatura dos "Acordos de Abraão", na Casa Branca, em Washington, o secretário de estado da actual administração norte-americana Antony Blinken prometeu esforçar-se para encorajar mais países árabes a normalizarem as suas relações com Israel.

Este evento reuniu virtualmente Blinken com os seus pares de Israel, Emirados Árabes Unidos, Barhein e Marrocos, e foi a maior continuidade desta presente administração Biden aos "Acordos de Abraão" encetados pelo ex-presidente Donald Trump e que constituíram o maior sucesso da sua administração.

Nesta reunião de hoje, Blinken aplaudiu os benefícios diplomáticos e económicos dos acordos, afirmando: "Esta administração continuará a construir sobre os esforços bem sucedidos da última administração de forma a permitir que a normalização avance."

O secretário norte-americano afirmou que a sua administração irá aprofundar as relações com os países árabes já "amigos" de Israel, bem como com o Sudão, que também estabeleceu relações com Israel no ano passado, prometendo também fortalecer a relação entre Israel e os seus vizinhos Egipto e Jordânia. Para além desses países, Blinken disse que Washington irá encorajar mais países a seguirem esses exemplos: "Queremos alargar o círculo da diplomacia de paz."

Yair Lapid, ministro israelita para as Relações Exteriores, confirmou por seu lado as afirmações de Blinken, concordando com as mesmas: "Este clube dos Acordos de Abraão está também aberto a novos membros." Lapid anunciou ainda a sua intenção de visitar o Barhein no fim deste mês, naquela que será a primeira visita oficial de um líder israelita àquele país do Golfo Pérsico.

Shalom, Israel!

quinta-feira, setembro 16, 2021

ABORTADA TENTATIVA DE "ATAQUE ISLÂMICO" A SINAGOGA ALEMÃ

A polícia alemã conseguiu abortar uma tentativa de ataque a uma sinagoga em Haguen, Alemanha, previsto para este dia em que os judeus celebram o Yom Kippur. 

Um rapaz sírio de 16 anos e outros 3 indivíduos foram ontem detidos em ligação a um planeado ataque à sinagoga de Hague. Este incidente trouxe à memória o ataque ocorrido há exactamente 2 anos contra outra sinagoga alemã na cidade de Halle, em que um atirador neo-nazi tentou invadir o edifício durante a celebração do Yom Kippur. A polícia isolou o recinto e a cerimónia do Yom Kippur foi cancelada. Segundo Herbert Reul, ministro do Interior para o governo estadual do Reno Norte - Westphalia, as autoridades tinham recebido "informações muito sérias e concretas" de que haveria um ataque à sinagoga durante o Yom Kippur. A informação apontava para "uma situação de ameaça de motivação islâmica", incluindo a provável hora e o nome do suspeito da tentativa. Segundo as autoridades, foi evitado "um ataque com motivação islâmica." As autoridades procuram agora quais serão as redes por detrás desta tentativa. 

A revista "Der Spiegel" reportou, ainda que não identificando as fontes, que a informação veio da parte de um serviço de informações estrangeiro. Segundo as mesmas, o adolescente disse a alguém numa conversa de chat na internet que estava a planear um ataque com explosivos a uma sinagoga, tendo esta pista levado os investigadores a procurar o jovem que vive com o seu pai na cidade de Hagen. 

A ministra da Justiça da Alemanha condenou duramente a tentativa de ataque à sinagoga: "É intolerável que os judeus sejam novamente expostos a uma ameaça tão horrível, não podendo celebrar o início do seu feriado mais solene, o Yom Kippur."

Os crimes antissemitas têm vindo a aumentar na Alemanha nestes últimos anos, com um total de 2.032 ofensas registadas em 2019, um acréscimo de 13 por cento em relação ao ano anterior.

Shalom, Israel!


quarta-feira, setembro 15, 2021

O SIGNIFICADO PROFÉTICO DO YOM KIPPUR (DIA DA EXPIAÇÃO)

Inicia-se esta noite o dia mais solene do calendário bíblico judaico: o Yom Kippur, o Dia da Expiação. Em obediência ao mandamento inserido no Livro do Levítico (16), os judeus de todo o mundo reúnem-se nas sinagogas tentando aproximar-se de Deus através de palavras e acções de arrependimento e reflexão. Este dia é tão importante, que é denominado como "Sábado dos Sábados."

A celebração deste dia é acompanhada de jejuns, orações e acertos de relacionamentos através do pedido de perdão às pessoas ofendidas durante o ano anterior. Até mesmo os judeus seculares celebram este dia, jejuando e não trabalhando, ao contrário das outras festas bíblicas. O jejum tem a duração de 25 horas, uma vez que se teme que se erre no cálculo das 24 horas, pelo que se estende mais uma hora para que nenhum erro possa acontecer, tal é a seriedade com que os judeus encaram este dia. 

O Yom Kippur é o culminar de um período de 10 dias de arrependimento iniciados na festa do Ano Novo (Rosh Hashanah), considerado o dia do julgamento. Durante estes dez dias os judeus vão acertando os seus relacionamentos, pedindo perdão uns ao outros pelos pecados e ofensas cometidas. A expressão que é usada refere-se ao desejo de que o nome da pessoa não seja riscado do Livro da Vida. Segundo a tradição religiosa, durante esses dez dias o Eterno Deus vai examinando a conduta de cada um, pesando as boas e as más acções numa balança, daí o pedido de perdão a Deus feito neste dia, pedindo que Ele não risque o nome da pessoa do Livro da Vida. 

NOS DIAS DA ANTIGA ALIANÇA

Nos tempo da Antiga Aliança, o Sumo Sacerdote de Israel entrava no Santo dos Santos neste dia específico para oferecer incenso e o sangue do sacrifício no propiciatório, para que o povo de Israel pudesse receber o perdão dos seus pecados. Este era o único dia do ano em que o Sumo Sacerdote o podia fazer. Uma vez que o Templo não existe mais, a oferta purificadora referida em Levítico 16 não pode mais ser efectuada. 


NOS DIAS DA NOVA ALIANÇA

Ao contrário deste procedimento, os crentes em Yeshua - Jesus - podem apresentar-se confiadamente diante de Deus, certos de que o Seu sacrifício expiatório nos purificou de todos os pecados. Diferentemente de todos os outros sacerdotes, o nosso Sumo Sacerdote Jesus, não necessita de oferecer sacrifícios diários, primeiro pelos seus próprios pecados, e depois pelos pecados do povo. Jesus sacrificou-Se pelos nossos pecados uma só vez, e de uma vez por todas - Hebreus 9.14.

SIGNIFICADO PROFÉTICO

Este dia tão importante no calendário bíblico das Festas do Senhor aponta profeticamente para o arrependimento colectivo futuro de Israel quando do retorno do seu Messias. Se a Festa das Trombetas (Dia do Ano Novo) anuncia o retorno do Messias Jesus para resgatar os Seus deste mundo, e o Seu juízo sobre toda a humanidade rebelde, este Dia da Expiação representa o Dia glorioso em que Ele estará no Monte das Oliveiras, de onde descerá para salvar o Seu povo atribulado em Jerusalém e levá-lo ao arrependimento. Encontramos referências a esse arrependimento colectivo no Livro do profeta Zacarias 12.9 e 10, 13.1 e ainda na Epístola de Paulo aos Romanos 11.25-27. Naquele Dia, os habitantes de Jerusalém olharão para Aquele a Quem rejeitaram, e reconhecerão as marcas do amor nas Suas mãos. Depois que o Messias Se identifica como sendo Jesus de Nazaré, haverá uma convulsão nacional, um choro compulsivo e arrependimento conducente à conversão. Israel reconhecerá em Jesus o "Cordeiro de Deus que tira os pecados do mundo", o Único capaz de fazer a reconciliação com o Pai. Jesus será visto como o "bode expiatório", inocente, que levou sobre Si todos os nossos pecados, tendo que morrer por causa dessa maldição que foi transferida para Ele. E tal como o "bode emissário" levava simbolicamente os pecados do povo de Israel para o deserto, para longe da vista de Deus neste mesmo Dia da Expiação, assim o sacrifício expiatório de Jesus, o Cordeiro de Deus, conseguiu de uma vez por todas afastar para sempre os nossos pecados da vista do Senhor - Salmo 103.12.

"Quando estiveres em angústia, e todas estas coisas te alcançarem, então nos últimos dias voltarás para o Senhor teu Deus, e ouvirás a Sua voz; porquanto o Senhor teu Deus é Deus misericordioso, e não te desamparará, nem te destruirá, nem Se esquecerá do pacto que jurou a teus pais" - Livro do Deuteronómio 4.30-31.

Assim, este Dia da Expiação não só nos recorda com imensa gratidão a grande e eterna Obra realizada há 2 mil anos em Jerusalém pelo Cordeiro de Deus, como nos aponta para o futuro dia em que Ele Se revelará aos Seus irmãos - tal como José no Egipto - perdoando-lhes os pecados e abençoando-os com a salvação e o descanso eterno.

Shalom, Israel!

segunda-feira, setembro 13, 2021

ENCONTRO HISTÓRICO NO SINAI ENTRE O PRESIDENTE EGÍPCIO E O PRIMEIRO-MINISTRO ISRAELITA

Foi a primeira vez desde há dez anos que um primeiro-ministro de Israel visita o vizinho Egipto. O primeiro-ministro israelita Naftali Bennett encontrou-se hoje com o presidente egípcio Abdel Fattah-al-Sisi na estância balnear egípcia de Sharm al-Sheikh, na península do Sinai. 

Segundo Bennett, foi "um encontro bom e muito importante." O primeiro-ministro israelita afirmou ainda o seguinte: "Israel está-se a abrir a países na região. A paz entre Israel e o Egipto é a base para este reconhecimento de longa duração. Portanto, ambas as partes devem investir no fortalecimento desta relação e foi isso que hoje fizemos."

Bennet informou que a parte mais importante da reunião foi a criação de uma infraestrutura para manter e fazer avançar um bom relacionamento. Os dois líderes abordaram também "uma variedade de assuntos relacionados com as esferas política, económica e da segurança." 

Este encontro histórico deu-se a meio de crescentes tensões com Gaza e na Judeia e Samaria. 

Segundo o gabinete presidencial de Sisi, os dois líderes abordaram ainda as formas de reativar o processo de paz entre Israel e os palestinianos, o qual se encontra congelado desde 2014. 

Este encontro terá também servido para aumentar as comunicações terrestres entre os dois países, com a passagem de Taba usada pelos turistas israelitas para entrar no Egipto a reabrir na próxima Segunda-Feira após um longo período de fechamento devido à pandemia da covid-19. A partir de Outubro próximo, a companhia aérea egípcia Egyptair irá começar vários voos semanais entre o Cairo e Tel Aviv.

O Egipto foi o primeiro país árabe a assinar um acordo de paz com Israel, em 1979, mas as relações mantiveram-se frias, restritas à cooperação em questões de segurança e alguma ligações económicas limitadas. A intermediação do Egipto para o cessar fogo entre Israel e Gaza permitiu que o país pudesse reafirmar o seu papel diplomático na região a meio dos acordos de paz assinados entre Israel e outros 4 estados árabes. 

A anterior visita de um líder israelita ao Egipto deu-se em Janeiro de 2011, quando o então primeiro-ministro israelita Benjamin Netanyahu se encontrou com o ex-presidente Hosni Mubarak, também na estância de Sharm el -Sheikh, logo antes da revolução popular que levou à deposição de Mubarak. 

Shalom, Israel!

sábado, setembro 11, 2021

O ÓDIO A ISRAEL POR DETRÁS DOS ATAQUES DO 11 DE SETEMBRO

Todos comentam as razões que levaram a que um grupo de terroristas radicais islâmicos cometessem um dos mais bárbaros actos da História recente. E são muitas. Desde um ataque à civilização ocidental fundamentada em valores judaico-cristãos, ao ódio islâmico contra esses mesmos valores e em especial aos Estados Unidos, passando pelo ataque à democracia e aos valores que ela defende, mas, talvez um dos principais motivos tenha sido o apoio dos norte-americanos ao estado de Israel. 

E Osama bin Laden, o autor moral e principal "cérebro" responsável pelos hediondos actos terroristas que provocaram a morte directa a perto de 3 mil pessoas e indirectamente de outras tantas ou até mais ao longo destes 20 anos após os ataques, na sua "carta à América" escrita em Novembro de 2002, revelou uma lista de razões para os ataques, sendo a principal a seguinte: a Terra de Israel e o apoio dos EUA à existência de Israel e sua terra: "A expansão de Israel é um dos maiores crimes, e vocês são os líderes dos seus criminosos. E claro que não há necessidade de explicar e provar o grau do apoio americano a Israel. A criação de Israel é um crime que tem de ser erradicado. Cada e toda a pessoa cujas mãos têm ficado poluídas na contribuição para com este crime têm de pagar o seu preço, e pagar caro por isso."

Em 2004 e 2010 bin Laden voltou a repetir a conexão entre os ataques do 11 de Setembro e o apoio dos EUA a Israel. O apoio a Israel foi também mencionado antes do ataque da fatwa da Al-Qaeda em 1998: "O alvo dos Estados Unidos é também servir o pequeno estado dos judeus e desviar a atenção da sua ocupação de Jerusalém e assassinato de muçulmanos lá. A melhor prova disso é a sua ânsia em destruir o Iraque, o estado vizinho árabe mais forte, e os seus esforços para fragmentarem todos os estados da região como o Iraque, a Arábia Saudita, o Egipto e o Sudão em estados no papel e através da sua desunião e fraqueza garantir a sobrevivência de Israel e a continuação da cruzada brutal de ocupação da Península."

Este ódio a Israel e aos Estados Unidos pelo seu apoio ao estado judaico é de facto o fermento que fez levedar a massa que produziu a organização dos maiores ataques terroristas da História. 

Volvidos 20 anos, e ainda que os Estados Unidos, onde vive a maior comunidade judaica fora de Israel, continuem a sua amizade e apoio para com a nação amiga de Israel, a realidade actual é de um crescente e preocupante antissemitismo e desinteresse por Israel, especialmente entre os mais jovens. 

Tudo isto é profético. Nada que admire os conhecedores das Escrituras, cientes que são de que Israel ficará cada vez mais isolado no mundo, de que os judeus continuarão a ser acusados de todos os males da sociedade, e de que até uma parte da chamada Igreja cristã se afastará cada vez mais do seu amor, apoio e interesse por Israel. Até que Deus intervenha para resgatar o Seu povo, essa será a situação.

Shalom, Israel!

sexta-feira, setembro 10, 2021

DOIS DOS SEIS TERRORISTAS PALESTINIANOS FORAGIDOS FORAM DETIDOS EM NAZARÉ

Dois dos foragidos da prisão israelita membros da Jihad Islâmica foram encontrados e detidos em Nazaré. Um deles é considerado o cérebro da operação de fuga. Segundo informações, os dois bandidos terão sido denunciados por residentes da cidade de maioria árabe que os terão visto a procurar comida em depósitos de lixo. Os dois foram levados para a Shin Bet, a fim de serem sujeitos a interrogatórios que possam eventualmente conduzir à localização dos outros quatro meliantes foragidos. 

Entretanto, continuam as intensas buscas pelos outros quatro terroristas palestinianos.

Shalom, Israel!

quinta-feira, setembro 09, 2021

"SE O MUNDO NÃO IMPEDIR UM IRÃO NUCLEAR, ISRAEL AGIRÁ" - ALERTA DE LAPID EM MOSCOVO

De visita a Moscovo, o ministro dos Negócios Estrangeiros israelita Yair Lapid, afirmou ao ministro russo Sergey Lavrov que ao mesmo tempo que Israel reconhece os interesses russos na Síria, por outro lado "manteremos a nossa capacidade de nos defendermos." Em suma, o ministro israelita quis deixar claro aos russos que o Irão - aliado da Rússia - tem de ser impedido de conseguir a arma nuclear.

"A marcha de Israel em direcção à arma nuclear não é apenas um problema de Israel, é um problema para o mundo inteiro" - declarou Lapid numa conferência de imprensa realizada na capital russa logo após o encontro com o ministro russo para os Negócios Estrangeiros. "Um Irão nuclear conduzirá a uma corrida às armas nucleares no Médio Oriente" - acrescentou Lapid.

O ministro israelita foi bem pragmático nas suas afirmações desta manhã: "O mundo tem de impedir o Irão de conseguir uma capacidade nuclear, não obstante o preço. Se o mundo não o fizer, Israel reserva-se ao direito de agir."

O ministro, que se encontra numa viagem de um dia à capital russa, referiu-se ainda à presença do Irão na vizinha Síria: "Não haverá estabilidade na Síria nem no mais amplo Médio Oriente enquanto houver uma presença iraniana." Lapid identificou ainda o Irão como "o número um exportador mundial do terrorismo." Ele acrescentou ainda que "Israel não ficará tranquilamente sentado ao mesmo tempo que o Irão vai construindo bases terroristas na nossa fronteira norte ou enquanto o Irão vai fornecendo armas desenvolvidas a organizações terroristas."

Lavrov, por sua vez, declarou que a Rússia acredita na integridade territorial da Síria, acrescentando que "a Síria tem o direito de definir o futuro da sua nação." 

Lavrov lembrou a coordenação existente entre Moscovo e Jerusalém sobre a actividade militar na região, afirmando que a Rússia não quer ver o território sírio sendo utilizado contra Israel ou qualquer outro partido. 

Lapid convidou ainda Lavrov a visitar Israel, tendo o ministro russo aceite a oferta.

Shalom, Israel!

quarta-feira, setembro 08, 2021

TERRORISTAS PALESTINIANOS CONTINUAM FORAGIDOS. FORÇAS DE DEFESA DE ISRAEL AJUDAM NA CAÇA AOS BANDIDOS

As forças de segurança detiveram 6 familiares dos perigosos terroristas que anteontem escaparam de uma prisão israelita de alta segurança, e que ainda continuam a monte. As autoridades andam a passar a pente fino as cidades árabes do Norte de Israel. Dois batalhões, seis companhias, duas equipas de reconhecimento e vários esquadrões de forças especiais e supervisão aérea colocaram-se ao serviço no terreno, num esforço para apanhar vivos ou mortos estes perigosos meliantes que podem estar a preparar algum atentado contra cidadãos israelitas. 

Foram entretanto detidos 6 familiares dos terroristas, incluindo 2 irmãos de Mahmud Ardah, considerado o cérebro da operação de fuga. 


As autoridades suspeitam que os terroristas se separaram depois da fuga, após terem percorrido 3 quilómetros a partir do buraco de saída que os conduziu ao exterior da prisão.

Catorze funcionários da prisão foram entretanto interrogados pela polícia, a meio das suspeitas de que os terroristas teriam conseguido ajuda da parte dos guardas prisionais. Por causa desta situação, todo o sistema prisional em Israel está sendo discutido amplamente por todo o país. Tanto os carcereiros como a polícia da prisão estão a ser severamente punidos por lapsos por eles cometidos e que facilitaram a fuga, para além do desmazelo em levar a sério a questão nas horas que se seguiram à fuga. Segundo se crê, os criminosos terão conseguido escapar pelo sistema de esgotos da prisão, não necessitando por isso de escavar nenhum túnel. 

As facções palestinianas têm entretanto estado a apelar às populações das cidades árabes próximas do local da prisão de Gilboa para que resistam às forças israelitas presentes nas prisões, para além de estarem a organizar manifestações em Nablus, Hebron, e Belém. 

Shalom, Israel!


segunda-feira, setembro 06, 2021

6 PERIGOSÍSSIMOS TERRORISTAS PALESTINIANOS ESCAPARAM DE PRISÃO DE ALTA SEGURANÇA ISRAELITA

Apesar de se tratar de uma prisão de alta segurança, a verdade é que 6 perigosíssimos terroristas palestinianos conseguiram escapar do estabelecimento prisional de Gilboa. Entre os foragidos, encontra-se o conhecido "xerife" de Jenin e o "emir" da Jihad Islâmica. Vários grupos palestinianos, como o Hamas e a facção da Fatah já aplaudiram a fuga dos "heróis." 

Zakaria Zubeidi, um dos 6 foragidos que escaparam da prisão em Gilboa, no Norte de Israel, era um dos "símbolos" da Segunda Intifada que eclodiu em Setembro de 2000. Os outros cinco terroristas são todos membros da Jihad Palestiniana (PIJ) são menos conhecidos entre a população israelita e palestiniana. Mas todos os seis estiveram directa ou indirectamente envolvidos numa série de vários ataques terroristas contra israelitas. Vários destes assassinos cumpriam prisão perpétua. 

Para as facções palestinianas, esta fuga dos "heróis" foi um desafio ao sistema de segurança israelita, considerado um dos melhores do mundo. Este feito ficará certamente nos anais da história do terrorismo palestiniano em Israel: "Esta operação será acrescentada ao registo heróico do nosso povo palestiniano."

De assinalar que recentemente tinham sido feito investimentos substanciais para melhorar as condições de segurança da prisão, e vária tentativas de fuga da prisão conseguiram ser anuladas no passado. Os terroristas conseguiram escapar por um túnel que tinham andado a escavar com as próprias mãos. Pensa-se que os bandidos terão recebido ajuda exterior para realizar os seus planos de fuga. Apesar de a mesma se ter dado pelas 01H30, só às 03H00 é que a fuga foi descoberta, mesmo apesar de a polícia ter recebido às 01H50 um telefonema de um agricultor que das imediações alertou para movimentações estranhas na sua propriedade próxima à prisão. 

Os terroristas conseguiram abrir um buraco no cimento por baixo dos WCs das celas, conseguindo remover uma laje, esgueirando-se depois por uma série de espaços vazios na estrutura da prisão. Conseguiram penetrar no túnel escavado que os levou a uma estrada na parte Sul da prisão. 

As autoridades israelitas iniciaram entretanto uma verdadeira "caça ao homem", com centenas de bloqueios em estradas à volta do perímetro da prisão, uma vez que estes seis meliantes, para além de perigosíssimos, podem estar a planear algum atentado em Israel. 

Shalom, Israel!

sábado, setembro 04, 2021

HAMAS CONTINUA A LANÇAR BALÕES INCENDIÁRIOS CONTRA ISRAEL E AMEAÇA CONTINUAR

O grupo terrorista Hamas que administra a Faixa de Gaza continua a lançar balões incendiários para dentro de território israelita, numa constante violação e provocação, não obstante Israel ter estado a aliviar alguns dos condicionamentos impostos à Faixa de Gaza, permitindo a entrada de camiões carregados de bens essenciais e alargando a área de pesca. Mais de uma dúzia de balões foram hoje lançados. Um porta-voz do Hamas afirmou que o povo de Gaza está determinado a "romper o cerco", não aceitando mais o "alívio gradual" de Israel ao bloqueio.

Apesar de não haver registo de fogos provocados por esta nova vaga de balões incendiários, Israel considera os mesmos na mesma categoria dos rockets, pelo que habitualmente responde a estes ataques com bombardeamentos noturnos a posições do Hamas em Gaza. Para além dos balões, o Hamas tem também andado a convocar os palestinianos de Gaza a se manifestarem diariamente junto à vedação. 

Shalom, Israel!

sexta-feira, setembro 03, 2021

AVIAÇÃO ISRAELITA DESTRÓI BATERIA DE MÍSSEIS NA SÍRIA DE ONDE FOI DISPARADO UM MÍSSIL CONTRA TEL AVIV

A unidade israelita de desmantelamento de bombas recuperou esta manhã restos de um míssil terra-ar disparado ontem à noite da Síria contra a cidade de Tel Aviv. Numa declaração emitida esta manhã, as Forças de Defesa de Israel confirmaram o disparo de um míssil sírio contra Israel nas primeiras horas desta Sexta-Feira. O míssil detonou por cima do Mar Mediterrâneo, na costa marítima israelita. 

Segundo fontes credíveis, os sírios terão disparado mísseis contra Israel como resposta a alegados bombardeamentos israelitas perto de Damasco, capital síria. Especialistas israelitas pensam que o míssil lançado contra Israel não seria intencional. Os ataques israelitas teriam atingido instalações de armamento avançado, provavelmente um sítio do Hezbollah para a produção de mísseis guiados de alta precisão.

Israel respondeu, bombardeando o lançador de mísseis e várias baterias SA5 em território sírio. 

Shalom, Israel!

quinta-feira, setembro 02, 2021

ARQUEÓLOGOS DESCOBREM "PESO FALSO" DOS DIAS DO 1º TEMPLO, COMPROVANDO A VERACIDADE DAS ESCRITURAS

Arqueólogos israelitas acharam um peso utilizado no comércio em Jerusalém e que os peritos acham ter sido usado para enganar outros comerciantes. 

Descoberta na zona Norte da Cidade de David adjacente à Cidade antiga de Jerusalém, e datando de há 2.700 anos, portanto dos dias do Primeiro Templo, este peso mede apenas 12 mm de altura e 14 de diâmetro. É o segundo do género a ser encontrado em Israel. Feito de calcário duro, o achado apresenta gravações implicando que se tratava de um peso de 2 geras, ou 0,944 gramas. 

Só que o peso não pesa realmente 2 geras, mas pelo menos 3,61 gramas, o quer representa mais do que 3 vezes mais. Ainda que pareça estranho, os professores Hagai Cohen Kolonimus e Eli Shukron, da Universidade Hebraica de Jerusalém, alegam que a explicação viável é que quem quer que fosse que usasse o peso no comércio fazia-o para enganar as pessoas.

Estes tipos de fraudes são extensamente descritas na Bíblia, que duramente dissuade tal prática: "Na tua bolsa não terás pesos diversos, um grande e um pequeno" - Deuteronómio 25.13. E a proibição é enfatizada logo a seguir: "Peso inteiro e justo terás.; para que se prolonguem os teus dias na terra que te dará o Senhor teu Deus. Porque abominação é ao Senhor teu Deus todo aquele que faz isto, todo aquele que fizer injustiça." - Deuteronómio 25.15, 16. Outra citação de Provérbios diz: "Pesos diferentes são abomináveis ao Senhor, e balança enganosa não é boa" (20.23). "Balanças justas, pesos justos, efa justo, e justo him tereis. Eu sou o Senhor vossos Deus, que vos tirei da terra do Egipto" - Levítico 19.36.

Os achados serão integralmente publicados na próxima Sexta-Feira.

Shalom, Israel!

quarta-feira, setembro 01, 2021

PORTUGAL PROÍBE A ENTRADA DE ISRAELITAS NO SEU TERRITÓRIO

Não, não há qualquer guerra política. O problema chama-se: covid-19. O governo português decidiu hoje proibir a entrada de israelitas no seu território, tendo como causa o grande crescimento actual da pandemia em Israel. Esta decisão coloca Portugal como o primeiro país europeu a seguir as recomendações da União Europeia que recentemente repôs restrições à entrada de turistas israelitas dentro do espaço comunitário, logo após a UE ter retirado Israel e outros países da lista de países seguros para viajar.

Só será permitida a entrada em Portugal de israelitas detentores de uma permissão especial emitida por razões médica sou humanitárias. Até mesmo pessoas vacinadas não poderão entrar.

Esta medida, para além de precipitada, é desequilibrada, uma vez que cidadãos de outros países nas mesmas condições sanitárias de Israel continuam a poder entrar em Portugal.

Grupos judaicos já lamentaram esta tão apressada e aparentemente desequilibrada decisão do governo socialista português. "Infelizmente, seguindo a directiva da UE, de acordo com a qual foi decidido remover Israel da lista dos países verdes, o governo português alinhou-se com a recomendação da UE que proíbe a entrada de Israel em Portugal, excepto por razões justificadas" - afirmou Itay Mor, director da ONG sionista "Over the rainbow Portugal."

"Estamos perturbados por esta decisão, tanto mais porque a maior parte dos israelitas já foram vacinados. Nesta fase, a UE deveria ter já reconhecido os certificados de vacinação israelita." Segundo Mor, os cidadãos europeus não serão proibidos de entrar em Portugal nesta fase. A recomendação da UE veio após o ministério israelita da Saúde ter anunciado uma mudança na política relacionada com o isolamento de pessoas que retornem ao país. Segunda esta nova directiva, os israelitas que regressem ao país e que tenham recebido a terceira dose da vacina pelo menos uma semana antes não terão de se submeter a nenhum isolamento obrigatório, mesmo que tendo chegado de países laranja, desde que o teste à COVID-19 feito à chegada a Israel tenha dado negativo. 

Para além de Israel, a UE também removeu os EUA, o Kosovo, o Líbano, o Montenegro e a Macedónia do Norte da sua lista de países seguros, e que já incluía a Jordânia, o Canadá, o Japão, o Catar, a Moldova, a Arábia Saudita, a Sérvia e a Ucrânia. 

Shalom, Israel!