sábado, dezembro 14, 2019

"O OBJECTIVO DOS ATIRADORES ERA UMA ESCOLA JUDAICA COM 50 CRIANÇAS" - AFIRMOU O PRESIDENTE DA CÂMARA DE JERSEY

Não tivesse sido a eficaz intervenção da polícia, encurralando os atiradores criminosos dentro do supermercado kosher (judaico), onde 3 pessoas foram mortas, os resultados teriam sido muito piores. Essa foi a conclusão do presidente da câmara da cidade de Jersey, perto de Nova Iorque, acrescentando tratar-se de "um ataque terrorista." Certamente anti-semita.
Steven Fulop fez essas declarações ontem, após constatar a realidade dos factos e das evidências: "A minha opinião é a de que, quanto mais informação vai chegando, tornar-se-à cada vez mais claro que o alvo eram as 50 crianças na Yeshiva (escola judaica) pegada àquela loja."
Fulop, ele próprio judeu, acrescentou ainda: "Nunca saberemos a 100%, mas a porta de entrada da escola ficava a 1 metro, parecendo que era para lá que ele (o atirador) se dirigia primeiro."
"Esta é uma tragédia horrível, mas mesmo com tantas trevas com as vidas que se perderam existe alguma luz, pois não restam dúvidas de que se não tivesse sido a rápida e brava resposta da polícia ao encurralá-los na loja, isto teria sido muito pior" - confessou Fulop.
Na passada Quinta-Feira, o Procurador-Geral General Gurbir Grewal, afirmou que o ataque tinha sido instigado pelo ódio aos judeus e às autoridades, estando a ser investigado como terrorismo doméstico.
Os dois atacantes, fortemente armados, entraram na loja, assassinando 3 pessoas, e ainda um polícia, num cemitério a pouco mais de um quilómetro, antes de terem sido abatidos pela polícia após um intenso tiroteio que durou várias horas.

A providência divina evitou que o massacre fosse muito mais extenso. Os dois criminosos eram membros de uma seita de negros que se auto-designam como "israelitas hebreus", mas que odeiam os judeus e os brancos. 

Shalom, Israel!

sexta-feira, dezembro 13, 2019

O ANTI-SEMITISMO CONTRIBUIU EM PARTE PARA A ESTRONDOSA DERROTA DE JEREMY CORBYN NAS ELEIÇÕES DO REINO UNIDO

A estrondosa vitória do Partido Conservador de Boris Johnson nas eleições de ontem no Reino Unido em contraste com a avassaladora derrota do trabalhista socialista Jeremy Corbyn teve tudo a ver com as acusações de anti-semitismo de que o líder do Partido Trabalhista era alvo.
A derrota deste inimigo de Israel foi tão estrondosa, que ele decidiu de imediato anunciar que não iria liderar o partido num novo acto eleitoral. 
Os judeus britânicos viveram com preocupação e receio estas últimas semanas, temendo que o seu país viesse a ser governado por um indivíduo desde há muito opositor ao estado de Israel e que permitiu que o anti-semitismo se fosse instalando no seu partido de esquerda.
Não se pode dizer obviamente que foi o anti-semitismo o único factor responsável pela vitória de Johnson e a estrondosa derrota de Corbyn. Tudo teve a ver com a vontade dos britânicos de saírem da União Europeia e com o cansaço que muitos cidadãos vinham revelando com os constantes adiamentos à decisão. Não sendo o factor primordial, o anti-semitismo instalado no Partido Trabalhista de Corbyn teve também certamente responsabilidade nos resultados eleitorais de ontem.

Ainda bem. Isto não significa que os judeus britânicos possa agora relaxar, uma vez que, tal como hoje afirmou o rabino mor do Reino Unido, "as eleições acabaram, mas as preocupações com o anti-semitismo e o racismo mantêm-se."

Shalom, Israel!

quinta-feira, dezembro 12, 2019

TAL COMO PROFETIZADO HÁ 40 ANOS PELO RABI KADURI, PARLAMENTO DE ISRAEL É DISSOLVIDO E PAÍS VAI A VOTOS PELA TERCEIRA VEZ

Foi ontem oficialmente dissolvido o 22º parlamento de Israel - o Knesset - dando origem a novas eleições marcadas para o próximo dia 2 de Março.
Para além de esta situação não ter precedentes em Israel, uma vez que serão as terceiras eleições em menos de um ano, há um outro fenómeno que tem despertado a atenção a vários estudiosos e cabalistas: Há precisamente 40 anos, o rabi cabalista Yitzchak Kaduri, considerado o mais proeminente rabino sefardita desta geração, profetizou que tal iria acontecer à chegada do Messias.
Sabe-se que este rabi era homem de poucas palavras, por isso era muito importante dar atenção e tentar entender precisamente o que ele tentava fazer compreender a quem o escutava.
Certo dia, quando estava respondendo a questões que lhe eram colocadas, alguém lhe perguntou quando é que o Messias chegaria e quais os sinais que precederiam a sua vinda. O rabi respondeu: "Quando houver eleições, mas não houver governo."
Ninguém entendeu naquela altura o que ele queria dizer, pois obviamente que quando há eleições tem de haver um governo. Até que, 40 anos depois, se chegou a este impasse, com 2 líderes encabeçando as preferências dos eleitores, mas sem entendimento para a formação de um governo da coligação. 

PROFECIA SOBRE A IDENTIDADE DO MESSIAS
Foi este mesmo rabi que, pouco tempo antes de morrer com mais de 100 anos de idade, teve um sonho em que a identidade do Messias lhe teria sido revelada. Tendo o segredo sido guardado até à sua morte, a revelação do mesmo causou imensas ondas de choque entre os religiosos, uma vez que a identidade que ele revelou como sendo a do Messias era a de Jesus Nazareno!

OUTRA PROFECIA INTRIGANTE
Mas esta profecia de Kaduri não é única. No livro "O profeta do Egipto", escrito por um outro rabi, Shoshani, lê-se num excerto: "Chegará o dia em que dois ministros conquistarão o governo na Terra de Israel. Os seus nomes serão ambos Benjamin e nenhum deles terá sucesso em estabelecer o seu governo ou reino... Nesse dia, saibam e entendam que o Rei Messias já está às portas, vindo depois a ser revelado." E as afirmações de Shoshani continuam: "Compreendam e lembrem-se disto."

Sem cairmos em especulações indesejáveis, a nossa atitude no entanto é de vigilância, observando de perto os sinais e daí extraindo as nossas próprias conclusões. Uma coisa sabemos: aquele "Messias" que os judeus esperam e por quem tanto anseiam, não será o verdadeiro, pois antes desse terá de vir o falso, para que se cumpram as palavras do verdadeiro Messias de Israel: "Se outro (messias) vier em seu próprio nome, a esse recebereis."

Shalom, Israel! 

quarta-feira, dezembro 11, 2019

TUDO INDICA QUE O CRIME DE ONTEM EM JERSEY CITY (EUA), QUE DEIXOU 6 PESSOAS MORTAS, TEVE MOTIVAÇÕES ANTI-SEMITAS

Apesar das habituais precauções em situações como esta e que impedem que se tirem conclusões definitivas, a verdade é que tudo leva a crer que o tiroteio de ontem na cidade norte-americana de Jersey, perto de Nova Iorque, que causou a morte a 4 transeuntes e ainda dos 2 assassinos, teve uma motivação anti-semita.
Vários sinais indicadores são bem claros:
1 - O tiroteio deu-se num supermercado judaico kosher;
2 - Um dos criminosos suspeitos tinha postado mensagens contra os judeus e a polícia nas redes sociais;
3 - As autoridades informaram que o supermercado judaico era o alvo dos ataques;
4 - Os donos do supermercado são judeus. 

Neste momento, ainda não se conhece a identidade dos criminosos, entretanto abatidos pela polícia local. 
O tiroteio provocou 4 vítimas mortais, entre as quais um polícia e dois jovens judeus pertencentes à comunidade ultra-ortodoxa local. Segundo testemunhos de vários polícias, o tiroteio entre os assassinos e os elementos da polícia durou várias horas.

Cada vez mais me convenço que os judeus não estão seguros em lado nenhum a não ser na sua própria Terra, e é para lá que eles terão de regressar...

Shalom, Israel!


terça-feira, dezembro 10, 2019

ESTUDANTE ISRAELITA ESPANCADO ATÉ À INCONSCIÊNCIA NO METRO DE PARIS PELO CRIME DE ...ESTAR A FALAR EM HEBRAICO.

O anti-semitismo não conhece mais fronteiras na França. A entrada descontrolada de muçulmanos associada ao crescimento imparável da extrema direita tem criado um "cocktail" perigosíssimo para os judeus franceses e para aqueles que, mesmo visitantes, se "atrevem" a falar na língua dos seus ancestrais ou a ostentar qualquer símbolo judaico.
Esta tarde, no metro de Paris, um jovem israelita de 31 anos foi espancado por dois energúmenos até perder a consciência, pelo simples facto de o terem ouvido a falar ao telefone em hebraico.
"Socaram-me várias vezes, partindo-me os óculos, e deixando-me inconsciente" - informou o jovem após ter já recuperado a consciência.
A vítima deste acto criminoso adiantou ainda: "Está claro que eles me atacaram apenas porque ouviram que eu era israelita."
Um passageiro francês socorreu o jovem estudante e chamou a ambulância que o conduziu ao hospital.

O deputado judeu francês Meyer Habib, também ele vítima constante de ataques anti-semitas, deu ajuda ao estudante para fazer uma acusação pública na polícia. 
Este ataque hediondo é apenas o último de muitos outros que têm estado a ocorrer por toda a França contra o povo judeu e suas instituições.
O deputado Habib, que foi eleito para o parlamento em 2013, recebe ameaças e ataque numa base diária, registando cerca de 25 queixas por mês contra aqueles que o ameaçam a ele e à sua família.
Em 2015, um homem que ameaçou decapitar Habib foi preso por...15 meses.

segunda-feira, dezembro 09, 2019

ELEIÇÕES GERAIS EM ISRAEL MARCADAS PARA 2 DE MARÇO

A menos que haja algum acordo de última hora para a formação (quase impossível) de uma coligação que governe o país nestes próximos 4 anos, Israel irá pela terceira vez às urnas no espaço de menos de um ano...
Tantos o partido Likud, como o Branco e Azul já concordaram na data - talvez a única coisa em que estão de acordo...
Falta agora o parlamento - Knesset - aprovar esta data para as prováveis eleições.
O prazo para a entrega de uma proposta de um governo de coligação acaba hoje, à meia-noite. Se nada tiver acontecido de concreto até lá, o parlamento será dissolvido a partir de Quarta-Feira à noite.
Tendo o parlamento 120 deputados, quem quiser formar governo terá de ter o apoio de pelo menos 61 deputados, o que até agora nenhum candidato a primeiro-ministro conseguiu fazer.
O mais certo é haver eleições em Março de 2020.

Shalom, Israel!

sábado, dezembro 07, 2019

ISRAEL REALIZOU ONTEM TESTES COM OS SISTEMAS DE DEFESA ANTI-MÍSSIL

Perante as crescentes ameaças nucleares iranianas, Israel anunciou ontem ter realizado testes com mísseis numa região no centro do país. 
Segundo uma recente reportagem do jornal "New York Times", o Irão tem estado a armazenar uma enorme quantidade de mísseis balísticos de curto alcance capazes de alcançar Israel e a Arábia Saudita. Sabe-se que o Irão tem estado a aproveitar-se do caos existente no vizinho Iraque para construir um arsenal de mísseis balísticos naquele país, constituindo dessa forma uma grave ameaça aos aliados dos EUA na região, especificamente Israel e a Arábia Saudita. 
Essas ameaças terão sido o ponto principal das conversas havidas esta semana em Lisboa entre Benjamin Netanyahu e Mike Pompeo, secretário de estado norte-americano. 
Perante tais ameaças, Israel tem de se preparar para qualquer eventualidade de ataques vindos do Irão ou dos seus proxenetas, ou seja, a partir do Hezbollah no Líbano, ou do Hamas na Faixa de Gaza. 
Segundo informações prestadas pelo Ministério da Defesa de Israel, "os testes foram organizados antecipadamente e realizados conforme planeado."
Estes exercícios são realizados regularmente em Israel, incluindo testes aos sistemas de defesa anti-míssil.
Já no início deste ano tinha sido realizado um grande exercício conjunto com os EUA com o sistema de defesa anti-míssil , denominado "funda de David", operacional desde há 2 anos, de forma a poder responder a qualquer ataque com mísseis balísticos.

Shalom, Israel!

sexta-feira, dezembro 06, 2019

"ISRAEL TEM TODO O DIREITO DE ANEXAR O VALE DO JORDÃO" - AFIRMOU NETANYAHU EM LISBOA, NO SEU ENCONTRO COM POMPEO

Num encontro já considerado histórico, ainda que demasiado envolto em polémica, o primeiro-ministro israelita Benjamin Netanyahu, de visita a Lisboa numa visita não oficial, aproveitou a presença de Mike Pompeo, o secretário de estado norte-americano, para afirmar o direito de Israel a anexar o vale do Jordão, afinal nada mais do que território bíblico concedido por Deus a Israel.
O encontro de Quarta à noite num hotel da capital portuguesa permitiu ainda a Netanyahu abordar com Pompeo a questão do acordo mútuo de defesa, que ambos concordaram em fazer avançar.
Este tratado mútuo permitirá a Israel não agir sozinho numa eventual guerra contra o inimigo Irão, cada vez mais prepotente e ameaçador. Para o primeiro-ministro de Israel, esta é "uma oportunidade histórica", tanto mais que não se sabe por quanto tempo o actual presidente norte-americano Donald Trump "aguentará" a presidência do seu país. A administração Trump tem sido aquela que mais tem favorecido Israel, como foi o caso do reconhecimento de Jerusalém como capital do estado judaico, e ainda da anexação israelita dos Montes Golan como parte do seu território.

IRÃO, IRÃO, IRÃO
Nas comunicações feitas pelos líderes reunidos em Lisboa, o tema principal abordado teria sido o Irão, cujo regime Netanyahu espera ver "desmoronar", tanto mais que a altura é propícia para tal, com manifestações contra o governo de Teerão nas ruas do Iraque, Líbano e do próprio país, onde as forças armadas dos ayatollahs têm dizimados centenas de pessoas durante as grandes manifestações da população contra o aumento do preço dos combustíveis.
A Força Aérea de Israel bombardeou nestes últimos dias mais um lugar de armazenamento de armamento iraniano em território sírio, e a Marinha norte-americana também interceptou um carregamento de sofisticados mísseis iranianos a caminho do Yemen, o que prova o crescente envolvimento e ameaça do regime iraniano em toda a região do Médio Oriente.

PORTUGAL TORNOU-SE MEMBRO IHRA
Durante a visita de Netanyahu a Portugal, o parlamento luso decidiu adoptar a declaração comum europeia que compara o anti-sionismo ao anti-semitismo, uma definição proposta pelo "IHRA" - Aliança Internacional para a Memória do Holocausto.
Esta decisão do parlamento português teve lugar um dia depois da mesma ter sido aprovada pelos deputados franceses.

REUNIÃO MUITO PRODUTIVA ENTRE NETANYAHU E ANTÓNIO COSTA
Ainda que não se tratasse de uma visita oficial, o primeiro-ministro português honrou a visita do seu par israelita, recebendo-o durante cerca de uma hora e meia, em São Bento (a residência oficial do primeiro-ministro português), na companhia do ministro português para os Negócios Estrangeiros, Augusto Santos Silva. 
Durante a visita, Netanyahu aproveitou para felicitar Portugal pela adesão ao "IHRA", numa época em que se assiste ao recrudescimento do racismo e do anti-semitismo na Europa. 
O primeiro-ministro português António Costa evocou os esforços do país na preservação e divulgação da sua herança judaica e mencionou a importância da Lei da Nacionalidade que tem trazido tantos israelitas a buscarem as suas origens em Portugal. Netanyahu comentou o quão impressionado estava com o crescimento de Portugal desde a sua primeira visita, há mais de 20 anos, mostrando-se encantado com a beleza do país e a simpatia das suas gentes. 
Os dois chefes do executivo concordaram que a cooperação tecnológica e científica deve ser a chave nas relações bilaterais, nomeadamente a referente às tecnologias da água, aproveitando as referências de Costa à sua escassez, especialmente no Algarve, mostrando-se particularmente interessado no processo de dessalinização. Para Netanyahu, Israel está disponível para partilhar o profundo conhecimento nesta área, já que em Israel o fazem há tempo suficiente, ao ponto de partilhares água potável com os palestinianos e os jordanos. Para o primeiro-ministro de Israel, um país como Portugal, dono de uma orla costeira tão vasta, não precisa de sofrer deste problema de carência de água. 

No final da reunião, Netanyahu e Costa concordaram em promover o intercâmbio de delegações empresariais, tendo o primeiro-ministro israelita convidado o seu homólogo português a visitar Israel, tendo Costa respondido afirmativamente, afirmando que depois da visita do actual presidente Marcelo Rebelo de Sousa em início de 2020, ele o seguirá em 2021. 

Shalom, Israel!

quarta-feira, dezembro 04, 2019

PARLAMENTO FRANCÊS APROVA LEI CONDENANDO O ANTI-SIONISMO

Numa expressiva votação, com 154 votos a favor e 74 contra, a Câmara baixa do Parlamento francês aprovou ontem uma resolução que designa o ódio a Israel como uma forma de antissemitismo.
As autoridades israelitas já louvaram esta medida. O parlamento francês apelou ainda ao governo para que o governo se junte a outros governos europeus na adopção da definição do antissemitismo.
Esta definição do antissemitismo, designada como "IHRA" declara que determinadas formas de críticas a Israel, como por exemplo comparando o país à Alemanha nazi são exemplos de antissemitismo, ainda que criticar as acções do governo não o sejam.
Israel apelou já a outros governos para que sigam o exemplo francês.

NOVO GABINETE PARA COMBATER O CRIME DO ÓDIO
Entretanto, e como resultado directo da vandalização ontem mesmo de 107 lápides funerárias num cemitério judaico perto da fronteira alemã, com graffitis exibindo a suástica, o ministro francês para os Assuntos Internos anunciou hoje mesmo a criação de um gabinete para lidar com os crimes de ódio, um autêntico departamento "anti-ódio" do governo francês. O ministro Christophe Castaner condenou este acto de vandalismo e de ódio antissemita, afirmando que "o ódio está dentro do nosso território nacional."
Este foi apenas o último de outros actos semelhantes que nestas últimas semanas têm assolado a França, um dos países da Europa onde o antissemitismo está a níveis altíssimos. 

Shalom, Israel!

segunda-feira, dezembro 02, 2019

NETANYAHU INCENTIVOU DONALD TRUMP A RECONHECER O VALE DO JORDÃO COMO TERRITÓRIO ISRAELITA

Num telefonema realizado ontem para o presidente norte-americano Donald Trump, Benjamin Netanyahu - numa estratégica jogada política que pode jogar a seu favor - sugeriu ao presidente norte-americano que reconhecesse a área estratégica do vale do rio Jordão, na parte oriental de Israel fronteiriça com a Jordânia, como parte do território israelita.
As palavras de Netanyahu não poderiam ser mais objectivas: "Temos de agarrar esta oportunidade histórica de anexar o vale do Jordão."
Segundo aquilo que se soube hoje através do próprio primeiro-ministro, o governo dos EUA parece não estar contra esse passo que, como se sabe, é fortemente contestado pela comunidade internacional, e em especial pela vizinha Jordânia.
Durante a inauguração esta manhã de 12 novas fábricas na região de Ashkelon, Netanyahu informou que conversou ontem ao telefone com Donald Trump, segundo as suas próprias palavras, "uma conversa muito importante para a segurança de Israel."
"Conversámos sobre o Irão, mas também falámos bastante tempo acerca das oportunidades históricas que se nos deparam nestes próximos meses - entre elas está o estabelecimento do vale do Jordão como a fronteira oriental reconhecida do estado de Israel, bem como um acordo de defesa com os Estados Unidos. São coisa sobre as quais apenas podíamos sonhar, mas agora temos a oportunidade de as realizar" - afirmou Netanyahu.

No passado mês de Setembro Netanyahu prometeu que, se fosse reeleito, anexaria imediatamente o vale do Jordão, uma língua de terra ligando a Margem Ocidental ao Jordão e que Israel vê como um activo vital para a sua segurança. 
A Jordânia reagiu de imediato, baixando o nível diplomático das suas relações com Israel, e tem andado a dar sinais da sua "força militar" nestes últimos dias, esquecendo-se que perdeu todas as guerras que combateu contra Israel.
Pouco a pouco, as profecias vão-se cumprindo...

Shalom, Israel!

sexta-feira, novembro 29, 2019

VENTOS DE GUERRA CONFIRMAM PROFECIAS BÍBLICAS

Várias nações inimigas de Israel estão nestes dias a realizar exercícios militares de cariz ameaçador, visando pelo menos no caso da Jordânia, uma possível guerra com o vizinho Israel. 

JORDÂNIA - O exército da Jordânia conduziu durante esta semana uma série de exercícios militares simulando uma tentativa de invasão do reino hachemita, mas parecendo mais como um "recado" a Israel...
As manobras militares decorreram no passado dia 25, na presença do rei Abdullah II da Jordânia, e foram denominadas "Espadas de Karameh", uma aparente referência à operação militar israelita de 1968 contra a Fatah palestiniana, perto da aldeia jordana de Karameh, na qual o exército jordano combateu ao lado do grupo palestiniano.
A agência noticiosa oficial da Jordânia "Petra" relatou que os exercícios envolveram grandes números de veículos terrestres e aéreos, tendo como objectivo "destruir a vanguarda do inimigo e as pontes que poderão ser utilizadas como pontos de passagem" para o território jordano. 
Ainda que não se mencione explicitamente Israel, a referência à batalha de Karameh e o facto de que o exercício se focalizou numa alegada invasão através de pontes - ou seja: as pontes sobre o rio Jordão que ligam Israel à Jordânia - implica uma óbvia ligação a Israel.
Para além disso, um artigo publicado num website jordano afirmou explicitamente que as manobras simulavam uma batalha contra "a entidade ocupante além rio" - isto é, Israel.

BOMBEIROS JORDANOS NO MONTE DO TEMPLO 
Uma equipa de bombeiros jordanos chegaram a Jerusalém para a realização de exercícios de prevenção contra incêndios no Monte do Templo, alegadamente para salvaguardar um possível incêndio na mesquita de al Aqsa. O exercício incluiu também operações de procura e resgate de vítimas.
Este exercício inesperado tem muito mais a ver do que a mera preocupação com a seguranças das mesquitas: é certamente uma forma de tentarem mostrar a Israel que quem manda naquele recinto sagrado são os palestinianos e a Waqf Islâmica...
Não será certamente difícil perceber o que estará por detrás destas "preocupações" jordanas...

IRÃO, RÚSSIA E CHINA JUNTAM-SE PARA EXERCÍCIOS DE GUERRA...
Numa alegada "mensagem ao mundo", responsáveis iranianos informaram ontem que irão realizar jogos de guerra sem precedentes no Oceano Índico com forças militares "parceiras" da Rússia e da China...
Segundo as informações prestadas por um almirante iraniano, estes "exercícios de guerra em massa" serão realizados já no próximo mês, ou num "futuro muito próximo", numa estreia histórica, uma vez que estes inesperados aliados de circunstância se sentem ameaçados pelas sanções e pressões vindas de Washington.
Ainda que este estranho e inesperado alinhamento pareça nada ter a ver com Israel, é certamente um prenúncio daquilo que em breve pode vir a acontecer, quando Gog e Magog liderarem uma coligação de nações para invadirem a terra de Israel. E dentre essas nações, conta-se também o Irão, a antiga Pérsia...

Shalom, Israel!



terça-feira, novembro 26, 2019

VENHA CONNOSCO A ISRAEL EM AGOSTO DE 2020!


Junte-se a nós nesta viagem extraordinária, visitando durante 10 dias o melhor de Israel, incluindo alguns locais normalmente não visitados durante as excursões normais.

Oportunidade também de visitar a cidade bíblica de PETRA, na actual Jordânia, uma das 7 maravilhas do mundo actual.

Para mais informações e para receber o programa completo, contacte-nos:

viagens.shalom@gmail.com

segunda-feira, novembro 25, 2019

GENERAL IRANIANO AMEAÇA DESTRUIR ISRAEL E OS EUA

A loucura iraniana associada ao desespero produz frequentemente uma verborreia verbal de ameaças e de promessas obviamente só possíveis na mente pervertida dos líderes da República Islâmica do Irão.
A meio da turbulência popular nas ruas das principais cidades do Irão, causada pelo enorme aumento no preço dos combustíveis num dos países que mais petróleo produz no mundo, o comandante chefe dos Guardas Revolucionários Iranianos, Hossein Salami, veio agora acusar o Ocidente por fomentar os protestos populares que já provocaram mais de 100 mortos. 

Falando numa demonstração pró-governamental para denunciar os protestos populares, o líder dos Guardas Revolucionários ameaçou Israel e os EUA de destruição, para além de outros países . como a Grã Bretanha e a Arábia Saudita.
E o líder não poupou as palavras: "Se ultrapassarem a nossa linha vermelha, nós iremos destruí-los" - acrescentando: "Não deixaremos qualquer acção sem resposta."
O imbecil líder iraniano ainda continuou as suas aspirações, ameaçando tudo e todos: "Temos mostrado constrangimento...temos mostrado paciência em relação às medidas hostis dos EUA, do regime sionista (Israel) e da Arábia Saudita contra a República Islâmica do Irão."
Segundo a agência Reuters, o líder islâmico afirmou que se o Irão decidir responder, "o inimigo não estará seguro em nenhum lado", acrescentando ainda: "a nossa paciência tem limites."

AUMENTO DE 200% NO COMBUSTÍVEL
O Irão tem vindo a acusar os Estados Unidos, Israel e a Arábia Saudita de engendrarem grandes protestos provocados por um aumento de 200% no preço dos combustíveis.
Este aumento drástico deve-se às sanções impostas pelos Estados Unidos ao regime ditatorial islâmico do Irão, uma vez que não tem vindo a respeitar os acordos nucleares, dos quais os EUA já se retiraram.

Estas gigantescas  manifestações populares têm levado à destruição de dezenas de bancos, bombas de gasolina e estações da polícia.
Segundo a Amnistia Internacional, mais de 100 pessoas já morreram durante estes protestos populares.

Shalom, Israel!

sexta-feira, novembro 22, 2019

POSIÇÕES DOS POLÍTICOS ISRAELITAS DIVIDEM-SE QUANTO A NETANYAHU

Após a "explosiva" declaração de ontem, colocando Netanyahu no banco dos réus por 3 alegados crimes contra o estado de Israel, as posições dos políticos dividem-se de forma clara: enquanto os líderes do partido rival "Azul e Branco" apelam a que o actual primeiro-ministro resigne de todos os seus cargos ministeriais, os líderes do Likud colocam-se ao lado de Netanyahu, que, por sua vez, acusa a decisão de ser uma "tentativa de golpe."
A verdade é que, não obstante a gravidade das acusações, Netanyahu pode sempre pedir a imunidade ao parlamento de Israel, tanto mais que a comissão especial que trata desses assuntos se encontra no mesmo impasse do governo, e as acusações não deverão entrar tão cedo no tribunal.
Por agora, o "julgamento" de Netanyahu será feito apenas na comunicação social e nas conversas de café, até que algo de mais concreto venha a ter efeito.
Desejamos boa sorte ao primeiro-ministro de Israel!

Shalom, Israel!

quinta-feira, novembro 21, 2019

CRISE POLÍTICA EM ISRAEL: NETANYAHU VAI RESPONDER EM TRIBUNAL POR ACUSAÇÕES DE SUBORNO, FRAUDE E QUEBRA DE CONFIANÇA

A notícia caiu há minutos como uma bomba:  procurador geral de Israel, Avichai Mandelblit, anunciou que o actual primeiro-ministro é acusado de crimes em 3 casos separados de que é alegadamente réu, por crimes de suborno, fraude e quebra de confiança. 
Esta é a primeira vez em toda a História do moderno estado de Israel em que um primeiro-ministro em exercício enfrenta acusações criminais. Pesadas sombras de dúvidas pairam agora sobre a cabeça deste que já era o primeiro-ministro com mais tempo de exercício de governo.
As acusações serão formalmente apresentadas pelo procurador ainda no final da tarde de hoje, estando já a ser convocados os simpatizantes do partido Likud para se manifestarem esta noite diante da residência oficial de Netanyahu, expressando a sua solidariedade com o primeiro-ministro.
Pelas 8 e meia desta noite (hora de Israel), o primeiro-ministro também fará uma declaração pública acerca desta surpreendente notícia.
Ficamos a aguardar pelos resultados. Talvez seja desta que Netanyahu tenha mesmo de se despedir da política e do governo, ao qual tanto se tem vindo a agarrar nestes últimos anos. É pena. 

Shalom, Israel!

sábado, novembro 16, 2019

EM RESPOSTA AOS 2 ROCKETS DISPARADOS CONTRA BERSEBA, ISRAEL BOMBARDEIA ALVOS DO HAMAS EM GAZA

Neste momento, a discussão paira à volta das responsabilidades de quem realmente terá disparado esta manhã 2 rockets contra a região de Berseba, já muitas horas após o cessar fogo entre Israel e a Jihad Islâmica. Os 2 mísseis foram prontamente destruídos pelo sistema de defesa israelita "Cúpula de Ferro."
A responsabilidade inicial foi atribuída ao movimento terrorista palestiniano Hamas, que controla Gaza, levando a que a aviação israelita bombardeasse de imediato algumas posições deste movimento na Faixa de Gaza.
Pensava-se até há pouco que estes ataques alegadamente da responsabilidade do Hamas, seriam em resposta à morte de um dos seus operacionais, quando dos ataques de retaliação israelita aos mais de 450 rockets disparados pela Jihad Islâmica palestiniana. Não se sabe no entanto se os ataques desta manhã teriam tido o consentimento da direcção do Hamas, ou não. Há quem pense também que teria sido uma forma de o Hamas provar à Jihad Islâmica que está do seu lado, nesta luta terrorista contra Israel.
Seja quem for o autor deste novo ataque, a verdade é que foi mais uma violação do cessar fogo, e uma prova dos constantes planos dos terroristas palestinianos de Gaza para perturbar a tranquilidade das populações civis israelitas que vivem próximas à fronteira.

Shalom, Israel!

quinta-feira, novembro 14, 2019

CESSAR FOGO ENTRE A JIHAD ISLÂMICA PALESTINIANA E ISRAEL

POLÍCIA ISRAELITA EXAMINA PEDAÇOS DE UM
ROCKET PALESTINIANO CAÍDO NUM DESCAMPADO
Desde as 5 e meia da manhã de hoje que vigora um cessar fogo entre os terroristas palestinianos da Jihad Islâmica da Faixa de Gaza e o estado de Israel, ainda que desde então mais 5 rockets tenham sido disparados contra Israel, tendo dois deles sido interceptados pelo sistema de defesa "Cúpula de Ferro."
Pouco a pouco, a vida nas comunidades do Sul de Israel vai voltando ao normal, com as escolas a reabrirem e os negócios e demais actividades a retomarem a sua vida normal.
Segundo os palestinianos, 34 pessoas morreram em Gaza como consequência dos bombardeamentos israelitas, sendo 18 deles membros dos grupos armados palestinianos.
Vários civis mortos estavam em casas onde era armazenado material de guerra, algo costumeiro dos terroristas, habituados à famigerada prática de usar pessoas civis como escudos humanos.
Segundo um porta voz do governo de Jerusalém, nenhuma concessão foi feita aos terroristas. Foi a Jihad Islâmica a solicitar o fim do conflito.

SUCESSO TOTAL
Para Israel esta operação denominada "Cinturão Negro" foi um sucesso, tendo mudado as regras de jogo, ou seja: os terroristas que atacarem Israel passarão a ser alvo imediato de retaliações, não podendo mais dormir descansados em qualquer lugar em que se escondam. 
Num espaço de 48 horas cerca de 450 rockets foram disparados contra Israel, tendo a aviação israelita dado um "duro golpe" nas capacidades militares e logísticas dos terroristas da Jihad Islâmica palestiniana. 

COMANDANTE TERRORISTA PALESTINIANO LIQUIDADO
Um dos terroristas abatidos esta madrugada pela aviação israelita é um dos comandantes seniores da Jihad Islâmica, Rasmi Abu Malhous, atingido quando se refugiava numa casa com outras seis pessoas membros de uma família.
Segundo se sabe, este terrorista era o chefe de uma unidade de lançamento de rockets contra Israel.

Shalom, Israel!


quarta-feira, novembro 13, 2019

AVIAÇÃO ISRAELITA CONTINUA A BOMBARDEAR POSIÇÕES TERRORISTAS EM GAZA

Após uma noite relativamente calma, os terroristas palestinianos ligados à Jihad Islâmica e outro grupo retomaram o disparo de rockets esta manhã, somando já um total de cerca de 250 foguetes.
A aviação israelita continua entretanto a fazer incursões na Faixa de Gaza, tendo informado os seus porta vozes que uma fábrica de produção de rockets foi destruída, tendo sido ainda atingidos indivíduos que se preparavam para lançar mísseis anti-tanque. O uso deste equipamento dispendioso e de alta precisão representa uma escalada nas acções terroristas.

23 palestinianos terão sido mortos nos ataques israelitas, sendo pelo menos 12 deles militantes dos grupos terroristas islâmicos palestinianos.
Os líderes terroristas da Jihad Islâmica já vieram informar que não estão "por enquanto" interessados num cessar fogo. Outra coisa não seria de esperar neste momento, uma vez que são esses próprios terroristas a admitir que o Irão está por detrás de todo este novo conflito.
CASA ISRAELITA DESTRUÍDA POR
ROCKET PALESTINIANO
As sirenes de alarme continuam a soar nas zonas Sul de Israel, alertando as populações locais para se abrigarem e protegerem os seus familiares. As escolas continuam encerradas.



Continuaremos a actualizar as informações sempre que acharmos necessário e importante.

Shalom, Israel!

terça-feira, novembro 12, 2019

190 ROCKETS DISPARADOS CONTRA ISRAEL COMO RESULTADO DA MORTE DO COMANDANTE DA JIHAD ISLÂMICA

Logo a seguir à operação desta manhã levada a cabo por Israel e que levou à liquidação do líder terrorista palestiniano da Jihad Islâmica, Baha Abu al-Ata, os militantes desta organização terrorista começaram a disparar foguetes explosivos contra o Sul de Israel, num total de 190 até agora, levando à evacuação de populações, à entrada de 46 israelitas nos hospitais com vários tipos de ferimentos, e ao bombardeamento israelita de bases da Jihad Islâmica na Faixa de Gaza.
Nas últimas horas Israel destruiu uma rampa subterrânea de lançamento de rockets e que era utilizada pelo grupo islâmico palestiniano para atacar Israel.

Os inimigos de Israel já culpam o país por ter dado origem a toda esta violência, através do assassinato do líder palestiniano, mas Netanyahu já respondeu afirmando que o terrorista esta manhã liquidado se preparava para comandar um grande ataque terrorista em Israel.
As escolas do sul do país e até mesmo da região de Tel Aviv estarão amanhã encerradas como medida de prevenção.
A liderança terrorista palestiniana continua no entanto a incitar à continuação dos ataques com rockets contra Israel. Enquanto isso, as Forças de Defesa de Israel relatam ter bombardeado vários postos de observação e rampas de lançamento de rockets dos terroristas da Jihad Islâmica, provocando alegadamente 5 mortos. 
O Hamas também já se pronunciou, incitando à continuação dos disparos de foguetes contra Israel.

Uma parte dos rockets tem sido interceptada pelo sistema de defesa israelita "Cúpula de Ferro", e outros têm caído em descampados. Dos mais de 40 israelitas socorridos nos hospitais locais, cerca de metade sofreram crises de ansiedade e pânico, sendo que outros sofreram pequenos ferimentos resultantes de quedas ocorridas durante a corrida para os abrigos.
Israel já informou que não está interessado numa escalada da violência, mas "está preparado, tanto no terreno, como no ar e no mar."

Tanto o Egipto como a ONU estão a tentar negociar um cessar fogo entre a Jihad Islâmica e Israel.
Esperamos que a noite seja tranquila e que as populações israelitas possam conseguir dormir em paz esta noite.

Shalom, Israel!

segunda-feira, novembro 11, 2019

NETANYAHU GANHARÁ AS PRÓXIMAS ELEIÇÕES EM ISRAEL

Tudo indica que Israel terá que voltar às urnas, numa terceira ronda de eleições neste mesmo ano, visto que os diversos partidos não se conseguem entender para a formação de um governo de coligação.
Segundo uma sondagem feita pelo Canal 13 da TV israelita, apesar de o partido "Azul e Branco" poder ganhar mais um assento no parlamento, igualando praticamente o mesmo número de deputados que o partido "Likud" de Netanyahu, o actual primeiro-ministro continua mesmo assim a ser o preferido dos eleitores para governar o país. 

Shalom, Israel!

quinta-feira, novembro 07, 2019

RABIS UNEM-SE EM APELO DETERMINADO PARA QUE TODOS OS JUDEUS RETORNEM DO EXÍLIO: "É O TEMPO"

Naquilo que é considerado um raro consenso (ou não se tratasse de judeus...), uma selecção impressionante dos rabis mais proeminentes desta geração juntaram-se numa declaração afirmando que não existem mais desculpas válidas: os judeus devem agir em obediência à Torá, deslocando-se para Israel.
Este consenso surgiu numa primeira fase de um decorrente projecto multifacetado iniciado por Joshua Wander, um residente no Monte das Oliveiras. Este "palco" virtual foi montado de forma a coincidir com a semana em que os judeus do mundo inteiro lêem a secção da Torá em que Deus ordena a Abraão que deixe a terra de seus pais.

"Ora disse o Senhor a Abrão: Sai da tua terra, da tua parentela e da casa de teu pai, e vai para a terra que te mostrarei" - Génesis 12:1.

"Há muitas porções da Torá em que a conexão à Terra de Israel não é tão clara" - afirmou Wander, acrescentando: "Mas nesta porção, o relacionamento entre Deus e o povo judeu inicia-se com Deus dizendo a Abrãao para partir para Israel."

Este projecto, apropriadamente denominado "Trá-los para casa" está sendo lançado hoje com uma série de palestras em video proferidas por proeminentes rabis explicando por que é que o imperativo bíblico de partir para Israel se encontra num novo estágio, porventura mais imperativo. Os videos de 5 minutos cada apresentarão os apelos dos rabis Zeev Leff, Nachman Kahane, Chaim Soloveichik, Danny Myers, Abraham Twersky, Rebbetzin Tzipporah Heller, Shalom Gold, Aryeh Shapira, e Mordechai Machlis. Todos estes rabis são líderes respeitados no movimento Haredi (ultra-ortodoxo). Vários outros rabis estão envolvidos no projecto, mas ainda não prepararam os respectivos videos.
Os videos em língua inglesa serão postados no canal do YouTube "Bring them Home-Aliyah Now", e na página respectiva do Facebook.
"O público alvo é especificamente o judeu religioso" - afirmou Wander, acrescentando: "A mensagem é muito simples: Façam aliyah (retorno) agora. É tempo de voltar a casa."

DECLARAÇÃO CONJUNTA
Como parte da iniciativa, os rabis assinaram uma declaração conjunta em hebraico:
"Aos nossos irmãos, os judeus fiéis à Torá vivendo fora de Israel:
Os sábios de Israel, de cujas palavras recebemos vida, já nos ensinaram que a mitzvá  (mandamento da Torá) para viver em Israel foi estabelecido como um dos maiores das mitzvós pelos nachmanidas, maimonidas, e por todos os outros sábios que estabeleceram a lei...Estamos portanto nesta altura enviando uma santa proclamação àqueles que vivem fora de Israel, para que despertem e se apressem, e para que investiguem todas as formas possíveis que estiverem ao seu alcance para virem viver em Israel. Deveis educar os vossos filhos no grande nível espiritual daqueles que o fazem e ajudá-los de todas as formas que puderem para virem viver na Terra Santa.
Isto torna-se especialmente real agora que existe uma ameaça vinda do exterior à santidade de Israel e dos judeus. Cada judeu que para aqui vier será uma ajuda para combater esta ameaça à santidade e estabelecerá o futuro do judaísmo em todo o mundo, trazendo mérito aos que acorrerem à sua ajuda. 
Quem escolher Sião e Israel merecerá certamente ver milagres e maravilhas, e que os nossos olhos possam ver o retorno de Deus a Sião."

Para além dos rabis acima mencionados, o rabi Avigdor Neventzal também assinou a declaração.

"É de claro consenso dentre o total espectro da observância judaica aqui em Israel que retornar para aqui é uma mitzvá (mandamento). Sempre assim foi, mas é claro que nos estamos rapidamente a aproximar de um ponto crucial da História judaica em que tudo quanto diz respeito ao povo judeu irá mudar. A maioria dos judeus estão em Israel e a redenção está aguardando o retorno dos últimos exilados."
"As preocupações relativas à sobrevivência ou à educação deixaram de ser tão válidas, então os maiores obstáculos já não o são, e Israel tem tanto a oferecer, especialmente aos judeus religiosos. Há também um forte crescimento do antissemitismo que deveria ser reconhecido como uma ameaça séria aos judeus que vivem fora de Israel."
"A grande maioria até dos judeus religiosos na América não pensa mais em fazer aliyah (retorno)" - afirmou Wander, acrescentando: "Os rabis estão a declarar que esta é uma mitzvá obrigatória, pelo que se decidires que não podes cumprir a mitzvá da aliyah, é-te requerida uma outra dispensação tal como com qualquer outra mitzvá. E esta dispensação é apenas temporária, e se não a puderes cumprir, terás que imaginar como é que irás capacitar os teus filhos para cumprirem este requisito."

PRECEDENTES
Infelizmente, existe um precedente no que toca aos judeus serem relutantes em responderem ao apelo para retornarem do exílio. Segundo a tradição judaica, só vinte por cento dos judeus é que deixaram o Egipto e um número ainda menor é que voltou do exílio na Babilónia. 

Shalom, Israel!

quarta-feira, novembro 06, 2019

MÍSSIL ISRAELITA DE ALTA TECNOLOGIA NAS MÃOS DOS RUSSOS

É o último "escândalo" em Israel. Só que com configurações de extrema preocupação.
Segundo informações hoje reveladas pela agência noticiosa chinesa "Sina", um míssil israelita, topo da gama e em perfeitas condições tem estado nas mãos dos militares russos desde 2018.
O míssil teria caído intacto em território sírio, localizado pela forças sírias e transferido para mãos russas.
Tudo aconteceu em 23 de Julho de 2018. Em resposta ao lançamento de dois mísseis de superfície de fabrico russo "Tochka OTR-21", Israel disparou dois mísseis interceptadores a partir do seu novo sistema anti-míssil "David's sling". Quando se percebeu que os dois mísseis de fabrico russo não iriam penetrar no espaço aéreo israelita, as forças armadas de Israel conseguiram destruir um dos mísseis disparados, mas o segundo acabou por cair intacto em território sírio.
Segundo as fontes chinesas, depois que o míssil israelita foi capturado pelas forças sírias e entregue aos militares russos, estes despacharam a "prenda" para Moscovo, onde o míssil foi minuciosamente examinado.
A ser verdade, isto representa um sério revés para os esforços israelitas para manter a sua superioridade militar na região. E, para cúmulo da ironia, esta tinha sido a primeira vez que o sistema avançado "David's sling" - funda de David - tinha sido utilizado...

Shalom, Israel!

terça-feira, novembro 05, 2019

AUMENTA O NÚMERO DE JUDEUS FAZENDO "ALIYAH" (RETORNO) A ISRAEL

Hoje é o "Dia do Aliyah", celebrando os milhões de imigrantes judeus do mundo inteiro que ao longo destas décadas têm feito de Israel o seu lar.
Mais de 20.000 novos imigrantes ("Olim") vieram (retornaram) para Israel desde o início deste ano, representando um aumento de 21% face ao ano anterior. 
Muitas são as razões que levam estes judeus a fazerem de Israel o seu lar, sendo certamente um dos mais comuns a crescente vaga de antissemitismo a que se assiste nos dias actuais.
Seja qual for a razão, a realidade é que, cada judeu que faz "aliyah" para Israel, é mais um passo no cumprimento das profecias dadas pelo Eterno para estes "últimos dias."

Shalom, Israel!

segunda-feira, novembro 04, 2019

RESERVA DE GÁS NATURAL NA COSTA ISRAELITA É MUITO MAIOR DO QUE SE IMAGINAVA

Segundo a "Energean Oil and Gas plc", uma empresa grega produtora de gás natural focalizada no Mediterrâneo, a avaliação feita da reserva de gás natural na costa de Israel - a "Karish North reserve" - revelou a existência de 0,9 pés cúbicos em reservas recuperáveis de gás natural, para além de 34 milhões de barris de petróleo leve, ou condensado.
Esta avaliação hoje publicitada aumenta "significativamente" o volume dos recursos descobertos pela "Energean" nas reservas de Karish e Tanin, na costa marítima de Israel.
A empresa já tinhas descoberto 2,4 triliões de pés cúbicos de gás natural nas reservas de Karish e Tenin, para além de 33 milhões de barris de petróleo leve. A "Energean" já assinou contratos para o fornecimento a Israel de 4,7 biliões de metros cúbicos anuais.
O petróleo leve é um petróleo líquido de menor densidade e viscosidade que o petróleo crude pesado.
Até há pouco tempo extremamente carente de gás natural, Israel acredita que as recentes descoberta de reservas de gás natural na sua costa poderá levar à sua independência energética, tornando-o até exportador de gás natural.
As actuais reservas de Tanin e Karish localizam-se próximo aos enormes depósitos de Tamar e Leviathan, todos situados na zona marítima comercial de Israel.

Sem dúvida, Israel, uma terra abençoada por Deus!

Shalom, Israel!

sexta-feira, novembro 01, 2019

ISRAEL TEME QUE A EUROPA VENHA A APROVAR O BOICOTE AOS SEUS PRODUTOS

O dia 12 deste mês de Novembro será crucial para Israel. O Tribunal de Justiça Europeu, sediado no Luxemburgo, deverá pronunciar-se nesse dia sobre a etiquetagem dos produtos israelitas produzidos na Judeia, Samaria e Montes Golan, que os inimigos de Israel consideram "territórios ocupados."
Esta decisão vem no seguimento de uma petição feita pela França, em 2016, para a marcação dos produtos israelitas produzidos naquelas regiões com uma etiqueta especial. 
O Ministérios das Relações Exteriores de Israel teme que este provável precedente do tribunal europeu de etiquetar os produtos israelitas originários dos territórios bíblicos da Judeia, Samaria, Montes Golan e Jerusalém Oriental venha a ser imposto a todas as 28 nações da União Europeia, dessa forma dando força ao famigerado "BDS" (Boicote, Desinveste e Sanciona), que tanto visa provocar e prejudicar a economia israelita.
Mais ainda: Israel teme que os mentores do "BDS" se sintam fortalecidos por esta hipotética decisão europeia, e tentem convencer outros países fora da Europa dos 28 a seguirem o mesmo exemplo.
Desde 2015 que Israel tem apelidado esta medida de "discriminatória" e prejudicial para o entendimento entre judeus e palestinianos, afectando inclusivamente a própria economia palestiniana. Muitas destas empresas israelitas estabelecidas nestes territórios empregam muita mão de obra palestiniana, pelo que, qualquer tipo de boicote económico aos produtos ali produzidos é um ataque à própria subsistência das famílias palestinianas...
A diplomacia israelita tem conseguido até agora levar alguns países europeus a não adoptarem estas medidas, com excepção da França, que desde 2016 tem estado a adoptar a etiquetação nos produtos provenientes destes territórios israelitas. E as consequências vêem-se no descalabro a que a França tem estado sujeita desde essa altura...
Como o Tribunal Administrativo francês decidiu anular a decisão de 2016, alegando que a mesma vai contra a constituição francesa, o assunto foi então levado ao Tribunal Europeu no Luxemburgo, cujas decisões não podem ser alteradas.
Cabe agora à diplomacia israelita usar de todas as suas "armas" para convencer as nações europeias a não votarem a favor desta pérfida e injusta medida.

Shalom, Israel!

quinta-feira, outubro 31, 2019

MAIOR CEMITÉRIO SUBTERRÂNEO DO MUNDO INAUGURADO EM JERUSALÉM

Israel é um país bastante pragmático. A braços com a quase insolúvel situação provocada pela falta de espaço para sepultar os seus mortos, o governo de Jerusalém avançou com um projecto inédito, resolvendo esse grave problema a partir de hoje, tanto mais que as leis judaicas proíbem a cremação de cadáveres.
Este novo cemitério subterrâneo na capital Jerusalém foi hoje inaugurado oficialmente e consiste de uma série de túneis com uma extensão total de 1,6 quilómetros, e uma altura de 16 metros. Os túneis podem acomodar um total de 24.000 sepulturas.
Segundo a organização responsável elo projecto, 70 por cento de todos os sepultamentos em Jerusalém passarão a partir de agora a ser realizados neste novo espaço.

No centro do espaço foi construído um elevador que percorre os 16 andares do cemitério, providenciando a entrada de acesso aos visitantes. Dentro dos túneis em si, os visitantes podem percorrer os espaços a pé ou em veículos eléctricos disponíveis no local. A localização dos sepulcros estará também disponível através de uma aplicação de telemóvel, facilitando às famílias a localização das sepulturas.
O projecto terá custado cerca de 85 milhões de dólares.

Shalom, Israel!

quarta-feira, outubro 30, 2019

CANDIDATA DEMOCRATA À PRESIDÊNCIA DOS EUA QUER DIVIDIR JERUSALÉM E FINANCIAR PALESTINIANOS

A candidata democrata para as eleições presidenciais de 2020 nos EUA, Elizabeth Warren, escolheu uma agenda anti-sionista para as suas propostas eleitoralistas, prometendo ajudar os palestinianos a estabelecerem uma "capital" em Jerusalém, restabelecer as contribuições do governo norte-americano para a UNRWA e outras instituições palestinianas, ao mesmo tempo que promete cortar contribuições a Israel, tendo em vista as comunidades judaicas na Judeia e Samaria.

Resta-nos esperar e desejar que esta mulher não consiga assumir a próxima presidência da nação mais amiga de Israel.

Shalom!

segunda-feira, outubro 28, 2019

ONDA DE PROTESTOS AUMENTA NAS RUAS DO LÍBANO E DO IRAQUE

Uma avassaladora onda de protestos têm vindo a crescer diariamente no Líbano e no Iraque, com milhares de pessoas a se manifestarem nas ruas das suas grandes cidades contra o aumento do custo de vida e a corrupção latente desses governos árabes.
Mas, e para surpresa de muitos, os protestos não se resumem à corrupção dos governantes desses países, mas também ao envolvimento do Irão nos respectivos países.
O maior factor de instabilidade nesses dois países e não só, é o regime iraniano, a querer cada vez mais alargar a sua influência e presença na região.
O Irão controla cada vez mais território no vizinho Iraque, e o grupo terrorista Hezbollah, instalado a Sul do Líbano, é apoiado e sustentado pelo regime ditatorial islâmico dos ayatolás.
Serão esses os primeiros sinais de mudança?
Esperemos para ver...

Shalom, Israel!