terça-feira, janeiro 25, 2022

ISRAEL PREPARA-SE PARA RECEBER MILHARES DE JUDEUS UCRANIANOS EM CASO DE INVASÃO RUSSA

Representantes de vários órgãos governamentais de Israel reuniram-se no passado Domingo para abordar a possibilidade de milhares de judeus ucranianos quererem imigrar para Israel caso a Rússia invada a Ucrânia.

Segundo o relato de um jornal israelita, existem actualmente cerca de 75.000 residentes na Ucrânia Oriental elegíveis para a cidadania israelita. Sabe-se que desde há muito que Israel tem planos para a evacuação em massa de vários países caso surja essa necessidade, e que devido às tensões na Ucrânia esse plano tem vindo a ser actualizado. Sabe-se que vivem na Ucrânia 10.000 cidadãos israelitas. 

O departamento do estado norte-americano revelou no passado Domingo que foi ordenada a evacuação das famílias dos seus diplomatas de Kiev, capital da Ucrânia, "devido à contínua ameaça da acção militar russa." Washington autorizou também a "partida voluntária" do pessoal da sua embaixada, tendo ainda apelado aos cidadãos norte-americanos residentes na Ucrânia a "considerarem sair agora usando voos comerciais ou outras opções de transporte privado."

ALTA TENSÃO NA FRONTEIRA
A Rússia tem estado a enviar dezenas de milhares de soldados para a sua fronteira com a Ucrânia, juntamente com um grande arsenal de tanques de guerra, veículos de combate, artilharia e mísseis. Estas movimentações têm gerado fortes críticas e condenações por parte de várioa países europeus e dos EUA, mas até agora as intensas conversações não conseguiram produzir resultados. 
Tanto os EUA como o Reino Unido têm estado a fornecer armamento à Ucrânia.

A concretizar-se a temida invasão russa da Ucrânia, o plano de evacuação será posto em marcha, permitindo assim que mais alguns milhares de judeus ucranianos possam imigrar para a terra dos seus antepassados, continuando dessa forma o cumprimentos das profecias milenares.

Shalom, Israel!


segunda-feira, janeiro 24, 2022

O ANO 2021 FOI O MAIS ANTISSEMITA DA DÉCADA

A Organização Sionista Mundial e a Agéncia Judaica publicaram o seu relatório sobre o antissemitismo no ano 2021, antecipando as comemorações do Dia Internacional da Memória do Holocausto a realizar na próxima Quinta-Feira.
O número médio diário de incidentes antissemitas relatados em 2021 foi de 10 casos. "No entanto" - conclui o relatório" - o número real de incidentes foi significativamente mais elevado, uma vez que muitos não são revelados pelo medo sentido pelas vítimas, e devido também à falta de vigilância e prossecução por parte das autoridades locais e das agências executoras da lei."

Segundo o relatório, "2021 foi o ano mais antissemita da última década", mesmo não havendo registo de alguém morto num ataque antissemita. 
O ano 2020 já tinha assistido a um incremento de ataques antissemitas, muitos dos quais na arena digital, como resultado das imposições nacionais de lockdown. Porém, à medida que os países foram permitindo os encontros e ajuntamentos notaram-se incidentes constantes. Muitas demonstrações realizadas contra as vacinas e restrições incluíram motivos relacionados com o Holocausto, tais como a estrela amarela, bem como teorias de conspiração antissemitas alegando que os judeus andam a espalhar o vírus de forma a poderem controlar o mundo. 

Durante o ano 2021 a Europa foi o continente onde mais incidentes antissemitas foram registados, chegando a atingir quase 50% de todos os casos registados no mundo inteiro. 
Durante os primeiros 6 meses de 2021 registou-se um aumento de 49% no Reino Unido, com a ocorrência de 1.308 incidentes em comparação com 875 durante o mesmo período do ano anterior. A Áustria também registou o dobro de casos, enquanto na Alemanha se manteve igual, com 1.850 incidentes antissemitas registados nos primeiros 10 meses de 2021, em comparação com os 1909 ocorridos durante todo o ano anterior. 
A América do Norte foi o segundo continente com mais casos, com 30% deles ocorridos nos EUA. Só em Nova Iorque houve um aumento de 100% em relação ao ano anterior, com 503 incidentes, em comparação aos 252 ocorridos em 2020. Em Los Angeles, houve um aumento de 59,2% nos casos antissemitas durante os primeiros 6 meses do ano.
Foi registado que um em cada quatro judeus norte-americanos sofreu algum tipo de ataque antissemita durante o ano passado. 
A maior parte dos incidentes têm a ver com vandalização e destruição de propriedades, grafitis e profanação de monumentos. A violência física e verbal somou menos de um terço de todos os incidentes registados.

Shalom, Israel!

sábado, janeiro 22, 2022

AVIAÇÃO ISRAELITA EM GRANDE EXERCÍCIO AÉREO EM PREPARAÇÃO A UM POSSÍVEL ATAQUE AO IRÃO

Jactos israelitas realizaram um vasto exercício aéreo sobre o Mediterrâneo que incluíram o reabastecimento em pleno voo. Esta notícia não tornada pública foi mesmo assim divulgada por um órgão da comunicação social saudita sediado em Londres.

Segundo a descrição, tratou-se de um "anormalmente grande" contingente de aviões de ataque F-15, F-16 e F-35, bem como de aviões tanque Boeing de reabastecimento em voo, naquilo que pareceu indicar um sinal de alerta para o Irão a meio das contínuas ameaças israelitas de atacar o programa nuclear iraniano.

O uso de aviões de rabastecimento leva a indicar a extensão de um provável ataque ao Irão, ou pelo menos um sinal aos inimigos das capacidades de que Israel dispõe para enfrentar esse mortal inimigo. Devido à distância entre os dois países, realizar um ataque ao Irão com a aviação israelita e regressar às bases requererá a Israel aviões que possam ser reabastecidos em pleno voo ou em alternativa encontrar um aeroporto de uma nação amiga onde realizar o reabastecimento.

Não se sabe ao certo quando tal ataque terá lugar, tanto mais que segundo informações do "New York Times" um ataque israelita ao Irão terá sofrido um recuo devido aos atrasos na entrega de 8 novos supertanques Boeing KC-47 por parte dos EUA, esperando-se que tal só aconteça em finais de 2024. O negócio da compra dos supertanques foi assinado em Março passado e envolve 2,4 biliões de dólares.

Shalom, Israel!


quinta-feira, janeiro 20, 2022

ASSEMBLEIA GERAL DA ONU ADOPTA RESOLUÇÃO ISRAELITA DE COMBATE À NEGAÇÃO DO HOLOCAUSTO

A Assembleia Geral das Nações Unidas aprovou uma resolução proposta por Israel visando combater a negação do Holocausto.

A resolução passou por consenso e não necessita de votação formal.

A resolução proporcionará uma classificação específica para a negação do Holocausto, fazendo uso da definição reunida pela Aliança Internacional para a Memória do Holocausto. Ela irá agora providenciar recomendações destinadas aos países signatários visando o tratamento do fenómeno, exigindo ainda que as redes sociais removam postagens que se enquadrem na definição agora adoptada pela ONU. 

A aprovação da iniciativa assinala a segunda vez desde o estabelecimento do estado de Israel que uma proposta feita por Jerusalém é adoptada pela Assembleia Geral da ONU. 

IRÃO CONTRA

Logo que o representante israelita para a ONU apresentou a proposta, logo o inimigo iraniano reagiu, apelando aos membros do plenário para não aprovarem a resolução israelita. 

Gilad Erdan, representante de Israel na ONU, comentou um pouco antes da apresentação da proposta à AG que "para além de definir a distorção e a negação do Holocausto, esta resolução é um compromisso para nos assegurarmos de que este fenómeno nunca mais será tolerado."

"Como embaixador de Israel, esta resolução é a minha iniciativa mais importante, mas não só por eu representar o estado judaico, não só por eu ser judeu, mas porque também sou neto de sobreviventes do Holocausto." - salientou num discurso emotivo. Erdan assinalou a presença de sobreviventes do Holocausto na audiência, bem como do CEO da Pfizer, Albert Bourla, filho de sobreviventes do Holocausto.

Shalom, Israel!

quarta-feira, janeiro 19, 2022

SUBMARINOS A COMPRAR POR ISRAEL TERÃO MUITAS MAIS CAPACIDADES

Será certamente pela sofisticação dos novos submarinos que Israel vai comprar à Alemanha que fez o preço disparar para o dobro. Os novos submarinos disporão de um sofisticado sistema de lançamento vertical (VLS), fazendo aumentar o valor inicial em mais 1,2 biliões de euros, totalizando assim 2,4 biliões.

Os 3 novos submarinos serão construídos pelos estaleiros alemães de ThyssenKrupp Marine Systems, e as sofisticadas adaptações são consideradas como que um salto nas capacidades dos mesmos. Ainda que Israel pouco divulgue sobre as reais capacidades dos vasos, sabe-se no entanto que eles dispõem de um sistema de 16 canos com multifunções para o disparo de torpedos, mísseis de cruzeiro Turbo Popeye e até mesmo sistemas de disparo em navegação.

Segundo fontes não israelitas, estes submarinos fornecerão a Israel capacidades nucleares para ataques secundários, carregando mísseis de cruzeiro de longo alcance com ogivas nucleares. As novas adaptações aumentarão o comprimento dos submarinos em cerca de 2,4 a 4 metros, podendo transportar entre 4 a 6 tubos de disparo vertical. 

Shalom, Israel!

terça-feira, janeiro 18, 2022

SISTEMA DE DEFESA ISRAELITA "ARROW 3" CAPAZ DE INTERCEPTAR MÍSSEIS IRANIANOS

Segundo o ministro israelita da Defesa Benny Gantz, "Nós equipámos o estado de Israel com as capacidades para se poder defender contra ameaças crescentes."

Esta manhã, e a meio das crescentes tensões com o inimigo Irão, o ministério da Defesa de Israel, as FDI e a agência norte-americana para a Defesa de mísseis realizaram com sucesso um teste planeado de intercepção com o sistema de defesa anti-míssil Arrow-3. O teste foi conduzido em conjunto com as Indústrias Aeroespaciais Israelitas e a Força Aérea de Israel na parte central do território. 

O sistema foi testado "num cenário desafiador" contra "futuras ameaças." Para além disso, e durante toda a execução do teste, foi recolhida "informação essencial a ser usada pela instituição de defesa e pelos engenheiros a ela ligados para o desenvolvimento de tecnologias futuras."

Na prática, os dois interceptores têm "duas missões diferentes" com rotas aéreas diferentes visando derrubar o mesmo alvo. Segundo os peritos, "o sistema Arrow provou uma vez mais que Israel detém um dos mais avançados sistemas de defesa contra mísseis balísticos a nível mundial." O sistema foi testado contra alvos cujo comportamento é semelhante aos mísseis sofisticados criados pelo Irão, bem como contra outras ameaças. Tanto Israel como os EUA estão preocupados com o facto de o Irão continuar a trabalhar tanto no seu programa nuclear como no de mísseis balísticos, mesmo apesar das críticas internacionais. 

O Arrow-3 é um sistema altamente manobrável destinado a providenciar defesa aérea através da intercepção de mísseis balísticos quando os mesmos se encontram ainda fora da atmosfera terrestre. É considerado um dos melhores interceptores do mundo devido às suas avançadas capacidades tecnológicas. O Arrow-3 é o único interceptador que que não carrega uma ogiva, mas que intercepta um míssil atacante ao colidir contra o mesmo. Esta última geração do sistema tem melhores capacidades de intercepção a uma altitude muito superior e muito mais longe do território israelita. 

O Arrow-3 forma a camada superior do sistema múltiplo de defesa anti-míssil de Israel, ao lado do Arrow-2, do David's Sling e do Iron Dome. Todos juntos, estes sistemas providenciam a Israel um "guarda-chuva protector" capaz de contra-atacar ameaças colocadas tanto por mísseis de curto e médio alcance usados pelos grupos terroristas de Gaza, bem como as ameaças colocadas por mísseis iranianos de longo alcance muito mais sofisticados. 

Fontes militares israelitas insistem que as suas forças já são capazes de atacar o Irão. Por outro lado, em Novembro passado, o Irão disparou 16 mísseis balísticos contra uma simulação do reactor nuclear israelita de Dimona ao final de 5 dias de exercícios militares. 

As FDI sabem que no caso de avançar um ataque contra o Irão, a resposta será uma guerra de várias frentes contra o Hamas, o Hezbollah e outros grupos párias sustentados pelo Irão, com o disparo de milhares de mísseis - incluindo mísseis de precisão - contra Israel e seus interesses.

Shalom, Israel!

segunda-feira, janeiro 17, 2022

SEQUESTRO NA SINAGOGA DO TEXAS CONSIDERADO POR BIDEN COMO "ACÇÃO TERRORISTA."

Um muçulmano de origem britânica manteve durante 10 horas 4 pessoas sequestradas no Saábdo dentro da sinagoga "Beth Israel", no estado do Texas. Entre os reféns contava-se o rabino Cytron-Walker. O rabino confessou que, à medida que o tempo ia passando, o captor "aumentava a sua beligerância e ameaças."
A situação foi resolvida ao fim de 10 horas de grande tensão, com a intervenção das forças especiais da FBI "SWAT", que libertaram os reféns e liquidaram o terrorista. 
O sequestro foi perpetrado pelo britânico Malik Faisal Akram, de 44 anos, que exigia a libertação de uma prisioneira muçulmana actualmente a cumprir pena em Fort Worth acusada em 2010 da tentativa de 2 assassinatos. Julga-se que a escolha desta sinagoga terá sido aleatória. 

O primeiro-ministro israelita Naftali Bennett comentou entretanto que "este incidente é uma dura lembrança de que o antissemitismo está activo e que devemos combatê-lo em todo o mundo."

Shalom, Israel!

quinta-feira, janeiro 13, 2022

SUPERMERCADO ISRAELITA 100% GRÁTIS PARA A POPULAÇÃO MAIS POBRE

Israel é assim: aprende a cuidar dos mais necessitados e desprotegidos. Ou não fosse isso que a Torá ensina e que o Novo Testamento também enfatiza.

Na cidade israelita de Petah Tikva, o casal Shani e Osher Sharvit decidiu abrir um supermercado completamente gratuito, tendo em vista as necessidades básicas das populações mais pobres do país. 

Bem hajam e que Deus os abençoe por este belo exemplo de solidariedade e amor ao próximo!

Shalom, Israel!

terça-feira, janeiro 11, 2022

FORTE SISMO 6.6º NA REGIÃO DE CHIPRE SENTIDO EM ISRAEL

Segundo os dados do centro israelita para pesquisas geológicas, o forte sismo teve o seu epicentro a 369 quilómetros da cidade israelita de Nahariya, tendo muitos habitantes das cidades de Tel Aviv, Haifa, Berseba e até Jerusalém confirmado terem sentido o mesmo. 

O epicentro foi na parte ocidental da ilha de Chipre, no Mediterrâneo Oriental, mas foi sentido um pouco por toda a região, incluindo o Egipto, Israel e Turquia, ainda que sem registo de danos materiais ou humanos. 

Chipre assenta sobre uma falha sismológica secundária, mas tremores desta amplitude não são comuns. A ilha grega de Creta tem também estado a sentir fortes sismos nestas últimas semanas. 

Shalom, Israel!

segunda-feira, janeiro 10, 2022

EXÉRCITO ISRAELITA A CAMINHO DO MAIOR REARMAMENTO DOS ÚLTIMOS ANOS

Visando a cada vez maior probabilidade do fracasso das conversações sobre o acordo nuclear do Irão a decorrer actualmente em Viena, e antevendo-se o ataque às instalações nucleares iranianas, o primeiro-ministro israelita Bennet anunciou esta manhã que as forças militares e de seguranças nacionais estão a realizar o seu maior rearmamento dos últimos anos.

Israel prepara-se assim para a eventualidade de ter de enfrentar o seu actual maior inimigo, já que as conversações de Viena podem resultar num acordo que Israel não aceite ou mesmo até em nenhum tipo de acordo.

"Estamos investindo no rearmamento de segurança das FDI e de todo o sistema de defesa. Diria que é um rearmamento nunca visto em anos. Ele é muito importante para a nossa sobrevivência e eu estou muito contente com isso. Estou determinado a avançar rapidamente com ele" - afirmou Bennett.

O orçamento para despesas com a defesa no ano de 2022 teve um acréscimo grande, atingindo cerca de 60 biliões de shekels (19 biliões de dólares), sendo em grande parte direccionado às despesas com um possível ataque ao Irão.

Bennett reiterou que Israel não será parte de qualquer acordo nuclear com o Irão e que fará tudo o que for necessário para assegurar a segurança do país: "Em termos das conversações de Viena, as conversações nucleares, nós estamos de facto preocupados. É para mim importante dizer e clarificar as coisas de forma a não poder ser incompreendido: Israel não faz parte dos acordos, Israel não fica preso àquilo que for escrito ou assinado nos acordos, e Israel continuará a assegurar a sua total liberdade de actuação em qualquer lugar e em qualquer ocasião sem quaisquer limitações."

Shalom, Israel!

sexta-feira, janeiro 07, 2022

OBRIGADO, HEZBOLLAH...!

As Forças de Defesa de Israel informaramu hoje que os drones capturados por Israel e que atravessaram a fronteira do Líbano entrando em Israel acabaram por revelar informações importantes sobre as crescentes capacidades de observação aérea do grupo terrorista Hezbollah sustentado pelo Irão...

As imagens obtidas a partir de um drone derrubado por Israel em Agosto passado revelaram aquilo que as FDI dizem ser os operacionais dos drones dos terroristas do Hezbollah e ainda imagens de outros drones, bem como uma imagem aérea de uma comunidade do Norte de Israel e de um posto militar israelita.

Um fonte israelita afirmou acreditar que a filmagem exibia o treinamento das forças operacionais do Hezbollah relacionado com o uso dos drones, o que é uma novidade para Israel.

No ano passado Israel capturou 5 drones do Hezbollah , e na passada Terça-Feira abateu um pequeno drone de observação. 

"Estamos aprendendo sobre o inimigo, e o inimigo está aprendendo sobre nós" - afirmou uma fonte israelita sob anonimato, acrescentando tratar-se de "uma corrida de aprendizagem entre Israel e o Hezbollah."


ISRAEL: LÍDER MUNDIAL NOS DRONES

Apesar de Israel ser actualmente líder mundial no desenvolvimento e uso de drones em conflitos, a verdade é que está vendo a sua superioridade sendo desafiada pelo arqui-inimigo Irão, que está também a desenvolver alta tecnologia para os drones a usar em zonas de conflito. Mesmo assim, os drones capturados por Israel não eram de fabrico iraniano, mas aparelhos vulgares comprados em lojas especializadas. 

Shalom, Israel!

quinta-feira, janeiro 06, 2022

ESTATÍSTICAS REVELAM QUE 84% DOS CRISTÃOS EM ISRAEL ESTÃO CONTENTES COM AS SUAS VIDAS

Segundo o centro oficial de estatísticas de Israel, vivem no país 182.000 cristãos, representando 1,9% da população local. 

Em Israel, a religião mais praticada é a judaica, representando 74% da população. 18% são muçulmanos, 1,9% cristãos, 1,6% são drusos, havendo ainda uma percentagem de 4,5% que professam outra religião. 
76,7% dos cristãos em Israel são árabes, constituindo mesmo assim apenas 7% da população árabe que vive no país. A maios parte dos cristãos vivem nas cidades de Nazaré, Haifa, Jerusalém, Shefar'am, todas elas no centro do país. 
A última estatística revelada pelo ministério indica que 84% dos cristãos em Israel estão satisfeitos com as suas vidas. Destes, 24% afirmam estar "muito satisfeitos", e 60% "apenas satisfeitos."

Israel é o país do Médio Oriente onde os cristãos desfrutam de mais liberdade e onde se sentem mais felizes.

Shalom, Israel!

terça-feira, janeiro 04, 2022

MAIS DE 90.000 DESCENDENTES DE JUDEUS SEFARDITAS NATURALIZADOS PORTUGUESES E ESPANHÓIS

Desde que Portugal e Espanha legislaram em 2015 a possibilidade da naturalização de descendentes de judeus sefarditas expulsos dos seus territórios durante a Inquisição Católica, mais de 90 mil comprovados descendentes de judeus já conseguiram a legalização, naturalizando-se como portugueses ou espanhóis. 

A Espanha recebeu 153 mil requerimentos, e Portugal cerca de 86.000. A Espanha concedeu a cidadania a 36.000 destas pessoas, representando 23% dos pedidos feitos. Portugal concedeu a cidadania a 63% dos requerimentos, representando cerca de 54.000 pessoas. Milhares de processos estão ainda em fase de análise em ambos os países. 

Mais de dois terços dos requerentes da cidadania portuguesa são israelitas, enquanto na Espanha este número não chega aos 5%. A Espanha rejeitou mais de 3 mil pedidos, alguns sob suspeita de problemas com criminalidade. Portugal só rejeitou algumas centenas.

Entretanto, a Espanha limitou o prazo de entrada dos processos até Fevereiro próximo. Porugal continua ainda sem prazo limite, mas o polémico caso da naturalização do bilionário judeu russo Roman Abramovich levantou um debate público sobre a lei de 2015, com alguns deputados querendo estabelecer um prazo limite.

Shalom, Israel!

segunda-feira, janeiro 03, 2022

ISRAEL LEVANTA RESTRIÇÕES ÀS ENTRADAS NO PAÍS, INCLUINDO A DE PORTUGUESES VACINADOS

O Ministério da Saúde de Israel anunciou hoje que irá permitir a partir do próximo Domingo dia 9 a entrada de turistas vacinados no seu território oriundos de diversos países até agora classificados como "vermelhos." Pessoas não vacinadas ou não recuperadas continuam impedidas de entrar em Israel.

Foi assim recomendado que PORTUGAL, o Canadá, a França, a África do Sul, a Hungria, a Nigéria e a Espanha sejam removidos da lista dos "países vermelhos." Viagens para os EUA e o Reino Unido continuam por enquanto interditas. Esta nova lista vai ser apresentada ao Comité de Saúde do Knesset, aguardando-se a sua aprovação. Não há ainda indicação de quando as restrições serão retiradas para os países ainda interditos. 

Até há pouco, antes das actuais interdições, Israel aceitava os certificados de vacinação da Pfizer, da Moderna, da AstraZeneca, e ainda das vacinas chinesas Sinovac e Sinopharm. Quem estivesse vacinado com a russa Sputnik V era obrigado a ser sujeito a um teste serológico, o qual detecta a presença de anticorpos, de forma a assegurar a protecção dessas pessoas. Não se sabe por enquanto se estas medidas permanecerão iguais. 

Esperamos que todas as restrições possam em breve ser levantadas e que o turismo volte a florescer em Israel.

Shalom, Israel!