quarta-feira, dezembro 07, 2022

O REI DE MARROCOS PEDIU AOS JUDEUS QUE ORASSEM POR CHUVA... E A CHUVA VEIO!


Segundo os preceitos do judaísmo, na noite do passado Sábado, os judeus de Marrocos incluíram nas suas orações o pedido específico para que chovesse. Esse é um costume normalmente confinado às sinagogas, mas neste ano em particular o pedido veio do próprio rei Maomé VI de Marrocos, que se dirigiu aos judeus para que salvassem o país da seca extrema. 

A verdade é que as orações foram respondidas num espaço de poucas horas!

Segundo relatos dos media marroquinos, o rei aproveitou o período em que os judeus começam a orar por chuva, que coincidiu este ano no passado Sábado, dia 4. 

Em resposta ao apelo do rei Maomé VI, o Conselho das Comunidades Israelitas em Marrocos publicou uma declaração na qual convidava os fiéis a "orarem em todas as sinagogas do reino" para que assim Deus "possa poupar o nosso país e ajudar Sua Majestade, o rei."

Este pedido do rei não se dirigiu apenas aos judeus, mas também aos muçulmanos e aos cristãos, para que orassem nas respectivas mesquitas e igrejas. 

Poucas horas depois de os judeus rogarem a Deus pelas chuvas começou a chover torrencialmente em Casablanca, já no Domingo! Segundo os registos locais, a chuva continua a cair no país. 

A seca prolongada tem vindo a afectar seriamente as produções de cereais marroquinas, especialmente nestes dois últimos anos, com uma queda de 67% em comparação aos anos imediatamente anteriores. 

Actualmente, vivem em Israel cerca de 3 mil judeus, tendo a numerosa população de judeus anteriormente presente no país emigrado para Israel e para outros países.

Apesar do reduzido número de judeus em Marrocos, o respeito do rei pela comunidade é notório. As relações diplomáticas entre Israel e Marrocos foram normalizadas em 2020.

Shalom, Israel!


quinta-feira, dezembro 01, 2022

ONU VOTA A FAVOR DA COMEMORAÇÃO PRÓ-PALESTINIANA DO "DIA DA CATÁSTROFE" (NAKBA)


A assembleia geral das Nações Unidas votou ontem a favor de uma proposta visando a adopção de uma resolução pró-palestiniana para a comemoração do "dia Nakba" - o dia da "catástrofe", segundo a perspectiva dos inimigos de Israel. Este termo é usado pelos palestinianos para descrever o estabelecimento do moderno estado de Israel em 1948.

A resolução da ONU apela à "comemoração do 75º aniversário da Nakba, que inclui a organização de um evento a alto nível no auditório principal da assembleia geral" em Maio de 2023. A resolução apela ainda à "disseminação de arquivos e testemunhos relevantes."

A iniciativa foi apoiada pelo Egipto, Jordânia, Senegal, Tunísia e Iémen, para além dos palestinianos, e passou com 90 votos a favor, 30 contra e 47 abstenções. Entre os países que votaram contra estão Israel, Austrália, Áustria, Canadá, Dinamarca, Alemanha, Grécia, Hungria, Itália, Países Baixos, Reino Unido e EUA. A Ucrânia não votou. Já no início de Novembro este país que se farta de pedir ajuda militar a Israel decidiu votar a favor de uma resolução anti-Israel, originando um mal estar com o governo de Jerusalém. 

Quase todos os países da União Europeia rejeitaram a moção, com a excepção de Chipre, que votou a favor. Portugal absteve-se...

Os países árabes e muçulmanos com quem Israel tem laços diplomáticos votaram a favor da resolução, entre os quais estão o Azerbaijão, Barein, Egipto, Jordânia, Marrocos, Sudão e Emirados Árabes Unidos. 

Os árabes nunca aceitaram a entrada de judeus na Terra de Israel, muito menos a aceitação de um estado judaico em terras que alegam serem suas. Com o novo governo de Netanyahu, as aspirações palestinianas de um estado naquela terra irão dissipar-se, uma vez que o novo governo de coligação é contra a divisão da terra entre 2 estados. 

Esta resolução sobre a "Nakba" é apenas uma entre várias outras semelhantes avançadas durante a reunião sobre a "questão da Palestina." Claro que todas são contra Israel...

Uma outra resolução reza assim: "Nota-se com grande tristeza a passagem de 55 anos desde o estabelecimento da ocupação israelita" e 75 anos desde o plano de partição das Nações Unidas e da "Nakba", sem nenhuma resolução para o conflito."


O embaixador israelita para a ONU, Gilad Erdan, disse que "o único propósito das resoluções é colocar apenas sobre Israel a culpa de tudo o que acontece no Médio Oriente, ao mesmo tempo que absolvendo os palestinianos de qualquer responsabilidade."

E o embaixador afirmou no seu discurso: "Tentem imaginar a comunidade internacional comemorar o dia da independência do vosso país, chamando-lhe de um desastre. Que desgraça" - afirmou  Erdan, acrescentando: "As mentiras palestinianas não deveriam mais ser aceites no palco mundial, tal como esta assembleia deveria parar de permitir que os palestinianos se aproveitem do mesmo. Apelo a todos vós para que deixeis de apoiar cegamente as difamações palestinianas."

"Esta assembleia geral, esta organização, votou para adoptar a resolução 181 - o plano da partição. O meu povo, o povo judeu, aceitou esta resolução sem hesitar. Mas os árabes e os palestinianos não: cinco exércitos árabes, juntamente com os árabes que viviam em Israel, tentaram destruir-nos e aniquilar-nos."

Erdan também revelou uma exibição na ONU sobre a "nakba judaica", a expulsão de centenas de milhares de judeus de países árabes e do Irão nos anos 1940 e 50, logo a seguir ao plano de partição. "O único crime deles era serem judeus. Esta é a verdadeira Nakba. Este é o desastre provocado contra o povo judeu, o mesmo desastre que esta organização tem ignorado há décadas. Combaterei de todas as formas a falsa narrativa que os palestinianos disseminam na ONU."

Sabe-se que 750.000 judeus foram expulsos dos países árabes e muçulmanos após o estabelecimento do estado moderno de Israel. 

ALEGAÇÕES PALESTINIANAS

Riyad Mansour, o enviado palestiniano à ONU, alegou durante o evento: "Estamos no final da estrada que leva à solução 2 estados. Ou a comunidade internacional resume a vontade de agir decisivamente, ou irá então deixar que a paz morra passivamente. Passivamente, mas não pacificamente."

O representante dos inimigos de Israel instou ainda para que a comunidade internacional pressione Israel e para que a ONU garanta aos palestinianos o pleno reconhecimento, com um estado palestiniano com Jerusalém oriental como capital. Mansour condenou ainda o "regime" israelita por combinar os males do colonialismo e do apartheid.

"O plano era, e em muitos casos ainda é, para deslocar o nosso povo para fora da sua terra ancestral" - alegou o palestiniano, acrescentando que "foram 75 anos de políticas israelitas tendo como alvo desenraizar o nosso povo." Mansour referiu-se por várias vezes a Israel como "colónia", dessa forma iníqua negando os laços e raízes ancestrais dos judeus a Israel e ao Médio Oriente. 

A HIPOCRISIA DE ANTÓNIO GUTERRES

Ma passada Terça-Feira, durante um evento na ONU assinalando o "Dia Internacional de Solidariedade para com o Povo Palestiniano", o secretário-geral António Guterres afirmou que "a ocupação tem de terminar", alegando que o conflito tem como causa a ocupação, os colonatos, as demolições de casas, os despejos e o fechamento das passagens para Gaza...

O hipócrita Guterres e outros palestrantes focaram-se nas forças israelitas na Margem Ocidental (entenda-se: Judeia e Samaria), esquecendo no entanto de mencionar o terrorismo palestiniano, o grupo terrorista Hamas, as preocupações israelitas em questões de segurança, ou as vítimas israelitas da violência palestiniana... Enfim, mais do mesmo.

Shalom, Israel!


quarta-feira, novembro 23, 2022

DUAS FORTES EXPLOSÕES NUMA DAS ENTRADAS DE JERUSALÉM CAUSARAM 1 MORTO E 22 FERIDOS


Duas explosões comandadas à distância causaram 1 morto e 22 feridos numa paragem de autocarros junto a uma das principais entradas de Jerusalém.

A vítima mortal é um adolescente de 16 anos estudante numa escola religiosa judaica (yeshiva). 

Segundo as autoridades israelitas estas explosões são classificadas como de "alta qualidade", uma vez que foram colocadas em 2 paragens de autocarro e detonadas à distância quando se notava uma maior aglomeração de passageiros. Crê-se que este massacre foi organizado por uma célula terrorista já a ser procurada pelas autoridades israelitas. As bombas foram preenchidas com pregos, de forma a provocar um efeito mais devastador. 

O nível de alerta na capital foi accionado tendo em vista as ameaças latentes. 

Tanto o Hamas como a Jihad palestiniana já aplaudiram o ataque terrorista. 

Esperamos que os responsáveis sejam rapidamente encontrados e devidamente punidos.

Shalom, Israel!

terça-feira, novembro 22, 2022

AZERBAIJÃO (PAÍS DE POPULAÇÃO ISLÂMICA) VAI ABRIR EMBAIXADA EM ISRAEL


O parlamento da República do Azerbaijão votou na passada Sexta-Feira a favor da abertura de uma embaixada do país em Israel. 

O presidente israelita Isaac Herzog já telefonou ao presidente azeri Ilham Aliyev congratulando-o por esta decisão: "Este é um passo enorme na direcção das nossas excelentes relações com o Azerbaijão, um amigo importante e um parceiro estratégico."

Israel tem mantido uma embaixada em Baku, capital do Azerbaijão, desde 1992. 

O ministro da Defesa de Israel Benny Gantz visitou oficialmente o Azerbaijão no mês passado.

Shalom, Israel!

sábado, novembro 19, 2022

NÚMERO RECORDE DE JUDEUS EMIGRANDO PARA ISRAEL EM 2022


Contam-se já em 60.000 os judeus que desde o início deste ano fizeram "aliyah" (retorno) a Israel, batendo o recorde destes últimos 20 anos. Estes são números oficiais revelados pelo ministério israelita responsável pela imigração. Até ao fim do ano esperam-se ainda mais 4 mil. 

Muitos destes judeus são oriundos da Etiópia, da Ucrânia e de outras repúblicas ex-soviéticas. 

Consta-se que o recente conflito entre a Rússia e a Ucrânia fez aumentar substancialmente o número de judeus desses dois países que emigram para Israel, cerca de 40 mil (47% da Rússia e 25% da Ucrânia). 

Os judeus vindos da Rússia vêm normalmente em famílias inteiras, ao passo que os que chegam da Ucrânia são maioritariamente mães, filhos e idosos que fugiram da guerra. 

Este é certamente parte do cumprimento da profecia exarada há muitos séculos pelo profeta Jeremias para estes últimos dias: "E há esperanças, no derradeiro fim, para os teus descendentes, diz o SENHOR, porque teus filhos voltarão para o seu país." (Livro do profeta Jeremias 31.17, Bíblia ARC).

Shalom, Israel!


quinta-feira, novembro 17, 2022

ISRAEL E JORDÂNIA ASSINAM ACORDO PARA SALVAR O RIO JORDÃO

Israel e a Jordânia aproveitaram a presença na cimeira do clima em curso no Cairo - COP27 - para se debruçarem sobre a preocupante situação do rio Jordão, assinando esta manhã um acordo de intenções visando mitigar os efeitos das mudanças climáticas no rio, ao mesmo tempo que permitindo a criação de mais oportunidades de emprego e o robustecimento da economia dos dois países vizinhos separados em grande parte do território pelo rio Jordão. 

O rio Jordão, tão conhecido e amado por milhões de cristãos, tem sido muito afectado pelas alterações climáticas, tendo o seu caudal diminuído bastante nestes últimos anos, a que acresce ainda o aumento da poluição. 


A cooperação entre os dois países iniciada em 1994 teve como um dos principais itens as questões da água, mas o esfriamento das relações nestes últimos anos tem vindo a complicar os esforços para que haja um acordo para o incremento da água para o rio Jordão. 

O acordo assinado esta manhã inclui o compromisso mútuo da redução da poluição das águas do rio através da construção de instalações para o tratamento da água de esgotos, ao mesmo tempo que melhorando os sistemas de esgotos das cidades próximas do rio.

Os dois países também se comprometeram a promover uma agricultura mais sustentável, controlando perdas de água e reduzindo o uso de pesticidas.

Segundo a imprensa jordana, este acordo poderá criar novos empregos, inclusivamente entre a população palestiniana. De acordo com as declarações jordanas, o fluxo do rio é actualmente cerca de 7% do que foi no passado. 

Shalom, Israel!

quarta-feira, novembro 16, 2022

SEPULTADOS OS 3 ISRAELITAS CHEFES DE FAMÍLIA ONTEM ASSASSINADOS POR TERRORISTA PALESTINIANO


Foram hoje a sepultar os 3 homens ontem esfaqueados até à morte por um terrorista palestiniano, na região bíblica de Ariel (Samaria). Todos eles eram casados e com filhos...

Michael Ladygin, de 36 anos de idade, residente em Bat Yam, deixa para trás esposa e dois filhos menores.

Motti Ashkenazi, de 59 anos, residente em Yavne, foi a segunda vítima deste bárbaro atentado terrorista, deixando para trás a esposa, 3 filhos e 2 netos.

Tamir Avihai, de 50 anos, residia no aldeamento de Kiryat Netafim, deixa para trás 6 filhos. tendo sido atropelado mortalmente pelo terrorista quando este fugia da perseguição policial. 

Todos estes três homens, civis e inocentes, deixam para trás esposas, filhos e netos, e muitas saudades entre os seus vizinhos e amigos. 

Para além destas 3 vítimas mortais, há ainda 3 feridos em cuidados intensos num dos hospitais das imediações. 

O terrorista palestiniano autor do massacre chamava-se Muhammed Souf, tinha 18 anos, e tinha um visto válido para poder trabalhar em Israel, nada indicando que iria perpetrar tão grave crime contra civis inocentes israelitas. O bandido foi prontamente abatido pelos guardas israelitas próximos do local do arrombamento dos veículos. 

Esperamos que este novo governo de direita seja mais rígido e perspicaz no tratamento a dar a estes indivíduos que, ainda que ajudados por Israel na sua busca de bem estar, continuam alimentando um ódio cego que nada vai resolver senão aumentar as dificuldades para que se possa encontrar uma paz duradoura naquela região.

Shalom, Israel!

terça-feira, novembro 15, 2022

3 ISRAELITAS ASSASSINADOS E 3 FERIDOS POR TERRORISTA PALESTINIANO


Este foi um dia trágico para Israel, comprovando o permanente ódio dos radicais palestinianos contra o povo judeu. Essa gente ignóbil poucas vezes ataca os militares israelitas, mas sim, e cobardemente, a população civil desprotegida e que em muitos casos é até amiga dos seus vizinhos árabes...

Esta manhã, um bandido palestiniano, pegou num carro aparentemente roubado, arrancou a alta velocidade para a região bíblica de Ariel e esfaqueou um segurança na entrada do parque industrial de Ariel, arrancando depois para um posto de gasolina, onde esfaqueou outras 3 pessoas, fugindo logo em seguida. O terrorista bateu entretanto o carro contra outros veículos que seguiam na autoestrada Nº 5, mas mesmo assim saiu do carro para esfaquear mais uma pessoa, tendo logo a seguir roubado mais um carro que acabou também de fazer colidir contra outros. O terrorista saiu então do carro, tendo sido de imediato abatido por militares e civis armados. 

O total de pessoas atacadas pelo criminoso palestiniano calcula-se em 6, tendo 3 perdido a vida e outras 3 ficado feridas. Dois dos homens mortos eram chefes de família, um deles pai de 2 filhos e o outro de 6. Ainda não se conhece a identidade da terceira vítima mortal.

Shalom, Israel!

sexta-feira, novembro 11, 2022

PRESIDENTE ISRAELITA DELEGA A NETANYAHU A FORMAÇÃO DE UM NOVO GOVERNO


Após a expressa vitória do partido Likud e consequentemente do ex-primeiro-ministro Netanyahu, o presidente israelita Isaac Herzog informou esta manhã que delegará no próximo Domingo a Nentahyau a formação de um novo governo, o quinto num espaço de menos de 4 anos.

Netanyahu conseguiu assegurar 64 lugares (a maioria de um total de 120 assentos) para a sua coligação formada por partidos de direita (Likud, Shas, United Torah Judaism e Religious Zionismo.) O ainda primeiro-ministro Yair Lapid conseguiu apenas 28 assentos para a sua coligação de partidos de esquerda.

Netanyahu terá agora 28 dias para apresentar um governo ao presidente Herzog, podendo a pedido estender esse prazo por mais 14 dias. Tudo leva a crer no entanto que Netanyahu não precisará de tanto tempo para constituir um governo, uma vez que as conversações que vem mantendo com partidos da direita e da extrema direita parecem estar a decorrer bem. 

Uma das situações que Netanyahu terá de enfrentar é a posição do líder do partido que lhe assegurou a vitória, o controverso ultra-religioso Ben Gvir, que afirmou há dias ao presidente que "o Monte do Templo é o nosso coração, a nossa história." As suas lícitas posições sobre aquele lugar sagrado têm despertado muitos receios no sector árabe muçulmano, não só em Israel, como na Jordânia e em outras regiões do mundo árabe. Gvir defende uma maior presença de judeus no Monte, com direitos iguais para todos, alegando que "é impossível dizer a um judeu: não podes subir ao Monte do Templo porque és judeu."

Os próximos tempos darão certamente muito que falar, e o epicentro, como não podia deixar de ser, será o Monte do Templo, o coração de Jerusalém, e o lugar mais importante para o judaísmo...

Shalom, Israel!


quarta-feira, novembro 02, 2022

NETANYAHU ARRASA NAS ELEIÇÕES EM ISRAEL. PARTIDOS DA DIREITA CONSEGUEM MAIORIA NO PARLAMENTO


Ainda não terminou a contagem dos votos das eleições parlamentares ontem realizadas em Israel, mas com cerca de 90% da contagem já completa, já se constata uma vitória sem precedentes dos partidos da direita, com 65 assentos conseguidos no parlamento de Israel. Sendo o mesmo composto de 120 deputados, o Likud e demais partidos da direita conseguirão a maioria, com a forte probabilidade de Netanyahu vir mais uma vez a assumir a liderança do país.

Esta será de facto uma vitória retumbante para Netanyahu e o seu bloco de partidos da direita comandados pelo Likud, incluindo os religiosos e os de extrema direita. Esta vitória convincente poderá pôr termo a uma crise política que levou a 5 eleições num espaço de menos de 4 anos. A coligação de esquerda que tem estado a dirigir os destinos do país nestes últimos meses sofre assim uma assinalável derrota, comprovando que a população israelita está cansada de instabilidade e de falsas promessas, optando por alguém que já deu provas de saber governar a nação e fazê-la respeitada no exterior.

Parabéns, Netanyahu! Parabéns, Israel!

terça-feira, novembro 01, 2022

DIA DE ELEIÇÕES EM ISRAEL - AS QUINTAS EM APENAS 4 ANOS...


Israel está novamente em eleições parlamentares, bastante concorridas até ao momento, e não menos disputadas, especialmente pelo desejo de Netanyahu de voltar ao poder.

São 39 os partidos concorrentes a estas eleições e, tal como em outros países, há uma forte bipolarização entre a esquerda e a direita. A ver vamos no que isto vai dar. Seja o que for, que seja para o bem do futuro do povo de Israel.

Shalom, Israel!

quinta-feira, outubro 27, 2022

ISRAEL E LÍBANO ASSINAM ACORDO HISTÓRICO


A meio de muito nervosismo e emoção contida, representantes israelitas e libaneses sentaram-se à mesma mesa para assinarem um acordo histórico relacionado com as fronteiras marítimas que dividem os dois países vizinhos. Não houve apertos de mão, nem saudações mútuas, mas foi assinado um acordo que beneficiará ambos os países...

O acordo tinha sido previamente assinado nas capitais de ambos os países pelos respectivos líderes, e mais tarde nas instalações fronteiriças da ONU por representantes dos dois países. 

Com estas assinaturas feitas esta manhã, o acordo entra imediatamente em vigor. 

Shalom, Israel!

quarta-feira, outubro 26, 2022

NÚMERO RECORDE DE JUDEUS SUBIU AO MONTE DO TEMPLO DURANTE AS FESTAS JUDAICAS


Durante o mês dedicado à celebração das festas judaicas do Outono, o Ano Novo (Rosh Hashanah), o Dia da Expiação (Yom Kippur) e os Tabernáculos (Sucote), cerca de 8.000 judeus ascenderam ao Monte do Templo, um recorde de visitantes nestes últimos 10 anos.

A organização judaica "Yaraeh", que trabalha para encorajar os judeus a ascenderem ao Monte do Templo forneceu essas informações.

Por outro lado, a "Fundação do Muro Ocidental" relatou que mais de 2 milhões de judeus visitaram o Muro durante o mês das celebrações judaicas.



O mês de Outubro experimentou tensões elevadas devido a atentados cometidos por terroristas palestinianos, temendo-se uma escalada da violência durante o período das festas, levando o primeiro-ministro a prometer que não haveria mudança no status quo do recinto do Monte onde se encontra a mesquita de al Aqsa, acrescentando que iria cuidar da liberdade de religião para os muçulmanos. O actual primeiro-ministro informou ainda que durante o período do Ramadão - uma celebração islâmica - "um milhão de pessoas visitaram a al-Aqsa para rezar, e permitir isso é o nosso dever como governo." O primeiro-ministro acrescentou ainda que os judeus não têm permissão para orar no recinto e que as visitas só poderão ser realizadas sob supervisão. Tudo isso em nome do famigerado status quo que só favorece os muçulmanos, ainda que seja território do estado de Israel. 

Shalom, Israel!

quinta-feira, outubro 20, 2022

ISRAEL PLANEIA PRODUZIR PLANTAÇÕES AGRÍCOLAS NA LUA


A mesma nação que conseguiu pôr o deserto a florescer - um verdadeiro milagre moderno - quer agora estabelecer as primeiras plantações em solo lunar...

Naquele que já é considerado como o mais ambicioso esforço a nível de agricultura extra planetária, cientistas do deserto do Negueve estão estudando a hipótese de desenvolverem uma variedade de sementes que produzam plantas em solo lunar.

O "Instituto para Pesquisa no Deserto Jacob Blaustein da Universidade Ben Gurion de Bersheva", localizado no deserto do Negueve, no Sul do país, está actualmente a investigar como produzir alimentos em regiões áridas da terra de forma a avançar para um projecto espacial. 

Os astronautas da estação espacial internacional desenvolvem plantas, contudo a agricultura espacial limita-se a um projecto chinês de fazer crescer uma semente de algodão na lua, em 2019. 

Os pesquisadores da universidade Ben Gurion estão agora a trabalhar em cooperação com universidades da Austrália e da África do Sul para a produção de uma mini estufa de 2 quilos contendo uma variedade de sementes e de plantas a transportar para lua em 2025 a bordo da "Beresheet 2", a segunda tentativa israelita de colocar um engenho não tripulado na lua.

O "Beresheet 1" despenhou-se na lua em Abril de 2019, esperando-se agora que a próxima missão decorra com total êxito.

Shalom, Israel!

quarta-feira, outubro 19, 2022

ISRAEL VAI FORNECER À UCRÂNIA SISTEMAS DE ALERTA CONTRA DRONES E FOGUETES


Israel encontra-se numa posição extremamente delicada no que concerne à invasão russa da Ucrânia. Obviamente que o estado judaico está do lado da Ucrânia, mas o sensível relacionamento com a Rússia leva a que Israel tenha de agir com bastante prudência, uma vez que é essa mesma Rússia que controla o espaço aéreo sírio, havendo até um acordo tácito com o estado judaico por causa das ocasionais intervenções aéreas israelitas em território sírio.

Mesmo com este condicionamento, e preferindo não fornecer armamento directamente à Ucrânia, Israel vai mesmo assim ajudar aquele estado vítima de uma invasão através da construção de um sistema inteligente de alerta para a detecção de rockets e drones oriundos da Rússia. A Ucrânia tem estado a ser atacada com drones russos de fabrico iraniano, pelo que é de todo o interesse para Israel apoiar a Ucrânia a defender-se desses ataques de um inimigo comum.

O interesse de Israel é apoiar a Ucrânia na salvaguarda do seu povo, pelo que, ainda que não fornecendo armamento, Israel pode mesmo assim contribuir mesmo assim para a protecção do povo martirizado da Ucrânia. 

O sistema que Israel irá fornecer à Ucrânia é semelhante ao que é utilizado em Israel e que tem comprovadamente salvo centenas de vidas humanas. 

Shalom, Israel!

quinta-feira, outubro 13, 2022

SOBREVIVENTE DO HOLOCAUSTO DISCURSA NA ABERTURA DO SENADO ITALIANO DOMINADO PELA DIREITA


Liliana Segre, com 92 anos, senadora emérita, abriu a sessão da "câmara alta" do senado italiano, substituindo um outro senador emérito ainda mais idoso, mas que não pôde estar presente. O seu discurso de hoje focalizou-se na sequência de eventos que conduziram à vitória do partido de extrema direita "Irmãos da Itália", com origem neo-fascista, tornando-se no primeiro partido de extrema direita a governar a Itália desde o final da 2ª Guerra Mundial. 

Foi certamente um momento emotivo ouvir-se uma sobrevivente do Holocausto, a meio da vitória de um governo com raízes neo-fascistas, um momento de "valor simbólico" aludido por Liliana, quando quase 100 anos volvidos após a "marcha para Roma" que levou o ditador fascista Benito Mussolini ao poder, e numa altura em que a Europa se vê novamente envolvida numa guerra.

"Sinto-me hoje particularmente tocada pelo papel que o destino me trouxe" - afirmou a senadora, acrescentando: "Neste mês de Outubro, que assinala o centenário da marcha para Roma que iniciou a ditadura fascista, caiu sobre a mim a responsabilidade de assumir temporariamente a presidência deste templo da democracia, que é o senado da república."

Segre foi uma das poucas crianças italianas que sobreviveram à deportação para um campo de morte nazi, e ela tem dedicado as últimas décadas a falar sobre o Holocausto às crianças das escolas italianas. A sua acção levou a que o então presidente Sergio Mattarella a nomeasse em 2018 como senadora para a vida. Durante o seu discurso, Segre engoliu em seco ao recordar que aquelas leis proibiam as crianças como ela de frequentar as escolas. 

"É para mim impossível não sentir uma espécie de vertigem, ao lembrar que esta mesma menina que num dia como este em 1938, desconsolada e perdida, foi forçada pelas leis racistas a deixar vazio o seu banco da escola. E que, por um estranho destino, essa mesma moça encontra-se hoje no banco mais prestigiado, no senado."

As suas alusões emotivas colocaram os 200 senadores a aplaudir de pé, incluindo a delegação dos "Irmãos da Itália" presidida por Ignazio La Russa. 

Shalom, Israel!

terça-feira, outubro 11, 2022

ISRAEL ANUNCIA ACORDO HISTÓRICO COM O LÍBANO, JÁ SAUDADO POR JOE BIDEN


Foi finalmente assinado um importante acordo com o Líbano relacionado com a fronteira marítima entre os dois países vizinhos. Foram intensas as negociações diplomáticas entre os dois governos, uma vez que está em causa não apenas a questão fronteiriça, mas a enorme riqueza de gás natural na costa marítima dos dois países.

Segundo o actual primeiro-ministro de Israel, Yair Lapid, o acordo irá "fortalecer a segurança de Israel, injectar biliões de dólares na economia israelita, e assegurar a estabilidade na nossa fronteira Norte."

O primeiro-ministro irá apresentar amanhã de manhã o acordo para assinatura pelos membros do governo.

Poucos minutos antes do anúncio do acordo, o presidente libanês Michel Aoun tinha divulgado a notícia numa rede social, informando que "a versão final da oferta satisfaz o Líbano, preenche os seus requisitos e preserva os seus direitos às suas riquezas naturais."

E, pasme-se: até o grupo terrorista xiita Hezbollah, que controla o Sul do Líbano e que vinha ameaçando Israel por causa da exploração do gás natural no Mediterrâneo, concordou com os termos do acordo e considerou que as conversações terminaram. 

Muito do êxito deste acordo deve-se aos intensos esforços do mediador norte-americano Amos Hochstein nestes últimos dias para aproximar as duas partes envolvidas no acordo. 

Todos concordam que este é de facto um "acordo histórico."

O presidente norte-americano já falou entretanto com o primeiro-ministro israelita, saudando o acordo e declarando que o líder israelita está "fazendo História."

Shalom, Israel!

segunda-feira, outubro 10, 2022

JUDEUS CELEBRAM A FESTA DOS TABERNÁCULOS


As 7 festas do Senhor com Israel são poderosas mensagens e símbolos apontando para o Messias Jesus.

Iniciou-se ontem ao pôr do sol a última das grandes festas do ano civil: o Sucote, mais conhecido por Festa das Cabanas, ou dos Tabernáculos, quando muitos judeus constroem ou montam pequenas cabanas lembrando a passagem dos seus antepassados pelo deserto. Durante uma semana muitos israelitas dormem dentro dessa pequena construção, outros apenas celebram as festas.

Tal como todas as outras, esta festa aponta para a Pessoa do Messias, Yeshua, ou Jesus, Aquele que segundo o apóstolo João veio "fazer tabernáculo" entre nós. Para o judaísmo, esta festa anuncia a vinda do Messias, para os cristãos ela aponta para o Seu retorno. Todos anseiam pelo dia em que o Messias virá habitar ("tabernaculizar") no meio do Seu povo. 

A festa dos Tabernáculos aponta assim para o dia em que Deus estabelecerá o Seu Reino na terra, um tempo em que as nações se reunirão para O adorar em Jerusalém!

Shalom, Israel!

quinta-feira, outubro 06, 2022

PRIMEIRA-MINISTRA BRITÂNICA DECLARA-SE "GRANDE SIONISTA" E QUER MUDAR EMBAIXADA PARA JERUSALÉM


Liz Truss, a nova primeira-ministra da Grã-Bretanha, é uma forte apoiante do estado de Israel, afirmando que tanto o Reino Unido como os seus aliados "jamais permitirão" que o Irão consiga uma arma nuclear.

Na conferência "CFI - Conservadores Amigos de Israel" realizada na passada Segunda-Feira, Truss prometeu um apoio "de todo o coração" ao estado judaico: "Estou tão contente por estar aqui pela primeira vez neste evento da CFI como vossa primeira-ministra" - acrescentando: "Como vocês sabem, eu sou uma grande sionista, uma grande apoiante de Israel, e sei que podemos fortalecer ainda mais a relação Reino Unido-Israel."

"Neste mundo - onde estamos enfrentando ameaças de regimes autoritários que não acreditam em liberdade e democracia - duas democracias livres, o Reino Unido e Israel, precisam de estar lado a lado, e estaremos ainda mais próximos no futuro" - afirmou a primeira-ministra.

EMBAIXADA PARA JERUSALÉM?

Durante um encontro em Setembro entre a recém empossada líder britânica e o primeiro-ministro israelita Yair Lapid, Truss mencionou que o Reino Unido está a considerar deslocar a sua embaixada para Jerusalém. A embaixada do Reino Unido situa-se actualmente em Tel Aviv. Vários líderes de alta patente no governo britânico aprovam também a deslocação da embaixada para a capital Jerusalém. 

O ministro para a Saúde, Robert Jenrick, declarou estar "muito satisfeito" com a proposta de Truss de deslocar a embaixada para a capital. 

"Temos um sítio em Jerusalém já à disposição" - afirmou o ministro, acrescentando: "É altura de assumirmos a responsabilidade e construir essa embaixada e reconhecer que a verdadeira capital do estado de Israel é obviamente Jerusalém."

Shalom, Israel!

quarta-feira, outubro 05, 2022

YESHUA (JESUS) - O NOSSO SUMO SACERDOTE EXPIOU OS NOSSOS PECADOS!


Damos graças a Deus pelo Seu Filho Yeshua - Jesus - que nos livra da ira futura! Actos dos Apóstolos 2:38-40; 1ª epístola aos Tessalonicenses 1.9-10.

Aprendemos a partir de "moedim" - os tempos e dias sagrados designados que Jeová, o Criador e Redentor, deu a Israel, para testemunho do plano redentor do Senhor para todas as gentes de todas as nações e grupos étnicos. 

Jesus veio para sofrer injustamente por nós, que éramos Seus inimigos. Ele é também o bode expiatório inocente do Yom Kippur (Dia da Expiação), tornando-Se "culpado" pelos nossos pecados e iniquidades (Livro do Levítico 16; 2 epístola aos Coríntios 5.21). Agora que fomos escolhidos para nos tornarmos filhos do nosso Pai nos Céus (Evangelho segundo João 1.10-13), necessitamos de resguardar as nossas mentes e corações para não Lhe sermos infiéis a Ele, o Único Justo. 

Somos peregrinos e estrangeiros neste mundo. Vamos caminhando na direcção do nosso lar eterno na casa do nosso Pai. Lá e então...haverá grande gozo junto ao nosso Senhor e Salvador para sempre! A missão que nos foi dada pelo Messias é de partilharmos estas boas novas, para que eles também se arrependam da sua incredulidade e serem salvos. 

Antes de conhecermos Yeshua nós víamos as coisas sob a nossa perspectiva. Mas agora, se O conhecemos, devemos aprender a ver as coisas do ponto de vista de Deus. 

Neste dia de Yom Kippur, o Dia da Expiação, que testifica do vindouro Dia do Senhor, oremos para que mais judeus, árabes e todos venham a temer o único Deus verdadeiro, crendo n'Ele e tendo os seus pecados perdoados. 

Nesse Dia vindouro, o Senhor Jeová irá separar aqueles que são Seus dos que não são. Ele irá distinguir entre os filhos da luz e os filhos das trevas. Asseguremo-nos de quem somos. 

Graças a Deus por Jesus, o nosso Sumo Sacerdote, que de uma só vez e para sempre efectuou um perfeito sacrifício, expiando os nossos pecados com o Seu próprio sangue, e tornando dessa forma possível a nossa reconciliação com Deus Pai! - Epístola aos Hebreus 10.10.

Shalom, Israel!

(Adaptado de "Streams in the Negev")


terça-feira, outubro 04, 2022

ISRAEL FECHA PARA O YOM KIPPUR, A CELEBRAÇÃO MAIS SOLENE DO ANO JUDAICO


A partir do pôr do sol de hoje os judeus do mundo inteiro param por completo as suas actividades para celebrarem o Dia da Expiação - o Yom Kippur - o dia do ano em que o Sumo Sacerdote entrava no Santo dos Santos para expiar as culpas do povo de Israel, esperando que o Senhor Deus oferecesse o perdão dos pecados cometidos pelos israelitas ao longo de todo o ano. 

Tudo vai parar de facto nestas próximas 25 horas: aeroportos, comboios, autocarros, rádios, TVs, enfim, será um dia que se espera solene e de reflexão.

Já esta madrugada várias dezenas de milhares de judeus se concentraram junto ao Muro Ocidental para os derradeiros momentos de penitência e orações - selichot.


Com as principais estradas vazias de transportes mecânicos, multidões de israelitas não religiosos aproveitarão para caminhar e andar de bicicleta por essas vias.

As forças de segurança estarão no entanto em alerta máximo nas próximas horas, tendo em conta o aumento de ataques palestinianos israelitas nestas últimas semanas.

Shalom, Israel!

sábado, outubro 01, 2022

RESERVE JÁ O SEU LUGAR PARA A GRANDE EXCURSÃO A ISRAEL - AGOSTO DE 2023!

Reserve já o seu lugar na

GRANDE EXCURSÃO A ISRAEL
23 - 31 de Agosto de 2023 (9 dias)


Uma viagem especial acompanhada aos melhores lugares do Israel Bíblico, incluindo entre outros: Tel Aviv, Jope, Cesareia Filipe, Megiddo, Nazaré, Galiléia, Tel Dan, Cesareia Filipe, Cafarnaum, travessia de barco, Magdala, Rio Jordão, Jericó, Qumran, Massada, Mar Morto, Hebron, Belém, Ein Karen, Kiryat Jearim, Jerusalém, etc.

Voos desde Porto e Lisboa. Pensão completa. Preço muito especial! Pagamento em prestações. Limitado a 48 pessoas.

Contacte-nos já para reservar o seu lugar!
viagens.shalom@gmail.com



segunda-feira, setembro 26, 2022

JUDEUS RECEBIDOS COM PEDRADAS NO MONTE DO TEMPLO


Neste dia tão importante para os judeus - o Rosh Hashanah, ou seja, o Novo Ano judaico - grupos de judeus subiram ao local mais sagrado para o judaísmo, o Monte do Templo, tendo alguns deles sido recebidos com pedradas logo pela manhã a partir da mesquita de al Aqsa. De facto, foi a própria polícia israelita a ser atacada com disparos de foguetes por parte de palestinianos refugiados dentro da mesquita.

A polícia israelita  constatou que os palestinianos tinham armazenado pedras e foguetes dentro daquele que eles consideram ser um lugar sagrado. Vários vídeos partilhados pela polícia mostram palestinianos surgindo de dentro da mesquita atirando pedras e foguetes, refugiando-se logo de seguida no interior da al-Aqsa. 

Quatro indivíduos foram detidos. Entretanto, as visitas ao Monte por parte de judeus prosseguiu com a protecção da polícia israelita no local. 

Na semana passada o grupo terrorista palestiniano Hamas tinha ameaçado com "violentas repercussões" quaisquer visitas de judeus durante este período de festas judaicas que se iniciou ontem à noite e que se prolongará até meados de Outubro, e que é uma altura em que as visitas de judeus ao Monte tendem a aumentar. 

Shalom, Israel!

quinta-feira, setembro 22, 2022

NO SEU DISCURSO NA ONU, LAPID PROPÔS A IDEIA DE 2 ESTADOS NA TERRA DE ISRAEL


Desde o início do seu mandato que este esquerdista primeiro-ministro israelita promoveu a partilha da Terra Santa com os palestinianos, uma verdadeira traição aos desígnios divinos e aos princípios dos fundadores da nação e ao sionismo em geral. Pagará caro pela sua arriscada proposta, tanto mais que uma grande parte (senão até a maioria) da população de Israel não se revê nessa postura.

Este primeiro-ministro, que se espera acabe em breve o seu mandato, pensa que conseguirá fazer com os palestinianos aquilo que nem mesmo eles querem: a paz em troca de paz...

No seu discurso de hoje na 77ª assembleia geral das Nações Unidas, Yair Lapid declarou que "um acordo com os palestinianos baseado em dois estados para dois povos é a coisa certa para a segurança de Israel, para a economia do país e para o futuro dos nossos filhos."

Lapid adiantou que a maioria dos israelitas estão a favor de uma solução 2 estados. "Eu sou um deles" - afirmou. Confesso que não sei de onde ele foi buscar essa informação...

Mas depois veio a demagogia de quem acredita nesta utopia: "Contudo, Israel tem uma condição: Que um futuro estado palestiniano seja um estado pacífico. Que não se torne em outra base de terrorismo a partir do qual ameaça o bem estar e a própria existência de Israel..."

E, numa clara contradição à sua proposta, Lapid acabou por reconhecer que a atitude dos palestinianos face às ofertas de paz de Israel não costumam ser nada pacíficas, ao lembrar a assembleia que depois que Israel deixou em 2005 a Faixa de Gaza para os palestinianos, Israel recebeu em troca 20.000 rockets, e nenhuma paz...

Lapid aproveitou ainda o seu discurso para acusar o regime iraniano de "conduzir esta orquestra de ódio." Lapid acusou ainda o Irão de odiar o seu próprio povo, acrescentando que "o mundo está em silêncio" enquanto os jovens iranianos sofrem. "Eles pagam com as suas próprias vidas o seu desejo de viver em liberdade." 

UM APELO AO MUNDO ISLÂMICO

Na última parte do seu discurso, Lapid apelou a "cada país muçulmano - desde a Arábia Saudita à Indonésia - para reconhecer...(Israel)... a nossa mão está estendida para a paz." Fala-se cada vez mais da possibilidade de um reconhecimento político do estado de Israel por parte destas duas grandes nações muçulmanas. 

REACÇÃO DE NETANYAHU

O ex-primeiro-ministro e possível candidato nas próximas eleições Benjamin Netanyahu reagiu prontamente à proposta de Lapid, classificando-a de "pôr em perigo o futuro de Israel."

"Lapid está trazendo os palestinianos de volta à ribalta e colocando Israel na toca dos palestinianos" - declarou Netanyahu, ele mesmo cada vez mais distante do conceito de 2 estados. "Lapid quer dar-lhes um estado terrorista no coração do país, um estado que será uma ameaça a todos nós."

Esperamos que o partido de Netanyahu consiga vencer as eleições de 1 de Novembro e juntar uma coligação presidida por Netanyahu, de forma a acabar de vez com esta perigosa proposta do actual líder do governo...

Shalom, Israel!

quarta-feira, setembro 21, 2022

ISRAEL E IRÃO CONFRONTAM-SE NA ASSEMBLEIA GERAL DA ONU

Iniciou-se ontem mais uma assembleia geral da ONU, uma arena política onde os actores mundiais jogam as suas cartas, destilam o seu ódio, tentam convencer o mundo com as suas mentiras, enfim, mais do mesmo...

O discurso hoje proferido pelo presidente do Irão revelou mais uma vez o ódio mortal a Israel que o pérfido regime dos aiatolás tem demonstrado desde a chamada "revolução islâmica" de 1979. o presidente iraniano aproveitou o seu tempo para apelidar Israel de "regime selvagem" que mata mulheres e crianças. Pouco antes do discurso do representante do Irão, o enviado israelita saiu da sala, chamando ao presidente iraniano Ebrahim Raisi de "negacionista do assassinato em massa do Holocausto", deixando no seu assento uma foto dos seus avós, sobreviventes do Holocausto nazi. 

Para completar as mentiras já habituais deste regime xiita, o presidente do Irão afiançou que o programa nuclear iraniano em curso é para "fins pacíficos"...

Acusando Israel de "matar mulheres e crianças palestinianas" e de ser "uma potência ocupante selvagem" desde há 7 décadas, Ebrahim Raisi propôs um voto de todos os palestinianos, "muçulmanos, cristãos e judeus" para o estabelecimento de um estado único. 

Raisi referiu-se repetidamente ao Irão como protector do povo oprimido de toda a região, "desde a escravidão dos babilónios até aos palestinianos."

Ao longo da semana que centenas de manifestantes dissidentes iranianos têm vindo a protestar em frente às instalações da ONU, em Nova Iorque, e hoje especificamente durante o discurso do cruel ditador iraniano.


REPRESENTANTE ISRAELITA SAIU DA SALA

Pouco antes de o cruel ditador subir ao pódio da ONU para destilar o seu habitual ódio contra Israel, o embaixador de Israel nas Nações Unidas, Gilad Erdan, abandonou a sala em protesto às declarações de negação do Holocausto por parte do presidente do Irão: "É uma novo nível baixo na ONU. Um criminoso em massa negacionista do Holocausto consegue o pódio da ONU para falar ódio. Todos os embaixadores que ficarem para o ouvir deveriam ter vergonha."

Shalom, Israel!



segunda-feira, setembro 19, 2022

NÚMERO RECORDE DE JUDEUS ASCENDEU AO MONTE DO TEMPLO NO ULTIMO ANO

Estando o ano judaico de 5782 prestes a acabar, calculam-se em cerca de 50.000 os judeus que nestes últimos 12 meses ascenderam ao Monte do Templo, dessa forma cumprindo o mandato divino (Isaías 56.7).

Este número é impressionante, representanndo um aumento de 95% em relação ao ano anterior em que pouco mais de 25 mil judeus subiram ao Monte Moriá, o mesmo onde os dois Templos de Jerusalém foram erigidos.

Apesar das muitas limitações impostas pela polícia israelita aos judeus (!), este número recorde demonstra o crescente interesse por parte dos judeus em subir ao Monte, apelando'se agora a que no proximo ano judaico se chegue aos 100 mil visitantes!

Shalom, Israel!

sexta-feira, setembro 16, 2022

5 NOVILHAS VERMELHAS CHEGAM A ISRAEL


"Esta é uma prescrição da lei que o Senhor ordenou, dizendo: Diz aos filhos de Israel que vos tragam uma novilha vermelha, perfeita, sem defeito, que não tenha ainda levado jugo."
- Livro de Números 19.2.

O "Instituto do Templo" e a organização "Boneh Israel" deram ontem um enorme passo na direcção da restauração do serviço do Templo com a chegada de 5 novilhas vermelhas ao aeroporto de Tel Aviv.

A novilha vermelha era o principal componente do processo biblicamente ordenado do ritual de purificação por causa das impurezas consequentes da proximidade com um corpo morto. Uma vez que os elementos necessários para esta cerimónia têm faltado desde a destruição do Segundo Templo de Jerusalém, todos os judeus actuais são considerados ritualmente impuros, daí impedindo o retorno do serviço do Templo. Desde há uma década que o "Instituto do Templo" lançou o seu programa "novilha vermelha" liderado pelo rabi Azariah Ariel. Mas até mesmo nos tempos do Templo era muito raro conseguir-se um animal que cumprisse todos os requisitos bíblicos. Devido a esta dificuldade, o Instituto lançou uma campanha internacional, correspondida pela "Boneh Israel", uma organização que conecta cristãos apaixonados por Israel à Terra Santa e que é dirigida pelo texano Byron Stinson.

"Eu não me ofereci para fazer isto, mas neste momento devo ser o melhor caçador de novilhas vermelhas do Texas" - brincou Byron, acrescentando: "A Bíblia diz para se trazer uma novilha vermelha para purificar Israel, e eu posso não compreender isso, mas estou simplesmente a fazer o que a Bíblia disse."

"As profecias cumpriram-se, e os judeus estão de volta a Israel" - afirmou Byron, acrescentando: "Agora, eles precisam de construir um Templo. Mas isso é como comprar um carro realmente bom. Se não tiveres a chave, não vais a lado nenhum. A novilha vermelha é a chave para tornar o serviço do Templo naquilo que é suposto ser."

"Há alguns anos, um agricultor cristão dedicado interessou-se bastante com o mandamento bíblico. Daí ter começado a criar gado com essas características. Assim quando eu e a minha equipa fomos pelos ranchos do Texas à procura de uma novilha vermelha, as vacas dele eram as que melhor correspondiam."

No ano passado uma equipa de rabis do "Instituto do Templo" voou até ao Texas para inspeccionar as novilhas. Os requisitos são incrivelmente exigentes, como por exemplo não poderem ser encontrados mais de 2 pelos que não sejam vermelhos no animal. O mesmo não poderá nunca ter sido usado para trabalhos nem ter engravidado alguma vez. Para ser adequado à cerimónia, o animal tem de ter dois anos e um dia. Por vezes acontece que a uma novilha que é perfeitamente vermelha quando nova crescem pelos brancos ou pretos quando se torna mais velha, ou então surgem até manchas. Para certificar uma novilha é requerida uma inspecção completa e intensiva, na qual um rabi conhecedor da lei analisa todo o animal através de uma lupa. 

As novilhas agora chegadas a Israel têm entre 5 a 8 meses de idade, pelo que agora ficarão em Israel, sob análise, até completarem os dois anos e um dia. Segundo a numerologia judaica, o ano de 5783 que em breve começará segundo o calendário judaico é o ano em que o ritual da novilha vermelha deverá ser realizado (ano da novilha vermelha da redenção). 


A NOVILHA DO MESSIAS?

Desde os dias de Moisés, que preparou pessoalmente a primeira novilha, até à destruição do Templo, só foram preparadas 9 novilhas. Apesar disso, isso foi suficiente para manter o ritual de purificação de toda a nação por cerca de 2 mil anos. Segundo a tradição judaica, só haverão 10 novilhas vermelhas na história humana, com a décima delas introduzindo a era messiânica. O rabi Moisés ben Maimon (Maimonides), o mais reconhecido teólogo judeu da época medieval conhecido pelo acrónimo Rambam, escreveu na sua explicação do mitzvah que "a décima novilha vermelha será cumprida pelo rei, o Messias; que Ele seja revelado em breve, Amen, seja assim a vontade de Deus."

Shalom, Israel!

quinta-feira, setembro 15, 2022

A RAÍNHA QUE NUNCA VISITOU ISRAEL


Apesar das suas ligações amistosas com líderes da comunidade judaica, a verdade é que a recém falecida raínha Isabel II nunca teve coragem para visitar Israel. E isso apesar de ter visitado dezenas de países durante o seu longo reinado...

Há de facto um "boicote não oficial" que governa as relações entre Israel e o Reino Unido, uma vez que só em 2018 é que pela primeira vez um membro da realeza britânica se dignou visitar Israel. Foi nesse ano que o "corajoso" príncipe William, herdeiro ao trono, fez uma visita oficial ao estado judaico, terminando assim o pérfido "boicote" da realeza britânica a Israel. 


Já em 1994 o príncipe Filipe havia feito uma visita particular em honra a sua mãe, a princesa Alice da Grécia, cujo corpo foi sepultado no Monte das Oliveiras, em Jerusalém, a capital de Israel. O príncipe Carlos, agora rei Carlos III, visitou também Israel em 1995 e 2016 para assistir aos funerais dos ex-primeiros-ministros Yitzak Rabin e Shimon Peres. Contudo, tais visitas não foram consideradas "oficiais" pela realeza britânica...

Segundo o jornalista Michel Gurfinkiel, "houve períodos prolongados nos quais os governantes britânicos observaram uma atitude fria e morna em relação a Israel, mesmo em alturas em que outros governos demonstravam simpatia e proximidade. Durante os primeiros 40 anos da História de Israel, muitos países evitaram organizar visitas oficiais a Israel, mas essas reservas foram caindo pouco a pouco. Foi por exemplo apenas em 1982 que um presidente francês visitou o país."

A recusa britânica estendeu-se por décadas, tendo desgostado muitos políticos israelitas e membros da comunidade judaica britânica. 

"É muito difícil imaginar o grau de animosidade que pode ter existido na Grã Bretanha contra o novo estado judaico, tanto em círculos da esquerda como da direita. O exército inglês fez rotineiramente planos até 1955 para atacar Israel, ameaçando colocar o país numa nova guerra no Médio Oriente."

"As coisas só começaram a mudar nesse sentido no tempo de Suez, quando Anthony Suez, que sucedeu a Churchill na direcção do governo britânico deu luz verde à cooperação com Israel contra os egípcios."

Apesar desta lamentável realidade, a raínha Isabel II sempre se preocupou em manter boas relações com judeus e com a comunidade judaica na Grã Bretanha, e encontrou-se com muitos dignatários judeus que a visitaram. Ela aceitou também as credenciais dos embaixadores israelitas no Reino Unido. 

A raínha preservou no entanto as suas boas relações com os países árabes, em particular as monarquias árabes que ela não queria ofender. Fala-se que a raínha terá evitado visitar Israel para não desagradar aos "amigos" árabes...

Shalom, Israel!