quinta-feira, outubro 14, 2021

BEIRUTE A FERRO E FOGO: 6 MORTOS E DEZENAS DE FERIDOS

Vários confrontos violentos irromperam por várias partes da capital do Líbano, Beirute, durante um protesto organizado pelo movimento terrorista Hezbollah devido ao julgamento da responsabilidade das explosões que no ano passado dizimaram mais de 200 pessoas na zona portuária de Beirute. 

Estes foram os confrontos mais violentos dos últimos anos na capital libanesa, com várias horas de disparos de snipers, metralhadoras, pistolas e lançamento de granadas. Não se sabe ainda quem começou a violência, mas a mesma ocorreu pela manhã durante os protestos organizados pelo Hezbollah e párias exigindo a retirada do juiz que lidera a investigação sobre as explosões ocorridas em Agosto de 2020, e cuja autoria muitos atribuem ao Hezbollah. Os disparos atingiram prédios, tendo alguns caído perto de uma escola privada francesa, gerando pânico entre a população. 

Forças cristãs de direita do Líbano convocaram a população para se manifestar hoje em resposta à convocação organizada pelas forças do Hezbollah e seus párias. Vídeos gravados esta manhã exibem manifestantes cristãos carregando grandes cruzes pelas ruas da capital. O confronto foi na verdade entre muçulmanos e cristãos em Beirute, algo que muitos não querem ver repetido.

Foram já contados 6 mortos e 32 feridos resultantes dos confrontos desta manhã. 

Testemunhas revelaram que as cenas vividas esta manhã foram verdadeiras reminiscências da trágica guerra civil que o Líbano sofreu entre 1975 e 1990. 

Oremos pelo Líbano!

quarta-feira, outubro 13, 2021

ISRAEL EVACUOU SECRETAMENTE 167 AFEGÃOS PARA FORA DO PAÍS

O grupo humanitário israelita "IsraAID" coordenou no início deste mês a bem sucedida evacuação de 125 afegãos em situação de vulnerabilidade, através da Albânia.

O grupo de pessoas evacuadas incluiu juízes, ciclistas profissionais, jornalistas, apresentadores de TV, activistas de direitos humanos, oficiais de justiça e cientistas. Estas pessoas chegaram à Albânia após terem sido evacuadas do Afeganistão após os EUA terem abandonado o país à mercê dos talibãs. 

Já em Setembro passado a "IsraAID" havia participado na evacuação de 42 mulheres e meninas afegãs para os Emirados Árabes Unidos. 

Espera-se que os refugiados sejam a longo prazo instalados em países de acolhimento, como o Canadá, a França e a Suíça. A "IsraAID" está entretanto a trabalhar para providenciar às necessidades dos 125 refugiados na Albânia, bem como aos 1.000 já presentes no país. 

Shalom, Israel!

terça-feira, outubro 12, 2021

IMIGRAÇÃO DE JUDEUS PARA ISRAEL AUMENTOU 31% EM 2021

Cada vez mais perto do retorno do Messias para Israel, os sinais proféticos são cada vez mais evidentes, confirmando a veracidade das Sagradas Escrituras.

Só desde o início deste ano 20.360 novos imigrantes fizeram aliyah para Israel, representando um aumento de 31% em relação ao ano anterior. No ano passado o número de novos imigrantes judeus foi de 15.598.

Apesar da covid-19 e consequentes restrições às viagens, o número de judeus que fazem "retorno" a Israel não pára de aumentar, cumprindo as profecias e o "sonho sionista." Desde o estabelecimento do estado moderno de Israel em 1948, um total de 3.340.000 judeus emigraram para Israel.

Em relação a este ano, o maior número de judeus que vieram para Israel é da Rússia (5.075), dos EUA (3.104), representando um drástico aumento de 41%. 2.819 judeus vieram da França, representando um aumento de 55%, Ucrânia, Bielorrússia, Argentina, Reino Unido, Brasil (438), e África do Sul. 

Muito recentemente o actual primeiro-ministro Naftali Bennett prometeu atrair mais 500 mil judeus para Israel.

Shalom, Israel!


segunda-feira, outubro 11, 2021

"OS MONTES GOLAN SÃO ISRAEL. PONTO FINAL" - AFIRMOU O PRIMEIRO-MINISTRO BENNETT

Numa conferência realizada esta manhã relacionada com o desenvolvimento económico e regional dos Montes Golan, capturados à Síria durante a Guerra dos Seis Dias, em 1967, o actual primeiro-ministro israelita Naftali Bennett afirmou que os Montes Golan fazem parte de Israel, e que isso não é mais assunto para discussão. Bennett avançou ainda a informação de que o Irão aspira a construir um exército na fronteira síria com Israel, avisando o Irão de que não pode continuar a entricheirar-se naquela zona sensível que separa os dois países.

Apesar de Israel considerar os Montes Golan como território integrante do país, apenas os EUA reconhecem essa soberania. 

Na sua intervenção, Bennett avisou o Irão: "Continuaremos a agir quando e sempre que necessário, por iniciativa própria, e numa base diária, visando empurrar a presença do Irão na Síria. Eles não têm nada lá que lhes diga respeito." E Bennett acrescentou: "A aventura (iraniana) na nossa fronteira Norte tem de acabar. Assim, não só iremos assegurar a paz para os residentes dos Montes Golan, mas de todos os cidadãos de Israel."

Bennett afirmou ainda que a soberania de Israel sobre os Montes Golan nada tem a ver com a actual situação na Síria: "Gostaria de clarificar algo: a nossa posição em relação aos Montes Golan não está ligada à situação na Síria. Os horrores que têm tido lugar na Síria podem fazer parecer que seria preferível para os Golan prosperarem sob administração de Israel, em vez de se tornarem em outro palco para mortes e bombardeamentos."

"Mas mesmo na situação - que poderia acontecer - de o mundo mudar a sua direcção em relação à Síria, ou ao regime de Assad, isso não tem ligação aos Montes Golan nem à soberania de Israel sobre a região."

Bennett prometeu ainda duplicar, se não até quadruplicar a população israelita na região. Para esse efeito, o governo irá aprovar dentro de seis semanas um plano nacional para os Montes Golan que incluirá investimento em desenvolvimentos, infraestruturas, negócios e energias renováveis.

O plano de Bennet é que a região seja habitada por cerca de 100.000 residentes contra os actuais 27.000.

"Estamos actualmente trabalhando para completar o plano que mudará a face dos Montes Golan" - concluiu o ministro.

Shalom, Israel!

sexta-feira, outubro 08, 2021

VENHA CONNOSCO A ISRAEL EM 2022!

O governo israelita está a programar abrir o país para o turismo de grupos já a partir do próximo mês de Novembro, em virtude do decréscimo diário do número de pessoas infeccionadas com a covid-19 e o controle da pandemia. Prevê-se que seja apenas necessário o "passaporte/certificado" de vacinação para poder entrar no país, mas aguardam-se mais informações detalhadas.

Tudo leva a crer que haverá uma grande procura de turistas para visitar Israel em 2022, pelo que, ao fim de 2 anos de restrições, são muitos milhares aqueles que já planeiam voltar a visitar Israel já no próximo ano. Dessa forma prevê-se uma enorme procura e consequente falta de disponibilidade em algumas das datas mais procuradas.

O melhor mesmo é planear viajar connosco numa das nossas duas viagens já organizadas a Israel:

- 2 a 9 de Maio de 2022: Israel Bíblico (viagem pelos principais locais mencionados na Bíblia)

- 17 a 27 de Agosto de 2022: Israel Total (viagem por todo o Israel, desde os Montes Hermon ao Mar Vermelho, incluindo a opção de ir a Petra - uma das maravilhas do mundo actual)

Todas as nossas viagens têm partida de Lisboa e Porto. Participantes do Brasil terão de viajar até ao aeroporto de Tel Aviv em horários que correspondam aos da nossa chegada e partida. As excursões são lideradas por nós e terão guia local, para além de incluirem as 3 refeições diárias, seguro de viagem, hotéis, visitas, taxas, etc.

Não perca esta maravilhosa oportunidade de conhecer Israel com quem entende de Israel!

Para mais informações, por favor entre em contacto connosco pelo email:

viagens.shalom@gmail.com       SITE: www.viagens-shalom.com




quinta-feira, outubro 07, 2021

ISRAEL LANÇA TESTE PILOTO PCR COVID ATRAVÉS DA SALIVA

Sempre na vanguarda, Israel iniciou os testes piloto PCR para verificação da presença do vírus da covid-19. O anúncio foi feito hoje oficialmente, numa altura em que o número de casos e de mortes por covid-19 em Israel continua a baixar de dia para dia. Segundo as informações, os resultados destes testes levam apenas 45 minutos. 

O teste normal usado em todo o mundo é feito pelas narinas e demora algumas horas até que se consiga obter o resultado. O teste pela saliva foi desenvolvido pelo  Dr. Amos Danieli, da universidade Bar Illan, com a cooperação e apoio financeiro do Ministéro da Saúde. Nos testes laboratoriais, a precisão destes testes é semelhante à dos que estão sendo utilizados até agora.

Estes testes piloto serão realizados nestas duas próximas semanas num posto de testes no centro de Tel Aviv. Participantes de todas as idades submeter-se-ão aos novos testes e também aos habituais.

Israel tem actualmente 33.000 casos de covid-19, um número muito abaixo dos 80.000 atingidos no pico desta quarta onda da covid-19. Em função destas boas notícias, as autoridades irão para breve dispensar a obrigatoriedade ddo "passe verde" para diversas actividades no exterior, lugares turísticos e restaurantes.

Shalom, Israel!

quarta-feira, outubro 06, 2021

JUDEUS RECEBEM PERMISSÃO PARA ORAR SILENCIOSAMENTE NO MONTE DO TEMPLO

Um tribunal de Jerusalém apoiou o direito dos judeus de fazerem orações silenciosas no Monte do Templo. Esta é uma decisão inédita tomada por um tribunal israelita dando aos judeus o direito de orar no seu lugar mais sagrado. Uma juíza deste tribunal decidiu que as orações feitas em silêncio no Monte não podem ser constituídas como crime. A juíza ordenou também que a polícia não possa impedir um rabi que há pouco foi impedido de fazer as suas orações em silêncio na esplanada. 

O advogado Moshe Polski, defensor do rabi que tinha sido interditado pela polícia, aplaudiu esta decisão do tribunal de Jerusalém: "Damos as boas vindas à decisão do tribunal, a qual de facto endossa aquilo que já vem acontecendo no Monte do Templo há mais de um ano e que é de facto uma permissão aos judeus que já visitam o Monte do Templo e que querem orar."

"É impensável que de todas as gentes os judeus sejam impedidos de sussurrar orações silenciosas no Monte do Templo, ao mesmo tempo que os muçulmanos podem fazer o que querem - rezar, dar palestras religiosas, jogar futebol, e até provocarem distúrbios, com a polícia a nada fazer para evitar isso e os judeus a serem considerados como estranhos ao seu lugar mais sagrado."

"Esperamos que a partir de agora a polícia não barre os fiéis já no Monte, uma medida que colide com os seus direitos civis básicos."

Shalom, Israel!

terça-feira, outubro 05, 2021

MOSSAD EM OPERAÇÃO SECRETA NO LÍBANO E NA SÍRIA PARA RESGATAR CORPO DE SOLDADO ISRAELITA

A Mossad entrou secretamente na aldeia libanesa de Nabi Sheet em Setembro passado com o objectivo de extrair DNA de um corpo sepultado naquele local, julgando poder tratar-se dos restos mortais do famoso herói israelita Ron Arad. Ao mesmo tempo que decorria esta operação, outros membros desta agência de espionagem envolviam-se no sequestro e interrogatório de um general iraniano, na Síria, visando saber mais pormenores sobre o rastro do soldado israelita desaparecido desde há longos anos no Líbano. O general iraniano foi posteriormente libertado. Sabe-se agora que a tentativa de assassinato de um empresário israelita em Chipre por parte do Irão teria sido a "resposta" retaliatória à operação israelita.

Ron Arad foi capturado há 35 anos no Líbano e transferido para as forças iranianas. Israel perdeu o rastro dele dois anos depois. Tanto a Mossad como as FDI concluiram que o soldado deverá estar morto. As últimas informações davam conta de que ele estava nas mãos de grupos terroristas do Líbano. 

Não se sabe até agora qual o sucesso que esta operação terá realmente tido, sabendo-se apenas que, segundo as palavras do primeiro-ministro no parlamento, tratou-se de uma operação "complexa e de ampla escala."

Shalom, Israel!

segunda-feira, outubro 04, 2021

IRÃO TENTOU ASSASSINAR EMPRESÁRIOS ISRAELITAS EM CHIPRE

Já foi desmentida a notícia propalada ontem de que se trataria de um crime "vulgar". Sabe-se agora que foi de facto uma tentativa de um acto terrorista por mão do regime iraniano visando o assassinato do empresário bilionário israelita Teddy Sagi residente em Chipre e não só. Avisado não se sabe por quem - suspeita-se que tenha sido a Mossad - o bilionário consegiu fugir "no último minuto." Teddy Sagi é o quarto homem mais rico de Israel, com uma fortuna avaliada em 5,6 biliões de dólares. 

A tentativa de ataque terrorista visava varias personalidades israelitas: "em mais um acto de agressão por parte do Irão visando alvos israelitas" - afirmou o ministro israelita para a Defesa, Benny Gantz. 

"O Irão continua sendo uma ameaça global e regional e um desafio a Israel, e nós continuaremos agindo para defender os nossos cidadãos e a segurança do estado de Israel em qualquer lugar e contra qualquer ameaça" - acrescentou o ministro.

A polícia cipriota deteve no passado dia 27 de Setembro um cidadão russo azeri que planeava assassinar vários empresários israelitas que vivem em Nicosia, capital de Chipre. O indivíduo foi encontrado com uma arma e vários carregadores. O terrorista tinha entrado em Chipre há 20 dias, tendo alugado vários carros, tendo sido encontrado um silenciador num dos mesmos na altura da sua detenção. 

Chipre é residência para 3.500 judeus, na sua maioria israelitas, e devido à proximidade é um dos destinos de férias preferidos dos israelitas.

Shalom, Israel!

Shalom, Israel!

sábado, outubro 02, 2021

275.000 ISRAELITAS OUVIRAM FALAR DE JESUS SÓ NO MÊS DE AGOSTO!

Apesar de as autoridades israelitas, pressionadas pelos religiosos, terem fechado o canal de TV "Shelanu", que transmitia mensagens e programas messiânicos, os judeus crentes em Yeshua (Jesus) não desistiram, e mantiveram as transmissões através das redes sociais Youtube, Facebook e Instagram. 

Os israelitas podem assim assistir em privado às transmissões feitas diariamente pela "Shelanu TV" e reconsiderarem as suas opiniões sobre a pessoa de Jesus! Estão a perceber que Ele não é afinal o loiro de olhos azuis que a tradição e o cinema erroneamente apresenta e que tem levado muitos judeus a imaginar que Ele é um antissemita ocidental. Porém, através deste canal, eles começam a perceber que Ele é um judeu moreno, rabi e trabalhador, que Se delcarou como o Filho de Deus e Messias de Israel.

A população israelita tem agora a possibilidade de escutar judeus messiânicos ungidos abrirem as Escrituras provando pelas mesmas que Yeshua é o Messias - tal como Paulo fez com os rabis em Roma (Actos 28.23). Podem também ouvir poderosos testemunhos de israelitas partilhando como Yeshua transformou radicalmente as suas vidas!

Estes progranas da "Shelanu TV" estão a ser transmitidos 24 horas por dia, e em breve haverá uma nova plataforma do tipo "Netflix", a primeira do género na língua hebraica!

Há muitos testemunhos de pessoas interessadas em conhecer mais sobre Yeshua, incluindo alunos de escolas rabínicas em Israel!

Durante o mês de Agosto, houve 47.300 visualizações através da rede Youtube, 44.200 pela rede Instagram e 185.000 através do Facebook.

Oremos para que esta sementeira possa produzir fruto em abundância, levando ao cumprimento da promessa do Senhor de que "todo o Israel será salvo."

Shalom, Israel!

sexta-feira, outubro 01, 2021

ISRAEL INAUGURA A SUA EMBAIXADA NO BAREIN

Graças aos "Acordos de Abraão" promovidos pelo ex-presidente Donald Trump, o Barein foi o primeiro país árabe a normalizar as suas relações diplomáticas com Israel nestes últimos anos.

Ontem mesmo o ministro israelita para as Relações Exteriores Yair Lapid inaugurou oficialmente a embaixada de Israel em Manama, capital do estado árabe do Golfo Pérsico. Esta abertura ocorre um ano após a normalização das relações entre os dois países.

"Que o nosso povo viva em paz e prosperidade para sempre" - declarou Lapid durante a inauguração. E acrescentou em hebraico: "Israel deu hoje no Golfo um grande e histórico passo."

Presente na cerimónia, o ministro para as Relações Exteriores do Barein, Abdullahtif al Zayani, afirmou: "É um sinal inconfundível para todos de que estamos determinados. Não estamos sozinhos."

Horas antes o ministro israelita já havia visitado o rei do Barein, Hamad bin Isa Al Khalifa, no palácio real, a primeira de sempre entre o monarca e uma autoridade israelita. 

A embaixada está localizada no 29º andar do "Barhain World Trade Center." Foi acordado que o país árabe abrirá a sua embaixada em Israel até ao final deste ano. 

UM SINAL AO IRÃO

Ontem também, o ministro israelita acompanhou o ministro do Barein e Maggie Nardi, responsável pelos assuntos dos EUA no Barein, numa visita ao navio de guerra norte-americano "USS Pearl Harbor", acostado no país, numa clara mensagem ao Irão que, como se sabe, é uma ameaça Israel e aos EUA. 

PRIMEIRO VOO PARA ISRAEL

Ontem também foi realizado o primeiro voo comercial directo entre o Barein e Israel, iniciando dessa forma os voos regulares entre os dois países.

Shalom, Israel!

quinta-feira, setembro 30, 2021

NOVOS EXAMES 3D À FORMAÇÃO ROCHOSA NA TURQUIA CORRESPONDEM AO FORMATO DA ARCA DE NOÉ

Arqueólogos bíblicos afirmam ter descoberto uma formação rochosa em forma de barco que corresponde à descrição bíblica da Arca de Noé. Esta conclusão é o resultado de novos exames realizados com um radar capaz de penetrar em pedra num espaço rochoso no Monte Tendurek, na Turquia oriental, e que muitos alegam ser a Arca de Noé.

Os arqueólogos associados a um projecto denominado "Noah's Ark Scans" afirmam ter descoberto uma "formação tipo barco" no Monte Tendurek, correspondendo ao "comprimento exacto" dado na Bíblia à arca: cerca de 150 metros, ou 300 côvados, em termos bíblicos. 

Esta formação em formato de barco de Durupinar foi descoberta em 1959 por um capitão do exército turco. O interesse pelas pesquisas no local iniciou-se nos anos 1970 até meados dos anos 1990, graças ao trabalho do explorador norte-americano Ron Wyatt e outros. Segundo o website do projecto, pesquisas geofísicas privadas foram realizadas em 2014 e 2019, "revelando camadas e estruturas angulares interessantes abaixo do solo."

"Os novos dados GPR revelam linhas paralelas e estruturas angulares 8 a 20 pés abaixo do solo" - explica o texto publicado no site da associação. "Estas linhas paralelas e ângulos retos abaixo da superfície são algo que não se esperaria encontrar em formações geológicas naturais. E, interessante também, o formato do barco foi também confirmado como tendo o comprimento exacto da arca revelado na Bíblia (Génesis 6.15)."

Um consórcio de cientistas turcos e outros apoiantes planeiam fazer este ano "a mais completa pesquisa geofísica e estudo científico deste sítio até hoje realizada usando o maior número possível de métodos científicos modernos."

"Temos o apoio de importantes figuras locais, temos cientistas interessados que têm permissão para trabalhar nesta zona, e temos os contactos mediáticos para documentar o trabalho" - elucida o site.

Segundo Andrew Jones, responsável pelo projecto, os dados GPR "não são o que se esperaria ver caso este sítio fosse apenas um sólido bloco rochoso ou uma acumulação de destroços sortidos trazidos por uma enxurrada de lama." O arqueólogo acrescentou: "Mas estes resultados são o que se esperaria encontrar num barco feito por mãos humanas correspondente aos requisitos bíblicos da arca de Noé."

Alguns geólogos afirmam no entanto que esta saliência rochosa é uma formação única.

"Eu sabia que o consenso científico era que o sítio Durupinar é uma estranheza geológica" - afirmou ao jornal "Sun" Ryan Mauro, presidente da associação "Doubting Thomas Research Foundation", que é parte do projecto. "Antes de ter tido conhecimento destes scans parecia que aqueles que estavam a favor do sítio Durupinar simplesmente não aceitavam a verdade."

"Num autêntico virar do jogo" - continuou Mauro - "esses julgamentos dispensando o sítio foram feitos há décadas atrás e baseados em dados limitados em comparação aos que temos agora. Ao ter aprendido mais, convenci-me de que o projecto merecia o meu apoio e que é vital determinarmos a verdade acerca do sítio Durupinar."

Jones e a sua equipa passaram 4 dias no local em Agosto passado pesquisando o sítio da arca e encontrando-se com professores de arqueologia que também estão fazendo trabalhos nesta região, como é o caso do Dr. Fethi Yuksel, da Universidade de Istambul. 

"Com 4 dias no terreno, a equipa pôde reunir-se diariamente e ver os diferentes sítios associados ao projecto de pesquisa da Arca de Noé, e encontrar-se com importantes arqueólogos que realizam outros trabalhos na região." Uma boa notícia saída desta visita é que o Dr. Yuksel anunciou a emissão de um apermissão especial com o seu nome gravado como um dos participantes da cobertura da região da Arca de Noé. Segundo Jones, "isso irá acelerar o processo da operação. Assim que chegar o financiamento, poderemos iniciar a pesquisa no terreno com os professores e seus assistentes de 3 universidades turcas!"

Para Jones, "o objectivo foi sempre descobrir o máximo possível de evidências da Arca de Noé e apresentá-las ao mundo."

Quem sabe, teremos surpresas para breve!

Shalom, Israel!

quarta-feira, setembro 29, 2021

UM MILHÃO DE PESSOAS VISITARAM O MURO OCIDENTAL DURANTE AS FESTAS JUDAICAS

Com o alívio das restrições provocadas pela pandemia, cerca de 1 milhão de judeus e não só visitaram nestas últimas semanas o espaço mais mítico para os judeus: o Muro Ocidental, a muralha que restou da destruição das muralhas de Jerusalém perpetradas pelos romanos no ano 70 d.C.

Segundo o rabino responsável pelo Muro, Shmuel Rabinowitz, afirmou: "As massas que vieram ao Muro Ocidental são uma prova forte e impressionante da ligação da nação judaica ao Muro Ocidental, que nos une a todos através da preservação das tradições e da sua sacralidade."

Shalom, Israel!

terça-feira, setembro 28, 2021

NO CORAÇÃO DE TEL AVIV, CAFÉ EXPRESSO + JESUS

Os judeus que reconhecem Jesus como o Messias e Salvador, portanto convertidos à fé cristã, têm como característica comum a ousadia na proclamação do Evangelho. As dificuldades e oposição, quando não até perseguição colocados pelos familiares, religiosos e amigos, tornam-nos mais resistentes e corajosos. 

É esse o caso do "Café HaOgen", situado a Norte da praça central Dizengoff. Decorado com janelas que ligam o pavimento ao tecto, e uma lousa colorida colocada no passeio exterior anunciando pequenos-almoços, sanduíches e um concerto acústico para breve. No interior, uns 20 a 30 frequentadores, sentados às mesas teclando no laptops. A decoração interior é moderna e apelativa. 

Mas o "Café HaOgen" oferece algo mais que os outros concorrentes não dão: o Evangelho de Jesus Cristo.

O café é parte de um ministério messiânico baseado em Tel Aviv, considerado como uma "cafetaria para evangelizar/alcançar pessoas", cujo pessoal são "evangelistas disponíveis para partilhar as Boas Novas com qualquer convidado que ali entre."

"Graças a esta localização estar na moda, o ministério ganhou acesso a um completamente novo tipo de pessoas em grande necessidade de um Salvador na sua cidade."

O trabalho do café está ligado ao ministério "Dugit" e ao judaismo messiânico, um movimento cujos membros acreditam na divindade de Jesus ao mesmo tempo que praticam o judaísmo e que não é facilmente detectável. Ao fundo do café localiza-se uma prateleira repleta de cópias do Novo Testamento em hebraico e pilhas de panfletos sobre o "Messias", com o logotipo do café: uma âncora, que constitui um símbolo clássico do cristianismo. Não há qualquer menção evidente a alguma ligação ao ministério "Dugit", ainda que ela exista, e isso para não afastar ou fazer os clientes constrangidos.

O actual responsável do café é pastor numa congregação messiânica etíope local. 

Mal compreendidos e ainda não aceites pelos religiosos, que consideram os judeus messiânicos como "não judeus" - um absurdo sem qualquer lógica nem justificação - os messiânicos tentam fazer passar uma imagem não depreciativa à população de Israel: "Somos judeus que amam a sua pátria, servimos o nosso país no exército e pagamos impostos. E celebramos as festas e feriados judaicos, e acreditamo sno Deus de Abraão, Isaque e Jacob. E sim, cremos que Yeshua é o messias."

"Não tentamos fazer proselitismo, subornar alguém, ou fazer algo de errado" - afirma um dos líderes messiânicos em Tel Aviv, acrescentando: "No entanto, se os clientes nos perguntarem no que cremos, nós dizemos-lhes, mas não chamamos a isso fazer proselitismo ou tentar converter alguém."

A maior parte dos messiânicos israelitas têm ascendência judaica directa, ao contrário dos EUA, onde muitos que se declaram messiânicos são de facto evangélicos. O número de judeus messiânicos em Israel anda pelos 10 - 20.000, um número crescente graças aos esforços evangelísticos e à imigração. Há assembleias messiânicas que evangelizam especialmente russos e de etíopes. O número de messiânicos em Israel era de 5 mil em 1999, mas hoje em dia só nas congregações compostas de russos esse número já pode ser visto. Contam-se por todo o país mais de 70 diferentes congregações messiânicas. 

Mas, tal como qualquer esforço evangelístico no país, o café "HaOgen" tem também enfrentado oposição da parte de grupos anti-missionários, que alegadamente permitem que qualquer um possa estabelecer um negócio em Tel Aviv, mas que se sentem na "obrigação" de avisar os potenciais consumidores, alertando-os de que aquele não é um café qualquer, semelhante aos outros, mas "parte de uma bem subsidiada organização sustentada por evangélicos para converter judeus jovens e vulneráveis ao cristianismo"...

Apesar de alguma oposição, e tal como outros tantos ministérios messiânicos em Israel, o Evangelho cresce a olhos vistos, especialmente entre as novas gerações, cansadas e frustradas com a religiosidade hipócrita e esvaziada de sentido que tantos experimentam em Israel.

Shalom, Israel!

segunda-feira, setembro 27, 2021

NAFTALI BENNETT FEZ O SEU PRIMEIRO DISCURSO NA ONU

No seu primeiro discurso numa Assembleia Geral da ONU, o novo primeiro-ministro de Israel referiu-se ao Irão, avisando que "as palavras não impedem as centrifugadoras de girar." O líder israelita aproveitou ainda para elogiar o seu governo como modelo para o "debate sem ódios", acrescentando ainda que Israel foi o impulsionador da vacina "booster", ao mesmo tempo que manteve a economia aberta. Bennett não fez qualquer referência aos palestinianos. 

Bennett iniciou o seu discurso de hoje na ONU, apregoando Israel como "um farol num mar tumultuoso, uma referência de democracia...desejoso de contribuir para o mundo apesar de estar no meio da pior vizinhança da terra."

Bennett elogiou os "Acordos de Abraão", acrescentando que há mais países a caminho. 

Depois de criticar duramente o novo presidente do Irão por mandar assassinar iranianos em massa, Bennett prometeu que Israel não permitirá que Teerão consiga a arma nuclear: "Nestes últimos anos, o Irão tem dado um grande passo em frente...o programa nuclear do Irão está num ponto crítico. Todas as linhas vermelhas foram ultrapassadas. As inspecções ignoradas...tudo pensamentos positivos, comprovadamente falsos."

"O Irão está a violar os acordos de salvaguarda da Agência Internacional - e está-se a safar. Eles molestam os inspectores e fazem sabotagem às suas investigações - e estão-se a safar. Eles enriquecem urânio ao nível de 60%, o que os leva a um passo de conseguirem material para a bomba - e estão-se a safar. As evidências que provam claramente as intenções do Irão em relação às armas nucleares em sítios secretos em Toorkooz-abad, Teerão e Marivan, são ignoradas. O programa nuclear do Irão atingiu um momento crucial, assim como a nossa tolerância. As palavras não impedem as centrifugadoras de girar. Há gente no mundo que parece olhar para a busca de armas nucleares pelo Irão como uma realidade inevitável, simplesmente se cansaram de ouvir falar sobre isso. Israel não tem esse privilégio. Não nos cansaremos. Não permitiremos que o Irão consiga a arma nuclear" - afirmou Bennett, acrescentando que: "O Irão é muito mais fraco, muito mais vulnerável do que se pensa."

REACÇÃO NEGATIVA DA OPOSIÇÃO

Quem não gostou nada do discurso de Bennett foi o Likud, o partido de Netanyahu, agora na oposição. Segundo o partido, "Bennett proferiu um discurso vazio diante de um auditório vazio, desperdiçando palavras vazias em vez de ter aproveitado um palco internacional tão importante."

Shalom, Israel!

sábado, setembro 25, 2021

MAIS DE 300 PROEMINENTES IRAQUIANOS APELARAM PUBLICAMENTE À PAZ COM ISRAEL. BAGDADE JÁ DISSE QUE NÃO.

Um evento sem precedentes teve ontem lugar em Erbil, Iraque, juntando líderes sunitas e xiitas e activistas, exigindo que o Iraque se junte aos "Acordos de Abraão."

A reunião foi ontem realizada na região curda do Iraque e reuniu 312 figuras relevantes iraquianas, tanto xiitas como sunitas, activistas e líderes tribais, apelando à normalização das relações com Israel, acrescentando que o passo seguinte seria haver conversações "face a face" com os israelitas. As declarações conjuntas foram emitidas e assinadas num hotel da cidade de Erbil, capital da região curda no Norte do Iraque. A conferência foi organizada pela organização "Centro para as Comunicações de Paz", sediada em Nova Iorque, que promove o avanço do envolvimento entre árabes e israelitas e a protecção de activistas que apoiem a normalização. 

Um dos prelectores explicou que o grupo acredita na paz com Israel "para que possamos viver numa região estável que leva o conflito ao seu término. Acreditamos nisso, porque queremos que a nossa região seja pacífica, na qual Israel seja uma parte inseparável de um todo, e na qual todos os povos possam ter o direito de viver em segurança."

"Exigimos que o Iraque se junte internacionalmente aos Acordos de Abraão" - escreveu Wisam al-Hardan, líder do movimento "Despertar dos Filhos do Iraque", acrescentando: "Apelamos a plenas relações diplomáticas com Israel e a uma nova política de desenvolvimento mútuo e prosperidade."

Os "Filhos do Iraque" formaram-se organicamente em 2005 com líderes tribais na província de Anbar e ex-oficiais do exército iraquiano aliados às forças dos EUA para combater a Al-Qaeda.

"Alguns de nós enfrentámos o ISIS e o Al-Qaeda no terreno de batalha" - escreveu Hardan, acrescentando: "Através do sangue e das lágrimas temos há muito demonstrado qu enos opomos a todos os extremistas, sejam eles jihadistas sunitas ou milícias xiitas apoiadas pelo Irão. Temos também demonstrado o nosso patriotismo. Sacrificámos vidas por amor a um Iraque unificado, aspirando à concretização de um sistema de governo federal, tall como estipulado na constituição da nossa nação."

Classificando a expulsão dos judeus iraquianos como "o acto mais infame" no decínio do país, Hardan disse que o Iraque "deve reconectar-se com a totalidade da nossa diáspora, incluindo esses judeus."

"Rejeitamos a hipocrisia em alguns sectores do Iraque que falam amavelmente dos judeus iraquianos, ao mesmo tempo que denigrem a sua cidadania israelita, e o estado judaico que lhe garantiu asilo." Hardan afirmou ainda que as leis iraquianas que criminalizam os contactos com israelitas são "moralmente repugnantes."

"Temos uma escolha" - finalizou Hardan - "tirania e caos, ou então legalidade, decência, paz e progresso."

Como resultado da conferência irão ser formados 7 grupos de trabalho que tratarão de assuntos relacionados às ligações entre o Iraque e a sua diáspora judaica, comércio e investimento, reformas educativas, o repúdio às leis anti-normalização, comunicações de paz nos media do Iraque, colaborações artísticas, e o apoio a activistas pela paz em outros países árabes que não reconhecem Israel. 

REACÇÕES ISRAELITAS

O ministro israelita para as Relações Exteriores, Yair Lapid, comentou: "O evento no Iraque é uma fonte de esperança e optimismo. Israel está sempre buscando formas de alargar o círculo da paz, e estamos trabalhando com amigos pelo mundo fora para tornar isso possível. A normalização beneficia toda a região e ajuda-nos a sairmos do extremismo e do caos oferecidos pelos actores negativos para a estabilidade, prosperidade, moderação e cooperação. O povo judeu partilha uma profunda conexão histórica com o Iraque. Assim, dizemos hoje ao povo iraquiano: é muito mais aquilo que nos une do que aquilo que nos separa, e muito mais a ganhar através da paz do que de conflitos desnecessários."

O Iraque está oficialmente em guerra com Israel e é um forte apoiante do boicote árabe a Israel. Os passaportes iraquianos não são válidos para entrar em Israel. Israel tem estado nestes útimos meses a avançar esforços para alcançar o país, alegando que os iraquianos estão interessados em estabelecer ligações com o estado judaico. 

Os 18.000 soldados iraquianos representaram a maior força única que combateu o estado judeu em 1948, na Guerra da Independência, chegando a derrotar as forças israelitas na cidade de Jenin. O Iraque enviou também grandes forças expedicionárias para combaterem Israel nas guerras de 1967 e 1973, perdendo 800 soldados nos Montes Golan durante a Guerra do Yom Kippur. O programa secreto de armas nucleares de Saddam Hussein alarmou Israel, que acabou por destruir o reactor nuclear iraquiano de Osirak em 1981. Durante a Guerra do Golfo de 1991, Hussein atacou o estado judaico com dezenas de mísseis "scud."

CONDENAÇÃO EM BAGDADE

Logo a seguir à realização da conferência, ergueu-se um enorme coro de protestos e condenações na capital Bagdade. O actual governo federal do Iraque classificou entretanto a reunião como "ilegal."

"A conferência não foi representativa da opinião da população e dos residentes nas cidades iraquianas, em cujo nome estes indivíduos supostamente falaram" - declarou o comunicado. O actual presidente do Iraque, Barham Saleh, ele também curdo, juntou-se às vozes de condenação. O poderoso clérigo xiita Moqtada Sadr apelou ao governo para "prender todos os participantes", enquanto o deputado Ahmed Assadi, classificou-os como "traidores aos olhos da lei."

Segundo o orgaizador, os mais de 300 participantes vieram de todo o Iraque, representando seis distritos governamentais: Bagdade, Mosul, Salaheddin, Al-Anbar, Diyala, e Babilónia.

Vários líderes curdos iraquianos têm vindo a visitar Israel regularmente nas últimas décadas, e os políticos locais têm abertamente exigido que o Iraque normalize relações com o estado judaico.

Shalom, Israel!

sexta-feira, setembro 24, 2021

EM DISCURSO À ONU, ABBAS DÁ A ISRAEL UM ANO PARA REGRESSAR ÀS FRONTEIRAS DE 1967

No discurso transmitido de forma virtual à Assembleia Geral da ONU esta manhã, o líder palestiniano Mahmoud Abbas, cada vez mais contestado entre o povo palestiniano, regressou ao mais que saturado e caducado discurso nacionalista, quiçá mais para consumo interno do que para conseguir agregar a simpatia mundial para com o povo palestiniano.

E Mahmoud Abbas não se ficou por menos: exigiu que Israel regresse às fronteiras de 1967 no espaço de um ano, ou de outra forma sofrerá represálias. O líder arqui-terrorista deveria deslocar-se pessoalmente a Nova Iorque para discursar, mas preferiu à última da hora ficar em Ramalá alegando preocupção com a evolução da pandemia. 

Na mensagem previamente gravada, Abbas exigiu: "As autoridades israelitas têm um ano para se retirarem do território palestiniano ocupado em 1967, incluindo Jerusalém oriental." O que este palestiniano esquece é que os territórios conquistados por Israel na Guerra dos Seis Dias de 1967 estavam sendo ocupados pelos jordanos...

Na "boa vontade" expressa por Abbas, os palestinianos estariam dispostos a trabalhar com Israel nas questões de fronteiras e outras necessárias para resolver qualquer acordo de paz entre israelitas e palestinianos. 

"Se isto não for conseguido, por quê manter o reconhecimento de Israel baseado nas fronteiras de 1967? Para quê manter este reconhecimento?" - vociferou o líder palestiniano, co-responsável pelo terrorismo palestiniano que já ceifou a viida a centenas de israelitas. 

Abbas ameaçou levar Israel ao Tribunal Internacional de Justiça caso não respeite as suas exigências.

O primeiro-ministro israelita Naftali Bennet é que não vai certamente dar qualquer crédito às ameaças do seu inimigo palestiniano. Já afirmou que o seu governo não permitirá a existência legal de um estado palestiniano: "Oponho-me a um estado palestiniano - penso que seria um erro terrível" - afirmou Bennett no início deste mês. Bennett não tem quaisquer planos para se encontrar com o líder palestiniano: "Não vejo qualquer lógica em me encontrar com alguém que anda a levar soldados das FDI no tribunal do Hague, acusando-os de crimes de guerra, ao mesmo tempo que paga salários aos terroristas."

Abbas apelou ainda a uma conferência de paz internacional para resolver o conflito israelo-palestiniano, sob a supervisão do "quarteto para a paz no Médio Oriente", uma iniciativa conjunta entre os EUA, a União Europeia, a Rússia e as Nações Unidas. 

Shalom, Israel!


quinta-feira, setembro 23, 2021

CASA DOS REPRESENTANTES DOS EUA APROVA POR ESMAGADORA MAIORIA O FINANCIAMENTO DE 1 BILIÃO DE DÓLARES PARA O SISTEMA ISRAELITA "IRON DOME"

Apesar do voto contra de 8 democratas "progressistas" e de 1 republicano, a "Casa dos Representantes" dos EUA aprovou por esmagadora maioria a passagem a legislação que permitirá a Israel receber 1 bilião de dólares para subsidiar o seu programa de defesa "Cúpula de Ferro", alguns dias apenas depois de essa verba ter sido retirada das despesas governamentais por pressão de um pequeno grupo de advogados "progressistas."

A decisão foi aprovada com 420 votos a favor contra 9, e 2 abstenções. A proposta vai agora ser levada a votos pelo Senado, cujos votos são fundamentais para que a lei possa passar à respectiva efectivação.

Israel já aplaudiu e agradeceu efusivamente esta decisão logo a seguir à votação da mesma: "Muito obrigado aos membros da Casa dos Representantes dos EUA, tanto republicanos como democratas, pelo avassalador apoio a Israel e compromisso com a sua segurança" - declarou o primeiro-ministro Naftali Bennett, acrescentando: "Quem quer que tente desafiar este apoio recebeu hoje uma inequívoca resposta. O povo de Israel agradece ao povo norte-americano e seus representantes pela sua permanente amizade."

Shalom, Israel!

quarta-feira, setembro 22, 2021

REI DA JORDÂNIA E PRESIDENTE TURCO NA ONU APELAM À CRIAÇÃO DE UM ESTADO PALESTINIANO COM JERUSALÉM COMO CAPITAL

Os líderes islâmicos continuam a insistir na velha retórica da criação de um estado palestiniano em território bíblico de Israel, com Jerusalém oriental como capital. 

Durante a decorrente assembleia geral da ONU, a "cassette" árabe e islâmica continua a fazer-se ouvir, desta vez através do presidente turco, o cruel ditador que anseia liderar um utópico califado islâmico e que, na sua intervenção presencial de ontem na ONU acusou Israel de "opressão" sobre os palestinianos e "violações" em Jerusalém. Erdogan apelou ainda ao regresso das conversações de paz. O presidente turco abordou ainda mais uma vez a necessidade de uma "solução dois estados o mais rápido possível sem mais demoras."

E o conhecido ditador e opressor do seu próprio povo e da população curda voltou a atacar Israel, acusando o estado judaico de "opressão contra os nossos irmaos palestinianos", acrescentando que enquanto essa alegada opressão continuar é impossível haver paz e prosperidade no Médio Oriente: "As políticas de ocupação, anexação de terras e assentamentos ilegais têm de ser terminados o mais rapidamente possível." Erdogan condenou ainda Israel pelas "violações do estatuto internacional de Jerusalém" e da santidade do Monte do Templo, lugar da mesquita de al-Aqsa, o terceiro lugar mais sagrado do islão. 

O rei Abdullah II da Jordânia, por seu turno, numa mensagem virtual, repetiu a habitual ladaínha da criação de um estado palestiniano com Jerusalém oriental como capital, acrescentando ainda que a recente guerra entre Israel e Gaza sublinhou que "a actual situação é simplesmente insustentável."

Enfim, nada de novo debaixo do sol...

Shalom, Israel!

terça-feira, setembro 21, 2021

NO SEU DISCURSO NA ONU, JOE BIDEN DEFENDE A SOLUÇÃO "2 ESTADOS"

Enfatizando o apoio norte-americano à segurança de Israel, o presidente Joe Biden aludiu à solução 2 estados para o conflito israelo-palestiniano como "a melhor forma" de assegurar que Israel se mantenha como estado judaico e democrático. Biden assegurou que o compromisso dos EUA para com a segurança de Israel está "fora de dúvidas e o nosso apoio a um estado judaico independente é inequívoco."

"Continuo a acreditar que uma solução 2 estados é a melhor forma de assegurar o futuro de Israel como um estado judaico democrático, vivendo lado a lado com um estado palestiniano viável, democrático e soberano."

Biden prometeu também na sua intervenção desta manhã o compromisso do seu país para impedir que o Irão consiga a arma nuclear. Biden acrescentou ainda que, caso o Irão o faça, os EUA regressarão também ao acordo assinado em 2015. 

Shalom, Israel!

segunda-feira, setembro 20, 2021

O MESSIAS JESUS NA FESTA DOS TABERNÁCULOS

Inicia-se esta noite a última das festas bíblicas de Israel, a Festa das Cabanas, ou dos Tabernáculos (no hebraico: sucote). Durante 7 dias muitos judeus constroem dentro das suas casas ou nos terraços uma espécie de cabana sob a qual pernoitam e se alimentam, em memória do tempo que o povo de Israel passou no deserto, habitando em tendas durante 40 anos  - Levítico 23.42 - 43. São dias de lembrança e de gratidão ao Senhor pela Sua protecção e provisão durante queles dias. Nos tempos bíblicos, todos os judeus subiam a Jerusalém para celebrar esta grande festa, repleta de alegria e de comida - Levítico 23.40. Como bom judeu cumpridor da Lei e das tradições bíblicas, o Messias Jesus também subia regularmente à Cidade santa para celebrar esta e outras festas do calendário judaico: a Páscoa e o Pentecoste. 

Uma das tradições desta semana é permanecer o mais tempo possível dentro da tenda (ou cabana). Os judeus trazem diante do Senhor um molho com ramos de palmeiras, murtas e salgueiros, e ainda citrinos semelhantes ao limão (lulav). Este fruto da família dos citrinos (limão) tem de ser perfeita, sem manchas nem rachaduras. 


JESUS NASCEU DURANTE A FESTA DOS TABERNÁCULOS?

Muitos estudiosos calculam que o Messias Jesus terá nascido em carne da virgem Maria durante esta festa, uma vez que o texto de João 1.14 refere que "Ele Se fez carne e tabernaculizou entre nós." A palavra hebraica usada no texto é a mesma referida para "habitação", ou seja: Deus fez-Se carne e habitou (fez o Seu tabernáculo) entre nós. Muitos crêm também que será durante este período também que Ele Se manifestará na Sua segunda vinda. Visto que todos os eventos relativos ao programa da redenção divina através do Filho de Deus, Jesus, o Messias de Israel, se realizaram exactamente durante a celebração das festas do Senhor - ou seja: no calendário do Senhor - não tenho qualquer dificuldade em aceitar essa pressuposição, uma vez que "tudo Deus faz perfeito no Seu tempo."

JESUS MANIFESTA-SE NA FESTA DOS TABERNÁCULOS

O 7º dia da celebração do Sucote é o maior de todos, e é conhecido como "Hoshana Raba" (Grande Salvação). Era nesse dia, nos dias do Templo, que uma impressionante cerimónia de libação com água tinha lugar. Numa espécie de acto profético de intercessão, os sacerdotes tiravam água do tanque de Siloé, derramando-a depois cuidadosamente, ao mesmo tempo que oravam para que Deus trouxesse chuva durante o próximo ano agrícola, dessa forma abençoando o povo e a Terra de Israel. Ora foi exactamente nesse "último dia, o grande dia da festa", que o Messias Jesus Se manifesta mais uma vez ao Seu povo, oferecendo-Se como a verdadeira água viva que dessedenta a sede espiritual: "Jesus pôs-Se em pé, e clamou, dizendo: Se alguém tem sede, venha a Mim, e beba. Quem crê em Mim, como diz a Escritura, rios de água viva correrão do seu ventre." - João 7.37-38. O verso seguinte esclarece que Jesus estava a referir-Se ao Espírito Santo "que haviam de receber os que n'Ele cressem."

UM SINAL DO REINO MILENAR DE CRISTO

A Festa dos Tabernáculos aponta também para o futuro Reino Milenar do Messias Jesus, quando ocorrerá o ajuntamento final do Seu povo na Terra de Israel durante o governo de Cristo em Jerusalém - Isaías 27.12-13; Jeremias 23.7-8. Segundo as Escrituras, e nessa altura que as nações virão perante o Senhor durante a Festa dos Tabernáculos para adorá-l'O em Jerusalém - Zacarias 14.16.

Este será então um tempo do maior ajuntamento de sempre do povo de Deus ligado à vinda do Senhor, que habitará então no meio do Seu povo numa glória indescritível e eterna!

Shalom, Israel!

sexta-feira, setembro 17, 2021

EUA QUEREM FOMENTAR MAIS ACORDOS ENTRE PAÍSES ÁRABES E ISRAEL

Num encontro virtual realizado hoje com vários líderes árabes para assinalar o 1º aniversário da assinatura dos "Acordos de Abraão", na Casa Branca, em Washington, o secretário de estado da actual administração norte-americana Antony Blinken prometeu esforçar-se para encorajar mais países árabes a normalizarem as suas relações com Israel.

Este evento reuniu virtualmente Blinken com os seus pares de Israel, Emirados Árabes Unidos, Barhein e Marrocos, e foi a maior continuidade desta presente administração Biden aos "Acordos de Abraão" encetados pelo ex-presidente Donald Trump e que constituíram o maior sucesso da sua administração.

Nesta reunião de hoje, Blinken aplaudiu os benefícios diplomáticos e económicos dos acordos, afirmando: "Esta administração continuará a construir sobre os esforços bem sucedidos da última administração de forma a permitir que a normalização avance."

O secretário norte-americano afirmou que a sua administração irá aprofundar as relações com os países árabes já "amigos" de Israel, bem como com o Sudão, que também estabeleceu relações com Israel no ano passado, prometendo também fortalecer a relação entre Israel e os seus vizinhos Egipto e Jordânia. Para além desses países, Blinken disse que Washington irá encorajar mais países a seguirem esses exemplos: "Queremos alargar o círculo da diplomacia de paz."

Yair Lapid, ministro israelita para as Relações Exteriores, confirmou por seu lado as afirmações de Blinken, concordando com as mesmas: "Este clube dos Acordos de Abraão está também aberto a novos membros." Lapid anunciou ainda a sua intenção de visitar o Barhein no fim deste mês, naquela que será a primeira visita oficial de um líder israelita àquele país do Golfo Pérsico.

Shalom, Israel!

quinta-feira, setembro 16, 2021

ABORTADA TENTATIVA DE "ATAQUE ISLÂMICO" A SINAGOGA ALEMÃ

A polícia alemã conseguiu abortar uma tentativa de ataque a uma sinagoga em Haguen, Alemanha, previsto para este dia em que os judeus celebram o Yom Kippur. 

Um rapaz sírio de 16 anos e outros 3 indivíduos foram ontem detidos em ligação a um planeado ataque à sinagoga de Hague. Este incidente trouxe à memória o ataque ocorrido há exactamente 2 anos contra outra sinagoga alemã na cidade de Halle, em que um atirador neo-nazi tentou invadir o edifício durante a celebração do Yom Kippur. A polícia isolou o recinto e a cerimónia do Yom Kippur foi cancelada. Segundo Herbert Reul, ministro do Interior para o governo estadual do Reno Norte - Westphalia, as autoridades tinham recebido "informações muito sérias e concretas" de que haveria um ataque à sinagoga durante o Yom Kippur. A informação apontava para "uma situação de ameaça de motivação islâmica", incluindo a provável hora e o nome do suspeito da tentativa. Segundo as autoridades, foi evitado "um ataque com motivação islâmica." As autoridades procuram agora quais serão as redes por detrás desta tentativa. 

A revista "Der Spiegel" reportou, ainda que não identificando as fontes, que a informação veio da parte de um serviço de informações estrangeiro. Segundo as mesmas, o adolescente disse a alguém numa conversa de chat na internet que estava a planear um ataque com explosivos a uma sinagoga, tendo esta pista levado os investigadores a procurar o jovem que vive com o seu pai na cidade de Hagen. 

A ministra da Justiça da Alemanha condenou duramente a tentativa de ataque à sinagoga: "É intolerável que os judeus sejam novamente expostos a uma ameaça tão horrível, não podendo celebrar o início do seu feriado mais solene, o Yom Kippur."

Os crimes antissemitas têm vindo a aumentar na Alemanha nestes últimos anos, com um total de 2.032 ofensas registadas em 2019, um acréscimo de 13 por cento em relação ao ano anterior.

Shalom, Israel!


quarta-feira, setembro 15, 2021

O SIGNIFICADO PROFÉTICO DO YOM KIPPUR (DIA DA EXPIAÇÃO)

Inicia-se esta noite o dia mais solene do calendário bíblico judaico: o Yom Kippur, o Dia da Expiação. Em obediência ao mandamento inserido no Livro do Levítico (16), os judeus de todo o mundo reúnem-se nas sinagogas tentando aproximar-se de Deus através de palavras e acções de arrependimento e reflexão. Este dia é tão importante, que é denominado como "Sábado dos Sábados."

A celebração deste dia é acompanhada de jejuns, orações e acertos de relacionamentos através do pedido de perdão às pessoas ofendidas durante o ano anterior. Até mesmo os judeus seculares celebram este dia, jejuando e não trabalhando, ao contrário das outras festas bíblicas. O jejum tem a duração de 25 horas, uma vez que se teme que se erre no cálculo das 24 horas, pelo que se estende mais uma hora para que nenhum erro possa acontecer, tal é a seriedade com que os judeus encaram este dia. 

O Yom Kippur é o culminar de um período de 10 dias de arrependimento iniciados na festa do Ano Novo (Rosh Hashanah), considerado o dia do julgamento. Durante estes dez dias os judeus vão acertando os seus relacionamentos, pedindo perdão uns ao outros pelos pecados e ofensas cometidas. A expressão que é usada refere-se ao desejo de que o nome da pessoa não seja riscado do Livro da Vida. Segundo a tradição religiosa, durante esses dez dias o Eterno Deus vai examinando a conduta de cada um, pesando as boas e as más acções numa balança, daí o pedido de perdão a Deus feito neste dia, pedindo que Ele não risque o nome da pessoa do Livro da Vida. 

NOS DIAS DA ANTIGA ALIANÇA

Nos tempo da Antiga Aliança, o Sumo Sacerdote de Israel entrava no Santo dos Santos neste dia específico para oferecer incenso e o sangue do sacrifício no propiciatório, para que o povo de Israel pudesse receber o perdão dos seus pecados. Este era o único dia do ano em que o Sumo Sacerdote o podia fazer. Uma vez que o Templo não existe mais, a oferta purificadora referida em Levítico 16 não pode mais ser efectuada. 


NOS DIAS DA NOVA ALIANÇA

Ao contrário deste procedimento, os crentes em Yeshua - Jesus - podem apresentar-se confiadamente diante de Deus, certos de que o Seu sacrifício expiatório nos purificou de todos os pecados. Diferentemente de todos os outros sacerdotes, o nosso Sumo Sacerdote Jesus, não necessita de oferecer sacrifícios diários, primeiro pelos seus próprios pecados, e depois pelos pecados do povo. Jesus sacrificou-Se pelos nossos pecados uma só vez, e de uma vez por todas - Hebreus 9.14.

SIGNIFICADO PROFÉTICO

Este dia tão importante no calendário bíblico das Festas do Senhor aponta profeticamente para o arrependimento colectivo futuro de Israel quando do retorno do seu Messias. Se a Festa das Trombetas (Dia do Ano Novo) anuncia o retorno do Messias Jesus para resgatar os Seus deste mundo, e o Seu juízo sobre toda a humanidade rebelde, este Dia da Expiação representa o Dia glorioso em que Ele estará no Monte das Oliveiras, de onde descerá para salvar o Seu povo atribulado em Jerusalém e levá-lo ao arrependimento. Encontramos referências a esse arrependimento colectivo no Livro do profeta Zacarias 12.9 e 10, 13.1 e ainda na Epístola de Paulo aos Romanos 11.25-27. Naquele Dia, os habitantes de Jerusalém olharão para Aquele a Quem rejeitaram, e reconhecerão as marcas do amor nas Suas mãos. Depois que o Messias Se identifica como sendo Jesus de Nazaré, haverá uma convulsão nacional, um choro compulsivo e arrependimento conducente à conversão. Israel reconhecerá em Jesus o "Cordeiro de Deus que tira os pecados do mundo", o Único capaz de fazer a reconciliação com o Pai. Jesus será visto como o "bode expiatório", inocente, que levou sobre Si todos os nossos pecados, tendo que morrer por causa dessa maldição que foi transferida para Ele. E tal como o "bode emissário" levava simbolicamente os pecados do povo de Israel para o deserto, para longe da vista de Deus neste mesmo Dia da Expiação, assim o sacrifício expiatório de Jesus, o Cordeiro de Deus, conseguiu de uma vez por todas afastar para sempre os nossos pecados da vista do Senhor - Salmo 103.12.

"Quando estiveres em angústia, e todas estas coisas te alcançarem, então nos últimos dias voltarás para o Senhor teu Deus, e ouvirás a Sua voz; porquanto o Senhor teu Deus é Deus misericordioso, e não te desamparará, nem te destruirá, nem Se esquecerá do pacto que jurou a teus pais" - Livro do Deuteronómio 4.30-31.

Assim, este Dia da Expiação não só nos recorda com imensa gratidão a grande e eterna Obra realizada há 2 mil anos em Jerusalém pelo Cordeiro de Deus, como nos aponta para o futuro dia em que Ele Se revelará aos Seus irmãos - tal como José no Egipto - perdoando-lhes os pecados e abençoando-os com a salvação e o descanso eterno.

Shalom, Israel!

segunda-feira, setembro 13, 2021

ENCONTRO HISTÓRICO NO SINAI ENTRE O PRESIDENTE EGÍPCIO E O PRIMEIRO-MINISTRO ISRAELITA

Foi a primeira vez desde há dez anos que um primeiro-ministro de Israel visita o vizinho Egipto. O primeiro-ministro israelita Naftali Bennett encontrou-se hoje com o presidente egípcio Abdel Fattah-al-Sisi na estância balnear egípcia de Sharm al-Sheikh, na península do Sinai. 

Segundo Bennett, foi "um encontro bom e muito importante." O primeiro-ministro israelita afirmou ainda o seguinte: "Israel está-se a abrir a países na região. A paz entre Israel e o Egipto é a base para este reconhecimento de longa duração. Portanto, ambas as partes devem investir no fortalecimento desta relação e foi isso que hoje fizemos."

Bennet informou que a parte mais importante da reunião foi a criação de uma infraestrutura para manter e fazer avançar um bom relacionamento. Os dois líderes abordaram também "uma variedade de assuntos relacionados com as esferas política, económica e da segurança." 

Este encontro histórico deu-se a meio de crescentes tensões com Gaza e na Judeia e Samaria. 

Segundo o gabinete presidencial de Sisi, os dois líderes abordaram ainda as formas de reativar o processo de paz entre Israel e os palestinianos, o qual se encontra congelado desde 2014. 

Este encontro terá também servido para aumentar as comunicações terrestres entre os dois países, com a passagem de Taba usada pelos turistas israelitas para entrar no Egipto a reabrir na próxima Segunda-Feira após um longo período de fechamento devido à pandemia da covid-19. A partir de Outubro próximo, a companhia aérea egípcia Egyptair irá começar vários voos semanais entre o Cairo e Tel Aviv.

O Egipto foi o primeiro país árabe a assinar um acordo de paz com Israel, em 1979, mas as relações mantiveram-se frias, restritas à cooperação em questões de segurança e alguma ligações económicas limitadas. A intermediação do Egipto para o cessar fogo entre Israel e Gaza permitiu que o país pudesse reafirmar o seu papel diplomático na região a meio dos acordos de paz assinados entre Israel e outros 4 estados árabes. 

A anterior visita de um líder israelita ao Egipto deu-se em Janeiro de 2011, quando o então primeiro-ministro israelita Benjamin Netanyahu se encontrou com o ex-presidente Hosni Mubarak, também na estância de Sharm el -Sheikh, logo antes da revolução popular que levou à deposição de Mubarak. 

Shalom, Israel!